Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Em Família"

Final de Em Família: última trama de Manoel Carlos não vai deixar saudades

18 de julho de 2014 39
Alex Carvalho, TV Globo

Alex Carvalho, TV Globo

Após anos colecionando sucessos e criando cenas inesquecíveis, Manoel Carlos errou a mão. E feio. Em Família só não foi pior graças ao esforço do elenco e a algumas polêmicas, como a do casal de lésbicas formado por Giovanna Antonelli e Tainá Müller.

O último capítulo, aliás, foi coroado pelo final feliz de Clara e Marina. Os fãs das duas não podem se queixar, pois até casamento gay e três beijos foram mostrados na novela. Em uma emissora que até pouco tempo cortava esse tipo de cena, já é um grande avanço.

Feliz da vida com a nova família que ganhou, Ivan (Vitor figueiredo) fez um discurso bonitinho em homenagem à mãe e à diversidade. Além de ganhar o carinho de Marina, o menino terminou a trama mimado por Verônica (Helena Ranaldi), que ainda anunciou a chegada de seu primeiro filho com Cadu (Reynaldo Gianecchini). Só senti falta de terem mostrado a criança após a passagem de tempo. Havia sido divulgado que era uma menina e se chamaria Vitória, devido ao transplante de coração bem-sucedido de Cadu. Devem ter cortado essa parte por falta de tempo, já que havia tanto pra acontecer…

Quem também teve muito o que comemorar foi Felipe (Thiago Mendonça). Recuperado do alcoolismo, ele teve seu final feliz ao lado de Sílvia (Bianca Rinaldi) e comemorou a chegada de um bebê.

Falando em bebês, Rafaela (Aline Fanju) e Viriato (Antonio Petrin) resolveram povoar o mundo. Além dos gêmeos João e Maria, o casal ainda anunciou a chegada de mais um bebê. Bem que a moça anunciou que o maridão era um “touro”.

Um dos mistérios (nem tão misterioso assim) que veio à tona, mesmo que sutilmente, foi a respeito da mãe de André (Bruno Gissoni). O rapaz chegou a confrontar Branca (Ângela Vieira), mas a megera não o reconheceu como filho e mentiu que a mãe dele era uma antiga empregada. André e Bárbara (Poliana Aleixo) não acreditaram na história, mas isso não fez a menor diferença, já que ele se mostrou convicto de que sua mãe é Dulce (Lica Oliveira).

O destino de Juliana (Vanessa Gerbelli) foi o mais confuso de todos. Ela terminou solteira e dedicada aos filhos, mas com a ajuda de Iolanda (Magdale Alves), a mãe de Gorete (Carol Macedo). Falando nisso, a morte da empregada continuou sem explicação, parece que o autor se esqueceu desse detalhe. Até apareceu o médico que poderia desvendar o suposto crime, mas só deu um “oi” e foi embora sem fazer nada de útil.  Jairo (Marcello Melo Jr.) continuou o malandro de sempre, morando na comunidade, como sempre quis. Já Nando (Leonardo Medeiros), finalmente esqueceu a ex e começou a se entender com a secretária. Estranho, o coitado passou a novela rastejando atrás de Juliana, mas “desapaixonou” em pouco tempo.

Mas nem só de finais felizes se vive, então, como todos já sabem, Laerte (Gabriel Braga Nunes) foi assassinado no último capítulo. Ele chegou a se casar com Luiza (Bruna Marquezine), mas acabou levando um tiro de Lívia (Louise D’Tuani) na saída da igreja. O motivo não poderia ser mais idiota: a jovem pianista ficou revoltada após ouvir Laerte a chamar de “bobinha” e zombar da paixão dela. Coerência pra quê, né?

Laerte deve ter morrido feliz, cercado por suas cinco viúvas: Luiza, Helena (Júlia Lemmertz), Shirley (Vivianne Pasmanter), Lívia e Verônica. Enquanto o músico agonizava, cada uma das mulheres de sua vida relembrava como foram “felizes” com ele. Nossa, que homem perfeito foi esse Laerte, vai deixar saudades. Só que não.

Um ano depois de ter ficado viúva, Luiza foi viajar com os pais e aproveitou para assistir a um concerto de Leto (Ronny Kriwat). Organizado por Shirley, o evento foi uma homenagem a Laerte. Poucos meses depois do trauma de ficar viúva em pleno altar, Luiza resolveu curar a deprê na França. Quem nunca, né? A jovem conheceu um charmoso brasileiro em Paris. E vejam que coincidência, ele também é músico!

Manoel Carlos ficou devendo uma boa trama ou, pelo menos, um final mais coerente para sua história. Que a novela não tenha vindo bem até aqui, é compreensível, nem sempre é possível adivinhar o que vai agradar ao público. Mas pelo menos o desfecho criado pelo autor deveria ter respeitado nossa inteligência. Não deu pra engolir a transformação de Laerte, aquele psicopata que destruiu a vida de tanta gente, em um mártir que foi morto por uma jovem maluca.

Em Família terminou, finalmente. Se Maneco cumprir o prometido, deve ser sua última novela. É uma pena que ele fique marcado por história tão cheia de erros, mas não podemos esquecer o legado deixado por ele. Lembremos, portanto, da troca de bebês emocionante em Por Amor, das raquetadas de Marcos (Dan Stulbach) em Mulheres Apaixonadas, do sofrimento de Camila (Carolina Dieckmann) em Laços de Família, do belo romance de Miguel (Mateus Solano) e Luciana (Alinne Moraes) em Viver a Vida… Enfim, são mais de 30 anos de boa história, Manoel Carlos não merece ser apedrejado por uma trama ruim.

E vocês, o que acharam do final de Em Família?

Bookmark and Share

Atriz fala sobre o crime de Lívia: "Ela vai vingar as vítimas do Laerte"

18 de julho de 2014 1
Ellen Soares, TV Globo

Ellen Soares, TV Globo

A essa altura, não há mais muita esperança de que Em Família tenha um final diferente do que foi divulgado. A não ser que a Globo guarde alguma carta na manga (o que acho improvável), Laerte (Gabriel Braga Nunes) deve morrer após ser baleado por Lívia (Louise D’ Tuani).

O desfecho, como já contei por aqui, pegou todo mundo de surpresa, inclusive o elenco. Dizem até que Vivianne Pasmanter não gostou muito do final escrito por Manoel Carlos, pois acreditava que Shirley seria a assassina de Laerte. O que, cá entre nós, teria muito mais coerência.

Mas não, 0quem vai puxar o gatilho será mesmo Lívia, a garota de olhar ingênuo e fala mansa que nem ao menos foi pra cama com o flautista. A menina nunca demonstrou o menor descontrole emocional, ao contrário de outras mulheres da vida de Laerte, como Shirley, Helena (Júlia Lemmertz) e até mesmo Luiza (Bruna Marquezine).

Para a intérprete de Lívia, porém, o final não foi tão surpreendente assim:

- De qualquer forma, esse possível final não me surpreendeu porque, na verdade, estou surpreendida desde que entrei para novela.

Louise D’Tuani também contou ao site Em Off:

- Se Lívia fizer isso mesmo, estará vingando todas as mulheres que foram vítimas de Laerte. Ela se envolveu com ele mesmo sabendo de sua fama, sempre ouviu as conversas no espaço, ouviu conselhos de Verônica e mesmo assim caiu na lábia dele. Tem muita mulher que é assim mesmo, por isso é melhor nem se meter. A pessoa de tem de aprender sozinha.

Não sei se Manoel Carlos já havia escrito a personagem Lívia com a intenção de torná-la assassina, mas se foi esse o objetivo, era melhor ter mostrado uma relação mais intensa entre ela e Laerte. Entre os dois rolou apenas um beijo e uma paixão platônica por parte da jovem. Para uma mulher chegar ao ponto de dar um tiro no cara, era preciso haver uma história maior entre os dois, algo de mais grave que impulsionasse a moça a matar.

O final foi mal construído, assim como foi toda a novela. É uma pena, Maneco perdeu uma boa chance de salvar sua história aos 45 do segundo tempo. Mas já que tava ruim mesmo, pra que se esforçar no último capítulo?

Bookmark and Share

Confira as principais imagens do último capítulo de Em Família

18 de julho de 2014 0

Casamento, anúncios de gravidez, revelações e uma tragédia. O último capítulo de Em Família vai ao ar daqui a algumas horas e o site da novela divulgou as principais imagens do desfecho que Manoel Carlos preparou. Confira:

 

Antes do casamento, Laerte tem uma noite de amor com Shirley. Nos braços de seu grande amor, ela reafirma que é a mulher certa para ele, mas não o convence a desistir da cerimônia.

mg_5313

 

A cena mais impactante, com certeza, será a morte de Laerte na porta da igreja. Logo após se casar com Luiza, ele leva um tiro de Lívia e não resiste. A jovem viúva, ao que parece, sofrerá muito e esquecerá que o noivo não prestava. Morto desse jeito, o psicopata vira um santo…

fm_2014-07-17_0245

 

André e Bárbara chegam até a casa de Branca e a confrontam sobre o filho que ela abandonou no passado.

dsc07812

 

Bebê a caminho! Verônica conta a Cadu que está grávida. Outro casal que comemorará a chegada do primeiro herdeiro será Sílvia e Felipe.

dsc07837

Bookmark and Share

Os maiores "furos" de Manoel Carlos na novela Em Família

18 de julho de 2014 48
Paulo Belote, TV Globo

Paulo Belote, TV Globo

Nenhuma novela é perfeita e sempre tem gente que critica, por mais sucesso que a trama faça. Mas no caso de Em Família, alguns “furos” na história acabaram prejudicando ainda mais a já fracassada trama de Manoel Carlos. Confiram alguns deles:

- A mudança de comportamento de Helena (Júlia Lemmertz) adolescente para a fase adulta acabou descaracterizando a personagem. Ousada e temperamental no início da novela, ela virou uma mulher amarga e apagada, sempre às voltas com os problemas da família. De protagonista, virou uma mera figurante na história.

- O grande amor que unia Helena e Laerte (Gabriel Braga Nunes) tinha tudo para voltar à tona com força total vinte anos depois. No reencontro entre os dois, rolaram tapas e acusações, mas parecia haver uma chama maior que os unia, levando o público a esperar pela retomada dessa paixão. Não aconteceu. O flautista se apaixonou por Luiza (Bruna Marquezine) e nem cogitou reviver a história de amor com a primeira namorada.

- Não foi a primeira vez que Manoel Carlos se esqueceu de alguns personagens durante a história. Apesar de ter atores já escalados, não vimos nem sombra da mãe de Shirley, do pai de Neidinha ou do tio de Helena que mora no exterior. O que houve com essa gente? Morreram todos?

- Afinal, foi Juliana (Vanessa Gerbelli) quem matou Gorete (Carol Macedo)? A não ser que haja alguma cena secreta para ir ao ar hoje, não ficaremos sabendo se a empregada morreu de forma natural ou se foi assassinada. Maneco poderia ter explorado melhor esse mistério, mas acabou transformando a maluca com instinto assassino em uma mãe de família exemplar e disputada pelos homens.

- Alguns erros de escalação deixaram o público confuso. Até hoje, conheço gente que acha que Juliana é irmã de Helena, quando na verdade é tia. Natural, já que Vanessa Gerbelli não aparenta ser mais velha do que Júlia Lemmertz (na história, seria uma diferença de uns cinco anos). Isso sem falar em Natália do Vale, bem mais conservada do que sua filha mais velha na ficção. Ana Beatriz Nogueira, por mais que se esforce para parecer uma senhora de 60 anos, não convence, é claro.

- Muito maduro da parte da Luiza dizer “vou morar sozinha, casar com quem eu quiser, porque sou adulta e ninguém manda na minha vida”. Detalhe: papai e mamãe pagam aluguel e contas do apartamento, pagavam a faculdade (que ela nem avisou que iria trancar), gasolina do carro, roupinhas de marca e até a ração do gato. Assim é fácil ser independente.

- Por fim, mas não menos importante, de que vivem os personagens de Em Família? A Casa de Leilões da família Fernandes deve dar um lucro enorme, para sustentar tanta gente desocupada…

Ainda bem que a novela acaba hoje, senão continuaríamos encontrando erros até o fim dos tempos.

Bookmark and Share

Em Família: Luiza se apaixona por outro músico após a morte de Laerte

17 de julho de 2014 7
Ellen Soares, TV Globo

Ellen Soares, TV Globo

Todo mundo falando mal de Em Família, mas vocês estão adorando saber sobre o bizarro final da novela, confessem. Então vamos lá que tá acabando… Querem saber o que vai acontecer com Luiza (Bruna Marquezine) depois da morte de Laerte (Gabriel Braga Nunes)?

A mocinha mais chata criada por Manoel Carlos (e olha que a concorrência é forte) vai terminar a novela sozinha. Ou quase.

Segundo o site da trama, a jovem conhecerá outro músico charmosíssimo no último capítulo. Cerca de um ano após a morte de Laerte, Luiza resolve viajar com os pais para a França. E será em um café de Paris que ela vai se encantar por um brasileiro, que também é músico. Nossa, que coincidência, não?

Sério, gente, a impressão que dá é de que Maneco viu que a novela já tava toda errada mesmo, pra que se esforçar pra consertar no final?

É difícil imaginar que o autor já criou desfechos lindos e emocionantes como o de Por Amor, Laços de Família e Viver a Vida…

Bookmark and Share

Manoel Carlos diz que não se arrepende de nada: "Fiz um bom trabalho"

17 de julho de 2014 16

João Miguel Júnior, TV Globo

Em Família chega ao fim amanhã e até as pedras da minha rua sabem que foi a pior novela de Manoel Carlos. Mas como um pai nunca enxerga os defeitos do filho, o autor continua achando que escreveu uma ótima história.

Aos 81 anos, Maneco contou ao Extra que termina a novela sem arrependimentos:

-Eu me despeço bem, certo de que fiz um bom trabalho, honesto comigo mesmo, na mesma linha de tudo que escrevi nesses anos todos.

Há controvérsias. E muitas. Quem acompanha o trabalho do autor há anos sabe que ele já esteve em melhor forma. “Felicidade” foi a primeira novela que eu lembro de ter assistido na vida e marcou muito minha infância, com Maitê Proença na pele de Helena. Das protagonistas vividas por Regina Duarte, acredito que a mais forte e polêmica foi em “Por Amor”, com a inesquecível cena da troca de bebês. Mas minha novela preferida da vida ainda é Laços de Família, com cenas inesquecíveis e um elenco de primeira. Por tudo isso e muito mais, não podemos esquecer que Manoel Carlos fez história na teledramaturgia. Não é justo que ele fique marcado por uma novela ruim, sendo que já criou tantas coisas boas.

Mas voltando à entrevista de Maneco, ele reforça que Júlia Lemmertz foi mesmo sua última Helena:

- Helena vai descansar. Nem novela, nem série, nem minissérie. Não penso em revivê-la.

Infelizmente, a última Helena foi a pior e mais apagada, na minha opinião. Acho que ganha em chatice até mesmo de Taís Araújo de Viver a Vida… A personagem de Em Família nem pode ser chamada de protagonista, pois não fez nada de útil na história, a não ser bancar a psicóloga da família inteira, sempre intermediando os conflitos daquele bando de malucos. Helena se perdeu no meio da novela, seus conflitos não foram aprofundados e ficou tudo parecendo um “mimimi” de mulher recalcada. É uma pena, pois Júlia Lemmertz é uma grande atriz e merecia uma personagem à altura, até porque esta deveria ser uma homenagem à sua mãe, que viveu a primeira Helena.

No encerramento da entrevista, Manoel Carlos reafirma que fez um bom trabalho:

- Fiz o possível para dar às pessoas boas histórias. Se consegui isso algumas vezes, eu me sinto feliz e agradeço.

Por mais que Em Família tenha sido uma decepção, temos que dar crédito ao autor pelo “conjunto da obra”. Daqui pra frente, Maneco não tem mais idade e nem saúde para novelas longas, deve se dedicar apenas a minisséries. O bom seria aproveitar o momento para renovar o horário nobre, com Lícia Manzo (autora de A Vida da Gente), por exemplo, que tem um estilo bem semelhante ao de Manoel Carlos.

Bookmark and Share

Escolha de Lívia como assassina de Laerte causa polêmica nos bastidores de Em Família

17 de julho de 2014 14
Ellen Soares, TV Globo

Ellen Soares, TV Globo

Não foi só o público que recebeu com surpresa a notícia de que Lívia (Louise D’Tuani) será a assassina de Laerte (Gabriel Braga Nunes) no final de Em Família. Nos bastidores da novela, equipe e elenco também não gostaram muito da decisão do autor.

De acordo com o Extra, a ideia inicial era de que Shirley (Vivianne Pasmanter) mataria o flautista. O que, aliás, seria muito mais coerente. A dondoca sempre mostrou ser tão maluca quanto Laerte e teria coragem suficiente para puxar o gatilho. Afinal, foi ela quem sempre ficou esperando pelo cara, vendo ele desfilar com várias outras mulheres na sua frente…

Já Lívia, que só apareceu quase no fim da trama, não teve envolvimento suficiente com Laerte para se tornar tão obcecada por ele. Os dois trocaram apenas um beijo e alguns abraços, ele sempre deixou bem claro que amava Luiza (Bruna Marquezine) e não chegou a dar esperanças para a loirinha.

Do nada, a menina com cara de anjo e fala mansa se tornará uma assassina? Tá de brincadeira, Manoel Carlos?

No fundo, no fundo, ainda tenho esperanças de que o final divulgado seja apenas para despistar a imprensa. Quem sabe no final da história Maneco acabe nos surpreendendo?

Bookmark and Share

Em Família: Shirley e Laerte sempre foram amantes

16 de julho de 2014 4
Reprodução GShow

Reprodução GShow

Esse final da novela ‘Em Família’ está cada vez mais sem pé nem cabeça. Depois de tirar um coelho da cartola e fazer de Nando (Leonardo Medeiros) o pai de Bia, para o aproximar de Juliana (Vanessa Gerbelli), Manoel Carlos virá com uma nova surpresa para o público.

Segundo a coluna Telinha, o público descobrirá que Laerte (Gabriel Braga Nunes) e Shirley (Vivianne Pasmanter) sempre foram amantes. Tudo será esclarecido quando a perua aparecer no flat do flautista e atrapalhar o seu ensaio:

“Qual é o problema, meu amor? Entro, tomo banho, me ponho debaixo dos seus lençóis, ligo a TV e te espero. Quantas vezes fizemos assim?”

Os dois acabam transando e Shirley insiste para ele não se casar com Luiza (Bruna Marquezine):

“Não se lembra do que temos falado tantas vezes. Em fugirmos juntos, como nos romances?”

Laerte ri de Shirley e os dois brigam. Irritado, o flautista termina o relacionamento.

Essas alterações no roteiro da novela, só deixa o público mais confuso, mas quem ainda tenta entender essas reviravoltas do Maneco. Só sei que estou louca pra que Império comece, vocês não?

Bookmark and Share

Em Família: Clara e Marina se casam com vestidos iguais e muito romantismo

16 de julho de 2014 16
Fotos: Paulo Belote, TV Globo

Fotos: Paulo Belote, TV Globo

 

Entre tantos problemas, Em Família vai chegando ao fim e dificilmente vai deixar saudades. Mas temos que reconhecer que a trama de Manoel Carlos teve certos méritos e merecia ter tomado um rumo diferente.

Uma das coisas que chama a atenção nessa reta final é que o autor tem mostrado as “novas famílias”, configurações que fogem do modelo “tradicional” e que são a realidade de muita gente.

Paulo Belote. TV Globo

Vejam o caso do menino Ivan (Vitor Figueiredo). Apesar de ter sofrido muito com a separação dos pais, ele agora parece feliz ao lado da mãe Clara (Giovanna Antonelli), do pai Cadu (Reynaldo Gianecchini) e das duas madrastas, Marina (Tainá Müller) e Verônica (Helena Ranaldi). As cenas de harmonia entre os cinco integrantes dessa nova família mostram que o importante é que a criança seja amada, o resto é bobagem.

Para confirmar a naturalidade dessa situação, vai ao ar hoje à noite o casamento de Clara e Marina. Em pleno 2014, é a primeira vez que uma novela exibe a união oficial entre duas pessoas do mesmo sexo. Os tabus vão sendo quebrados, a discussão em torno disso vai diminuindo e isso é muito positivo. Se a repercussão já não é mais tão grande, é sinal de que muitos estão enxergando os casais gays com mais naturalidade.

E vejam como são as coisas… O casal gay de Em Família terá uma belíssima cerimônia de casamento, com direito a noite de núpcias e um final feliz. Já o casal hetero principal, Luiza e Laerte, veio até aqui aos trancos e barrancos e será separado por uma tragédia.

 

>>> Gente, entendo que algumas pessoas se manifestem contra esse assunto, mas peço que mantenhamos uma discussão saudável nos comentários. Palavras de baixo calão e ofensas pessoais não serão liberadas. No mais, fiquem à vontade para concordar ou discordar.

Bookmark and Share

Final de Em Família: Laerte morre após ser baleado por Lívia

16 de julho de 2014 72
Ellen Soares, TV Globo

Ellen Soares, TV Globo

O destino de Laerte (Gabriel Braga Nunes) não poderia ser outro no final de Em Família. Como eu já havia comentado aqui, a morte seria a única saída para o psicopata, e é justamente nesse desfecho que Manoel Carlos irá apostar, de acordo com o Extra.

Laerte se casa com Luiza (Bruna Marquezine), mas é baleado na porta da igreja. A última cena do personagem mostrará todas as mulheres de sua vida ao redor, cada uma com suas lembranças ao lado dele: Helena (Júlia Lemmertz), Luiza, Verônica (Helena Ranaldi), Shirley (Vivianne Pasmanter) e Lívia (Louise D’Tuani).

Agonizando, Laerte passa os olhos por cada uma de suas pretendentes, até se fixar em Lívia. Certo de quem puxou o gatilho, ele pergunta à jovem pianista:

- Por quê?

Antes que a garota responde, a polícia chega e a leva presa. Enquanto isso, Laerte morre nos braços de Luiza.

O tempo passa e Luiza continuará sozinha, ainda sofrendo com as lembranças de Laerte. As cenas finais mostram a jovem ao lado dos pais em Paris, assistindo a um recital em homenagem ao flautista.

Posso falar? Que porcaria de final, gente! Manoel Carlos poderia ter dado um desfecho mais digno a essa história, que já começou errada e vai acabar pior ainda. A morte de Laerte é justa, mas não a forma como vai ser apresentada. O psicopata que infernizou metade do elenco durante a novela será transformado em um santo depois dessa tragédia, deixando suas “viúvas” eternamente saudosas. O fato de ser assassinado acaba redimindo Laerte de tudo o que aprontou, transformando em vítima o algoz de tantas mulheres iludidas. Isso sem contar a identidade da assassina, também pouco coerente. Se o tiro fosse Helena ou Shirley, aí sim o final teria algum sentido. Mas já desisti de entender a cabeça do autor nessa altura do campeonato, o jeito é torcer para que termine logo…

Bookmark and Share