Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Artigo| PORTO ALEGRE ME DÓI

26 de março de 2015 32

FELIPE DAROIT
Repórter da Rádio Gaúcha
felipe.daroit@rdgaucha.com.br

 

Porto Alegre completa 243 anos e está mal. Quem aqui já foi assaltado levante a mão. Se você ainda não foi, boa sorte. Em breve, possivelmente, conforme estatísticas, você vai estar com as mãos pro alto pedindo que não o matem.
O que esperar de uma cidade que é banhada por um rio, característica geográfica abençoada, e vira as costas para ele. Quilômetros que poderiam ser explorados das mais diferentes formas, mas estão decorados por mato, escuridão e sujeira. Reflexos de históricas décadas de falta de planejamento. Talvez seja bom só para tirar fotos do pôr do sol, se você não tiver o equipamento roubado por alguém que vai vender ele por R$ 5 e fumar uma pedra. Mais sorte ainda é não ser arrastado para o meio do mato por algum maníaco sexual.
Andamos em ônibus que parecem estar transportando porcos e que são administrados por empresas familiares que nunca participaram de uma licitação. Nos horários de pico, então, parecemos frangos indo para o abate. Não há espaço nem para mexer os braços e atender ao telefone. Se bem que o telefone não irá tocar, pois o sinal da operadora mal funciona no “paralelo 30″.
As nossas calçadas não têm padrão algum. Cada proprietário tem liberdade para fazer do seu jeito. Para cadeirantes, deve ser semelhante ao Rali Paris-Dakar.
Tente fotografar algum lugar bonito da cidade sem marcas de pichação. Tente também olhar para o céu sem enxergar alguma gambiarra de fios em postes de madeira podre. Tomara que nenhum caia em você. E tomara que você não receba nenhum choque elétrico em alguma parada de ônibus.
Gostaria de saber o que a Isabela Fogaça tinha na cabeça quando cantou Porto Alegre é Demais. E duvido que Kleiton e Kledir ainda venham para Porto Alegre quando se sentem “assim meio down”. Se eles estiverem por aqui, devem estar à base de rivotril.

Comentários (32)

  • Carla Acco Fornari diz: 26 de março de 2015

    Sábias palavras, Felipe!

    Porto Alegre e seus moradores/visitantes merecem respeito e melhores condições de desfrutar da cidade.

    Trabalhei durante alguns anos no centro de POA e convivi diariamente com a situação lamentável desse bairro: insegurança, sujeira, calçadas – quando existem – em péssimas condições, enfim, descaso total…

    ‘Porto Alegre é demais’? Mais ou menos… a cidade tem muitas qualidades, mas isso não pode mascarar os problemas que têm que ser resolvidos, para o bem de todos.

    Parabéns pelo texto!

  • Giana diz: 26 de março de 2015

    Colega, concordo em gênero, número e grau. Fiquei até com medo de postar algo relacionado no facebook, para não ser apedrejada..mas tem razão!

  • Sapa Irada diz: 26 de março de 2015

    Concordo plenamente. Sai dessa cidade para nunca mais voltar ha um mes exatamente hoje e impossivel descrever como me sinto bem. Isso é um buraco cheio de bairristas que se acham a elite e o intelecto do pais. Que piada. E nao vou nem entrar nos assuntos segurança e infra-estrutura. Ha algum tempo fiz uma “musica” satirizando POA usando como base a musica da Isabella Fogaça ( a qual por sinal amo, uma pena que nao corresponda -mais?- à realidade). A qualidade do som é péssima e a voz pior ainda, de qualquer forma da para entender a “mensagem”. http://www.sapasiradas.com/#!music/cp4j

  • Alberto/E agora? diz: 26 de março de 2015

    Ex-Governador (PT) ajudou a quebrar o RS, ganhou milhões/Empresas Lava-Jato.

  • Paulo H Rodrigues diz: 26 de março de 2015

    Parabéns pela coluna de hoje. Infelizmente é isso aí e muito mais, As praças são uma vergonha, abandonadas pelo poder público. O lixo chama a atenção de quem chega à Capital. Certamente vão aparecer os “bairristas” te criticando.

  • Renan diz: 26 de março de 2015

    Bela homenagem no aniverásio de Porto Alegre Daroit.
    Reconheço que temos todos esses problemas na cidade, mas acho que é o dia de valorizar a cidade e não desmoraliza-la.
    Porto Alegre não tem culpa dos maus cidadãos e políticos incompetentes.
    Porto Alegre tem também MUITAS coisas boas e pessoas que fazem a diferença.
    Temos 364 dias para reclamar, mas pelo menos no dia do seu aniversário devemos valoriza-la.
    Além do mais, isso não é problema de Porto Alegre, qualquer cidade do Brasil você vai encontrar os mesmos problemas.
    Enfim, eu posso dizer que apesar dos problemas, valorizo e gosto de Porto Alegre.

  • FERNANDA diz: 26 de março de 2015

    Engraçado como que do nada sempre tem um anti-petista que muda completamente o rumo do assunto assim…do nada!Mas enfim,é agressão gratuita sem fundamentos.Obrigado senhor sábio!!
    E sim,nossa cidade está cada vez pior nos principais quesitos mas nem por isso deixo de amá-la.Quem sai e se sente bem,que bom.Quem fica quer mais é ver tudo melhorar.E pra isso pode colaborar.
    Se começar por nós quem sabe as coisas andam??Reclamar em rede social é super fácil mas agir com caráter em todas partes de nossa vida e cotidiano,aí complica né.
    Um pouco mais de caráter e um pouco menos de hipocrisia por gentileza.E me incluo nessa pagando meus impostos em dia dentre outras coisas.Grata.
    Viva Porto Alegre!!

  • Tiago Senandes Silva Machado diz: 26 de março de 2015

    Concordo com a análise, mas será que não seria o dia de valorizarmos a cidade e a sua gente? Esse retrato feito acima é o retrato que observamos o ano inteiro nas páginas de jornais e nas emissoras de rádio. Será que, ao menos, no aniversário não seria possível escrevermos sobre as tantas e tantas coisas boas que temos aqui? Temos uma Redenção que, para mim, é uma maravilha urbana-ambiental. Uma fábrica de oxigênio e democracia encravada no centro da cidade. Poucas cidades no mundo têm isso. Temos um Mercado Público que é simplesmente fantástico. Que aglutina todas as diferenças da cidade num mesmo espaço. Temos, em Porto Alegre, uma diversidade cultural e social extremamente bacana. Temos muitas áreas verdes e de lazer, que não são nota 10 em preservação, estão consolidadas e acessíveis. Temos um Trensurb, que rapidamente permite nos deslocar de um ponto a outra da cidade de modo ágil. Temos Grêmio, temos Inter. Temos veículos de comunicação de qualidade. Temos uma massa intelectual que não pode ser desprezada. Temos o Guaíba, que, claro, tem de ser melhor explorado. Temos o Uruguai, a Argentina logo ali. Temos valores, temos tradição e temos uma paixão “pelo que é daqui”, que é rara nas outras metrópoles. Enfim, temos muitas coisas belas e boas. Assim como temos muitos problemas a nos desafiar. A desafiar a tod@s. Que sigamos em frente com otimismo e determinação para avançar.

  • Paulo Keller diz: 26 de março de 2015

    Não vejo nenhum tipo de desmoralização a cidade no texto vejo um texto de alguem que como eu percorre a cidade diariamente e tem a impressão que as obras em Porto Alegre não andam são sempre as mesmas tão sempre paradas causando transtornos meio fio nunca é pintado só em ocasiões especiais e no trecho do evento o resto da cidade pintar meio fio pra que gastar tinta, capina limpeza de boeiros então esperem a primeira chuva e verão pinchadores aqui eles tem território livre pincham tudo quebram patrimonio publico, fazem o que querem, até os politicos na epoca da eleição sujam a cidade é uma festa para eles isto que ele não falou nos postos de saúde do municipio bom o jornalista tinha que fazer um texto não um versiculo da biblia aqui onibus não anda no horario tambem ninguem fiscaliza comemorar o que GRANDE TEXTO DO DARÓIT PARABENS

  • Luiz Fernando Diettrich diz: 26 de março de 2015

    Pertinente o comentário e nenhum pouco exagerado. Enquanto a cidade aglutina alguns edifícios novos e modernos a prédios antigos, pichados, alguns caindo aos pedaços, o lixo toma conta das ruas e calçadas, moradores de rua fazem suas necessidades fisiológicas em público…
    O porto-alegrense nato costuma fazer piadinhas para recepcionar quem vem do interior, perguntando-lhe: “você se divertiu no elevador?” ou “conheceste a escada rolante?” ou perguntinhas do gênero, que fazem o forasteiro se sentir que saiu do fundo da grota e que, embora pareçam brincadeiras inocentes, tem um ar de arrogância, como se só houvesse civilização e tecnologia na capital. Pois eu digo: mesmo que a capital seja equipada com shoppings, mercados 24 horas, cinemas, edifícios com elevadores e escadas rolantes (como gostam de divulgar), carros que não acabam mais, troco tudo isso por noites tranquilas, pelo singelo ruído dos grilos e o cantar do pássaros, algo comum somente no interior. Mesmo assim, parabéns Porto Alegre!

  • Pedro diz: 26 de março de 2015

    Pois é, prefiro concordar em número, gênero e grau com o Renan.

  • Sergio Araujo diz: 26 de março de 2015

    Triste ironia uma cidade abandonada ter a expressão Alegre no nome. O mesmo ocorre com a outra expressão que lhe antecede. Somos um Porto melancólico. Com habitantes totalmente à deriva. Tudo isso num lugar privilegiado pela natureza. Um oásis em meio a um deserto de governantes despreparados.

  • Alberto/E o PP? diz: 26 de março de 2015

    Estão ‘blindando’ Gaúchos denunciados p/Janot? Deveriam ser expulsos do Partido.

  • Débora Silva diz: 26 de março de 2015

    É lamentável saber que tudo que escreveste é a mais pura verdade, a cidade é linda mas as pessoas, os políticos, o crescimento desordenado está deixando Porto Alegre terrível, intransitável, perigosa, suja e lá no fundo triste… E não adianta as pessoas pensar que cada um tem que fazer a sua parte, isto é quase impossível, onde moro plantamos umas árvores, ajudamos alguns vizinhos a fazer um mini jardim num canteiro da rua (em vão), resultado alguns dias depois as plantas sumiram….. Eu que moro aqui desde 1990 não vejo a hora de juntar minha família e mudar para outra cidade de preferência longe da região metropolitana. Lamentavelmente Porto Alegre não dá mais!!!

  • Sapa Irada diz: 26 de março de 2015

    Nao sei por que, mas senti uma necessidade de escrever ao Felipe Daroit, autor do artigo Porto Alegre me doi. Talvez seja a minha despedida dos problemas do Br.

    Abaixo o texto

    Bom dia, Felipe.

    Acabei de ler o seu artigo Porto Alegre me doi, o qual me foi enviado por uma amiga que mora nos EUA, por sinal uma das poucas pessoas que me entende quando o assunto é Porto Alegre e Brasil. Os meus amigos que nunca moraram no exterior me acham, na melhor das hipoteses, cheia e frustrada. O meu (agora ex) psicologo me chamou de intolerante e inflexivel com incapacidade de adaptaçao. Talvez, segundo ele, visto o teu artigo, tu também sofras de algum desses males… E’ bom pensar que nao estou sozinha.

    Achei particularmente intrigante a data da publicaçao do teu artigo: hoje faz exatemente um mes que sai de Porto Alegre com a intençao de nunca mais voltar. Ja havia ido morar no exterior outra vez, mas dai a distancia e a saudade da familia me ludibriaram a crer que as coisas nao sao tao ruins ai e voltei. Voltei para descobrir que as coisas estavam piores do que nunca, uma degradaçao total e nao falo so de politica, falo de degradaçao de valores, de pessoas ( do pedreiro ao arquiteto, do garçon ao médico) cotidianamente tentando passar a perna, dar um golpezinho aqui, outro ali, sem demonstrarem, quando confrontados, um minimo de vergonha e arrependiemto. Entao percebi que eu jamais me enquadraria nesse sistema novamente e decidi partir.
    Impossivel descrever a alegria de poder me dar o luxo de coisas como: caminhar na rua sem medo, poder estacionar o carro sem me preocupar com flanelhinhas e assaltantes. Isso realmente nao tem preço.

    Quando eu ainda estava ai, para manter a minha sanidade, criei um site de avacalhaçao. Muitas das minhas ideias e escritos ainda nao foram para o site, até porque eu estava concentrando forças para a minha vida além Porto Alegre. Seja como for, tem duas publicaçoes que vao ao encontro do teu artigo: uma “musica” (com péssimas qualidades técnicas, de som e voz) inspirada na musica de Isabela Fogaça Porto Alegre é Demais; e uma satira sobre a queda de um poste que aconteceu na rua em que morava, no Bomfim – o poste so foi concertado com o condominio pagando R$1.500,00 (mil e quinhentos reais) por fora para o pessoal da CEEE. Eu protestei, gritei e esperneei contra o abuso da situaçao, pois sabia, por informaçao da propria central de atendimento da CEEE, que o conserto deveria ser feito de forma gratuita, mediante a compra do poste por parte do condominio, mas, como normalmente acontecia, fui voto vencido mediante explicaçoes tanto absurdas como talvez fundamentadas: como no prédio moravam predominantemente mulheres solteiras, as mesmas tinham medo que nos fizessem alguma represalia caso a gente fizesse uma denuncia formal contra a extorçao; outro medo das condonimas era a demora no concerto do poste: pagando-se o conserto seria feito imediatamente, caso contrario foi-nos dito que poderia levar até uma semana.

    Me desculpo pela falta de acentuaçao, um “probleminha” (aiii, detesto esses “inhas”, ainda bem que agora estao bem longe de meus ouvidos) persistente que ainda nao consegui resolver com o meu computador … ha uns 5 anos mais ou menos.

    Deixo os links da “musica” e da satira, caso te interesses.

    Obrigada por ter escrito o artigo, me colocaste um sorriso no rosto, mesmo que um triste sorriso – mas isso nao é culpa tua.

    http://www.sapasiradas.com/#!gallery/c1b0d

    http://www.sapasiradas.com/#!O-que-isso-significa/cv66/D5950426-40E3-4DF5-BDA0-AF9D36EC92A1

    http://www.sapasiradas.com/#!music/cp4j

    Saudaçoes.

    Em tempo, o poste caiu porque um caminhao, o qual transitava dentro das regras de altura e etc, bateu nos fios – os quais estavam extremamente baixos, fato comun em Porto Alegre – arrastando-os e com eles foi-se o poste. Felizmente, apesar do alto trafego de pessoas, ninguém se machucou.
    Basta andar pelas ruas e perceberas, eu pelo menos em choque, que muitas vezes fios se encontram à alçada de mao. Obviamente que nem a CEEE, nem EPTC e nem prefeitura se responsabilizarm por nada. Mas, graças aos céus, isso é parte do passado. Entretanto lamento pelos inocentes que ficam, muitas tragédias anunciadas ainda ocorrerao por pura neglicencia e descaso. E depois as pessoas e autoridades fingem surpresa. Estou fora desse teatro. Ufa.

    Esse email é so um desabafo com uma pessoa que aparentemente pensa como eu. Provavelmente o ultimo que farei, pois sinto cada vez mais que eu sai e do Brasil e ele saiu de mim (ou talvez tenha sido o inverso!?).

  • Emanuel diz: 26 de março de 2015

    Infelizmente concordo c/ o texto, praticamente diz tudo e ao mesmo tempo faltou muito mais coisas! como : nossas ruas e avenidas esburacadas, remendadas é triste.
    É por intermédio de vcs jornalistas que podemos expressar nossas indignações com os governantes!
    Sai um governante entra outro, seja qual partido o discurso é o mesmo! o cofre está vazio, não sabia que o rombo era tão grande, vamos ter que parcelar salário, vamos aumentar impostos e tc…. só falta dizer que nossa segurança tem no seu efetivo 50 PMS e 30 coronéis, aposentados 400 coronéis.
    Isto que não foi mexido no BNDS, ai sim o país vai ser líder MUNDIAL da corrupção

  • Florinda Luz diz: 26 de março de 2015

    Tu não estás com anedonia, não?
    Nossa Porto tem muito a melhorar, mas ainda tem muita gente boa, não é só assaltante que vive aqui, nivelaste muito por baixo nossa população e nossa cidade. É triste também ver uma critica tão radical. O mundo todo está aí, se estás infeliz tanto assim, vai ser feliz num lugar perfeito. será que existe?

  • Alberto/E o Gringo? diz: 26 de março de 2015

    Se Sartori cortar verbas da Segurança POA e todo RS serão um “Velho Oeste”!

  • Leonardo Contursi l diz: 26 de março de 2015

    Críticas pontuais excelentes, mas um tom esquizofrênico desnecessário. Boa parte são problemas sérios de todo nosso país, de longe exclusivos de Porto Alegre. Um formador de opinião como és não pode se dar ao luxo de vociferar sem contextualização dos problemas. Sim Daroit, Porto Alegre é demais!

  • Ana Paula diz: 27 de março de 2015

    Cara, podia ser pior…tu poderias estar no Rio de Janeiro onde todos os problemas q descreveste ocorrem numa escala imensuravelmente maior. Posso te dizer que quando vou a Poa me sinto num paraíso. Sei que a cidade tem muitos problemas, mas nada se compara a cidade calamitosa que tiveram a coragem de cantar que era maravilhosa. Apesar de ainda ter muito a melhorar, Poa tem muitas qualidades e para mim, é uma das capitais mais agradaveis para se morar. Abra a sua mente, viaje e conheça o Brasil, vai querer voltar correndo para o sul…

  • TANIA MARQUES STROHAECKER diz: 27 de março de 2015

    Onde a dor impera, é sinal que no fundo já houve sentimentos mais positivos…tudo depende do olhar…por isso não me identifiquei com o que escreveste, pois sou uma pessoa que ainda acredita no poder de transformação da sociedade.
    Apesar de quase tudo o que escreveste seja verdade, a abordagem é superficial e direcionada para a agressão gratuita. Espero, sinceramente, que esse teu olhar cético, carregado de amargura e rancor, possa se modificar algum dia e consigas “ver” Porto Alegre além de suas mazelas. Boa sorte!

  • Luiz Stamm diz: 27 de março de 2015

    Porto Alegre completa 243 anos e está mal, na sua opinião que com certeza não conhece 80% da cidade, da sua gente, das suas peculiaridades, dos seus anseios, suas virtudes e recantos únicos. Com certeza vc só deve conhecer o pedaço que circulas, um conselho: vá do centro, como carona, pela orla do ‘Lago Guaíba” e verás que apenas um pequeno trecho está intacto, sem melhorias, devido a problemas burocráticos governamentais, como vc diz conhecer a cidade não preciso dizer qual é o trecho referido. Insegurança? Desafio a me apontar qual lugar do mundo é seguro. E como portoalegrense, que aliás duvido que o seja, vc não tem o direito de macular a imagem da nossa cidade com suas opiniões depressivas e rancorosas, a música da Isabela Fogaça e dos irmãos Kleiton e Kledir, são mensagens lindas que incorporaram-se na memória dos portoalegrenses, em geral, se vc não gosta, é prova do seu desamor por nossa cidade, quanta hipocrisia da sua parte, é aqui nesta cidade insegura, imunda e mal planejada, que vc escolheu para exercer a sua profissão, tirar o seu sustento.
    Vá para as belezas seguras do Rio de Janeiro, a calma e tranquila São Paulo, com certeza, com a sua capacidade profissional ímpar, terá um vasto e amplo cenário para as suas críticas, mas cuidado, lá tem “bala perdida” a varrer, matando inocentes, policia corrupta e violenta ao extremo, ou conheça o que Porto Alegre tem a te oferecer, procure conhecer melhor a “sua” cidade.
    Luiz Stamm, 59 anos, motorista profissional, temista carnavalesco, natural de São Luiz Gonzaga e portolalegrense apaixonado por esta cidade.

  • Vicente diz: 27 de março de 2015

    Simplesmente irretocável o artigo do Felipe Daroit, uma visão realista no meio de tanto lero-lero que se ouve nessa época. Temos impasses que se arrastam há décadas (metrô, revitalização do cais, etc.) e que não parecem ter solução a vista. Definitivamente, Porto Alegre não segue o tempo histórico e sim o tempo geológico.

  • Lucas C. diz: 27 de março de 2015

    Porto Alegre é um lixo. Estou morando há 7 anos longe daí, e cada vez que volto para visitar meus pais, a sujeira, o perigo de assaltos e o número de crackeiros só aumenta. Cidadezinha mixuruca.

  • Susan Clayre diz: 27 de março de 2015

    ADOREI !!
    Muito muito bom !
    Ontem num Post de um amigo gaúcho ( assim como eu também sou Gaucha )
    Post justamente perguntava ??
    Porque Porto Alegre é demais ??
    Ninguém soube dar exato motivo !!
    Estou fora de POA s 20 anos !!
    Nos quais dois morei no RIO e a 18 anos em New York !!
    Posso dizer que sou Carioca de coração ,
    Nova iorquina por opção !!
    Amo cidade de pedra com todos seus defeitos !!
    Infelizmente meu Porto ( não muito ) Alegre
    ficaram somente a lembrança dos
    amigos e família que lá estão !!
    Não ( gostaria ) voltaria jamais a
    viver / morar lá !!
    Depois desse texto ??
    Menos ainda ( rs )
    Que um dia POA seja orgulho para todos
    que lá nasceram e vivem !!
    Sue

  • rodrigo diz: 27 de março de 2015

    A cidade Porto Alegre não tem culpa dos políticos safados e do povo mal educado que mora nela.
    Se estás tão de mal assim, faça sua escolha: aeroporto, rodoviária ou BR-101.

  • Gilbeto diz: 27 de março de 2015

    Mas que comentário mais idiota! O que este mal humorado faz em Porto Alegre? Com todo respeito, Nova Bréscia dever ser muito, muito melhor! Sem assaltos, sem craqueiros, sem pichações … Te muda cidade, cara pálida! Vai assar churrasco para paulistas, cariocas e estrangeiros, que é o deves saber fazer de melhor!!!!

  • antônio diz: 27 de março de 2015

    Parabens, fiz uma leitura inesperada na zh,algo que costaria de ter escrito pois desmascara e capital hipócrita e mentirosa, a onde temos o maior custo de vida do Brasil,
    Descreveu exatamente o que pensei, se estamos em tempos de mudança, vamos trabalha ppara que ocorra aqui também, e torcer para que poa não vote por partidos, mais sim pelo melhor da capital.

  • Vicente diz: 27 de março de 2015
  • Marcelo Xavier diz: 28 de março de 2015

    Porto Alegre nasceu do rio. Andei de catamarã esses dias e tive algo como uma epifania. Você entra no rio e simplesmente descobre um mundo paralelo. Porto Alegre destruiu não apenas o Guaíba, mas o seu atávico passado com ele. Essa é a expressão: ficou de costas para o rio, algo como um ódio entre irmãos.

    Desembarquei em Guaíba e notei como o Guaíba está presente na paisagem central da cidade. Eu não sinto isso em Porto Alegre. Parece que o muro não apenas proíbe essa transcendência, esse retorno às origens. O rio não está presente na vida da cidade. O Guaíba que as pessoas vêem é uma paisagem enjaulada. Isso é resultado de anos e anos de rejeição. É como quando nós nos desprendemos de laços afetivos de nossos parentes. De repente, nos tornamos indiferentes à eles. É isso o que o Porto Alegre fez com relação ao Guaíba, recalcou-o.

    Olhava Porto Alegre ao longe de Guaíba. É incrível o tamanho do rio, é imenso, é gigante, é belo e está vivo. E é maior do que as mentes tacanhas que tentaram esquecê-lo. Mas e le está vivo.

  • Rômulo Plentz Giralt diz: 30 de março de 2015

    Muito bom o artigo
    O transporte “público” de nossa cidade é privado. Quem planeja nossos espaços são as grandes incorporadoras. Estes dois atores são os grandes financiadores das campanhas dos nossos políticos. Para que nada mude e eles continuem ganhando dinheiro às nossas custas. As boas iniciativas sempre são postas de lado. Basta ver o cais do porto. Na década de oitenta foi realizado um concurso público para sua revitalização. Foi colocado em prática? Não. Agora lotearam o espaço à “iniciativa privada”. Enquanto a lógica do lucro prevalecer, nunca teremos uma cidade de verdade.

  • Anderson diz: 30 de março de 2015

    Que interessante, mais de 90% de comentários a favor..
    Em um blog moderado que todos os comentários passam por análise antes da publicação e em um veículo RBS, ta “serto” nem vou questionar a lisura das publicações..

Envie seu Comentário