Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

2009, um ano fértil pro rock joinvilense

31 de dezembro de 2009 12

Paulo Gerloff/arte AN

Então é isso, né? Foi-se 2009, um ano que ficará marcado como o ano em que o rock joinvilense recuperou sua auto-estima ao tomar consciência de que respirar por tubos ainda é melhor do que fingir-se de morto. Apesar de uma parcela de bandas ter perdido o bonde e ignorar as mais básicas ferramentas de produção e divulgação (e ainda requerer atenção), a movimentação acalentada por determinados grupos, produtores e casas nesses 12 meses dá esperança de dias melhores e, quiçá, gloriosos. Mas vamos por partes.

No click de que registrar é mostrar-se, muita gente foi para o estúdio (profissional ou caseiro) e saiu dele com algum tipo de trabalho, virtual ou físico. Os Depira, Blasè, Sylverdale, Os Legais, Hexafônicos, Bela Infanta, Os Bacamartes, Stereotape Killers, Simples, Black Huxley, Cortina de Folhas, Cultura Monstro, Alva, Ursulla (que, infelizmente, encerrou as atividades), a coletânea do Mojo Estúdio… A lista chega a impressionar se levarmos em conta a morosidade dos últimos anos. Até o Reino Fungi, que diminuiu a marcha, emplacou em mais dois tributos aos Beatles.

Notou-se um impulso natural de produzir, mas é óbvio que o aumento na quantidade de shows deu um gás extra ao pessoal. Se por um lado vimos o auge e o fim do Liverpool e o fechamento temporário do Garage, tivemos a abertura do Don Rock, que foi combustível essencial com eventos semanais, e os esforços da Atômica Produções, responsável também por festivais ao longo da temporada. E nunca é demais lembrar que a união de várias forças trouxe a Joinville Paul Di`Anno, Nasi, Marcelo Nova, Fernanda Takai, Frejat, Bogardus (Argentina), Tomada, Nevilton, Patrulha do Espaço, Blues Etílicos, Wry, Relespública, Charme Chulo, Dr. Living Dead (Suécia), Nuno Mindelis, Eddie, Fernando Deluqui (ex-RPM), Mukeka di Rato, Cassim & Barbária e uma porção de outros.

Enfim, 2009 foi um ano em que a massa foi trabalhada por mãos empolgadas e voluntariosas. Mas ela dificilmente irá crescer sem a projeção de metas mais ambiciosas, o que equivale dizer que em 2010 as bandas joinvilenses precisarão buscar espaço pra além dos muros da cidade pra não morrerem sufocadas – cavar shows em outras cidades e Estados, dobrar a divulgação, se escalar pra festivais e todas aquelas coisas que todos estão carecas de saber, mas poucos fazem. Dessa imprescindível expansão, combinada com uma contínua e fervilhante agenda de shows e lançamentos, é que a cena local deixará de ser uma sonora promessa.

Postado por rubensherbst

Comentários (12)

  • Jo Buchele diz: 3 de janeiro de 2010

    Continuando: Junto com outras bandas como Templates e Pendrive. Aliás este cd poderia até ser considerado uma das obras mais importantes da cidade no último ano, por reunir diferentes vertentes musicais, com excelente qualidade de produção. Deixo aqui minha cordial contribuição. Jo Büchele

     

    Olá Jo:

    Ora, Germano, Allan “Vascaíno” Bastos e Rafael são figuras corriqueiras no Orelhada (blog e coluna), que informou a todos os leitores quanto aos sons lançados pelo Karadura este ano. Mas quando relacionei os trabalhos joinvilenses, me referi apenas a EPs e discos completos, caso contrário, a lista seria bem maior e teria que incluir também Black Huxley, Templates e Pendrieve, presentes na coletânea do Mojo, que, por sinal, está citado no texto. Espero que em 2010 possamos ver um novo álbum do trio e, ao final do ano, não só relacioná-lo como incluí-lo entre os melhores da temporada. Abração.

  • Macarraum diz: 4 de janeiro de 2010

    2009 foi um ótimo ano. Bandas surgiram, algumas renasceram e a busca por profissionalização é amplamente sentida e vista nas bandas da cidade. Dezenas de singles foram lançados e muita coisa boa chegou aos ouvidos da galera e por esta razão, pelo que já foi feito na cidade, eu acredito que 2010 terá grandes novidades e estará cheio de boas surpresas musicais. O Rock de Joinville não perde em nada para outras cidades e estados do Brasil! Será um 2010 de grandes alegrias para a cidade, certamente!

  • Rafael Zimath diz: 4 de janeiro de 2010

    Sim, 2009 foi bacana mas ainda falta muita coisa por aqui. Precisamos profissionalizar ainda mais as bandas e os espaços para apresentações; precisamos de mais material (produzir e lançar); precisamos de um site que reúna toda a produção da cidade (e o seu histórico); precisamos de mais shows, festivais e eventos que reúnam e chamem a atenção para a produção local. Enfim, falta mais gente trabalhando pelo TODO. Tenho certeza de que estamos no caminho certos, mas precisamos de mais voluntários.

  • Jo Buchele diz: 2 de janeiro de 2010

    Caro Jornalista “Orelhada”

    Talvez sua pesquisa não tenha sido ampla o suficiente, ptto, gostaria de contribuir com a informação que a banda KARADURA BLUES BROTHERS foi originada em Joinville, ptto tb é considerada uma banda JOINVILENSE, apesar de ter um frontman vindo da “cidade maravilhosa”. KARADURA em 2009 gravou e lançou em Jlle, no estúdio Mojo, mais 2 sons inéditos: “larica total” e “mulher ingrata”, além de tb ter participado da coletânea do estúdio Mojo junto com outras bandas.

  • Adriano diz: 2 de janeiro de 2010

    2009 foi bom mas não será melhor que 2010

  • XuXu diz: 31 de dezembro de 2009

    temos que ter 2009 como um renascimento. Joinville ficou na ponta da lança e isso é bom demais. 2010 vai er muito melhor, não tenham dúvidas!
    grande abs!

  • Rafael Zimath diz: 4 de janeiro de 2010

    Precisamos reunir mais os esforços, congregar as iniciativas. Pensar em Joinville como uma marca a ser colocada no mapa, e não como destino final. Joinville é a ponte e não um fim em si mesma. Vamos olhar além e trabalhar para isso.

  • XuXu diz: 5 de janeiro de 2010

    Acompanho a movimentação de Joinville de perto por aqui, mas vivo longe. Acompanho pq acho hoje a cena de rock com maior potencial do estado. muito a frente das outras. é claro que há muito a ser trabalhado. sempre há. mas me parece que a mentalidade e o empenho de artistas e produtores estão fazendo as coisas progredirem bem. Joinva vai bombar em 2010. Nào tenho dúvidas! abs.

  • Macarraum diz: 4 de janeiro de 2010

    Concordo, quando dizes que é necessário conjurar forças para que a cena, em si, cresça na cidade. Porém, esforços e projetos têm aparecido e o trabalho em prol da divulgação e da música de Joinville têm surtido efeito. “Quanto melhor, mais caro!” Acredito que este seja o mote da produção musical. Quanto a sites que reúnam informações, penso que já temos alguns bons exemplos e um deles é o próprio blog “Orelhada”, assim como o “A Hora do Rock ´n´ Roll”. Para mudar algo, é necessário começar!

     

    Reforçando: sejam quais forem os caminhos tomados pelos rock da cidade, Orelhada andará junto, elogiando ou criticando, mas sempre informando. Outros bons canais virtuais são os blogs da Atômica Produções e do Linguarudos, mas esses precisam de uma atualização mais constante pra fisgar os internautas. Abraços.

  • Macarraum diz: 4 de janeiro de 2010

    E esse mudança acontece na cidade, mas essas mudanças virão com o tempo e eu acredito que usufruiremos de bons resultados já em 2010, tendo em vista os trabalhos das bandas que serão lançados neste ano. Produções mais simples, porém com muito cuidado e apresso. Penso que os bons tempos voltaram e 2009 é um ótimo exemplo, com os petardos de bandas como Alva, Stereotape Killers, Bacamartes… O primeiro passo foi dado e ele é firme e dá suporte a outras bandas da cidade! Só não podemos desanimar!

  • Samanta Nóbrega diz: 3 de janeiro de 2010

    Alguma novidade no front eletrônico?

    Em Joinville, especificamente falando, nada. É um espaço que ainda falta ser ocupado na cidade (e não estou falando de DJs). Alguém se habilita?

    Abração, Samanta.

  • Juliana diz: 31 de dezembro de 2009

    Que 2010 seja o primeiro de muitos anos em que as pessoas tenham mais critérios para ouvir música e não apenas sejam levadas pelos hits do momento!
    E viva o rock catarinense, que é muuuito bom.

Envie seu Comentário