Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Festa do Magick Rock ficou na promessa

09 de junho de 2008 6

Deu chabú, e dos grandes, na terceira edição do Magick Rock. A maratona roqueira regada a integração com a natureza e outros tipos de diversão adulta que era pra ter rolado no distrito de Pirabeiraba, em Joinville, no final de semana, virou caso de polícia, infelizmente. Tudo começou com uma denúncia avisando as autoridades de que o Recanto Davet não tinha álvara pra sediar shows. Os “hómi” bateram lá sexta à tarde, e com a Prefeitura já fechada, não houve jeito de contornar o problema. E isso com gente chegando pra festa, com mochila, barraca e tudo mais.

No sábado, o advogado acionado pelos organizadores ainda tentou fazer a coisa acontecer, mas nada. Muita gente pediu o ingresso de volta, outros ganharam um descontinho, mas por sorte não houve tumulto. Já na madrugada, os promotores driblaram a proibição e botaram o Made in Brazil no palco, “mesmo correndo o risco de levar uma multa”, segundo Robson Kuhnen, um dos organizadores. Duas bandas vieram na seqüência, e outras três se apresentaram no domingo.

Khunen ficou aliviado pelo prejuízo não ter sido tão grande. “O pessoal entendeu que a culpa não foi nossa”. Mesmo desanimado, ele garante que um quarto Magick Rock está nos planos, mas que desta vez vão ficar de olho nos detalhes burocráticos.

Olha, é louvável o empenho dessa turma em promover eventos desse tipo (grandes ou pequenos), se submetendo a tomar porrada em troca só do prazer de ver a galera se divertindo, mas já há exemplos suficientes por aí pra confirmar que, deu bobeira, as autoridades estão botando tranca. Se uma coisa básica como o alvará tivesse sido observada com antecedência, não haveria denúncia e hoje todo mundo estaria comentando o sucesso do festival. Pro bem ou pro mal, a lei existe e deve ser cumprida. Enquanto a organização de shows e o gerenciamento de casas especializadas não for visto com olhos profissionais, algo como uma cena roqueira forte em Joinville ficará cada vez mais distante.

E tem outra: Germano Busch, coordenador de marketing e projetos da Fundação Cultural de Joinville (e baixista do Karadura), disse que o órgão ofereceu apoio ao evento e em nenhum momento foi procurado. Durma-se com um barulho desses.

Postado por rubensherbst

Comentários (6)

  • Germano Busch diz: 9 de junho de 2008

    Posso dizer que a Fundação Cultural tem alguns mecanismos de incentivo e apoio a projetos, que são o `Edital de Apoio às Artes` e o `Mecenato Municipal`, permitindo o envio de projetos para sua banda, teatro, dança, festivais de música, etc, obedecendo somente ao prazo legal.

    A Fundação Cultural também sempre se colocou à disposição para colaborar em quaisquer das necessidades permitidas e ao alcance dela para a realização de eventos, seja em logística, seja apenas em orientação.(continua)

  • Germano Busch diz: 9 de junho de 2008

    Sobre o evento, uma grande pena, mas já virou passado, ficando apenas a lição.

    O Karadura tem o maior carinho e respeito por tudo o que representa o `Magick` – inclusive gravamos uma faixa de nosso cd lá, em 2007 – e ficamos muito tristes por tudo.

    Bola pra frente Anderson e toda a equipe.

    Magick 2009 será ainda maior!!!

    O Rock`n Roll pra sempre continua!!!

  • Gustavo Andre diz: 9 de junho de 2008

    Alguém já viu a lista de órgãos e exigências para se obter alvará em eventos desse tipo?

    É impossível conseguir autorização e consequentemente o alvará.

    Só se consegue se `molhar` a mão de alguns e mesmo assim corre-se o risco de algum juiz aloprado entrar com mandado de segurança para fechar.

    Assim Joinville caminha para o marasmo cultural…

  • XuXu diz: 10 de junho de 2008

    e aí povo! tô de longe, então é difícil avaliar, mas pelo que vejo o caso ao menos, parece menos gravde que os de Floripa, onde mesmo tendo tudo dentro da lei (como aliás deve realmente ser), nada nunca é garantido.
    aqui a insônia é permanente! mas seguimos adiante.
    Mandem ver aí! abraços!

  • Juliana diz: 9 de junho de 2008

    Um balde de água fria…
    Primeiramente, até onde se sabe, a questão nem foi levada ao conhecimento do Poder Judiciário. Segundo, é triste mas é fato e temos que reconhecer, faltou profissionalismo (experiência) por parte da organização, que não estava munida de todos os Alvarás necessários à realização do evento. E, como ninguém pode se escusar de cumprir a Lei alegando desconhecimento…
    Como sou otimista, vou esperar um próximo evento “roquenrollístico e, nos conformes”.

  • Marlise diz: 15 de junho de 2008

    Fui de moto pro magick
    lá na frente tinha uma placa
    5,00 acampa nos dias da semana
    7,00 nos fins de semana
    fiquei sexta sabado e domingo, não queria ir no domingo, mais trabalhei no outro dia
    o que quero dizer é que meu ingresso foi muito bem pago por três dias de curtição
    e quem reclama va curtir um popero e deixe que curti rock n roll se unir
    porque depois de tudo mastigadinho e facil cuspir no prato que comeu!!!
    parabens magick rock!

Envie seu Comentário