Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de novembro 2008

Público e bandas fizeram o Linguarudos ferver

30 de novembro de 2008 3

Banda Kaoscinha divertiu a galera com seu poppy-punk/rubensherbst

Se depender do astral no Garage, do entusiasmo do público e das performances das bandas escaladas, o Festival Linguarudos tem presença garantida no calendário musical joinvilense por muitos e muitos anos. Que assim seja, porque a festa ferveu dentro e fora do bar, e mesmo que não tenha sido perfeita, serviu pra mostrar o bom momento que vive a cena alternativa da cidade – pena que o final do ano tá aí o recesso é inevitável. Na contabilidade da organização, cerca de 300 pessoas passaram pelo Garage no sábado (29), um número bem acima do esperado. Até o mitológico Bananeira deu as caras pra dar o seu aval ao evento.

O tempo ajudou – bem mais do que aquele acesso horrível da rua dos Esportistas -, e quem foi tava realmente a fim de se divertir e esquecer a tragédia que o Estado vive nestes dias. Aliás, o carro do Hélio (Fevereiro da Silva) saiu rebaixado com tanta comida e roupa recolhidas junto com o ingresso. Parabéns também por isso.

As bandas embarcaram na empolgação e mostraram serviço. Com quase duas horas de atraso, o Ursulla faria uma apresentação-relâmpago, mas resolveu esticá-la um pouco mais quando sentiu o calor da platéia. Na seqüência veio o Lost in the Box. Com um verdadeiro dínamo atrás da bateria, a banda fez a temperatura aumentar com um hardcore berrado, cheio de quebras e andamentos, igualmente destruidor em músicas sem firulas, como “War”. O momento Los Hermanos, com a versão de “Quem Sabe”, acertou a platéia em cheio.

O Kaoscinha sonha em reproduzir por aqui o movimento rrriot girl, mas bate mesmo é na porta do poppy-punk. Foi divertido, apesar (ou por causa) das inegáveis limitações técnicas das integrantes. Gustavo, do Cultura Monstro, deu uma forcinha no final do show das meninas e voltou logo em seguida à frente de sua própria banda, que contou com a melhor sonorização da noite. Que evolução em relação ao material que ouvi no Myspace! Um grupo redondo, bem entrosado, que não soa estranho ao ir do samba-rock ao funk metal e depois pro hardcore. As letras são abusadas, mas o quarteto não tenta ser engraçadinho. Tem futuro a garotada, especialmente em cima do palco.

O Blasè voltou a mostrar que sua fase “crua e direta” é muito eficiente. As guitarras altas, a cozinha saliente e as melodias escuras superaram a desconfiança de parte do público e um semi-pogo se formou. Um probleminha com a guitarra do Clayton quebrou um pouco o encantamento. Mas o saldo final foi bem positivo, ainda mais com nova música (muito boa) no repertório.

E eu fiquei por aí. As dores nas costas e a falta de álcool – afinal, o caminho de volta era longo e é bom pegar leve – me botaram dentro do carro antes de ver Fevereiro da Silva, Habroma e Sanchez. Fiquei sabendo depois pelo próprio Maia que o retorno da banda aos palcos ficou prejudicado por problemas técnicos e pelo adiantado da hora – era perto das 6 da manhã de domingo quando ela fez sua curtíssima apresentação.

Apesar de chateado com o ocorrido, Maia nem pensou duas vezes em exaltar o sucesso do Linguarudos. Feliz com o público, com as bandas, com a colaboração de todos. É isso aí. Com pequenos ajustes, o festival tem tudo pra se tornar a grande vitrine do rock alternativo joinvilense.

Tem aí três vídeos com registros da noite. Me perdoem se a gravação não for tudo aquilo, mas é que em matéria de fazer imagens e tirar fotos eu ainda sou um mero apertador de botões iniciante. Na seqüência, Lost in the Box, Cultura Monstro e Blasè.

Postado por rubensherbst

Especial de Natal do Reino Fungi é cheio de amor

30 de novembro de 2008 0


A sexta edição do especial de Natal Beatles promovido pelo Reino Fungi não será igual aos outros. Dessa vez, a banda joinvilense resolveu que o show não se resumiria a subir ao palco e mandar ver as amadas canções do Fab Four. Papeando sobre o tema principal da obra do Fab Four – o amor, claro – o grupo bolou “The Beatles – a Reconstrução do Amor”, espetáculo multimídia que apresentará dia 17 de dezembro na Moom Art n`Music. Tirando inspiração do “Anthology”, do espetáculo “Love”, do Cirque du Soleil, e do filme “Across the Universe”, o grupo concebeu uma história de amor que será contada por dois bailarinos e muitas surpresas visuais que eu não vou contar aqui. Tudo, claro, tendo as músicas dos Beatles como fio condutor. As baladas de John Paul, George e Ringo vão imperar, mas ainda assim será um show com grandes momentos pra se esbaldar, como “Taxman”, “Got to Get You Into My Life” e “A Hard Day`s Night”, muito bem ensaiada na janela aí de baixo. Serão 22 canções no total – além de um bis com faixas próprias do Reino Fungi -, e pra executá-las com a pompa e o peso necessários, os Fungis chamaram mais um tecladista, duas backing vocals e um trio de sopros. “Dessa vez, vai ser um show pra ver, ouvir, dançar e sair apaixonado”, adianta o baterista Hugues. Os ingressos começam a ser vendidos nesta segunda (dia 1º) no bar Zum Schlauch, na Visconde de Taunay.

Postado por rubensherbst

Calendário 2009 de shows começa a se desenhar

28 de novembro de 2008 5

Wilco está a caminho do Brasil de novo? Tomara que sim/Divulgação

Vocês vão me desculpar, mas vou reproduzir aqui uma nota do baladado blog do balado Lúcio Ribeiro. É que ele dá uma pequena amostra do que nos espera em 2009: mais um ano cheio de shows imperdíveis e grana insuficiente pra ir a 10% deles. Já começa com Radiohead e assim vai. E isso é só a ponta do iceberg, podem acreditar.

* WILCO E SONIC YOUTH EM ABRIL - O “primeiro semestre de shows no Brasil” é o novo “segundo semestre de shows no Brasil”. Para quem andavam caídos, os seis primeiros meses do calendário de apresentações internacionais ganhou agitação absurda. Segundo notícias vindas da Argentina, a adorada banda Wilco toca em abril nos clubes La Trastienda de Buenos Aires e Montevidéu em abril, com shows também no Brasil. Fala-se de concertos em São Paulo e no Abril pro Rock (Recife). O Wilco tocou no Brasil em 2005, mas só no Rio de Janeiro (Tim Festival). O músico Peter Gabriel está fechado para março. Iron Maiden e Paul McCartney vêm até junho para esses lados. E a veterana banda Sonic Youth, que tinha show do disco “Daydream Nation” prometido para o começo deste ano, também é outra que viria por volta de abril/maio de 2009. Mas desta vez não é certeza que o show será o do famoso disco.

Postado por rubensherbst

Revista Uncut já coloca banda novata no trono

28 de novembro de 2008 2


Uma das boas coisas que o Parffit vai tocar neste sábado (29) no programa É Rock! (Udesc FM, 91,9) é o Fleet Foxes, banda de Seattle que a respeitada revista “Uncut” já botou no trono dos melhores discos de 2008. O Parffit não gostou tanto, mas eu achei bacana, apesar de passar longe da minha (incompleta e indecisa) relação dos destaques do ano. O quinteto tem contrato com a Supbop – que lançou seu CD de estréia este ano -, mas não há um traço sequer de punk ou metal no seu som. Há, sim, um indie-folk bem elaborado, com belas melodias e aquelas harmonias vocais perfeitinhas a la Beach Boys. Deixo aí o clipe de “White Winter Hymnal” pra vocês decidirem se vale a penar correr atrás do resto.

Postado por rubensherbst

Curupira não pára: vem aí o segundo Ecorock

28 de novembro de 2008 1

Os planos do Ivair de dar aos eventos no Curupira Rock Club um perfil mais condicionado à conscientização ambiental estão em andamento. Tanto é que vem aí o 2º Ecorock, que tem a intenção de (o trocadilho é irresistível) plantar na cabeça da moçada a semente de um futuro mais verde e respirável. Além dos shows, divididos em dois dias (12 e 13 de dezembro), serão distribuídas mudas de plantas e informações sobre ecologia. A gente sabe que no final das contas o que a galera quer é se divertir, se acabar no rock`n`roll e fechar a noite em algum canto, bem acompanhado (nem que seja só do garrafão de vinho). Mas não custa nada tentar, certo? Eis aí a programação do festival

 

Sexta, dia 12

 

23h Etílicos e Sedentos (Brusque)

0h The Seres (Jaraguá)

1h Mandrágora (Jaraguá)

2h Fótons (Jaraguá/Corupá)

 

Sábado, dia 13

 

15h The Fun (Jaraguá)

16h Estado Deplorável (Jaraguá)

17h Arrogantes (Jaraguá)

18h Tylenol 750 (Florianópolis)

19h Olhos do Íntimo (Curitiba)

20h Paulo Renato (?/SC)

21h Strep Tease Poker (Itajaí )

22h Black Huxley (Joinville)

23h Os Restos (Joinville)

0h Encore (Florianópolis)

1h Eutanasia (Florianópolis)

Postado por rubensherbst

Outra noitada de blues e rock com o Karadura

27 de novembro de 2008 2

Sexta-feira (28) quentíssima lá no Liverpool Snooker Pub, em Joinville, com o Capone Brothers, de Balneário Camboriú, abrindo a noite pros chapas do Karadura Blues Brothers. A banda de Germano e Alan vem aquecida pelo final de semana de sol, blues e rock em Curitiba, e promete botar a casa abaixo com a tradicional saraivada de composições próprias (pode rolar algo novo) e versões de clássicos preciosos. Damas pagam 10 pilas e os cavalheiros, 12.

E tem mais coisa vindo por aí. No dia 12 de dezembro, o Karadura reedita a Festa do Velho Sacudo e convida Os Depira pra juntos transformarem o Liverpool no reino dos brinquedos, vindos da boa vontade do público que aparecer por lá e que farão a alegria de uma pá de criança nesse Natal. Já no dia 14, os brothers tocam pela primeira vez no Orquídea Negra Rock Festival, baladado evento organizado pela banda de metal lageana.

Postado por rubensherbst

Sai só agora o resultado do Prêmio Dynamite

27 de novembro de 2008 3


Às portas de 2009 e começando a quebrar a cabeça pra escolher os melhores de 2008, teremos que dar uma última olhadinha nos destaques de 2007. É que só agora saiu a lista dos vencedores do Prêmio Dynamite de Música independente, que enfrentou problemas de patrocínio e sofreu um grande atraso no seu lançamento. Apesar disso, 22.584 pessoas se cadastraram pra participar, deixando 107.952 votos na urna virtual do prêmio. Infelizmente, nenhum catarinense concorrente levou. Em vez de Kratera, Dazaranha, Nós Naldeia, o Clube da Sinuca e o programa “Independência ou Morte” (Rádio UFSCar), o troféu ficou com esses nomes aí:

 

ÁLBUM ROCK: Cachorro Grande – “Todos os Tempos” (RS / Deckdisc)

ÁLBUM INDIE ROCK: Vanguart – “Vanguart” (MT / L&C/Cubo Discos)

ÁLBUM POP: Lipstick – “Cada Segundo que eu Tinha” (SP / Thurbo Music)

ÁLBUM HEAVY METAL: Madame Saatan – “Madame Saatan” (PA / Cubo Discos)

ÁLBUM PUNK / HARDCORE: Sugar Kane – “D.E.M.O.” (PR / Urubuz Records)

ÁLBUM MPB / SAMBA: Fernanda Takai – “Onde Brilhem os Olhos Seus” (MG / Do Brasil Música)

ÁLBUM INSTRUMENTAL: Pata de Elefante – “Um Olho no Fósforo, outro na Fagulha” (RS / Monstro Discos)

ÁLBUM RAP / HIP HOP / BLACK: Xis – “Xis Tape Vol. 1″ (SP / 4P Discos)

ÁLBUM MÚSICA ELETRÔNICA: Bonde do Rolê – “With Lasers” (PR / Domino Records)

ÁLBUM REGGAE / SKA: Tribo de Jah – “Guerreiros da Tribo” (MA / Sky Blue Music)

DESTAQUE REGIONAL: Quaderna – “Quaderna” (PA / Independente)

REVELAÇÃO: Mallu Magalhães (SP)

ÁLBUM INTERNACIONAL: Radiohead – “In Rainbows” (Inglaterra / Independente)

SELO / GRAVADORA: Monstro Discos (GO)

VEÍCULO ONLINE: TramaVirtual (SP)

VEÍCULO IMPRESSO: Rolling Stone Brasil (SP)

PROG. DE TV OU EMISSORA: Alto-Falante (MG)

PROG. RÁDIO OU EMISSORA: Mundo Rock de Calcinha (SP)

CASA SHOWS ALTERNATIVOS: Hangar 110 (SP)

EVENTO: ABC Pró HC (SP)

PERSONALIDADE: Bernie Walbenny (PA)

PRODUTORA / MOVIMENTO / ASSOCIAÇÃO: Abrafin

 

Pra conferir a lista completa dos indicados, basta ir até o site do prêmio.

Postado por rubensherbst

Vai comemorando: Radiohead no Brasil em março

27 de novembro de 2008 3

Thom Yorke e cia. têm shows marcados em São Paulo e no Rio de Janeiro/Divulgação

Pode começar a morrer de ansiedade desde já: o Radiohead garantiu presença no Brasil em 2009. Tá lá no site da banda que a perna sul-americana da turnê do disco “In Rainbowns” vai passar pelo País em março, no dia 20, na Praça da Apoteose, no Rio de Janeiro, e dia 22, na Chácara do Jockey, em São Paulo. As apresentações farão parte de um tal Festival Just a Fest, cujas demais atrações ainda serão confirmadas. A escolha por esses grandes locais é óbvia, já que a banda de Thom Yorke é hoje uma das maiores bandas do mundo e faz tempo que ela é ansiosamente aguardada por aqui, que já estavam até perdendo as esperanças depois de tantas especulações mal-sucediddas. Segundo a assessoria de imprensa da organização dos shows, serão postos à venda 35 mil ingressos no Rio e 30 mil em São Paulo. Então anote: eles começam a ser vendidos à meia noite do dia 5 de dezembro pelo www.ingresso.com., e a partir das 9 horas nas bilheterias do Pacaembu (SP) e do Maracanãzinho (RJ). O preço é salgado: R$ 200. Nos postos-de-venda, o pagamento será aceito apenas em dinheiro e cada pessoa pode comprar até quatro ingressos. A censura é 16 anos.

Vai aí o belo clipe de “Reckoner”, do “In Rainbows”, e um registro do show do Radiohead no Lollapalooza deste ano.

Postado por rubensherbst

Conceitos estranhos, gente medonha, capas bizarras

26 de novembro de 2008 0

Desde que inventaram o pop, ou melhor, desde que começaram a prestar mais atenção naquele invólucro no qual a bolacha é inserida, que salta aos olhos a criatividade, os conceitos, o diálogo entre arte e música que existe nas capas de disco. A pilha cresce a cada dia, e ainda que os exemplares mais lembrados sejam aqueles dos anos 60 (“Sgt Peppers”, “Beggars Banquet”, “Electric Ladyland”, “Disraeli Gears”, “Pet Sounds”…) e 70 (“Sticky Fingers”, “Never Mind the Bollocks…”, “London Calling”, “Dark Side of the Moon”, “Houses of the Holy”…), o que não falta são belas artes produzidas em favor da música nas últimas duas décadas, com uma bem-vinda ajuda da tecnologia (vide o “Nevermind”).

Mas a gente não está aqui pra falar de beleza,não. O caso é que eu queria dividir com vocês, leitores do Orelhada, o presente que eu recebi: algumas das mais horrosas capas de disco que eu já vi na vida. Presente sim, porque é bacana checar o outro lado da moeda, feita de estética simplória, gosto pelo kitsch, um humor quase sempre involuntário, conceitos (se é que existem) estranhos que envolvem esses álbuns antigos (na maioria) e acabam resultando numa curiosidade bizarra.

Impulsionado pelo assunto, fui atrás de mais alguns exemplares dessa corrente do mau gosto, e o que achei fica entre o hilariante e o inacreditável. Chequem as imagens a seguir, cliquem aqui e aqui e boa sorte. Vocês vão precisar.

Postado por rubensherbst

Música pra filme erótico? Chame o Supersônico

26 de novembro de 2008 0

Rapaz, estou sem fala. Acabei de ver um clipe chamado “Mutante”, da banda paulista Supersônico, e … Bom, a pérola trash está aí embaixo e vocês vão ver com seus próprios olhos. Pra terem uma idéia do tamanho da encrenca, o Supersônico é um trio que tem na bateria o Marcelo Mathias, mundialmente conhecido como ex-integrante da Casa dos Artistas e atual astro do pornô nacional (em sua filmografia consta um fime com a ex-Paquita Grazi Fantini). O sujeito também é protagonista do vídeo em questão, que tem ainda a (modelo? Atriz?) Núbia Oliver. E agora ele ataca de roqueiro, se bem que é difícil encaixar o som do Supersônico como rock – na verdade, é difícil enquadrá-lo até como música.

Mas vai piorar (ou melhorar, dependendo do seu senso de humor): a faixa foi composta de encomenda pra um filme pornô, o “Mutantes do Prazer”, estrelado pelo travesti Angélica Castro, que vai, hã, interpretar uma cientista que trabalha pra criar um ser humano com alto poder de sedução (hahaha). A “trama”, claro, é inspirada na novela “Caminhos do Coração”, da Record.

Sugestão: por que não fazem uma versão sacana de “Tieta”? Vai que o Caetano se inspira e compõe a trilha sonora…

Postado por rubensherbst