Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "david bowie"

Primeiro "best of" de Bowie volta às lojas

02 de junho de 2016 0

159091
Você pode dizer que ainda há uma coletânea razoavelmente fresca nas lojas (Nothing has Changed) e que lançar outra é abusar da boa vontade dos enlutados fãs de David Bowie. Mas essa Changes One Bowie (Warner) que acaba de voltar do limbo tem história: trata-se da primeira compilação do astro, uma “peneira” de sua produção entre 1969 e 1976, quando chegou ao mercado. Uma fase em que Bowie expelia joias sonoras a cada visita ao estúdio, o que deve ter dificultado, e muito, a seleção de apenas 11 faixas, todas remasterizadas recentemente. Mesmo básica, ela é uma monumento ao pop classe A+, e de Space Oddity a Golden Years, passando por Ziggy Stardust, Suffragette City e The Jean Genie, um deleite dos sentidos.



Bowie e os gatos

12 de janeiro de 2016 0

ilustra_bowie-768x768
O desenhista joinvilense Paulo Kielwagen botou o seu Blue (da tirinha virtual Blue e os Gatos) para homenagear David Bowie, dono de uma faixa maravilhosa a citar felinos: Cat People (Putting out Fire), composta para o filme A Marca da Pantera (1982), incluída no disco Let’s Dance e aproveitada por Quentin Tarantino em seu Bastardos Inglórios.

Direto para o céu

11 de janeiro de 2016 1

different-faces-of-david-bowie-still
David Bowie fez arte até na sua despedida. No último clipe que gravou, Lazarus, ele surge num aparente leito de morte e, ao final, entrando num armário e fechando a porta atrás de si. Sem risos, sem lágrimas, quase exultando (“Eu serei livre, feito um pássaro azul”). Bowie saiu de cena – neste domingo (10), após 18 meses lutando contra o câncer – apenas dois dias de lançar o disco Blackstar (e de fazer 69 anos), um epílogo um tanto sombrio, mas condizente com um homem que sempre dialogou com o mundo por meio de sua arte. Ao antever o fim, ele acenou com som e imagem. Mas nem sempre o mundo compreendeu Bowie, ou aceitou muito bem o que ele disse ou quem foi em suas múltiplas encarnações. Bowie, entretanto, não ficou esperando. Sempre esteve um passo à frente, mudando, despistando, ousando, abalando, expandindo percepções e afrouxando preconceitos. Foi tudo o que quis, e nunca foi só música. Sendo muitos, foi um pouco de cada um de nós, e isso exige coragem, desprendimento, visão, criatividade, inquietação, glamour, certa decadência. Então, escolha a definição – astro, ícone, revolucionário, herói, referência… David Bowie foi, em suma, um artista extraordinário, e assim o foi até os últimos momentos. Não é nada difícil perceber que assim será a partir daqui.





Vida em Marte

29 de setembro de 2015 0

Sobre esse negócio de a Nasa ter encontrado evidências da presença de água em Marte, o que favoreceria a vida no planeta e blablablá, só tenho uma coisa a dizer: Bowie tinha razão (como sempre).

Tributo mezzo brasileiro ao Camaleão

30 de janeiro de 2015 0

divulgação
O mundo pop aplaudiu os 68 anos de David Bowie no dia 8 de janeiro, a desculpa que o selo indie paulista The Blog That Celebrates Itself precisava para pagar tributo ao mestre camaleão. Autorizado pela assessoria do ídolo, ele lançou, há duas semanas, 68th Birth, a Tribute to David Bowie, disco virtual que junta bandas do Brasil, dos EUA, da França e da Austrália na missão de reler clássicos do cantor. Com gosto pelo experimental e pela distorção, essa turma faz maravilhas, levando faixas como Starman, All the Young Dudes, Ziggy Stardust e Scary Monsters a lugares que talvez nem o próprio Bowie sonhasse. Acesse o link AQUI e seja feliz.

As novas dos velhos

13 de outubro de 2014 0

Um que não dorme no ponto, outro retomando a linha de produção e o terceiro buscando as últimas gotas de criatividade. Lendas absolutas e adoradas, Neil Young, David Bowie e The Who botam os respectivos motores para funcionar nesta reta final de 2014. Young lançará em novembro seu segundo disco no ano, Storytone, que traz versões acústicas e orquestradas para faixas inéditas, mas beleza mesmo é Who’s Gonna Stand up é com o Crazy Horse. Bowie e o Who, por sua vez, soltarão nas próximas semanas coletâneas em favor de seus 50 anos de labuta, ambas vitaminadas por canções novas e inéditas. Aqui estão elas:



I'd Rather Be Hight (Venetian Mix) - David Bowie

05 de dezembro de 2013 0

Ninguém pode dizer que David Bowie não veio preparado para a guerra quando largou The Next Day em março. Desde então, quatro faixas do disco ganharam clipe e duas versões expandidas dele chegaram às prateleiras. A mais recente, The Next Day Extra, inclui I’d Rather Be Hight (Venetian Mix), outra que virou peça visual. Dirigida pelo estilista inglês Tom Hingston e recheado de cenas da 2ª Guerra Mundial, ela está a um play de você: