Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Chegando às prateleiras... 14/5

14 de maio de 2014 0

Fernanda Takai
divulgaçãoFernanda deu um tempo na bossa nova para se aninhar novamente no pop sofisticado do Pato Fu, só que com uma doçura que não disfarça sua “temporada” ao som de Nara Leão e Tom Jobim. Na Medida do Impossível, produzido e arranjado pelo maridão John Ulhoa, é um mix de faixas autorais e versões que tem o amor e a saudade como ponto de apoio, além de convidados como Zélia Duncan, Samuel Rosa e – pasmem! – o padre Fábio de Melo. A versão dela para a religiosa Amar como Jesus Amou e Mon Amour meu Bem ma Femme, de Reginaldo Rossi, destoam um pouco do repertório, mas não atrapalham a audição, que transcorre naturalmente sossegada. Arroubos, só nas letras de Liz e A Pobreza (duas visitas a Jovem Guarda), De um Jeito ou de Outro, parceria com Marcelo Bonfá que remete aos anos 80, e a dolorida Partida, única assinada somente pela cantora.
Na Medida do Impossível, Fernanda Takai. Deck, R$ 31,90.


The Pretty Reckless

divulgaçãoUma alternativa para o Paramore? Penso que esta banda nova-iorquina está mais para um complemento da dieta musical dos teens com poucas referências. Liderada pela bela Taylor Momsem, ela vem com um segundo disco que aposta no hard glam e abre com pegada vigorosa (a faixa-título, Follow me Down e Heaven Knows). Mas o pique não se sustenta e logo Taylor está a bordo de baladas com cara de Bon Jovi (House on a Hill) e pop rock descartado por Courtney Love (Blame). Entre um e outro, Sweet Thing faz bater cabeça e Why’d You Bring a Shotgun to the Party nos leva a lembrar de Joan Jett, a qual Taylor, ainda que talentosa, não chega aos pés.
Going to Hell, The Pretty Reckless. Lab 344, R$ 31,90.


Transmissor

divulgaçãoBatamos, pois, na mesma tecla: se quiser saber por onde anda o bom pop rock nacional, procure na internet. É um dos habitats do Transmissor (o outro é o palco, claro), banda mineira que entrega de graça seu terceiro disco na web. É um presente e tanto de um sexteto indie que se aproxima mais do Clube da Esquina do que de Los Hermanos. Há, assim, melodias generosas agregadas a boas letras que têm, sim, algo de brasileiro, mas se submetem a um trinca de guitarras luminosas e um teclado aconchegante. Se Nossas Horas poderia ser gravada por Lô Borges, 25 Horas por Dia, Mais Quente do que Quis, Queima o Sol, Canso a Cabeça e a faixa-título alegrarão o dia dos beatlemaníacos, enquanto Nada pra Te Devolver é pura lisergia com pão de queijo.
De Lá Não Ando Só, Transmissor. Independente, download gratuito AQUI.

Envie seu Comentário