Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

No caminho do bem

05 de janeiro de 2012 3

Título mais citado na eleição dos melhores discos de 2011 feita pela coluna/blog e presença regular em listas pelo mundo afora, El Camino, o sétimo disco do Black Keys, ganhou lançamento nacional pela Warner, coisa rara em se tratando da dupla americana. Talvez haja uma iminente conquista mundial aí, mas espera-se que a identidade da banda não seja diluída pra alcançar esse objetivo. Até agora, o máximo foi convocar o produtor Danger Mouse pra lapidar (pela terceira vez) a black music feita por Dan Auerbach e Patrick Carney, algo que deu muito certo novamente.
O single Lonely Boy, faixa que abre os trabalhos, é o exemplo da amplitude sonora alcançada: mais rica, instigante e irresistível. Sacolejante ao máximo, a música é o primeiro tiro certeiro de um álbum que vibra ao redor da pista de dança, acredite se quiser. Mas seja com soul sessentista (Dead and Gone), disco music com guitarras (Sister), riffs processados (Gold on the Ceiling), rock sem frescuras (Money Maker, Run Right Back) e a leveza cheia de efeitos de Stop Stop, El Camino apenas mantém o Black Keys numa estrada de curvas ousadas e solavancos coerentes.

Comentários (3)

  • Rafael Zimath diz: 5 de janeiro de 2012

    “El Camino” está no pódium dos melhores álbuns de 2011, na minha opinião.

  • Doug Ferreira diz: 6 de janeiro de 2012

    Por coincidência, andei ouvindo a discografia inteira da Black Keys desde o começo desta semana!!!

    Encantei-me com o disco “Thickfreakness” de 2003….babei mesmo!!..o que me deixou curioso ao conferir os outros discos da dupla!!
    Sei que gosto é algo extremamente pessoal, porém cheguei a conclusão de que o trabalho da dupla veio a decaír (?)…já que desde o primeiro album, extremamente pegada, até o Album El Camino que eles apostaram muito em experimentos!!
    Como dito antes, gosto é algo pessoal ou seja, o que pra mim é uma decadência, para outros é o auge!

    Ouvindo e reouvindo os trabalhos dos caras, comparo-os com os vizinhos da Cachorro Grande, que assim como Black Keys tem albuns extremamente rocks no começo da carreira, chegando a experimentos nos últimos discos!!!

    Mas deixo bem claro que todos os discos da Black Keys estão longe de ser ruins!! Apenas os últimos não entraram no meu “gosto pessoal!”

    A dica é: OUÇAM O THICKFREAKNESS da Black Keys….album de 2003!!

    Abração ae Rubão e um ótimo 2012 pra tí, bicho!!!

Envie seu Comentário