Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Interativo| Você concorda com a afirmação do editorial de que 7 de Setembro não é dia para protestos violentos?

29 de agosto de 2013 27

Zerohora.com adianta o editorial que os jornais da RBS publicarão no próximo domingo para que os leitores possam manifestar concordância ou discordância em relação aos argumentos apresentados. Participações enviadas até as 18h de sexta-feira serão selecionadas para publicação na edição impressa.
Ao deixar seu comentário, informe nome e cidade.
Editorial Interativo

Para participar, clique aqui

O TESTE DE SETEMBRO

Depois de uma trégua na maioria dos Estados do Brasil, em boa parte forçada pelos excessos reiterados de uma minoria violenta, manifestantes com atuação hoje mais restrita a São Paulo e Rio de Janeiro prometem uma série de ações na maior parte do país na Semana da Pátria. A programação de protestos culminaria no sábado, quando o país comemora o 191º aniversário da proclamação da Independência. Feriado nacional, o 7 de Setembro tem servido para que se discuta o significado da emergência do Brasil como Estado-nação no âmbito do continente americano. Por mais que as circunstâncias históricas façam a data parecer a culminância de um arranjo da própria Coroa portuguesa, haja vista o protagonismo do então príncipe regente dom Pedro I no gesto, não se pode negar que o desejo de independência tem raízes fundas na história da pátria e demandou o heroico sacrifício de muitos brasileiros antes de 1822. Depois do Grito do Ipiranga, houve luta renhida com forças portuguesas e aliadas para fazer valer a soberania nacional, especialmente no Nordeste. É por isso que o 7 de Setembro é, de longe, a mais popular das datas nacionais, sobressaindo em relação ao 15 de Novembro e a outras quadras.
Em qualquer quadrante, datas nacionais motivam manifestações políticas a par de solenidades e desfiles oficiais, e não haveria por que ser diferente com o Dia da Pátria. Protestos de rua fazem parte do cotidiano de qualquer democracia, como acabamos de ver nesta semana na passagem dos 50 anos da Marcha sobre Washington, memorável jornada encabeçada pelo Prêmio Nobel da Paz Martin Luther King que foi lembrada por nada menos do que um presidente e dois ex-presidentes americanos. Isso não pode dar margem, porém, para que grupos minoritários e sem maiores compromissos com o respeito à livre expressão do pensamento e à legislação vigente se julguem no direito de destruir patrimônio público e privado, enfrentar policiais e atemorizar a população. Nos últimos meses, vimos personagens surgidos da sombra com o rosto coberto promoverem cenas de barbárie nas ruas das maiores cidades brasileiras. Não é necessário lembrar que Tiradentes, Frei Caneca, Cipriano Barata e outros brasileiros que advogavam causas justas o faziam sem a cobertura de máscaras ou panos e não temeram arcar com as consequências de seus atos, deveras mais duras do que as reservadas aos atuais fora da lei. Intolerável é que, em nome de direitos e garantias, indivíduos imponham o primado do medo aos brasileiros comuns que dizem defender.
Válida em qualquer momento, a premissa do respeito aos direitos e opiniões do outro é particularmente importante numa data como o 7 de Setembro. Se a intenção é manifestar descontentamento com as respostas fornecidas até agora pelas instituições às demandas da opinião pública, nem a data maior da nação brasileira é o momento nem a violência é o método adequado. Que o Dia da Pátria transcorra com ordem e tranquilidade, resguardado o direito à manifestação e mesmo ao protesto pacífico e não violento.

Para que possamos avaliar seu comentário sobre este editorial, com vistas à publicação na edição impressa de Zero Hora, informe seu nome completo e sua cidade.

Comentários (27)

  • Sadir Joao Schemitc diz: 29 de agosto de 2013

    Dia 07 de Setembro de 2013 e um dia propicio para manifestaçoes ´´pacificas ´´contara a Corrupçao,a politicagem,a falta de segurança,pela saude,pela falta de respeito deste Governo com que trabalha e produz e principalmente contra as ultimas atitudes dos nosso ´´Representantes no Congresso !!! “. Sem violencia,e claro.

  • Carlos Ventura – Porto Alegre diz: 29 de agosto de 2013

    Chega de impunidade. A câmara dos deputados está rindo do povo brasileiro ao manter um corrupto no cargo. Mesmo assim, violência jamais. Temos que limpar o Brasil através do voto.

  • Paulo Roberto Antunes Vargas diz: 29 de agosto de 2013

    Nenhum dia é propício a uma manifestação violenta. É essencial que o povo saia as ruas, mostre sua insatisfação, exija mudanças, mas não precisa “quebrar” praticar vandalismo, afrontar a polícia. Tudo pode ser feito com veemência mas sem violência.

  • Ricardo Bordin diz: 30 de agosto de 2013

    meu deus, quanta bobagem num texto só. é difícil acreditar que o editorial da ZH nao saiba o que está fazendo, que um texto desse nível nao seja pensado.
    esse texto é um perfeito exemplo do pseudo-jornalismo, do jornalismo que distorce, inventa, desinforma, que substitui a historiografia pelas tenras verdades do senso-comum, uma vergonha.
    de tudo o que me lembro de ter lido (porque me recuso a ler novamente), está a “ideia” de que as manifestaçoes teriam acabado pelo “medo” que a populaçao sente dos “mascarados” (inacreditável que o editorial de um jornal se preste a escrever isso). é evidente que as manifestacoes nao diminuíram em razao disto. me parece muito mais lógico que tenha ocorrido devido ao recuo dos governantes em relacao ao aumento das passagens, e também pelo fim da Copa das Confederacoes, que operou como um combustível para aos manifestantes, tanto pelos grandes recursos públicos gastos, como tb devido à exposiçao na midia internacional, que colocou o país em pauta em todo mundo.
    outro ponto, tao bizarro e absolutamente falacioso, é a colocaçao a respeito de supostas iniciativas regionais pela independencia do Brasil. essas iniciativas nao tinham qualquer viés nacionalista (o Brasil so foi se tornar nacao com o Estado Novo, muitos e muitos anos depois); essas revoltas tinham caráter regional, tinham interesses regionais e queriam unicamente livrar-se dos abusos tarifários da coroa.
    enfim, acho absolutamente lamentável e revoltante que um jornal tenha tamanho descomprometimento com o conhecimento produzido pela Academia que, longe de produzir verdades absolutas, também não se agarra ao à redoma do senso-comum a fim de sustentar uma neutralidade de papel.
    ah, e sobre a violencia, “fala-se da violencia da correnteza do rio, mas ninguem fala da violencia das margens que o comprimem”.
    ricardo bordin – cientista social e músico

  • Dantes diz: 30 de agosto de 2013

    Os políticos já demonstraram que não estão nem aí para as demandas da população, e continuam se comportando como bandidos. Se não aprenderam nada com as manifestações de Junho, é hora de radicalizar, pois não me venham com a historinha romântica, singela e pueril que não é com violência que a coisa se resolve.

    Numa republiqueta bananeira como o Brasil, sem instituições fortes e com uma sociedade civil permanentemente omissa e passiva, só mesmo ações de força vão fazer estes políticos vagabundos terem um pouquinho mais de medo.

    É isso o que está falando para a chinelândia parlamentar : MEDO !!! Medo da cidadania, medo da democracia.

  • Milton Cordeiro diz: 30 de agosto de 2013

    Sete de setembro é sim um dia especial e simbólico para manifestações do povo!Na conjuntura que o país está vivendo, onde a insatisfação da população se reflete em manifestações, o povo deixa de ser coadjuvante e expectador dos acontecimentos para ser protagonistas de mudanças e alteração dos rumos dos nosso país.Desta forma, a ação mais eficaz e eficiente de sensibilização e mobilização dos poderes, é o livre direito de manifestação do povo nas ruas.Nas manifestações o povo exerce seu direito mais importante ainda que o próprio voto, pois se erramos votando em fulano ou cicrano, se acreditamos em propostas que não se confirmaram, temos ainda o direito de não se conformar com os erros e injustiças e exercer o direito soberano que deve ser em prol do povo. E para isso, a data de sete de setembro representa um dia de liberdade para a nossa nação, e o povo deve utilizar este dia para realizar manifestações pacíficas e ordeiras, com conteúdo que busque se livrar da opressão não de um país estrangeiro, mas sim de uma condição interna que nos remete a uma situação vivida pelo povo brasileiro no tempo do imperealismo.

  • Milton Ubiratan Rodrigues Jardim diz: 30 de agosto de 2013

    Todos os dias são válidos para protestar, mas desde que seja com o sentido de melhorar, mas o que temos visto são um bando de marginais com o rosto coberto, e que a polícia não faz nada ou quase nada para identificá-los e prende-los. Esses marginais só podem estar a serviço de quem não quer que não mude nada, senão já tinham deixado de existir em toda a manifestação, e que só mancha a presença daqueles que estão ali para verem melhorar a condição do país!

  • Décio A. Damin diz: 30 de agosto de 2013

    Está na hora do povo voltar às ruas para cobrar o que foi pedido nas manifestações anteriores e que parece estar sendo esquecido! É uma excelente data exatamente pelo significado de “independência”. Quanto a ser violenta, concordamos que não deva ser, mas só com doçura e submissão a consecução dos objetivos é mais difícil! A nação quer respostas claras para poder evitar a violência.

  • Alberto Garbin diz: 30 de agosto de 2013

    Penso que qualquer dia é válido, desde que se respeite o patrimônio público e privado.
    Mascarado não tem credibilidade, não pode ser covarde e se esconder.
    Com respeito, Alberto.

  • Filipe diz: 30 de agosto de 2013

    Nem um dia é dia para manifestações violentas….O que o povo tem que aprender é a votar direito, tirando esta corja da zona de conforto. E é a grande maioria, de todos os partidos.

  • GUSTAVO ROCHA diz: 30 de agosto de 2013

    violento?? protesto violento??? cara, violência é o que esses políticos fazem com o dinheiro público, verbas que eram pra ir para hospitais e escolas estão sendo jogados fora. Não vou nem começar a escrever o que esses vereadores/prefeitos/deputados/governadores/senadores/presidente fazem de errado ou deixam de fazer o certo pela população, pq se eu começar a falar vai dar um texto enorme, e o pior é que eu não gostaria de ter razão, mas tenho pq é mto dinheiro jogado fora e mta gente morrendo pelo Brasil. essa semana o impostômetro chegou ao valor de R$1trilhão de reais, impostos pagos pelos brasileiros.. cadê essa porra do dinheiro????????.. TEM QUE QUEBRAR TUDO.

  • john petter diz: 30 de agosto de 2013

    que babaquice o editor deste texto escreveu,é falta de cultura,só enrolou e não chegou a lugar nenhum,deve ser um acomodado.

  • Marlene Melo Dias diz: 30 de agosto de 2013

    Nem em 7 de Setembro ou em qualquer dia, violência só gera violência.
    Não podemos ir para as ruas e deixar que os vândalos se aproveitem das nossas boas intenções de ir para as ruas fazer nossas reivindicações e se aproveitem disso.
    Podemos mostrar que somos capazes de mudar o nosso Brasil com ações.
    E essas ações são de saber responder nas urnas com nosso voto ,saber cuidar do nosso planeta. O povo faz suas manifestações mas não muda seus hábitos.
    O sucesso de uma manifestação é a união das pessoas e não de meia dúzia de pessoas que só querem o seu bem estar.
    Se formos analisar errados são as pessoas que aceitam empregos dos políticos tirando o lugar de quem estudou para um concurso e não consegue a vaga. Isso é só um dos exemplos dos vários erros em que encontramos no poder publico. Acredito que a maior manifestação que devemos mostrar é fazer a nossa parte ,colaborar par um mundo melhor com mais ações do que falatórios.
    Marlene Melo Dias – Caçapava do Sul -RS

  • Patricia Muller diz: 30 de agosto de 2013

    Na minha opinião, não importa qual o dia mas sim importa o fato da população estar “acordando”, e disposta a mudar esta “democracia” vergonhosa em que vivemos atualmente.
    Acho que a mídia deveria apoiar mais as manifestações, e parar uma vez para pensar na situação em um todo e não só defender seus interesses com esses políticos sujos.
    Não estaríamos nos manifestando se houvesse ordem nesse país.
    Não estaríamos todos nós perdendo nosso tempo, se tivéssemos saúde de qualidade, educação que se preze e o mínimo de condições de vida que um ser humano necessita.
    Afinal todos nós pagamos altos impostos para que tivéssemos o mínimo de retorno.
    Não queremos manifestos violentos, queremos apenas que as coisas mudem. Estamos em paz! Queremos paz.

    Seria muito bom se todos pensássemos no bem da humanidade,
    no que é melhor para todos nós.

    E esse governo aí em cima olhasse um pouco para nós aqui embaixo!!

  • Nadine Kunz diz: 30 de agosto de 2013

    Absurdamente intolerável é a “mania” que as mídias têm de se reter ao clichê da violência nas manifestações, que por sua vez é causada por uma minoria de marginais e/ou pessoas de bem movidas por diversos motivos. Isso é sensacionalismo, sensacionalismo doente.
    O 7 de setembro é um perfeito dia para expor ao mundo nossos desejos ou DIREITOS (já nem tenho mais certeza) que dizem que deveriam ser realidade nesta “DEMOCRACIA”.
    Pessoas sentadas em seus sofás esperando um olá da morte nunca revolucionaram a história.
    Mas enfim, continuo a sonhar com o dia em que as pessoas não lerão/ouvirão, todos os dias, a mesma baboseira cansativa em seus jornais.

  • ROSELEI BIEGELMEIER SILVA diz: 30 de agosto de 2013

    Está na hora do povo voltar às ruas para cobrar o que foi pedido nas manifestações anteriores e que parece estar sendo esquecido! É uma excelente data exatamente pelo significado de “independência”.Apenas pedimos por Educação, Saúde,menos impostos,Justiça e etc…

  • ivana xavier diz: 30 de agosto de 2013

    Tem que protestar sim, os políticos estão rindo do povo, acontecem desmandos, a exemplo da vinda do Senador Colombiano a revelia do governo, tá uma bagunça estilo “casa da mãe joana”, algo tem que mudar e nem todas as revoluções são pacíficas, depende da resposta do governo, o povo está aí para protestar e reivindicar, protestos legítimos são bem vindos, e 7 de Setembro, 7 de setembro há muito tempo perdeu seu real significado, está na hora de resgatá-lo, #vamosprarua!!!!!

  • Gregório da Luz diz: 30 de agosto de 2013

    Os integrantes destas passeatas creem possuir prerrogativa para a violência, o que beira ao absurdo. É inadmissível, nem na época da ditadura os guerrilheiros agiram certo ao cometerem ataques terroristas. Agora, então, que vivemos em um momento – teoricamente – democrático, menos certo ainda o é.
    O anonimato, como forma de agir, mostra o pouco valor que estas pessoas atribuem a si. É só pensarmos nos exemplos citados no editorial: quando um ato é benevolente e feito por uma causa justa, com certeza ninguém esconder-se-ia. Provavelmente, daria a cara à tapa.

  • Inocencio Brasil diz: 30 de agosto de 2013

    Porque atacar os ícones da sociedade? – Para desmoralizá-los? – O foco na verdade é o simbolismo que a data representa para o brasileiro de coração, que tem o livre pensar e usufrui da Liberdade com o poder de seu espirito e com a superioridade moral que ela representa. Por isso homenageia a Independência, num sentido lato, como a forma sagrada de combater a submissão e a covardia dos fracassados. O que me entristece é que a geração que deveria assumir o protagonismo das mudanças que se fazem necessárias em busca do aprimoramento de uma nova Nação Brasileira, moderna, pujante e grandiosa, se deixe dominar e manipular pelas velhas e agonizantes raposas que insistem em defender as velhas ladainhas das ideologias de dominação… Está no Hino Nacional brasileiro, que, aqueles que ofenderem a Liberdade serão os piores inimigos de nosso povo: ¬ – Se o penhor dessa igualdade conseguimos conquistar com braço forte, em teu seio, ó liberdade, desafia o nosso peito a própria morte! -Enganam-se os revoltosos, que a violência vá construir alguma coisa, pois nada justifica a violência e nada há de mais caro que pague o sacrifício de suas vítimas.

  • Stela Garcez Klenikauf diz: 30 de agosto de 2013

    Concordo com todo tipo de manifestação,desde que sejam Ordeiras e Pacificas. Pois no rumo que as coisas estão indo neste nosso País,temos que acordar e ir pras ruas dizer BASTA!!!!

  • NEY BLAS diz: 31 de agosto de 2013

    CAPAZ … atentem ao texto que diz se o “PRETENSO EDITORIAL” que 7 de SETEMBRO NÃO É DIA de PROTENSTOS VIOLENTOS … no mínimo esse ou esses JORNALISTAS DO GRUPO RBS , são fantoches ou IMBECIS, acho que é esse o termo para idiotas desejarem fazer pesquisas nesse sentido a um país detonado por por políticos corruptos no nosso país … É EVIDENTE QUE É O DIA MAIS PROPENSO PARA PROTESTAR A ESSA PODRIDÃO … me poupem, hein ??? vocês JORNALISTAS AQUI ESTÃO A CADA DIA MAIS SE DEMONSTRANDO OS IDIOTAS DE NOSSA NAÇÃO !!!

  • NEY BLAS diz: 31 de agosto de 2013

    Não sou e nunca fui a favor de violências … mas acho que sim … é um dia propício para que o POVO BRASILEIRO … (que não detém nenhum … algum poder financeiro ou de “governança”) … se posicione e exija a honestidade e que exija que os políticos corruptos estejam na CADEIA … o lugar que merecem !!! QUE FAÇAMOS UM PAÍS JUSTO … DEMOCRACIA … GOVÊRNO DO POVO, PÉLO POVO E PARA O POVO … CHEGA DE CORRUPÇÃO … A C A B O U !!! VAMOS ÀS RUAS … FORA GOVÊRNO CORRUPTO !

  • NEY BLAS diz: 31 de agosto de 2013

    Meus comentários aguardam alguma moderação de sua parte ??? como manifestaram em suas prerrogativas informáticas automáticas ??? ATENTEM … nosso PAÍS precisa é de pulso forte dos brasileiros … CHEGA DE PODRIDÃO … POLÍTICOS CORRUPTOS NA CADEIA … e acho que somente será necessário construir um presídio só para ~ELES, hein ??? SÃO MUITOS … chega de FASCÍNORAS na nossa NAÇÃO !!!

  • luiz paulo diz: 31 de agosto de 2013

    depois q o ricardo bordin falou nao tem mais a falar, nao o cnheço mas parece pessoa muito esclarecida, pura verdada.

  • FLAVIO FAGUNDES DA SILVEIRA diz: 31 de agosto de 2013

    Concordo que não é dia para protestos VIOLENTOS, mas é o melhor dia para PROTESTAR SEM VIOLÊNCIA e é o que vai acontecer, sem nenhuma arma, apenas cartazes e a presença nas ruas protestando contra a corrupção, impunidade, falta de segurança, justiça, hospitais, extinção do senado, diminuição de deputados, salários mais baixo para vereadores, deputados, juízes, fim do voto obrigatório, fim da reeleição, enfim, a relação é grande. Para isso contamos com a guerreira imprensa brasileira. 7 DE SETEMBRO DE 2013 VAI FICAR NA HISTÓRIA.

  • FLAVIO FAGUNDES DA SILVEIRA diz: 31 de agosto de 2013

    Meu nome completo é FLAVIO FAGUNDES DA SILVEIRA E MINHA CIDADE É CAMPO BOM

Envie seu Comentário