Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Artigo| SOBRE DECÊNCIAS E CARÊNCIAS

30 de dezembro de 2014 1

HUMBERTO TREZZI
humberto.trezzi@zerohora.com.br
Repórter especial de ZH

 

Júlio Camargo, o poderoso lobista da empreiteira Toyo-Setal que virou delator do escândalo da Petrobras, teme as agruras financeiras que vai enfrentar. Botou à venda 130 éguas e garanhões puros-sangues ingleses  (PSI) que mantém num haras em Bagé. Os medos dele, lógico, obedecem a um padrão milionário. Em quase cem folhas transcritas de depoimento prestado em novembro, Camargo admite: movimentou cerca de R$ 196 milhões desde 2006 em “comissões” e propinas a dirigentes da Petrobras para garantir que seus patrões empreiteiros ganhassem polpudas concorrências para as maiores obras do país.
Um abismo social distancia Júlio Camargo da gaúcha Ione Gutierrez, professora de música com parcos vencimentos, que mora na zona norte de Porto Alegre. Mas eles partilham algo em comum: admiração por cavalos. Lógico que ela nunca teve condições de adquirir um puro-sangue. Outro ponto que a separa do lobista é que Ione passou os últimos quatro anos esperando que o Sistema Único de Saúde a chamasse para uma consulta que poria alívio a torturantes dores na coluna. Foi tanta demora, que desistiu e juntou um dinheiro para tentar uma cirurgia particular. Não é situação isolada. Assim como Ione, outros 176 mil gaúchos esperavam, em meados de 2014, numa lista para consulta médica pelo SUS. Alguns, há anos.
Uma outra conhecida minha, a cabeleireira Jaqueline, foi surpreendida dias atrás por um pedido da sua médica. Já que o plano de saúde privado paga muito pouco, a “doutora” resolveu cobrar à parte R$ 7 mil para a cesariana _ num tom casual, como se isso fosse normal. Jaque se negou, até porque não dispõe da quantia.
Imagine um encontro entre Júlio, Ione e Jaqueline. O que diriam? Falariam das dores de coluna dos puros-sangues ingleses do lobista? Da fila no postão de saúde que Júlio jamais enfrentou? De como o tratamento do casco danificado de um cavalo do lobista poderia, quem sabe, pagar a cirurgia ambicionada por Jaque, sem precisar de suborno?
Talvez comentassem sobre os R$ 10 bilhões que, se estima, tenham sido desviados _ ou seriam superfaturados _ em contratos com a Petrobras. E em quanto esse dinheiro reduziria a espera por atendimento médico. Esse encontro não aconteceu, mas poderia: as honradas Ione e Jaqueline eu posso apresentar. Já o lobista me é muito distante, em meios, fins e intenções.

Comentários (1)

  • José Mariano Bersch diz: 30 de dezembro de 2014

    O assunto abordado é oportuno e facilita a muitas pessoas entenderem melhor as razões das revoluções sociais mais recentes que proliferaram no século 19, mas que deram com os burro na água por razões outras tb. conhecidas.

Envie seu Comentário