Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Bem lembrado, Ozzy!

30 de junho de 2010 0

A expressão que Ozzy Osbourne mais usa em sua recém-lançada biografia é “pelo que me lembro…”, um artifício pra apimentar certas passagens e se blindar caso algum envolvido apareça pra desmenti-lo. Só que, ao invés de uma mente encoberta por décadas de abusos químicos de todos os tipos, ele revela uma memória surpreendentemente em forma pra narrar, em quase 400 páginas, uma vida que nem o mais tresloucado ficcionista do rock’n’roll ousaria inventar. E sejam tropeços ou acertos – ambos em quantidades astronômicas -, ele trata ambos com o ar matreiro típico dos melhores contadores de histórias de mesa de bar, e, assim, Eu Sou Ozzy (Editora Benvirá) vira uma leitura deliciosa.
É desse modo, entre a galhofa e a sinceridade desconcertante, que Ozzy relembra sua infância pobre no interior da Inglaterra, marcada pelo ódio pela escola; a adolescência rebelde que o levou à prisão aos 17 anos; a formação do Black Sabbath e a consequente revolução do rock pesado; a transformação de pobretão marginal em rock star milionário; a camaradagem entre os membros da banda, destruída por dinheiro, má gestão, sucesso e toneladas de drogas; os abusos que minaram sua música, seu corpo e sua vida pessoal; a traumática morte do guitarrista e amigo Randy Rhoads; os altos e baixos da carreira solo, que desembocou numa segunda revolução, esta, dos reality shows.
Ozzy não é do tipo que tira o seu da reta. Pra ele, antes contar um fato engraçado (do que jeito que recorda) do que se safar em nome de algum tipo de moralismo. Perde o amigo, mas não a piada – algo difícil de acontecer, diante do carinho que demonstra por quase todos que cruzaram seu caminho, incluindo os colegas de Sabbath. O que não diminui em nada o caráter “sexo, drogas e rock’n’roll” do livro, incorporado a algum episódio da Comédia da Vida Privada.

A biografia tá saindo no Brasil quase que paralelamente ao novo disco do Madman, Scream, bem recebido pela crítica e pelos fãs. A primeira música a sair dele, Let me Hear You Scream, tá aí embaixo, junto com o clipe dela. Bom, Ozzy pacas.

OZZY OSBOURNE – Let Me Hear You Scream from Jan Valek on Vimeo.

Envie seu Comentário