Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de maio 2008

Legião menos estrangeira

30 de maio de 2008 3

A Fifa aprovou ontem a lei do 6+5, que vai obrigar os times a ter no mínimo seis jogadores do país de origem do clube a partir de 2011.

Vai começar uma briga grande, principalomente porque a União Européia tem como uma das premissas tratar todos os integrantes do bloco como sendo de origem só. O Lampard, pela UE, antes de ser inglês é europeu e poderia trabalhar em qualquer clube dos países afiliados sem entrar na cota dos forasteiros. Vai longe até se chegar a um consenso.

De qualquer forma, é um bom sinal. A limitação de estrangeiros em times da Europa vai possibilitar que menos jogadores saiam dos países fornecedores de mão-de-obra barata, como são Brasil e Argentina. Vai haver uma emigração menor e uma imigração maior. Muita gente terá de voltar porque não vai encontrar lugar no campo.

Claro que ainda vai haver aquele jeitinho que os empresários de futebol dão em transformar, por exemplo, Cafu e Aldair em italianos genuínos, mas isso é outra história.

Postado por Cioatto

Foto do Dia

30 de maio de 2008 0

No amistoso entre Holanda e Dinamarca, o ex-craque e treinador holandês Van Basten lembrou sua habilidade com a bola. Mesmo todo engomado.

Bom seria para os laranjas se o craque ainda jogasse. Iriam, provavelmente, mais longe na Euro 2008.

Pra piorar, Seedorf, do Milan, pediu para não participar da Euro. Sabe-se lá porque.

Tomara que, ao menos, Van Nisterooy e Van Persie estejam em ponto de bala!

Postado por Stüpp

É cultural, não adianta brigar contra

29 de maio de 2008 0

O Cuca saiu hoje do Botafogo, que até merecia chegar à final. Era preciso um título porque o pessoal já tá falando “o Fogão não ganha mais nada. São uns azarados, mesmo”. Mas não deu, então azar. Tá ficando com fama de coitado. Agora é, como sempre, torcer para os pequenos. Vamos Sport!

Cuca vai para o Santos no lugar do chorão do Leão. O Peixe, até ontem, umas 21 horas, tentava o Paulo Autuori, que não conseguiu se liberar do Catar.

Então a salada nas três primeiras rodadas na Série A é a seguinte: o Geninho dançou no Galo, que chamou o Gallo; O Figueira foi buscar o Macuglia; o Atlético Paranaense mandou o Ney Franco catar coquinho e trouxe o Roberto Fernandes, do Náutico, para catar pinhão; O Timbu chamou o Leandro Machado, ex-Criciúma, para caçar carangueijo; e o Ney Franco, que tava todo agasalhado, vai poder pegar uma prainha depois dos treinos do Botafogo.

Agora, sr. Impedido, quem será o próximo da lista?

Postado por Cioatto

Sugestões para o bem do JEC

29 de maio de 2008 8

O impedido Mário Nascimento, de Curitiba, deu duas sugestões para o reerguimento do JEC. Ficou de postar mais, mas não achei o material dele. De qualquer forma ele abriu uma discussão. O que precisa ser feito para o JEC voltar a ser grande? Dê sua opinião.

Postado por Cioatto

Foto do dia

28 de maio de 2008 0

Al Behrman, AP

A partir de hoje, a idéia é publicar todo dia uma imagem legal ligada a esportes. A primeira é essa, do Joey Votto, do Cincinnati Reds. Apesar de quebrar o bastão na rebatida, conseguiu avançar duas bases. O jogo terminou 7 a 1 para o time de Votto contra o Pittsburgh Pirates.

Postado por Cioatto

Mais um que se deu mal

28 de maio de 2008 0

Tabelando com o impedido Cioatto:

Mais um time que teve apoio e grana da prefeitura e se deu mal

O Americano (RJ)

Faz poucos anos, em 2002, foi vice campeão estadual. Perdeu para o Botafogo

Dois anos depois, em 2004, ficou em terceiro na série C – subiam só dois. Daí em diante, a coisa desandou.

Em 2008, também não vai disputar a competição nacional. Talvez faça companhia para o JEC, na série D, ano que vem.

Mais coincidências: nesse meio tempo, reformou seu estádio; o próprio Botafogo e o Fluminense chegaram a mandar jogos lá, com o Maracanã interditado.

O alvinegro tinha escancarado na camisa: “Prefeitura de Campos”. Antes disso, disputava a série B, e chegou perto de brigar para a A. Tudo bem, faz tempo, foi em 1986 – curiosamente, época áurea do JEC.

Definitivamente, não dá certo.

Postado por Stüpp

O público e o privado (parte 2)

28 de maio de 2008 0

O governo de Alagoas está liberando uma cota de R$ 60 mil para o CRB, que disputa a Série B. ASA e CSA, que vão disputar a Série C, também receberão dinheiro. O governo de Santa catarina já teve atitude igual. O que tem de bonito nisso? Nada. Como se vê, usar o futebol como catapulta política não é exclusividade joinvilense.

Não cabe aos administradores públicos colocar dinheiro no futebol profissional. Tem de investir no desenvolvimento de atletas e na criação de condições para que o esporte se transforme em atividade social.

Os clubes é que devem, mesmo fazendo propaganda da cidade (que é a velha história para se justificar o desperdício de dinheiro público em clubes profissionais), virar-se com a iniciativa privada, correr atrás de patrocínio, montar um time competitivo que dê retorno em campo, que atraia sócios e que lote as arquibancadas – o que vai atrair mais gente interessada em investir. Funciona assim no mundo inteiro.

E é assim que o JEC deve funcionar. Misturar política e futebol não resolve. Um rápido levantamento no Conselho Deliberativo do JEC, feito pelo impedido Antônio Tomaz, mostra que 18 conselheiros do clube são diretamente ligados à política. Talvez isso explique muita coisa.

Postado por Cioatto

Bola pra frente, JEC

28 de maio de 2008 13

Com o comunicado que a CBF divulgou no fim da manhã se acabaram as chances de o JEC ter uma vaga na Série C. Uma pena o Jonville ficar fora de uma competição nacional, mas, se não conseguiu se sustentar em campo, é assim que tem de ser.

Agora que as questões éticas prevaleceram, dá até para dizer que o novo episódio do “um zero zero” vai ser de grande valia para o clube porque mostrou como funciona a politica interna do clube e o mal que ela fez nestes últimos anos. É a oportunidade de ouro para se afastar o o pensamento “a gente faz o que quer” e implantar o “é preciso fazer as coisas certas”.

O  JEC agora vai se reerguer, isso eu tenho certeza, montar um time para conquistar a Copa Santa Catarina e, honestamente, na bola, recomeçar na Série D de 2009. Fiorentina, Genova, Nothingham Forest, clubes que já estiveram entre os grandes na Europa, passaram, depois de escândalos político/administrativos, por um processo de depuração e voltaram – a Fiorentina conseguiu este ano uma vaga na Champions League. As feridas vão cicatrizar.

Postado por Cioatto

Agora, a vergonha é nacional

27 de maio de 2008 9

O caderno de esportes do “Estadão” de hoje traz matéria sobre a intenção de o JEC comprar uma vaga na Série C do Brasileirão. Está lá, com direito a foto do prefeito/presidente na capa e com a declaração mais polêmica de toda essa história que, infelizmente, ficou maior que o JEC: “Vamos comprar? R$ 50 mil, R$ 100 mil… Depois a gente convoca o torcedor para pagar isso”.

A torcida não merece.

PS.: a Agência Estado é o principal fornecedor de notícias para o Brasil. O material foi liberado por ela às 19h54 de ontem. Ainda não tive tempo de dar uma olhada em jornais do resto do Brasil para saber a dimensão do estrago que a proposta de compra de vaga fez à imagem do JEC.

Postado por Cioatto

Pelé, Zico, Maradona, Lauro Búrigo e as chuteiras

27 de maio de 2008 0

Modelo usado por Cristiano Ronaldo, do Manchester United, favorito ao título de melhor do mundo

No sábado, fiz uma peregrinação por lojas de artigos esportivos atrás de uma chuteira. Além do preço, que não poderia ser elevado para combinar com o meu talento nos gramados, a única exigência era de que a chuteira deveria ser predominantemente preta, como as de Pelé, Zico, Maradona e tantos outros craques – em alguma coisa a gente precisa se parecer com os ídolos.

Descobri que a chuteira clássica hoje é minoria, nunca tem a numeração padrão masculina (se acha 36, 44, 45..). O vendedor, gente fina, até tentou mostrar uns outros modelos, amarelo e preto, prata e azul, vermelha e dourada. Cintilantes eram fáceis de achar, mas preto, tá com um detalhezinho branco pode ser, não, não tinha.

Não precisamos exagerar como uma vez fez Lauro Búrigo, folclórico treinador que disse que jogador que usasse chuteiras coloridas não teria vez no time dele, inclusive o Rivaldo, nas época o melhor jogador do mundo que calçava branco. Mas num gramado, o que precisa chamar a atenção é a camisa e o futebol.

Postado por Cioatto