Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Cultura de Joinville perde convênio federal

16 de outubro de 2014 4

Orelhada lamenta informar que Joinville perdeu o convênio junto ao Ministério da Cultura (MinC) que auxiliaria na implementação de dez pontos de cultura na cidade. No documento encaminhado em agosto à Prefeitura, a Secretaria da Cidadania e da Diversidade Cultural nega a prorrogação do convênio por mais 42 meses, e justifica a decisão: faltaram a apresentação dos projetos selecionados e a contrapartida municipal (R$ 600 mil, sendo que R$ 1,2 milhão viria do governo federal) dentro dos prazos exigidos. O mesmo documento cita os esclarecimentos da Prefeitura: as sucessivas mudanças de gestão na Fundação Cultural, o que causou a interrupção do processo, e a falta de orçamento do órgão. Apesar disso, lembra o governo municipal, foram revisados os editados para a seleção dos pontos de cultura e solicitada uma contrapartida junto à Secretaria da Fazenda. Agora, além de perder o convênio, Joinville terá que devolver os recursos liberados em 2011.
Nesta quinta-feira (16), setores da Fundação Cultural estavam reunidos para planejar o pedido de um novo convênio. Guilherme Gassenferth, gerente de difusão cultural, diz que o cancelamento desses recursos é péssimo para os grupos da cidade e que o órgão fez o que pôde para evitá-lo.
- Vamos batalhar para, em breve, conseguir um novo convênio, quem sabe até maior, para compensar essa perda.

Comentários (4)

  • Fernando diz: 16 de outubro de 2014

    O descaso com a cultura em Joinville é lamentável!
    Isso que eramos referencia, com plano municipal de cultura e uma gama enorme de artistas em vários segmentos culturais, desde cultura tradicional (africana, alemã, japonesa, etc..), da dança, música e artes visuais com artistas conhecidos internacionalmente…. Questão foi desinteresse político, pois enriquecer com dignidade e sabedoria uma população não é importante…

  • Tamara diz: 16 de outubro de 2014

    ABSURDO!!!

  • Luiz diz: 16 de outubro de 2014

    algum posicionamento do presidente da fundação cultural de Joinville sobre isso?

Envie seu Comentário