Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Editorial| BORBOLETAS NO ASFALTO

27 de maio de 2014 7

Uma jovem de 19 anos morreu e outros quatro ficaram feridos na madrugada desta segunda-feira quando o veículo que tripulavam, conduzido em alta velocidade por um motorista que admitiu a ingestão de bebida alcoólica, chocou-se com uma árvore e com as grades da Faculdade de Psicologia da UFRGS, na Avenida Ipiranga. Infelizmente, não é um fato incomum na rotina dos gaúchos e dos brasileiros: pais são acordados na madrugada com a informação de que seus filhos estão no Pronto Socorro, vitimados pelo álcool, pela imprudência, pela juventude, pela falta de orientação e de vigilância das autoridades.
O debate pela internet que sucedeu ao acidente merece uma análise da sociedade gaúcha. Vai desde o lamento pelos constantes desastres que geram a pintura de novas borboletas brancas no asfalto da cidade (iniciativa louvável e conscientizadora da Fundação Thiago Gonzaga) até o radicalismo agressivo de quem acha merecido o castigo aos imprudentes. A verdade, porém, é que quando jovens perdem a vida desta maneira a sociedade inteira está falhando na administração de ações preventivas que são bem conhecidas: educação em casa e no trânsito, restrições mais efetivas ao consumo de bebida alcoólica, fiscalização e punições mais rigorosas aos infratores.
O Brasil perde mais de 40 mil vidas por ano em acidentes. Milhares ficam mutilados. As estatísticas denunciam que esse é um massacre de jovens. E que em 90% dos casos estão presentes a imprudência e a imperícia. Se não aprendermos a prevenir, continuaremos apenas a lamentar e xingar inutilmente, como estão fazendo muitos internautas que comentam o acidente. Reduzir a dimensão da tragédia em ruas e estradas é uma tarefa que está muito além da troca agressiva de pontos de vista.

Comentários (7)

  • Rudi Freiberger diz: 26 de maio de 2014

    Mais uma vez escrevo minha opinião sobre os problemas do trânsito. É lamentável que os cidadãos não tomam consciência dos riscos que o excesso de velocidade e o álcool oferecem ao trânsito. A educação para o trânsito é importante e, acredito que está sendo feita, mas seus resultados são a longo prazo. Enquanto isso vidas se vão. É mais do que urgente que se tomem medidas mais drásticas e eficazes, tais como: Colocação de pardais eletrônicos, quebra-molas, sinalização, etc. Talvez seja importante rever os limites de velocidade, elevando para no máximo 100Km/h, mas nada mais do que isso, e punindo rigorosamente os infratores. Qualquer medida que possa inibir os excessos será sempre bem vinda. A população agradece.

  • Daniel Soares diz: 26 de maio de 2014

    Hoje eu li num site que o Denatran tem projeto para identificar carros por meio de chips e antenas, podendo ter em tempo real a localização e a velocidade. Está seria uma medida eficaz para prevenir excessos e punir com mais agilidade as infrações cometidas. Se o condutor se sentir vigiado a tempo todo tomará mais cuidado com o que está fazendo. Contudo a OAB é contra, pois diz que tal medida tirará a liberdade (????) individual. Como eu gostaria que já existisse um sistema assim funcionando para nos proteger de loucos no trânsito e, principalmente, protegendo os jovens deles mesmos.

  • Jose diz: 27 de maio de 2014

    Projeto de Lei de Iniciativa Popular sobre crimes de transito relacionados com embriaguez: http://naofoiacidente.org/site/assine/

  • Edson diz: 27 de maio de 2014

    Muito simples, faz como fazem na China. Foi pego no bafometro, direto pra cadeia por 2 semanas, sem apelacao.
    Se as cadeias estiverem cheias, no primeiro momento que abrir uma vaga, chama-se o infrator para o cumprimento da pena. Ah, mas as cadeias ja estao cheias. Nao faz mal, poe-se o infrator la assim mesmo. Aposto que ninguem mais vai beber e dirigir.

  • André Gomide diz: 27 de maio de 2014

    Gostaria tb de citar as GHOST BIKES que infelizmente estavam espalhadas pela cidade em cada local de acidente fatal com um ciclista, que a prefeitura fez o favor de esconder, digo, Remover, para que os turistas estrangeiros não percebessem o risco que é viver nesta cidade…segundo o CAPELLARI por estarem ATRAPALHANDO o trânsito E JÁ ESTAREM HÁ BASTANTE TEMPO NOS LOCAIS.
    O gênio da EPTC não percebe que aquele tipo de manifestação educa muita mais do que sua “escolinha’ da EPTC…composta de 3 agentes, se não estou enganado.
    Mas o que fazer se o mesmo meio de comunicação que cobra uma postura diferente da “sociedade”, faz o favor para os nossos governantes, e publica uma matéria no mínimo escandalosa, por conter inúmeras inverdades, sobre a diminuição da verba para ser gasta em educação no trânsito pela cidade???? Isso mesmo senhor leitor, eles enganaram uma cidade inteira. Seria preguiça de tentar comunicar de uma maneira ética ou maldade mesmo????Publicaram um release da prefeitura.
    O gaúcho simplesmente já percebeu que NÃO EXISTE FISCALIZAÇÃO DE TRÂNSITO NA NOSSA CIDADE>>>>Põe na conta do Papa , diria o personagem capitão Nascimento. Eu ponho na do CAPELLARI e do nosso prefeito por manter ele lá.
    Quando temos vereadores que defendem que vias como a IPIRANGA tenham limite de 80km durante o dia, que mensagem estaríamos passando para nossos jovens???respondo…corra.
    A dita fluídez, defendida por este jornal, mata todos os dias…portanto, assuma a sua culpa também ZH, por esta carnificína, pois “sociedade” não é a única culpada.

  • João diz: 27 de maio de 2014

    André Gomide, certamente a imprudência como o excesso e velocidade e a ingestão de álcool devem ser coibidas rigorosamente, mas é muito importante também não misturar bicicletas com o trânsito, pois é a morte anunciada. É espantoso que alguém ainda possa defender a ideia que, mesmo com prudencia, dispositivos frágeis possam invadir o habitate de bólidos de aço sem nunca haver consequências nefastas.

  • André Gomide diz: 27 de maio de 2014

    João diz: “invadir o habitate de bólidos de aço ”
    Meu amigo, educadamente divirjo de vc. De onde saiu a idéia de que o espaço é dos bólidos???? Acho que está na hora de vc dar uma passada em algum CFC para uma reciclada…URGENTE!!!!! Procure no CBT, artigo 29, inciso I, depois pare de repetir este tipo de coisa…se vc é motorista habilitado, como eu sou, deveria saber disso, pois do contrário corre o risco de ser uma pessoa que não respeita o CBT, logo igual ao motorista da matéria.
    No mais antes que alguém diga que paga imposto e os ciclistas não, saiba que quando adquiro um veículo de tração humana, pago, em média, 40% de impostos…o carro paga cerca de 32%, sem contar o custo social(mortes, invalidez e poluição)…30% de uma cidade ocupando o espaço público equivalente aos outros 70%…bem democrático, não acha??????
    Antes que alguém diga tb que ciclistas cometem infração, e as cometem infelizmente, jure pelos seus filhos e familiares que nunca usou o celular enquanto dirigia(esporte novo do gaúcho), nunca deixou de sinalizar a sua intenção no trânsito(dar o famoso pisca), respeitou sempre a preferência do pedestre, respeitou sempre o limite de 30 km/h em frente a uma escola e outros limites por toda a cidade, nunca fez uma ultrapassagem proibida, nunca fez uma conversão proibida, nem estacionou em local proibido…são tantas coisas que “fazemos” errado todos os dias e ainda não entendemos o que está acontecendo na PORTO ALEGRE ESQUIZOFRÊNICA????…minha cidade está doente, e quem deveria ser o seu médico, passa 4 aos dando desculpa, porque não quer “incomodar” a cidade para continuar a sua frente.
    Não quero me estender…quero crer que foi apenas falta de informação sua, e talvez vc não tenha percebido o que escreveste…o espaço é de TODOS, sejamos todos menos EGOÍSTAS.
    E sim para uma fiscalização DURA com todos…pois é ridículo, por exemplo, vc andar na calçada externa de um hipermercado na Plínio e encontrar uma SUV em cima da mesma, encostada na placa de proibido estacionar, isso mesmo, tenho as fotos.

Envie seu Comentário