Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2015

"Casa" - Banda Gentileza

30 de junho de 2015 1

A boa banda curitibana Gentileza está com disco novo à porta, Nem Vamos Tocar nesse Assunto, marcado para sair na próxima segunda-feira (6). Agora um quarteto, ela enxugou os arranjos, mas não abriu mão do humor nem abaixou a guarda quanto à qualidade das letras, como mostra Casa, primeiro single do disco e matéria-prima do clipe abaixo.

Porta da fábrica

30 de junho de 2015 0

Bastards é o título do novo disco da Absynthetic, banda de Joinville que envereda pelo metal industrial. Levará ao menos um mês até que esteja na praça, mas as cinco músicas inéditas dele já dão sopa na página do grupo na plataforma Soundcloud.com, e por aí percebe-se um trabalho mais orgânico, de guitarras encorpadas. As outras seis faixas de Bastards serão remixes para o EP de 2011, feitos por bandas parceiras como Mecanotremata, A Indústria e Nahtaivel.

Título de eleitor (para quadrinhos)

30 de junho de 2015 0

divulgação
Já está em curso a votação online do 27º HQ Mix, a principal premiação em quadrinhos do País. Dois desenhistas de Joinville estão na corrida: Paulo Kielwagen, integrante de três coletâneas indicadas (321 Fast Comics, Um Rock Para Caçador e Clássicos Revisitados vol. 2 – Monstros Noir), e Pablo Mayer, autor das artes de Duas Luas (imagem acima), graphic novel de André Diniz que saiu antes em Portugal, em 2013. Fora a dupla local, a tira Armandinho, publicada diariamente pelo Anexo, também está na parada. Para votar, é preciso primeiro se cadastrar no site oficial da promoção.

Abdução por solo firme

30 de junho de 2015 0

divulgação
É óbvio o grau de atenção que o Apicultores Clandestino atrai com suas roupas de palco, correspondentes ao nome que adotaram. Mas, sem elas e o mise-en-scène dos shows, o grupo de Rio do Sul – um dos que mais circulam pelo Estado desde sempre – se sustenta bem, como prova Astronauta do Campo (ouça AQUI), disco lançado virtualmente nesta segunda-feira (29)e que traz na capa a arte do catarinense Koostella. Tecnicamente mais afiado do que na estreia (de 2011), o quarteto alcança a diversidade sonora bem-vinda num disco quase todo instrumental, no qual a surf music é o fio condutor. Da porrada hardcore de Horriver a melodia fina de Com o Passar do Tempo, passando pelo rock vigoroso de Delinquência Natural – uma das três faixas com vocal -, o bom humor engrossa o caldo, seja no ska Fui Abduzido, seja na sátira indie Eu Tenho uma Camisa Escrito Eu Já Sabia. Se bem que os rapazes também sabem falar sério, de seu jeito, na cinzenta Faixa de Gaza.

Anos rebeldes

29 de junho de 2015 0

divulgação
Lendo a ótima biografia de Peter Hook sobre o Joy Division, Unknow Pleasures (recém-lançada no Brasil), me deparo com o baixista exaltando a influência que teve em sua decisão de virar músico o filme That’ll Be the Day, título que vem de uma canção de Buddy Holly. Por sinal, o drama britânico de 1973 é inspirado nos filmes juvenis dos anos 50 e 60, na linha James Dean, nos quais rock, rebeldia e garotas são a doce realidade dos protagonistas – no caso, o cantor/ator David Essex e o beatle Ringo Starr. O elenco ainda tem participações de Keith Moon (do Who) e do rocker Billy Fury, que contribui com várias faixas para a trilha sonora, excelente e nostálgica, como se pode imaginar.



SC na rota do trio alemão Kadavar

29 de junho de 2015 0

divulgação
A Célula será o destino da banda alemã Kadavar em sua passagem por Florianópolis, marcada para 23 de setembro. Tanto faz. A vinda põe os catarinenses cara a cara com um trio que honra suas influências setentistas, assumindo os ares retrôs sem culpa para entregar hard, heavy, stoner e psicodelia em porções invariavelmente pesadas. Sem contar que os dois discos do trio (Abra Kadavar, de 2013, e Berlin, de 2015) estão cheia de boas faixas. Aguardem instruções.



Londres de paredes abertas

29 de junho de 2015 0

divulgação
A artista joinvilense Sonia Rosa conseguiu novamente uma abertura na Saatchi Gallery, uma das principais galerias de arte contemporânea de Londres. Duas pinturas da série A Cor da Memória foram selecionadas para exibição, junto a centenas de obras de todo o mundo, em um grande telão instalado dentro do espaço, repetindo o privilégio dado a ela em 2013. Sim, porque em torno de 50 mil trabalhos são enviados diariamente para apreciação dos curadores da galeria. Para quem não vai até a Inglaterra, os quadros de Sonia – cuja mais recente exposição é Brincalhotices, que rodou por diferentes locais de Joinville – podem ser visto no site oficial da galeria.

Duas faixas inéditas do baú dos Fungis

29 de junho de 2015 0

Em 2007, a Reino Fungi começou a preparar seu terceiro disco, que só viria a sair quatro anos mais tarde. A pré-produção, feita no estúdio caseiro dos joinvilenses, contava com 14 faixas, mas apenas metade entrou em A Música Universal do Reino Fungi. As demais ficaram arquivadas, esperando um melhor momento para virem a público, o que nunca aconteceu – a banda chegou ao fim em novembro. Quer dizer, até agora, porque ela liberou para Orelhada duas dessas músicas inéditas: a jovem-guardista By, Bye Banana e Universo Desencanta, um rock psicodélico marcado pelo uso da cítara. O mimo, ainda cru, está logo abaixo, fazendo o tempo voltar enquanto os rapazes tocam a vida em projetos individuais.


Medo do convencional

25 de junho de 2015 0

divulgação
Frank
, eis aí o filme indie por excelência, sob medida para quem vê e revê Juno, 500 Dias com Ela e Alta Fidelidade, entre outros filmes que cruzam (bom) rock, alguma esquisitice e questões inerentes a “adultos com dificuldades para crescer”. O longa inglês/irlandês/americano – lançado agora em DVD – até parece se passar em um universo paralelo, um lugar onde o desejo da criação bate de frente com a necessidade de reconhecimento, uma distância que a internet reduziu, mas sem garantias de sucesso concreto. Quem tenta é John (Domhnall Gleeson), que larga o emprego para ser tecladista de uma banda cujo vocalista (Michael Fassbender) jamais retira sua gigante cabeça artificial. Pelo YouTube, ele registra as conturbadas gravações do primeiro disco numa casa na floresta, uma experiência reveladora e traumática para o grupo, mas atraente para o “mundo exterior”. Com o freio de mão puxado e abraçando com gosto certos clichês, Frank ruma para o caos, caminho até natural para um tipo de arte que só tem compromisso com os próprios medos e, não raro, se realiza em si. Visto de outro ângulo, é um “salve” engraçadinho ao underground.

"Perigo à Vista" de corpo inteiro

24 de junho de 2015 0

divulgação
Em março do ano passado, o blog contou um pouco dos bastidores das gravações de Perigo à Vista, filme de ação “à la Beatles” protagonizado pelo cantor Agnaldo Rayol que estreou em 1969 e foi parcialmente rodado em Joinville no ano anterior. Naquela ocasião, apenas curtos trechos da produção – tida como rara até na sua transição para o DVD – vagavam pelo YouTube, mas agora, todos os 91 minutos dela dão sopa no canal. É a chance de ver imagens de uma cidade que, definitivamente, não existe mais.