Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2010

Os Depira viraram história

31 de março de 2010 19

Prestem bem atenção nessa foto aí em cima, porque ela não será vista outra vez tão cedo e, muito possivelmente, nunca mais. Sim, amigos, me dói ser o portador da má notícia, mas Os Depira não existem mais. Uma das mais adoradas e talentosas bandas autorais que Joinville já produziu não resistiu ao indócil passar dos anos e resolveu encerrar as atividades. Claro, a culpa não é somente da pouca produtividade – em 11 anos de vida, foram dois EPs, um CD e um registro ao vivo disponibilizado pra download. A falta de perspectivas, a inexistência de um empresário/produtor, a incapacidade de romper os limites regionais e, principalmente, rachas internos aceleraram um fim que pareceu iminente algumas vezes.
Nada sobrou, como afirma o título da melhor canção d’Os Depira? Não. Além da discografia, ficam as memórias visuais de uma exuberante banda que durante uma década remexeu no baú dos anos 60 e 70 pra fazer um rock ora dançante, ora soturno, mas sempre de personalidade forte, potente, vibrante e bom de cantar junto. Qualidades que renderam um fã-clube crescente e um respeito que cruzou, e muito, as fronteiras do distrito de Pirabeiraba. Foram muitos os shows memoráveis, nos mais variados palcos, alguns bem ermos, como o Zeppa.
Mas é aquela coisa: vão-se os dedos, ficam os anéis. O que há, por enquanto, é que Marcelo Rizzatti (guitarra), Parffit (baixo) e Rafael (bateria) seguem com o projeto Let it Jam e dando suporte ao mestre Celso Blues Boy. Outras maquinações sonoras, especialmente pelos lados do guitarrista, ainda estão em estágio inicial. Mas isso é assunto pra mais tarde. Agora, uma salva de palmas para os depirianos…


Pode vir quente

31 de março de 2010 0

Pra quem estiver pelo Oeste catarinense no fim de semana, sugerimos não perder a dobradinha que a semilenda do rock gaúcho Astronauta Pinguim fará com a banda Epopéia, de Chapecó. O cartaz aí do lado – no qual são indicados a saraivada sonora que ambos dispararão – informa apenas o show de sábado, na casa dos catarinas, mas na sexta (2), as duas atrações já unem forças antes, nesta quinta-feira (1), no Green Lounge Bar, em Concórdia.

Oh, meu rei...

31 de março de 2010 1

Ainda não decidi se essa vai pra sessão “O trash que faz nosso dia mais feliz”, e talvez vocês possam me auxiliar nessa tããão difícil questão. É assim: o Cueio Limão, banda, hã, extrovertida de ska/punk/hardcore melódico do Mato Grosso do Sul, lançou um EP virtual no qual transfere quatro sucessos de Roberto Carlos pra seu estilo pula-pula. Gostei do título do projeto: God Save the King. Já das versões… Confesso que achei bacana a pegada hard de Namoradinha de um Amigo Meu e da citação de Ciúme, do Ultraje a Rigor, no início de Ciúme de Você. Só isso já é muito melhor e mais respeitoso do que todos os sertanejos com quem Robertão anda cantando.

Clicando AQUI, você cai diretamente na página pra baixar o EP.

E o Curupira tremeu...

30 de março de 2010 3

Depoimento do amigo Kelson, batera do Fly-X, sobre a, segundo ele, arrebatadora noite de sábado (27) no Curupira, quando tocaram a banda guaramirense, Da Caverna e, claro, Wander Wildner:

“A noite foi histórica e será inesquecível! Chegamos às 18 horas, conforme o combinado, para passarmos o som, mas o Da Caverna atrasou e começaram a passar o som com o Wander somente às 19 (as 10 canções que eles acompanhariam). A Fly-X foi passar o som e deixar as coisas prontas. Eram 21 horas, jogo rápido e de lá para casa, banho e comida. Nosso show iria começar às 23h30. Chegando no Curupira, a bela surpresa, que já era de se esperar: lotado! A organização estima em mais ou menos 500 pessoas, sendo que mais de 400 pagaram ingressos. O som estava redondo e o público, insandecido. Talvez um dos melhores shows que a Fly-X já fez e para um público totalmente recíproco, afinal, não tocávamos mais “em casa” desde novembro de 2007. Foi foda! Ensaiamos “Dear Love” do Social Distortion, pena que o amigo não pode estar presente, iria pra você, certamente.
Os shows foram gravados e filmados, e logo, logo estarão no youtube também. Falando em youtube, tem um do Wander que dá pra notar bem o que foi aquela noite, em que nem a chuva que castigava a cidade sem parar durante o dia todo atrapalhou, nem impediu que o público fosse em massa para a noitada rock. Foi f*! Dificíl de acontecer uma assim todo dia.”

Segundo o Kelson, foi nesse embalo:

A volta dos românticos

30 de março de 2010 1

Você sentia falta do Roxy Music? Eu não. De qualquer forma, e mesmo que a notícia nem seja tão nova, vale o registro aqui que a banda, que começou glam nos anos 70 e virou uma das pedras fundamentais do chamado new romantic dos anos 80 (Duran Duran, saca?), tem data marcada pra voltar. Será no dia 19 de junho, no megafestival espanhol Sonar. Não será um show isolado. Outros shows em festivais europeus tão na rota do Roxy Music, que terá a formação quase original no palco, incluindo o cantor Bryan Ferry. O único que ficou de fora da reunião é Brian Eno. Com a moral e a grana conquistada como produtor, não deve estar precisando de turnês caça-níqueis ao lado de um grupo que acabou há 27 anos. Mas More Than This continua sendo uma grande música.


Coquetel sonoro

29 de março de 2010 1

Como todo o mundo todo sabe (ou a parte dele que ouve a banda), os blumenauenses do Pärächämäs tão preparando pra junho o lançamento de seus segundo EP. Na base das preliminares, o grupo libera na quarta (31), no seu MySpace, mais um faixa do disquinho, Coquetel Blues. A música tem a pegada dançante típica da banda, com guitarras aceleradas e sopros pontuais, mas é, talvez a faixa mais pop e bem produzida que ela já concebeu. Acione o áudio aí embaixo e repare nos synths bem colocados e efeitos enriquecedores. Mesmo assim, o Pärächämäs avisa, mais uma vez, que a faixa não é representativa do EP como um todo. Isso tá ficando bom.

Ouça aqui Coquetel Blues, do Pärächämäs

Ele existe!

29 de março de 2010 9

O grande camarada e DJ PHC manda a prova de que o vinil voltou mesmo a ser fabricado no Brasil e já tá circulando: sua própria cópia, novinha, lindona e recém-adquirida, do bolachão de Fome de Tudo, da Nação Zumbi. É um dos títulos que tão sendo produzidos pela Polysom, no Rio de Janeiro, única fábrica de vinis do Pais, que foi reativada após ser comprada pelo dono da Deckdisc. Outros discos que tão saindo das máquinas são Onde Brilham os Olhos Seus, da Fernanda Takai, Cinema, da Cachorro Grande, e Chiaroscuro, da Pitty.

Pelo que andei sabendo, a Polysom tem capacidade pra fabricar 40 mil vinis por mês, e 500 cópias de cada título serão distribuídas num primeiro momento. Novas tiragens dependem da procura. As livrarias Fnac, Cultura e Saraiva são algumas lojas que têm os discos, cujo preço varia entre R$ 70 e R$ 85. Não é barato, mas a produção limitada e o público consumidor restrito explicaria, em parte, o valor salgado. Minha curiosidade, agora, é saber se os lojistas em geral terão coragem de abrir espaço pros bolachões zero-quilômetro. A popularização passaria por aí, e consequentemente, a queda dos preços.

Um capítulo à parte

29 de março de 2010 1

Vejam aí, na foto de Antonio Rossa, a turma boa que se reuniu semana passada em Floripa durante a etapa do Rumos Música. Foi pra tomar cerveja e contar piada? De forma alguma. Com grande participação de muitas variantaes da música catarinense, o encontro de dois dias fez cartas serem postas na mesa e caminhos pro Estado deixar de ser o 0 da BR 101 foram discutidos avidamente. Pelo que ouvi, um marco pra cena sonora barriga-verde foi estabelecido. E já há desdobramentos, como faz crer a missiva do camarada Jean Mafra:

“Santa Catarina poderá, em breve, ter seu(s) primeiro(s) ponto(s) do Circuito Fora do Eixo. Tudo começou em Brasília, em conversas que eu, Guilherme Zimmer e Alexei Leão tivemos com Bernardo Macondo (Circuito Fora do Eixo, Casas Associadas) e Pablo Capilé (Espaço Cubo, Abrafin, Circuito Fora do Eixo) – que paralelamente já vinham conversando com algumas pessoas de nosso estado a respeito. A visita de Capilé a Florianópolis, durante o lançamento do edital 2010/2011 do projeto Rumos Música do Itaú Cultural serviu para que o papo avançasse.

Muitas águas ainda rolarão até a coisa acontecer, mas essa foto, de parte daqueles que vêm lutando para construir uma cenário melhor para a música de Santa Catarina com o Capilé (o primeiro à direita na fila do meio, com a camiseta do Macaco Bong) pode servir de símbolo para o futuro otimista que estamos desenhando juntos (e é preciso lembrar que estamos dialogando diretamente com figuras de dentro e de fora da Capital).

Aliás, pode se dizer o mesmo a respeito dos dois dias de debates que aconteceram no teatro da UFSC na semana passada, que são simbolos de uma mudança positiva e histórica para a música daqui. Afinal, quem diria, há tempos atrás, que conseguiríamos juntar algumas das principais cabeças do choro, rock, eletrônico, metal, samba e outros sons produzidos nesta terra (além de representantes do poder público) para dialogar sobre as possibilidades que teremos se daqui pra frente trabalharmos juntos?!?”

Clube reaberto

26 de março de 2010 2

Marquinhos Espíndola vai perdoar a surrupiada de seu honorável blog desta notícia que aquecerá muitas almas leitoras deste blog: após cinco anos, o Teenage Fanclub tá prestes a soltar um novo disco. O nono trabalho da banda se chamará Shadows, trará 12 faixas e, de acordo com o site oficial dos caras, sairá primeiro na Europa, Japão e Austrália, em 31 de maio, e depois na América do Norte, em 8 de junho. No Brasil? Vá esperando algum microselo tomar coragem…

Na janelinha logo a seguir encontra-se não só a capa do disco como Baby Lee, faixa de Shadows que igualmente nos faz sorrir: a exuberância melódica e a inacreditável capacidade da banda de criar cândidas canções do fogo brando de suas guitarras continuam intocáveis.

Separados por um pagode nu-metal

26 de março de 2010 0

Será que o Sorriso Maroto tem intenções de “pesar” o seu pagode romântico? Será que o Linkin Park, depois da “homenagem”, vai incluir um cavaquinho na formação e suingar seu metal engomadinho? Que Deus nos proteja…

 

Minutes to Midnight (2007) – Linkin Park

Sinais (2009) – Sorriso Maroto