Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2009

Boludos, sí señor

30 de junho de 2009 1

Nas oitavas-de-final da Libertadores, houve aquela encrenca toda envolvendo São Paulo, Nacional (URU) e os mexicanos San Luís e Chivas.

Era começo de maio e brasileiros e uruguaios se recusavam a viajar ao México por causa da nova gripe. A Conmebol não se esforçou para resolver a pendenga e San Luís e Chivas acabaram desistindo do torneio por não concordarem com a hipótese absurda de jogo único na casa do adversário.

Quando começaram as negativas de São Paulo e Uruguai de pegar o avaião e cumprir com as obrigações futebol~isticas, havia a confirmação de 15 mortes no México em decorrência da gripe.

Agora chegou a hora de a Conmebol ter a mesma postura em relação à Argentina, caso o Estudiantes chegue à final da Libertadores. Grêmio ou Cruzeiro, mais para o segundo, deveriam fazer como São Paulo e Nacional usando o mesmo expediente: não viajar à Argentina alegando questões de saúde pública. (Que fique claro! Não defendo essa, mas defendo a mesma atitude para o mesmo caso).

Teriam, ainda, o aval do Ministério da Saúde do Brasil, que pediu para as pessoas evitarem viagens ao país vizinho.

É claro que o peso da Argentina em relação ao México, no mundo do futebol, é bem diferente, apesar dos 1.488 gripados e dos 26 mortos até hoje.

Cá entre nós: a Conmebol não moverá uma palha e fará ouvidos de mercador caso os brasilerios se queixem. E assim o futebol é administrado na América do Sul.

tradução livre da frase que ilustra esse post: “boludos, unidos, jamais serão vencidos”.

Postado por Cioatto

Roth e o Avaí, os chorões da rodada

29 de junho de 2009 1

O Celso Roth reclamou muito da arbitragem na partida entre o Galo dele o Barueri. Talvez tenha sido uma desculpa para a primeira derrota do Atlético/MG na temporada. Não passou de choro de perdedor.

O Avaí desembarcou em Florianópolis se queixando do árbitro Jailson Freitas. Segundo o pessoal da Ressacada, não houve pênalti de Ferdinando em Dudu (na cobrança, gol do Cruzeiro) e teria havido um pênalti em cima de Muriqui. Também não passa de choro de perdedor.

No lance mais polêmico da rodada, palmas para o árbitro Paulo César de Oliveira. No lance que resultou em pênalti para o Goiás, os jogadores goianos queriam que ele desse a lei da vantagem e validasse o gol. PC não validou a jogada e assinalou pênalti porque, neste caso, não existe a lei da vantagem. Sendo assim, a rodada terminou como deveria terminar.

 

Classificação sem os erros de arbitragem
1   Internacional      17   (17)
    Vitória            17   (16)
3   Palmeiras          15   (13)
4   Atlético/MG        13   (17)
    Goiás              13   (11)
    Barueri            13   (13)
7   Corinthians        11   (11)
    Avaí               11   (07)
9   Grêmio             10   (09)
    Fluminense         10   (10)
    Santos             10   (10)
    Cruzeiro           10   (10)
    Atlético/PR        10   (08)
14  São Paulo           9   (10)
    Sport               9   (08)
16  Náutico             8   (08)
    Santo André         8   (10)
    Botafogo            8   (06)
    Flamengo            8   (11)
20  Coritiba            6   (07)

ps1: entre parenteses, a pontuação real no campeonato;
ps2: os pênaltis que deveriam ter sido marcados são considerados gol.

O personagem do desenho: Zilly, para quem não lembra, é um dos inventores de aviões da Quadrilha Abutre e famoso por falar sempre choramingando.

Postado por Cioatto

Jonas mantém o Grêmio na liderança - RIP

29 de junho de 2009 0

Jonas é um cara diferenciado, um atacante “de luxo”. Vejam, se não fosse ele, ontem, contra o Sport, o Grêmio teria saído de campo sem marcar um golzinho sequer. Não é à toa que ele está na reserva de Alex Mineiro, o cara que não faz gols há meses.

Mas Jonas tem sido fundamental para o Grêmio manter a liderança do Ranking Impedidos da Pancadaria. Ele é a diferença entre o Tricolor Gaúcho e o Coritiba. Com a expulsão de ontem (mais uma infantil), ele já tomou dois vermelhos em oito rodadas, além de um amarelo. Assim, contribuiu com sete pontos no RIP.

Outros dois registros da rodada do fim de semana. Pela primeira vez, o Atlético/MG teve jogador expulso. E foram dois de uma só vez. Com isso, o Galo, que estava em 12º no RIP subiu para a quarta posição. E, pela primeira vez na competição, um time passa em branco. O Santo Anão teve ninguém no caderninho da arbitragem. Os dois times tomaram quatro gols e perderam as partidas.

 

Ranking Impedidos da Pancadaria
Pos. Time             P      A    V
1    Grêmio          44     29    5
2    Coritiba        39     30    3
3    Sport           35     29    2
4    Atlético/MG     34     25    3
5    Cruzeiro        33     24    3
     Palmeiras       33     24    3
     Náutico         33     24    3
8    Inter           32     26    2
9    Santo André     30     18    4
10   Avaí            29     23    2
11   São Paulo       29     26    1
12   Goiás           28     25    1
13   Fluminense      25     16    3
14   Atlético/PR     25     23    1
15   Vitória         24     18    2 
16   Flamengo        24     21    1
     Santos          24     21    1
18   Corinthians     23     18    1
19   Barueri         22     22    0
20   Botafogo        18     18    0

P – pontos
A – amarelos
V – vermelhos

Critérios:
Cartão amarelo = 1 ponto
Cartão vermelho = 3 pontos
Desempate dado pelo número de cartões vermelhos.

Postado por Cioatto

Um atacante avaiano, urgente!

27 de junho de 2009 9

Evando era o que de melhor tinha o Avaí. Preferiu jogar a Série B pela Ponte Preta. Sobraram Luis Ricardo, Lima, Muriqui e William. E, senhores, com esses o Avaí vai custar a sair do zero.

A décima rodada se aproxima e os olhos que assistem às partidas dos pontos mais altos da Ressacada ainda não enxergaram o óbvio: o Avaí, se quiser se manter entre os grandes, precisa ir às compras.

E não vale botar a derrota de agora há pouco como sendo uma daquelas que estão no planejamento, afinal era contra o Cruzeiro e no Mineirão. Vale lembrar que a Raposa era liderada por um garoto de 17 anos chamado Dudu e que tinha como “artilheiro” um clone do Oséas.

Na partida, o Avaí teve quatro chances de marcar, todas desperdiçadas pela absoluta falta de talento de quem estava com a bola. Não adianta só jogar bem, criar chances de gol. É preciso marcar.

O resultado faz o Avaí dormir mais uma semana entre os que estariam rebaixados. Ainda dá para sair, mas tem de tomar cuidado para não se acostumar a ficar na parte baixa da tabela. Quem fica por lá muito tempo acaba criando raízes. Barueri e Santo André, que subiram junto com os catarinenses, entenderam a Série A mais rapidamente. O Avaí precisa se juntar a eles.

Postado por Cioatto

O Scarpelli ainda é caldeirão?

27 de junho de 2009 3

Tudo bem que estava frio e chovendo. Mas agora há pouco, no empate por 1 a 1, ficou provado que, mais uma vez, o Scarpelli deixou de ser aquele caldeirão que o Figueira se acostumou nos últimos anos. Até 2008, era difícil derrotá-lo em Floripa. Parece que a mandinga atravessou a ponte e se instalou na Ressacada.

 Agora, em cinco jogos no Scarpelli, o Figueira só ganhou dois: Ipatinga e Paraná. Perdeu da Lusa e Guarani. E empatou com o Vasco. Nesse começo, tem algo que chama a atenção. Fora o Paraná, o Figueira teve, logo de cara, importantes confrontos diretos com quem briga para subir. Se triunfou pouco em seus domínios, o que esperar desse jogos na volta, fora de casa?

No empate ruim com o Vasco – ruim para os dois – O Figueira só jogou bola depois que achou seu golzinho, com Clodoaldo. Em menos de 10 minutos, ele fez mais que Schwenck em quase 60. Convenhamos, não precisava muito para fazer mais que o camisa 9, que tá devendo faz tempo. Tem de ressaltar: o Vasco marcou bem até tomar o gol.

O “fi-asco” ficou bom mesmo após os 25 do segundo tempo. Daí para frente, chances lá e cá – até porque o empate complicava os dois. As mexidas dos técnicos energia nova à partida. Até aí, o Vasco é que parecia jogar em casa. Mereceu a vitória no primeiro tempo, teve muito mais chances – inclusive bola na trave.

Sirene ligada no Scarpelli. Podem até culpar o campo pela bola murcha que o Pedrinho jogou. Mas não foi só hoje, né? Praticamente sem desfalques, o Figueira entrou em campo com o que tinha de melhor. Tá, ainda prefiro Clodoaldo no lugar de Schwenke, e o Pico, em forma, ganha fácil a vaga do Egídio.

Postado por Stüpp

Escolha uma camisa para o JEC - parte 2

25 de junho de 2009 12


  1   2    3   4

A votação continua e este post é uma sequência do anterior,  uma mistura de esclarecimento, contagem e novas sugestões.

COMO COMPRAR AS CAMISAS?
As camisas não estão à venda. Os desenhos foram feitos pelo Fábio Abreu para ilustrar o post. Mas nada impede que o pessoal do JEC nos procure se quiser usar um dos modelos. O importante é mobilizar a torcida e, parece, isso foi feito;

QUAL É A PREFERIDA?
A camisa preta (85%) tem a preferência de quase a totalidade dos impedidos.

O QUE O TORCEDOR QUER?
- gola polo / gola em V;
- camisas retrô com modelos dos anos 70 e 80;
- nº 12 às costas (número de títulos estaduais do JEC e que também representa o torcedor)
- fazer a camisa 1, só que branca e com as listras em vermelho e preto;
- usar o distintivo no lugar do coelho;
- lançar um DVD com os momentos de ouro do JEC;

O impedido Edson Franco mandou o modelo abaixo. Se você quiser mostrar a sua camisa ideal, mande o desenho para a gente que o publicaremos.

Postado por Cioatto

JEC, um amor fora de série - vote na camisa

24 de junho de 2009 90

   1      2     3      4

Tem uma coisa que incomoda a torcida do JEC e que faz a festa dos zoadores de plantão que frequentam este blog. É a história de o Joinville não estar disputando divisão alguma do Campeonato Brasileiro. Dessa condição surgiu o trocadilho “o JEC é um time fora de série”.

Estar na pindaíba não é privilégio só do Joinville. É do Santa Cruz também, que nacionalmente tem mais expressão. É do Remo, outro que não está nem na D. Foi já de Bahia, Fluminense, Grêmio, Atlético/MG, Palmeiras, Botafogo e, mais recentemente, de Corinthians e Vasco. Cada um na proporção que a queda representava.

E foi com estes últimos que surgiu uma figura de marketing com o objetivo de reaproximar torcida carente e clube. Assim que caiu para a Série B em 2007, o Corinthians lançou o “Eu nunca vou te abandonar, porque te amo!”. O Vasco foi pelo mesmo caminho depois de consumada a queda no ano passado. Lançou  “O sentimento não pode parar”.

Fato incontestável, cabe então tirar proveito dele. O impedido Andre Cassis, torcedor dos mais fervorosos do JEC, escreveu dia desses para o blog sugerindo que o Joinville faça uma campanha na mesma linha, já criando um clima entre torcida e a equipe para a Copa Santa Catarina e, quem sabe, a uma vaga na Série D.

Cassis sugere a adoção do slogam “JEC, um amor fora de série”. Nada mais apropriado.

A criação dos modelos foi do impedido Fábio Abreu. Você, impedido leitor, pode votar no que achar mais interessante e, se quiser bolar uma camisa diferente para a campanha, mande o desenho para o blog que a gente publica.

Abaixo, a gente publica as camisas numa versão ampliada para que os impedidos vejam os detalhes.

1)

2)

3)

4)

Postado por Cioatto

Rodada comportadinha - RIP

22 de junho de 2009 1

Ninguém exagerou nas porradas este fim de semana. Tanto que só houve três expulsões em dez jogos. É a menos quantidade de cartões vermelhos numa rodada do Brasileirão em 2009.

Sendo assim, pouca coisa mudou na tabela. O Grêmio segue líder, mesmo que tenha tomado só três amarelos e que, pela primeira vez nas últimas três rodadas, não tenha um jogador expulso.

No Ranking Impedidos da Pancadaria (RIP) só dois times não tiveram jogadores mandados mais cedo para o chuveiro: Botafogo e Barueri. Os cariocas estão na zona de rebaixamento, e os paulistas perto do G4. Por equanto não dá para provar se times que pegam mais pesado chegam mais à frente que os de estilo mais leve.

 

Ranking Impedidos da Pancadaria
Pos. Time             P      A    V
1    Grêmio          38     26    4
2    Coritiba        36     27    3
3    Cruzeiro        32     23    3
4    Sport           32     26    2
5    Palmeiras       31     22    3
6    Santo André     30     18    4
7    Inter           29     23    2
8    Náutico         28     19    3
9    Avaí            27     21    2
10   Goiás           27     24    1
11   São Paulo       26     23    1
12   Atlético/MG     24     21    1
13   Fluminense      23     14    3
14   Atlético/PR     23     20    1
15   Vitória         22     16    2 
16   Corinthians     21     18    1
     Flamengo        21     18    1
     Santos          21     18    1
19   Barueri         17     17    0
20   Botafogo        16     16    0

P – pontos
A – amarelos
V – vermelhos

Critérios:
Cartão amarelo = 1 ponto
Cartão vermelho = 3 pontos
Desempate dado pelo número de cartões vermelhos

Postado por Cioatto

O prêmio vai para... ... Djalma Beltrami

22 de junho de 2009 9

Dessa vez, os MIB da arbitragem aprontaram. E feio! E, parece, antes da rodada planejaram um concurso para ver quem se superava. O prêmio ficou com o Djalma Beltrami, em Santos 2 x 3 Atlético/MG – aliás, agora dá para dizer que o Galo só é líder por causa da arbitragem.

O “Seu” Djalma fez tudo certinho ao recomeçar a partida depois de ter apitado o fim do jogo aos 47. Havia ele esquecido que a partida teria mais dois minutos, segundo a placa levantada para a torcida. Mas lambuzou tudo no apagar das luzes ao não marcar o gol do Santos, aos 50 minutos, alegando falta do Kléber Pereira. Que falta?

Assim como nesse lance, teve mais MIB (MIR, MIY, MIO e MIB2) estragando a rodada: o Obina não estava impedido no gol anulado do Palmeiras; e o zagueiro Marcel estava impedido no gol que deu a vitória ao Santo André. Esses erros influenciaram na classificação.

Classificação sem os erros de arbitragem
1   Internacional      14   (14)
    Vitória            14   (13)
    Palmeiras          14   (12)
4   Atlético/MG        13   (17)
5   Corinthians        11   (11)
    Avaí               11   (07)
7   Grêmio             10   (09)
    Goiás              10   (08)
    Barueri            10   (10)
10  Fluminense          9   (09)
    Santos              9   (09)
12  Náutico             8   (08)
    Santo André         8   (10)
    Botafogo            8   (06)
15  Cruzeiro            7   (07)
    Atlético/PR         7   (05)
    Flamengo            7   (10)
18  São Paulo           6   (07)
    Sport               6   (05)
    Coritiba            6   (07)

ps1: entre parenteses, a pontuação real no campeonato;
ps2: os pênaltis que deveriam ter sido marcados são considerados gol.

Postado por Cioatto

No apagar das luzes também vale

20 de junho de 2009 5

Não podia ter sido mais sofrido. O Avaí parecia fadado a mais um empate em casa. Tudo se encaminhava para patinar na tabela, seguir com a lanterna na mão. Mas quem ficou até o fim no cimento da Ressacada se deu bem. Viu Léo Gago, um volante, marcar o 3 a 2 e dar a primeira vitória aos azurras na temporada.

Agora, por uma semana, Silas poderá trabalhar tranquilo. Ele corria o risco afundar com o Avaí numa depressão que só termina com tratamento de choque – e ele vem, normalmente, com a substituição do treinador.

O que o Avaí precisa entender é que o nível dos adversários é bem superior aos da Série B. Não dá para apagar nem por um minuto. Se desligar por dois minutos, acontece o que se viu: dois gols do adversário e um empate que fez passar a reprise de um filme recente na cabeça do torcedor.

Não interessa se o time vai continuar entre os rebaixados ao fim da rodada. O que importa é que a urucubaca foi desfeita, que o nome saiu da boca do sapo e que, depois de quase dois meses, teve buzinaço na Costeira.

Postado por Cioatto