Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Artigo| FATOS, APENAS ALGUNS FATOS

04 de agosto de 2014 3

PAULO BROSSARD
Jurista, ministro aposentado do STF

 

Foi lamentável o pronunciamento da chancelaria de Israel acerca  da atual conduta do nosso país no plano internacional. Isto posto, imperioso é salientar que o velho Ministério de Estrangeiros, desde a República denominado Ministério das Relações Exteriores, ultimamente tem se amesquinhado. Dir-se-ia que a senhora presidente da República não morre de amores por ele. Contudo, seu declínio é inegável. Já não falo dos tempos do Barão, de Oswaldo Aranha, Raul Fernandes, João Neves… que em  momentos difíceis fizeram com que o solar da Rua Larga continuasse a enriquecer o acervo diplomático do país. Basta dizer que o vocábulo Itamaraty se tornara sinônimo da política externa do Brasil. Em verdade, as reiteradas ações e omissões não podem ser menosprezadas.
A título de exemplo, vão mencionadas algumas:
1) Autoridades brasileiras, aliás, contrariando manifestações de servidores legalmente qualificados para opinar a respeito, abrigaram terrorista condenado pela justiça de seu país, Battisti; 2) O Brasil expulsou dois boxeadores cubanos, que aqui participavam de uma competição esportiva e queriam  aqui homiziarem-se para não voltar à ilha sovietizada, despachando-os em avião venezuelano; 3) A Bolívia invadiu instalações da Petrobras, legal e publicamente instalados, como era óbvio, e o Itamaraty não viu nem notou o frontal agravo à Nação; 4) O governo namorava abertamente com o Irã no que tange aos seus planos nucleares, cujas implicações podem ser de consequências mundiais; 5) O governo tornou-se parceiro da mais antiga ditadura da América, firmou contratos secretos com Cuba e Angola e a senhora Presidente cantarolava no Porto de Mariel, financiado  pelo Brasil, proclamando que seu ideal era a união entre os dois países; 6) O Itamaraty estimulou a introdução da Venezuela no Mercosul, quando é condição para ingresso  o Regime Democrático; 7) O Brasil silenciou quanto às violações dos Direitos Humanos na Venezuela e ao contrário, tem se acasalado com aquele país; 8) O Brasil tem dois supostos ministros de Relações Exteriores, um que é conselheiro da senhora presidente, como se os ministros não fossem conselheiros natos, por expressa disposição constitucional, o outro ocupa o belo edifício que abre uma das fileiras de ministérios; 9) O comportamento do Brasil em relação ao asilado boliviano na embaixada em La Paz, numa espécie de prisão.
Os estilos do Itamaraty desde muito eram outros e bem melhores.

Comentários (3)

  • flavio diz: 4 de agosto de 2014

    Parabéns pelo artigo. Também me pareceu lamentável o pronunciamento do porta-voz da chancelaria israelense. Como também é lamentável, v.g., que um sujeito que jogue um objeto para o alto o receba de volta na cabeça, ferindo-o, por ação da gravidade. Lamentável, mas perfeitamente explicável e inteligível.

  • Milton Munaro diz: 4 de agosto de 2014

    Assim como no caso do mensalão: eu não sabia.

  • Guilherme diz: 4 de agosto de 2014

    Posso achar 2 itens idênticos por parte da frança e EUA p com outros paises..o sr sabe o que significa diplomacia!? Eh larga a explicação no dicionario…apenas fato…

Envie seu Comentário