Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Artigo| O menino que me fez pai

10 de agosto de 2013 9

Pensei por toda a
vida tornar um
menino meu filho.
Jamais pensei que
um menino
me fizesse pai

PABLO MORENNO*

Pensei viesse no bico da cegonha, foi a assistente social quem ligou. Esperei um recém-nascido, tinha três anos. Escolhi  um dia astrológico para o nascimento, veio numa segunda treze, seguinte ao dia dos pais de 2012.
Quis abraçá-lo forte, esquivou-se por uma hora. Quando se escondeu num canto, apertei suas mãos e o puxei para mim. Então me abraçou forte. Assim muitas vezes. O mesmo nascimento a fórceps.
O primeiro dia lá em casa, levamos junto um peixinho para o lago. Um kinguio branquinho no meio dos  vermelhos. E o peixinho foi encontrando pai, mãe, irmãos, avós…
Num entardecer, perguntou-me quem era o homem que segurava a mão de um menino. E eu disse “seu pai”. “Sabia que eu não tenho pai, apenas tias lá da Casa da Criança?”. “Você quer um pai?”. “Sim”. “Quem seria?” “Você”.
Virei pai comprando pão. Aliás, sou o Pateta. Ele é o Mickey e a mãe a Minnie.
Simples assim. Agora fazemos bolo de estrelinhas nos sábados. Vimos cem vezes “Procurando Nemo”, todos os “Stuart Little”, “O Mágico de Oz”. Li duzentas vezes “O cachorro batatinha” do Sérgio Capparelli.
Temos uma pinta igual, no mesmo lugar, mas em pés diferentes. Adoramos cozinhar. Gostamos de frutas azedas: morango, abacaxi, physalis. Gosto de cantar, e ele pediu um violão ao Papai Noel da Aldeia de Gramado. Somos apaixonados por livros.
Pediu uma aliança, para ser igual ao papai e a mamãe. Desenhou a mãe  feito princesa, com coroa e tudo. A mim me fez com asas azuis.
Todas as noites, conto a ele uma história. De um tio e uma tia que viviam sós num reino distante. Pediram a Deus que lhes desse um filho. Deus disse “esperem”. Esperaram, esperaram.
Foram  até Deus outra vez. Ele reuniu os anjos, cochichou com eles. Virou-se. “Entreguei um menino para vocês a um anjo. Mas ele é distraído demais. Ficou olhando estrelas cadentes e se perdeu pelo mundo. Como já estava cansado, e no tempo de voltar, deixou o bebê na primeira casa de porta aberta que encontrou.  As pessoas da casa, vendo que o menino não era da família, levaram-no à Casa da Criança. Ele está lá esperando por vocês”.
Hoje Erick diz para todo mundo: “Sabia que eu estava esperando o papai e a mamãe na Casa da Criança?”
Pensei por toda a vida tornar um menino meu filho. Jamais pensei que um menino me fizesse pai. Um pai tão feliz com asas azuis.

* Escritor

Comentários (9)

  • Karen Araújo diz: 10 de agosto de 2013

    Que história linda! Emocionante! Parabéns a esse pai de asas azuis! Meu marido será um pai assim também um dia. Estamos nos preparando!

  • estamos ajudando alguém, n. Não nos sentir pai. Esta alma já estava ver contigo e a tua amada. Felicidades e parabéns pelo dia dos pais diz: 10 de agosto de 2013

    Uma história jamais imaginada , pois o relato é de um sentimento inverso ao que estamos acostumados a ouvir. E a vida é assim mesmo, quando pensamos que estamos ajudando alguém, na verdade estamos nos presenteando com a alegria do outro. Nada acontece por acaso e este encontro te fez te tornar pai. Esta alma já estava destinada a conviver contigo no seio de tua família. Parabéns! Amanhã é o teu dia , FELICIDADES!

  • Rafa diz: 11 de agosto de 2013

    Lindo texto! Reflete o que só um coração aberto a amar uma criança pode sentir…Parabéns!

  • Sandra diz: 11 de agosto de 2013

    Nossa historia e parecida com a tua….o dia que nossa filha chegou…abracei ela tao forte.. como se um dia a tivesse perdido… e aquele dia ela estava voltando para nos…Parabéns pelos teus dias…pois ser um pai verdadeiro e todos os dias…

  • Maria Lêda diz: 11 de agosto de 2013

    Duvido que alguém que tenha lido não tenha sido tocado e uma lágrima derramada. Para cada filho especial, Deus reserva pais especiais.

  • Gustavo Brun diz: 11 de agosto de 2013

    A paternidade é uma relação complexa e de fato um pai só existe a partir do ser filho que o cria. A disposição do adulto para estabelecer os laços de aliança, peixe, e cadeias de abraços e amor faz a diferencia de um a outro e constrói as similitudes encontrando cada pinta, cada estrela onde sempre estiveram esperando. Admirável a disposição e a segurança desses personagens!!!! 4YCC

  • Gilnei diz: 12 de agosto de 2013

    Parabéns, linda e emocionante história…exemplo.

  • Pablo Morenno diz: 12 de agosto de 2013

    Muito obrigado a todos os comentários. Fico feliz que minha experiência de paternidade adotiva tenha emocionado a tanta gente. Obrigado ao jornal ZH por permitir compartilhar meu texto com com seus milhares de leitores.

  • Ana Helena Da Silva Olivira diz: 13 de agosto de 2013

    Parabéns pelo seu dia e pelo lindo e emocionante texto… Parafraseando o poeta:”Se todos fossem iguais a voce,que alegria seria viver”!!!

Envie seu Comentário