Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "O melhor da semana"

O melhor da semana: Drica Moraes assume o posto de grande vilã de Império

22 de novembro de 2014 5
Alex Carvalho, TV Globo

Alex Carvalho, TV Globo

Logo nos primeiros capítulos de Império, Cora, então vivida por Marjorie Estiano, prometia ser a grande vilã do momento. Porém, o início da segunda fase trouxe uma Drica Moraes ótima, mas ainda longe de ser a malvadona da novela. A tia de Cristina (Leandra Leal) parecia mais engraçada, quase caricata, na maioria das cenas. Cora decepcionou e acabou entregando a Maria Marta (Lilia Cabral) o posto de vilã da trama.

Mas o jogo virou nos capítulos desta semana e, finalmente, Cora se tornou a face da maldade no horário nobre. Nas cenas do assassinato de Fernando (Erom Cordeiro), a megera foi fria, calculista e soltou até uma risada macabra de dar medo.

A confusão acerca do real caráter de Cora foi muito mais culpa do texto do que da intérprete. Drica Moraes foi ótima desde suas primeiras cenas, o problema foi não ter ficado muito claro se ela era apenas amargurada ou se realmente só tinha maldade no coração. Como a personagem disse logo no primeiro capítulo, “não era má, era apenas prática”. Mas depois de matar pelo menos duas pessoas (se contarmos a morte de Eliane), alguém duvida de que Cora seja má?

Cora está longe de ser uma Nazaré, mas já começa a dar os primeiros passos rumo à galeria das grandes vilãs das novelas. Antes tarde do que nunca!

LEIA TAMBÉM: 

>>> Nasce uma serial killer: Após se livrar de Fernando, Cora planeja o próximo crime

>>> Homenagem a Nazaré em Império: Cora empurra Fernando da escada

>>> Cora é malvada, mas tem muito o que aprender com outras vilãs da telinha

Bookmark and Share

O melhor da semana: Bruno Gagliasso assusta e arrasa em Dupla Identidade

27 de setembro de 2014 12
Estevam Avellar, TV Globo

Estevam Avellar, TV Globo

Desde que Bruno Gagliasso foi anunciado como o protagonista de Dupla Identidade, todos já imaginavam que vinha coisa boa por aí. Mas confesso a vocês que, mesmo conhecendo o talento do ator, fiquei chocada com a interpretação dele logo no primeiro episódio da série. Gente, chega a dar medo!

O ator encarnou o psicopata Edu com perfeição, não dá pra imaginar outro intérprete para um papel tão intenso. Doce e sedutor em alguns momentos, para no minuto seguinte se transformar em um monstro, Bruno hipnotiza o telespectador apenas com o olhar.

E por falar em olhar, a cena final do episódio de estreia, com um close nos olhos do serial killer, foi assustadora. Parecia que ele realmente estava sentindo prazer com o sofrimento da vítima, impressionante!

Bruno Gagliasso arrasa em qualquer personagem, mas este com certeza já é um dos melhores da carreira dele. Não vejo a hora de assistir aos próximos capítulos dessa história!

Bookmark and Share

O melhor da semana: Alexandre Nero e Lilia Cabral travam duelo de gigantes em Império

02 de agosto de 2014 6
Alex Carvalho, TV Globo

Alex Carvalho, TV Globo

Casal com química é outra coisa, né? E não estou falando apenas de pares românticos, há alguns casos em que duplas de amigos ou inimigos na ficção também mostram uma sintonia de encher os olhos.

É o caso de Alexandre Nero e Lilia Cabral em Império. Na nova novela das 21h, José Alfredo e Maria Marta são casados há anos, mas acabaram transformando o amor (se é que um dia ele existiu) em ódio. A megera quer a todo custo que José Pedro (Caio Blat) assuma as empresas da família. Já o Comendador prefere a filha do meio, Maria Clara (Andreia Horta). Esse jogo de interesses deu início a um dos melhores embates do horário nobre nos últimos tempos.

Lilia Cabral é sempre ótima e surpreende a cada novo personagem. Como vilã sem escrúpulos, mulher amargurada, mãe batalhadora, milionária romântica, não importa… É sempre um prazer vê-la em cena, mas a experiência é ainda mais arrebatadora quando há uma dobradinha de sucesso.

É este o caso de Lilia com Alexandre Nero, uma dupla imbatível desde a primeira vez que trabalharam juntos, em A Favorita. Ele estava apenas começando, na pele do humilde feirante Vanderlei. Ela, já consagrada por outros papéis marcantes, reconheceu o potencial do então estreante e fez uma parceria de sucesso. Tanto que o personagem de Nero, um simples figurante, foi crescendo ao longo da novela e o alçou a voos mais altos em futuros trabalhos.

A primeira cena de José Alfredo e Maria Marta na segunda fase de Império deixou bem claro o que teremos por aí: um duelo de gigantes. Lilia Cabral e Alexandre Nero são igualmente brilhantes, não há um que se sobressaia ao outro, são ambos ótimos. Se depender da guerra entre esses dois, a novela tem tudo para continuar sendo um sucesso de público e crítica.

Bookmark and Share

O melhor da semana: O Rebu é a salvação em meio a novelas fracas

19 de julho de 2014 3
Divulgação, TV Globo

Divulgação, TV Globo

Pra quem não aguentava mais o excesso de fantasia de Meu Pedacinho de Chão, as enrolações sem fim de Geração Brasil e o marasmo de Em Família, uma novidade movimentou a telinha esta semana. O Rebu mal estreou e já conquistou a simpatia do público com sua história ágil e cheia de mistérios.

Por mais que o elenco tivesse nomes como Tony Ramos, Patrícia Pillar, José de Abreu e Vera Holtz, o remake das 23h era um tiro no escuro. A trama que se passa em apenas uma noite de festa, com alguns flashbacks e cenas de investigação, traz uma fórmula diferente de fazer novela. Como toda inovação, poderia dar muito certo ou muito errado. E não é que foi uma ótima surpresa.

George Moura e Sérgio Goldenberg estão fazendo um ótimo trabalho e têm conseguido prender a atenção dos telespectadores. À boa história, somam-se a fotografia impecável e uma trilha sonora incrível, ingredientes que, misturados, formaram uma novela como há um bom tempo não víamos na TV.

A grande questão é: se a Globo tem condições de criar um produto de qualidade, por que vem colecionando fracassos? Pois é, novela não é uma fórmula perfeita e hoje em dia é muito difícil de saber do que o público gosta.

Talvez a palavra-chave, atualmente, seja renovação. O Rebu já está aí mostrando ao que veio, Império estreia amanhã com ótimas expectativas e em breve Meu Pedacinho de Chão também se despede para dar lugar a Boogie Oogie. Com tantas opções diferentes no ar, será mais fácil de agradar aos mais diferentes públicos.

Bookmark and Share

O melhor da semana: Mais um ótimo barraco agita Amor à Vida

09 de novembro de 2013 2
Fotos: Divulgação, TV Globo

Fotos: Divulgação, TV Globo

Entre polêmicas e absurdos de Amor à Vida, Walcyr Carrasco consegue dar grandes viradas em sua trama, isso temos que reconhecer. Quando a novela fica um tempo parada, podemos esperar um grande barraco, geralmente protagonizado pela família Khoury. Quando eles se reúnem, é confusão garantida!

edith-apela-com-felix

Pois é, no núcleo rico que acontecem as maiores brigas, com direito a surras, tapas, puxões de cabelo e grandes revelações. Primeiro foi Edith (Bárbara Paz) empurrando Félix (Mateus Solano) pra fora do armário, depois a revelação de que Paloma (Paolla Oliveira) é filha de César (Antonio Fagundes) com outra mulher. Pilar (Susana Vieira) também não deixou barato a traição do marido e deu uma surra em Aline.

No casamento de Paloma, mais barraco. Logo na porta da igreja, César se estranhou com Félix. Em seguida, foi a vez de Pilar entrar em guerra com Aline. Félix também insultou a nova madrasta e levou um tapa do “papi soberano”.

edith-provoca-pilar

Esta semana, mais um grande barraco divertiu os telespectadores. Félix descobriu que Jonathan (Thalles Cabral) é filho de César e chutou o balde diante de toda a família. O que era apenas uma suspeita acabou sendo confirmado pelo mordomo Wagner (Felipe Titto), dando início a um quebra-pau daqueles…

Pilar não perdoou mais essa traição e partiu pra cima de Edith com toda a fúria. Enquanto a “mamy poderosa” soltava o braço em cima da nora, Félix gritava “bate, bate que ela merece”.

pilar-perde-a-cabeca

Na boa, quem merecia uma boa surra é César… Afinal, era melhor dar logo uma lição no canalha do que se engalfinhar com uma mulher diferente todo mês, Pilar!

A sequência toda foi imperdível, com destaque, como sempre, para a atuação de Mateus Solano, um gigante em cena. Antonio Fagundes, Susana Vieira e Bárbara Paz também deram um show. Aliás, todos demonstraram alguma reação (raiva, surpresa, choque, desespero), menos Bruno e Paloma, que ficaram com as mesmas caras de paisagem de sempre.

pilar-consola-felix

Depois do barraco, Félix e Pilar desabaram no choro, emocionando o público. Pra encerrar com chave de ouro, tivemos a linda cena de Félix e Jonathan, que deixaram bem claro que continuam sendo pai e filho. Como disse muito bem Bruno, pai é quem cria, o que importa é o que sentimos e não os laços de sangue. Não importa se Jonathan é filho do avô, irmão do pai, irmão da tia… Finalmente, depois de tantas revelações bombásticas, Félix começou a dar valor ao filho, mesmo ele sendo seu irmão e… ah, vocês entenderam.

Bookmark and Share

O melhor da semana: Mel Maia encanta e é uma verdadeira Joia Rara

12 de outubro de 2013 4
Foto: Divulgação, TV Globo

Foto: Divulgação, TV Globo

Desde de emocionar o público como a Ritinha de Avenida Brasil, Mel Maia provou que tem talento de gente grande (e até mais que muitos adultos por aí). Na época, com apenas sete anos, a pequena atriz cativou o público, apesar de aparecer apenas nos primeiros capítulos.

Agora, em Joia Rara, Mel volta à cena como a doce Pérola, a Joia do título. Meiga e carinhosa com todos ao seu redor, ela conseguiu amolecer até o coração do cruel Ernest (José de Abreu), que se derrete todo pela netinha.

Mas são nas cenas com Bianca Bin e Bruno Gagliasso que Mel Maia mais chama a atenção dos telespectadores. A relação da pequena com seus pais da ficção passa verdade e emociona quem assiste. Encantada com cada gesto da menina com Franz e Amélia, quase me esqueço que se trata de uma obra de ficção.

Mel Maia é um encanto e já roubou todas as cenas em que apareceu até agora. Mas a minha favorita, por enquanto, é quando ela apartou uma briga entre o avô Ernest e o tio Mundo (Domingos Montagner). Firme, mas sem perder a ternura, a pequenina deu uma bela lição de moral nos dois marmanjos. Mel, como sempre brilhou, e com certeza vai continuar brilhando por muito tempo.

Bookmark and Share

O melhor da semana: Joia Rara encanta e emociona nos primeiros capítulos

21 de setembro de 2013 5

Renato Rocha Miranda, TV Globo

Noveleira de plantão, costumo “adivinhar” se a novela vai ser boa ou não logo nas primeiras chamadas. Algumas vezes me engano, mas geralmente sei quando a trama vai ganhar minha simpatia.

Foi assim com Joia Rara, que desde as primeiras cenas divulgadas, já ganhou meu coração. Só pela presença da fofa e talentosa Mel Maia, já valeria a pena assistir, mas conforme o resto do elenco foi sendo divulgado, mais certeza eu tive de que seria um sucesso. Com atores dignos do horário nobre e direção dos competentes Ricardo Waddington e Amora Mautner, Joia Rara já começou arrasando.

Os primeiros capítulos mostraram uma reconstrução de época belíssima e imagens de tirar o fôlego. Com cenas gravadas no Chile (a parte dos Himalaias, com a incrível avalanche que soterrou Franz e seus amigos) e no Nepal, a novela já ganhou a atenção do público logo nos primeiros minutos.

No elenco, Bruno Gagliasso e Bianca Bin mostraram uma boa química como os apaixonados Franz e Amélia. Não curto muito o trabalho da Bianca e a acho fraquinha, mas gostei da forma como ela está construindo a personagem. Amélia não é uma mocinha fraca, mas sim uma jovem batalhadora e que luta pelos seus direitos e dos direitos de seus colegas da fábrica. A atriz tem tudo para crescer durante a trama, se não deixar sua mocinha cair na chatice comum a esse tipo de personagem.

Na ala masculina, Bruno Gagliasso ainda está um pouco apagadinho. Talvez por isso Carmo Dalla Vecchia tenha roubado a cena desde os primeiros olhares invejosos e armações contra o irmão. Manfred deve ser um grande vilão e promete uma ótima dobradinha com Nathalia Dill.

Entre os operários, Domingos Montagner se destaca como o líder Mundo. É incrível a presença do ator em cena, não importa em que tipo de papel. Espero mais de Thiago Lacerda, que deve ganhar mais destaque na segunda fase da trama.

No Cabaré Pacheco Leão, não tem pra ninguém. Letícia Spiller está maravilhosa como a vedete Lola Gardel. Em plena forma aos 40 anos, a atriz mostra que o tempo só lhe fez bem. Espero ansiosamente pela entrada de Mariana Ximenes, que deve ser a grande rival de Lola no palco.

Por último, mas não menos importante, tivemos a participação mais do que especial de Nélson Xavier nos dois primeiros capítulos. Mestre Ananda já fez a passagem para o mundo espiritual, mas seus espírito continuará vivo no corpo da menina Pérola (Mel Maia). Depois de encarnar Chico Xavier com maestria no cinema, Nélson Xavier emocionou como o líder budista e presenteou o público com belas frases de sabedoria.

Joia Rara começou bem, mas ainda é cedo para dizer se prenderá a atenção do público até o fim. Por enquanto, gostei do que vi e pretendo marcar presença em frente à telinha nos finais de tarde.

Bookmark and Share

O melhor da semana: Saramandaia, uma novela "deverasmente" interessante

29 de junho de 2013 8

Quando foi anunciado o remake de Saramandaia, minha primeira reação foi de estranhamento. Mesmo não tendo assistido à primeira versão, já conhecia por alto a história de realismo fantástico criada por Dias Gomes. Homem que tem asas, mulher que explode, jovem que pega fogo quando fica excitada, lobisomem… Tudo isso me pareceu bem fora dos atuais padrões da teledramaturgia.

Afinal, em 1976, plena época da ditadura, as figuras mágicas eram utilizadas como metáforas para tentar burlar a censura. Hoje em dia, com tudo liberado, talvez o povo estranhasse ver tantas bizarrices em uma telenovela.

Mas logo no primeiro capítulo do remake, escrito por Ricardo Linhares, fui surpreendida por uma história cheia de seres estranhos, mas muito atual. A nova versão acompanha os tempos atuais e, mesmo sem querer, mostra jovens protestando nas ruas de Bole-Bole. As sequências foram escritas bem antes das manifestações da realidade brasileira, mesmo assim, as cenas vieram a calhar. Os protestos dos “Saramandistas” são organizados através das redes sociais e acompanhados pelos moradores através da internet. Qualquer semelhança com a realidade é mera (e feliz) coincidência.

O segredo do telespectador de Saramandaia é se deixar levar pela fantasia. Não dá pra levar a sério quando seu Cazuza (Marcos Palmeira) quase põe o coração pela boca ou quando a mãe de João Gibão (Sérgio Guizé) apara as asas ocultas do rapaz. Tudo é mágico em Bole-Bole, e está justamente aí a graça da história.

A única coisa que tem me incomodado é o excesso de palavras inventadas. Em cada frase, é um festival de “deverasmente”, “pratrasmente”, “desmorrimento”. Uma outra expressão até seria divertido de ouvir, mas quando passa do ponto só acaba confundindo a cabeça do público.

Saramandaia 2013 está aí para provar que a fantasia ainda tem lugar na telinha, ainda mais quando a novela se atualiza e mantém um dos pés na realidade.

E VOCÊS, ESTÃO CURTINDO SARAMANDAIA?

Bookmark and Share

O melhor da semana: Mateus Solano rouba todas as cenas em Amor à Vida

01 de junho de 2013 7

Desde a inesquecível Carminha, de Avenida Brasil, os telespectadores esperavam por outro vilão que roubasse a cena e trouxesse tiradas inteligentes para o horário nobre. Pois Mateus Solano conseguiu, logo na primeira semana de novela, arrebatar o coração do público com seu cruel Félix Khoury.

A novela, por si só, já é um grande sucesso e fez muita gente esquecer a sofrível Salve Jorge. Ou alguém ainda se lembra de Lívia Marini e sua seringa assassina? Mas tanta repercussão se deve, em grande parte, pelo vilão da trama. Félix é um gay enrustido que dispara frases sarcásticas pra todos os lados, tanto que suas frases já fazem o maior sucesso na internet.

Félix ganhou perfis nas redes sociais, montagens e gifs engraçadíssimos e se tornou o queridinho do momento. Ele é mau, foi capaz de jogar a própria sobrinha no lixo, odeia a irmã e desvia dinheiro do Hospital San Magno. Mas apesar de tudo isso (ou por causa de tudo isso), o Brasil caiu de amores pelo malvadão.

Afinal, foi impossível não rir, apesar da cena monstruosa, quando Félix conversava com a sobrinha recém-nascida antes de largá-la numa caçamba:

- Sabe que até simpatizo com você, né, ratinha? Vir ao mundo enrolada numa echarpe tão cara. Gloriosa! Um luxo!

Além disso, as expressões “meu doce”, “anjinho”, “eu salguei a Santa Ceia” e “pelas contas do rosário” caíram na boca do povo.

Por incrível que pareça, o vilão gay enrustido deveria ser, a princípio, uma vilã. Flávia Alessandra estava cotada para ser a malvada da trama, mas a atriz já estava comprometida com Salve Jorge. Azar de Flávia, que teve que se contentar com uma personagem ridícula na trama anterior. Sorte de Mateus Solano, que finalmente recebeu um papel à altura de seu talento.

Bookmark and Share

O melhor da semana: Sangue Bom tem estreia alegre e promissora

04 de maio de 2013 7

Depois do desastre que foi o remake de Guerra dos Sexos, o que viesse era lucro no horário das 19h. Desde as primeiras chamadas de Sangue Bom, já era possível perceber que vinha coisa boa por aí.

E foi isso mesmo que aconteceu. Com um elenco afinado e muitas caras jovens e talentosas, a trama de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari encheu a telinha de flores e luz. Se fosse possível definir em poucas palavras, eu diria que Sangue Bom é uma mistura de Cheias de Charme com Ti-ti-ti, duas novelas de grande sucesso nos últimos anos.

Os seis protagonistas foram muito bem nos primeiros capítulos, com destaque para Humberto Carrão, que surpreendeu como o bad boy Fabinho. Isabelle Drummond é outra que promete roubar a cena como a moleca Giane. Já Sophie Charlotte, Fernanda Vasconcellos, Jayme Matarazzo e Marco Pigossi interpretam tipos aos quais já estão habituados, então não há grandes desafios.

Mas a grande ladra de cena foi Giulia Gam, que vive a deslumbrada atriz Bárbara Ellen. Após algumas novelas interpretando personagens de menor importância, ela finalmente ganhou um papel a sua altura. Exagerada e escandalosa na medida certa, a atriz deve fazer um estrago (no bom sentido) durante toda a novela, não tem pra ninguém.

Ri muito das maluquetes Tina e Damáris, as personagens mais cômicas da trama. Está certo que Ingrid Guimarães e Marisa Orth sempre interpretam da mesma forma, e talvez sejajustamente essa a graça dessas duas grandes comediantes.

Há quem não tenha curtido a novela por achar muito parecida com Malhação, mas é justamente essa a ideia. A Globo pretende atrair a galera jovem para um novo horário, o das 19h, tradicionalmente problemático e que raramente agrada a todos os públicos.

Sangue Bom pode até não se tornar um sucesso estrondoso ou marcar época, mas com certeza é uma boa pedida para aliviar a tensão e se divertir um pouco na frente da TV.

o melhor da semana , sangue bom , estreia
Bookmark and Share