Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de abril 2014

Para Neil Young, basta uma cabine

30 de abril de 2014 0

divulgação
Eis aí, diletos leitores do blog, uma amostra fidelíssima do que se encontrará em A Letter Home, disco que o mestre Neil Young lançará no próximo dia 27. Lo-fi total, o trabalho acústico – que reúne uma pá de versões de artistas que Young admira, como Bob Dylan, Bruce Springsteen, Willie Nelson e Everly Brothers – foi registrado numa velha cabine de gravação que transfere a voz do cantor direto para os sulcos do vinil. Ao ter conservadas as imperfeições desse processo, A Letter Home parece uma gravação perdida de algum artista dos anos 30 ou 40. Só podia ter sido na Third Man Records, gravadora de Jack White pela qual o álbum chegará ao mercado.

HQ biográfica reforça mito de Ayrton Senna

30 de abril de 2014 0

divulgação
O mundo do automobilismo e os fãs brasileiros em particular irão gastar o 1º de maio relembrando Ayrton Senna, um gênio das pistas cuja lenda o mantém quase tão vivo quanto na data de sua morte, há 20 anos. Aos colecionadores de tudo o que se relaciona ao piloto, a HQ Ayrton Senna _ a Trajetória de um Mito (Editora Nemo), produzida pelos artistas franceses Froissart, Papazoglakis e Paquet, surge com item saboroso. Com riqueza de detalhes, inclusive nos traços dinâmicos, a graphic novel recupera os momentos mais importantes da carreira de Senna, de seus primeiros contatos com um carro de corrida até sua trágica morte em 1994, passando por corridas memoráveis, a rivalidade com Alain Prost, os três títulos mundiais na Fórmula 1 e a predileção por pilotar sob chuva forte.

Um novo anexo para o Museu Fritz Alt

30 de abril de 2014 0

divulgaçãoAinda não é o Museu Fritz Alt 100% que o local e a importância do artista merecem – a visitação é parcial e obras de reparo estão previstas -, mas já é um avanço. Além de algumas melhorias e de deixar o jardim apresentável, o artista e professor Jorge Hiroshi (coordenador do espaço desde janeiro) alargou os horizontes do anexo do museu, que antes era somente educativo e passará também a receber exposições, palestras e oficinas de arte. Providenciada nova iluminação e pintura, ele vai “estrear” no dia 13 de maio, com a primeira mostra do artista visual Jan M.O. (imagem ao lado) em Joinville e participação dos alunos do curso de moda do Centro Europeu de Design.
- Poder divulgar artistas da cidade e, quem sabe, de outras localidades, além de conhecer as obras de Fritz Alt, é mais um atrativo para trazer a comunidade ao museu – enfatiza Hiroshi.

Echos do passado

29 de abril de 2014 0

divulgaçãoMarcado para sair em 26 de maio, Meteorites traz o Echo & The Bunnymen celestial como de hábito, mas o transporte sonoro para chegar às estrelas é ligeiramente modificado neste 12º disco da banda inglesa. É possível que tenha sido a mão do produtor Youth (Killing Joke, The Verve) que levou boa parte das dez faixas (todas compostas por Ian McCulloch) a serem mais “eletronizadas” e pomposas, pela superioridade dos teclados e arranjos de cordas sobre a guitarra de Will Sargeant. Ironicamente, o processo – uma clara busca por rumos novos para os trabalhos do Echo, que vinham se repetindo – por vezes faz o disco soar como nos anos 80, quando a banda teve seus melhores momentos. Agora, na hora da comparação entre os antes e o agora, não dá nem para a largada.



Elenco original estará no novo Star Wars

29 de abril de 2014 0

Fãs de Star Wars, podem começar a ter palpitações. Foi confirmado que o elenco original da trilogia original – Harrison Ford (Han Solo), Carrie Fisher (Princesa Lea), Mark Hamill (Luke Skywalker), Anthony Daniels (C-3PO), Peter Mayhew (Chewbacca) e Kenny Baker (R2-D2) – se juntará a John Boyega, Daisy Ridley, Adam Driver, Oscar Isaac, Andy Serkis, Domhnall Gleeson e Max von Sydow em Star Wars – Episódio VII, o filme que retomará a saga em 18 de dezembro 2015. J.J. Abrams, que dirige e é autor do roteiro ao lado de Lawerence Kasdam, informou que as filmagens começarão em algumas semanas.
Além de concretizar as fantasias dos seguidores de Star Wars, a produção liberou uma imagem com todos o elenco reunido (clique na imagem abaixo para vê-la por inteiro):

David James, divulgação

AC/DC em Rio Negrinho? Vai que...

29 de abril de 2014 4

divulgação
- Não vou sossegar enquanto não ver no palco do Zombie Ritual Iron Maiden, AC/DC, Metallica e Kiss. Vendo de fora, pode parecer ambição demais, mas acreditem, já estou no rastro delas.
A frase foi dita pelo criador e organizador do festival de metal, Juliano Ramalho, em novembro, na entrevista que concedeu a Orelhada, pouco antes da edição que atraiu Kreator, o ex-Judas Priest Tim “Ripper” Owens, D.R.I e Benediction ao Norte Catarinense. Aposto que muita gente deu gargalhada só de pensar que tais pesos-pesadíssimos botariam os pés na Fazenda Evaristo, em Rio Negrinho. Pois saibam que Elvis Lozeiko, do jornal A Gazeta, de São Bento do Sul, apurou que Ramalho, ao descobrir que o AC/DC deve vir ao Brasil em 2015, está levantando todos os pormenores necessários para trazer os australianos para a edição do ano que vem do Zombie Ritual. Ele já teria inclusive iniciado conversas com produtores e instituições financeiras e avalia a logística para levar o show à Fazenda Evaristo, que, segundo ele, tem capacidade para receber 70 mil pessoas.
- Tudo depende da grana. Mas a possibilidade existe – disse ele ao jornal.
Continua rindo?

Obra a várias mãos

29 de abril de 2014 0

maria helena vieira, arquivo pessoal
O final de semana passada foi de mão na massa na nova sede do Espaço Cultural Casa Iririú, na rua Guaíra, no próprio bairro que batiza o local. Mas ainda não teve nada a ver com afazeres artísticos – o mutirão foi em prol das reformas que a residência exigiu antes de sua abertura, marcada para 17 de maio, com a tradicional Partilha Cultural. Será o fim de uma espera de quase ano, período em que o Grupo Teatro Canto do Povo precisou ir atrás de uma nova sede sem interromper ensaios, apresentações, cursos e eventos, realizados na base da itinerância. Um grande ganho foi a seleção, via Simdec, para receber recursos do Mecenato, o que garantirá a manutenção das atividades pelos próximos meses. Mas, alto lá, que toda parceria é bem vinda. Como diz o diretor Hélio Muniz, “a Casa Iririú é para pessoas interessantes e interessadas”.

A Fonte - The Zorden

28 de abril de 2014 0

Uma celebração à boa música é o que move A Fonte, da banda blumenauense The Zorden, cujo clipe estreou no final de semana no canal a cabo Multishow. A produção é do Belli Studio, lá mesmo da terra da cerveja.

Riso Rosa

28 de abril de 2014 0

Rodrigo Philipps
Karla Concá relembra como eram seus primeiros tempos como palhaça (no sentido literal da palavra):
- Quando íamos atuar na rua, nos confundiam com travestis. Alguns homens mandavam a gente ir lavar uma roupa no tanque. (risos). A mulher com nariz vermelho incomodava.
O estranhamento geral e a falta de reconhecimento duraram dez anos para As Marias da Graça. Após uma espécie de workshop, ela e as colegas – Geni Viegas, Samantha Anciães e Vera Ribeiro – tomaram consciência da importância do grupo carioca dentro do panorama da palhaçaria feminina e a função social dele de “empoderar” as mulheres que, como elas, desejavam ser palhaças. O pioneirismo virou uma entidade (Associação de Mulheres Palhaças) e tornou-se referência de humor feminino no Brasil. Tal voz ajudou a atriz joinvilense Bia Alvarez a lapidar o solo Só uma Palhaça Só, que estreou na sexta-feira (25) e trouxe Karla, diretora do espetáculo, para uma semana de oficina na cidade. A sabedoria do riso foi compartilhada com a coluna.

É possível transformar alguém em palhaço (ou comediante)?
Karla Concá - Transformar é uma palavra que eu não usaria. Eu poderia dizer que é possível tirar daquela pessoa o que ela tem de cômico e engraçado, mostrar um caminho de possibilidades que ela possa seguir. É isso que eu faço na oficina. Seria pretensão minha dizer que transformo alguém. O processo todo é baseado na entrega pessoal de cada um  durante as aulas, é uma técnica.

O que você quer dizer com “características individuais que promovem o riso”?
Karla - Essa é a técnica! Observar características engraçadas que todo mundo tem e potencializar isso, ampliar e assim ir montando a sua palhaça, o seu palhaço. Na maioria das vezes, a pessoa não reconhece o seu engraçado, o seu ridículo, por vários motivos. Um deles é o sufocamento do dia-a-dia. Você tem que ser tão sério que não se permite rir de você mesmo, uma boa gargalhada a seu favor é saúde. As pessoas mais relaxadas conseguem identificar no seu cotidiano os momentos que estão sendo ridículas e essa é a grande oportunidade de se dar esse presente: rir de você mesmo.

Qual o segredo de expressar o cotidiano feminino por meio da “palhaçada”?
Karla - Os homens sempre foram mais livres dentro da sociedade. Eles são criados para fora, eles são pra fora. É mais permitido a eles rirem  das suas características. Já a mulher tem regras, a mulher é a mãe, a dona de casa, a santa, a perfeição. Quadrados onde não podemos imaginar erros. E onde nos é permitido errar? Quando viramos palhaças de nós mesmas. É libertador! Perceber que você pode ser engraçada como mãe, dona de casa ou só como mulher, se permitir a não se encaixar dentro de padrões exigentes da sociedade. E, no caso de quem opta por essa profissão, se expor e ainda fazer o outro rir e se identificar. Só se ri do que se reconhece.

Vocês até criaram um “festival de comicidade feminina”. É porque tem pouco espaço para mulheres fazendo humor?
Karla - O Esse Monte de Mulher Palhaça nasceu a partir da inquietação e da necessidade de ampliarmos o reconhecimento da palhaçaria feminina no Brasil. E desde sua primeira edição, em 2005, cumpre um papel de indiscutível importância na formação, multiplicação e inserção de mulheres palhaças brasileiras em uma vertente das artes cênicas historicamente dominada por homens.

As palhaças têm um jeito diferente de fazer rir?
Karla - Homens são diferentes de mulheres. Cada um vai ter o seu jeito de rir, cada um com as suas características. Mulher chora, mulher grita, mulher tem TPM… Só isso já é risível na mulher. Então, sim, são humores completamente diferentes.

Por que o País tem tantos palhaços famosos, antigos e novos, e nenhum é mulher?
Karla - Acho que é uma questão de tradição da profissão. É como em qualquer outro setor do mercado de trabalho em que a mulher entrou muito tempo depois. E essa não é uma dificuldade somente no Brasil.

Qual comediante mulher você destacaria hoje no Brasil?
Karla - A comediante é uma atriz cômica que empresta sua arte, a sua personalidade para interpretar vários personagens. Maria Clara Gueiros, Inês Viana, Alexandra Richter, Berta Loran, Cida Mendes, são alguns exemplos. A palhaça é você ampliada! A palhaça é uma só em diferentes situações e lugares. Entre as palhaças, temos grandes nomes, como Silvia Leblon, Andrea Macera, Lili Curcio, Naomi Silman, Gena Leão, Adelvane Neia, Michele Silveira e muitas outras.

Velhas Virgens repõe a cerveja em Joinville

26 de abril de 2014 0

divulgação
Velhas Virgens já é um velho conhecido do público de Joinville, para quem se apresentou em várias ocasiões. A deste domingo (27), entretanto, tem algo de especial, já que a veterana banda paulista chega ao Big Bowlling – que promove a derradeira balada antes da reforma e da mudança de perfil – com um novo disco, o 14º da carreira. Todos os Dias a Cerveja Salva Minha Vida! foi todo financiado com o apoio dos fãs e traz os temas habituais do grupo: rock, álcool e mulher. A abertura do show, às 19 horas, será com a banda local O Clube da Monareta. Ingressos antecipados, a R$ 30 (com carteirinha ou 1kg de alimento), estão à venda na casa.