Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2011

Helvéticos solta o segundo EP

30 de setembro de 2011 0

A psicodélica Solução, apresentada “solo” na web alguma semanas atrás, foi o sinalizador. Agora, Bravo!, o segundo EP dos Helvéticos, cai por inteiro na grande rede, pra desfrute do público amarrado no rock de caráter sessentista, malicioso e romântico do trio de Bombinhas. Pode bater AQUI e baixar as quatro faixas (mais capa e o pôster aí de baixo) sem medo. Pouco mudou em relação à estreia da banda, a não ser o evidente up nas melodias e na produção, o que faz a urgente Mais uma Dose de Você e a já citada Solução se sobressaírem sem esforço. Boto fé que o próximo trabalho sim, será determinante pros Helvéticos saírem da sombra de grupos gaúchos na linha da Cachorro Grande.

Colombia Coffee em Joinville

30 de setembro de 2011 0

Parece uma metralhadora engatilhada esse Colombia Coffee que toca neste sábado à noite (1º/10) no Bar Pixel em Joinville. Não é à toa que a gravadora Deck abduziu a banda carioca (radicada em São Paulo) pra seu selo Vigilante: um disparador de riffs e batidas dançantes como este não é fácil de se encontrar. Na ativa desde 2007, o agora quarteto é mesmo feito pras pistas, afinal, concentra sua artilharia menos em melodias e “mensagens” e mais no seu poder de fogo de fazer dançar como se não houvesse a próxima canção. Os dois EPs lançados até agora (o segundo, Pran, saiu há poucos meses e pode ser baixado AQUI) colocam Gang of Four, Strokes e Franz Ferdinand na mesma linha de tiro e, ao vivo, servem de munição incessante pra quem quer aoebas sacolejar o esqueleto. Outros que arrepiarão a espinha dos baladeiros no Pixel é a Subburbia, banda curitibana cujo eletrorock não esconde algumas boas composições; e o Supercontraste, combo joinvilense mergulhado até o pescoço em beats, efeitos e melodias cibernéticas.


Prazer em conhecer

30 de setembro de 2011 0

A tão decantada simpatia do líder do Foo Fighters dá nessas coisas…

Burn, baby, burn

29 de setembro de 2011 0

Nunca substime o potencial da Bad Afro Records de causar danos momentâneos ao seu sistema auditivo, ao mesmo tempo em que um sorriso de satisfação ocupa o seu rosto. Das gravadoras escandinavas dedicadas ao rock, o selo dinamarquês é um dos mais aguerridos, respeitados e coerentes, e lá se vão 15 anos. Com os dois pés fincados na garagem, o mais próximo que a Bad Afro chegou de um estouro comercial foi, além do Flaming Sideburns, o Baby Woodrose, banda capaz de ressuscitar saborosas memórias em fãs de Sonics, MC5 e, por que não?, de Dinosaur Jr. e Teenage Fanclub (da fase Catholic Education). Ou seja, rock garageiro com pitadas de psicodelia sixties, sujo, ríspido e empolgante. O sétimo álbum do trio, Mindblowing Seeds and Disconnected Flowers, lançado em abril, provoca os reflexos físicos mencionados no início deste texto. As duas primeiras faixas, Baby Blows e What a Burn, já abrem com aquele sentimento de urgência, enquanto Caught in a Whirl e Living a Dream exploram texturas e melodias em meio ao noise. City of People volta a meter o pé no fundo, Gonna Get You Down emula uma agonia erótica e Nobody Spoil my Fun é a muralha de guitarras em fogo que você pediu a Deus. O restante do disco (são 15 faixas, ao todo) são variações dessa fórmula certeira de rock alto e libidinagem



Rebobine, por favor

29 de setembro de 2011 1

É verdade. E digo mais: muito adolescente capaz de quebrar o sigilo da CIA via celular também ficaria na dúvida.

Pastor Noel

29 de setembro de 2011 0

Opa, faltou colocar aqui o clipe de If I Had a Gun, balada apoteótica que ajuda a compor o primeiro disco solo de Noel Gallagher, marcado pra sair oficialmente no mês que vem. E, ao final dele, vocês perceberão a conexão com o clipe anterior, o de The Death of You and Me (assista AQUI).
Não sei porque mas, enquanto assistia ao novo trabalho, me peguei pensando no intragável vídeo da intragável November Rain, do Guns n’ Roses. Deve ser por causa do clima novelístico. Mesmo assim… Mau sapão!

Um clipe em 3D bonito

28 de setembro de 2011 0

Eis aí o clipe de A Balada da Contramão, da Banda Mais Bonita da Cidade, o primeiro em três dimensões no Brasil gravado com celular. O trabalho faz parte da ação de lançamento do novo produto de uma marca de produtos eletrônicos. Fora o efeito – que pode ser retirado com um clique, já que, acredito, nem todo mundo tem óculos de 3D em casa -, o  vídeo é simples, um “caseiro” bem produzido, como é característico da banda curitibana. A música, por sua vez, põe o hit chiclete Oração no chinelo. Aliás, já comentei com vocês que o show em Joinville, em agosto, foi um dos melhores que vi este ano por aqui? Surpreendente, conciso, envolvente, marcado por momentos ora soturnos, ora bem humorados, ora experimentais numa vibe vanguarda paulistana. Acredite se quiser.

Dançou a Feira da Música do Sul em Joinville

28 de setembro de 2011 2

Como o Orelhada foi o primeiro (e, até onde sei, o único) a noticiar a vinda a Joinville da Feira da Música do Sul, também nos cabe informar aqui que o megaevento miou. Só lembrando, ele ttraria à cidade, na semana que vem, shows, oficinas, painéis, serviços e produtos distribuídos por diversos espaços da cidade, especialmente o Centreventos Cau Hansen. A Fundação Cultural envolveu-se com apoio lojístico. Segundo a produtora executiva Geisa Behnen, a falta de captação de recursos e tempo para a mobilização que a equipe pretendia com o projeto levou ao cancelamento. Mas só por hora, ela garante. “Esperamos que, juntos, Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul possam alinhar melhor a conversa e perfil do próximo evento, que tem previsão para ocorrer em 2012. Ainda não temos data, mas agora o nosso próximo passo é nos reunir e ver estes detalhes”, explicou. Leia AQUI entrevista e descrição de como seria a feira.

R.I.P. Redson (Cólera)

28 de setembro de 2011 7

Fãs de punk rock amanheceram desolados nesta quarta (28) ao saber da notícia de que Redson, líder do Cólera e, possivelmente, maior ícone do punk nacional, morreu ontem à noite (27) , aos 49 anos. As informações falavam em parada cardíaca. Redson formou o Cólera em 1979 e, por meio da banda, disseminou por aqui o ideário do “faça você mesmo”, aliando a agressividade sonora a uma postura idealista que, mais à frente, direcionou pra defesa do meio ambiente – Tente Mudar o Amanhã (1984) e Pela Paz em Todo o Mundo (1996) são dois clássicos brasucas do “dedo no olho”. “Fiquei bem triste. Para mim, Cólera sempre foi a grande banda do rock nacional. Mostrou que com atitude e sinceridade é possível fazer as coisas acontecerem. Tudo era feito com muita paixão e os shows eram verdadeiros espetáculos com muita adrenalina e garra. Cólera foi uma das minhas maiores influências, com certeza, e um dos maiores motivadores de eu querer montar uma banda no começo dos anos 90″, revela Marcos Maia, líder da banda joinvilense Sanchez, que assistiu a quatro shows do Cólera. Pelo que apurei, o trio tocou duas vezes em Joinville e outras tantas em Guaramirim (no Curupira, óbvio) e Jaraguá, onde apresentou a turnê comemorativa de 30 anos do Cólera em maio de 2009. Pelas reações no Twitter, Redson vai deixar saudades e, como diz o Maia, uma “grande lição de vida, de fazer as coisas por si próprio, lutar pelo o que é seu, ser livre, independente”.



Show de bola

28 de setembro de 2011 0

Não perca tempo e assista logo o espetacular show do Nirvana no The Paramount, em 1991, porque a gravadora já avisou que não vai dar essa moleza por muito tempo. Essa apresentação em Seattle, a única da banda filmada em película, foi lançada nos EUA nesta terça (27) num DVD e blu-ray que também contêm os quatro clipes de Nevermind. Impressionante como o Nirvana era intenso ao vivo e seu set list beirava a perfeição (já a abertura, com Jesus Doesn’t Want Me for a Sunbean, dos Vaselines, é matadora). Agora, percebam, logo no início, que a noite em questão contava ainda com Mudhoney e Bikini Kill. Rola botar isso na roda também ou tá difícil?