Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de outubro 2009

Derrota do JEC não estava nos planos

28 de outubro de 2009 28

Nota às 22h22: Brusque goleou o Metrô por 4 a 1 e aliviou a vida do JEC.

Sejamos sinceros. Perder para o Avaí na Ressacada não estava nos planos do JEC. Disse que não estava, o que não significa que não seria possível.

O revés de agora há pouco serviu para que o Joinville saiba que ninguém está disposto a facilitar as coisas ao Tricolor, que a vaga na Série D não é do JEC, embora as chances de conquistá-las sejam grande. A campanha segue boa, mas é preciso ter cuidados.

Como dito aqui em Os Impedidos domingo, o mais importante na Copa SC é chegar à frente de Metropolitano, Atlético/IB e Brusque. O resto não importa. Em competições de tiro curto como a Copa SC, o que desempata não é o número de vitórias e sim o saldo de gols. E o do Joinville sofreu um baque contra o Avaí. 

Se o Metrô bater o Brusque daqui a pouco, iguala o número de pontos. E é contra o time de Blumenau que as coisas vão ser decididas. Primeiro porque, assim como o JEC, preparou-se bem para a competição. Segundo, porque a última rodada do primeiro turno tem Metrô x JEC, “em Metropolitano”. É importante o Joinville chegar lá com a vantagem do empate.

Postado por Cioatto

O recorde que ninguém gostaria de ter

27 de outubro de 2009 2


Torcida tricolor não aguenta mais. Foto: Ricardo Ayres, Photocamera

O Fluminense ainda não passou, mas é certo que passará. Na quinta-feira, após a partida contra o Atlético/MG no Maracanã, passará a ser o time que mais vezes frequentou a zona de rebaixamento na era dos pontos corridos. Chegará, inevitavelmente, a 59 rodadas entre os piores da competição. Vai superar o Paysandu, que anda comendo grama tentando se reerguer na Série C.

Os números querem dizer que a torcida tricolor passou 21% dos jogos sem ter motivos para sorrir. E o pior é que nem podem ser zoados pelos rivais. O Botafogo pode igualar a campanha do Paysandu. O Flamengo, que andou um monte de rodadas também entre os piores, dessa vez não corre o menor risco de avançar.

Um exemplo de como as coisas não têm andado boas em Laranjeiras. Todos sabem que o primeiro a dançar quando o time vai mal é o treinador. Foram 19, contando os interinos, nos últimos quatro anos. Cuca, que assumiu na 22ª rodada da Série A, é o quinto técnico tricolor só em 2009 (veja a lista no rodapé).

Confira quantas vezes seu time ficou entre os piores e entre o pior dos piores na era dos pontos corridos.

Paysandu       58
Fluminense     58
Flamengo       57
Botafogo       57
Atlético/MG    48
Grêmio         48
Náutico        47
Fortaleza      41
Goiás          41
Atlético/PR    40
Juventude      39
Paraná         39
Figueirense    39
Santa Cruz     36
Corinthians    36
América/RN     35
Ipatinga       34
Guarani        33
Sport          29
Vasco          28
Santos         24
Brasiliense    22
Ponte Preta    21
Portuguesa     17
São Caetano    17
Coritiba       16
Palmeiras      14
Vitória        10
Bahia           8
Santo André     8
São Paulo       7
Avaí            7
Internacional   6
Cruzeiro        3
Criciúma        2

Rodadas na lanterna

América/RN     30
Grêmio         29
Santa Cruz     29
Ipatinga       26
Paysandu       21
Fluminense     20
Goiás          17
Atlético/PR    11
Botafogo       11
Guarani        11
Flamengo        9
Náutico         9
Atlético/MG     7
Brasiliense     6
Corinthians     6
Figueirense     6
Palmeiras       4
Ponte Preta     4
Sport           4
Avaí            3
Bahia           3
Coritiba        3
Paraná          3
Vasco           3
Fortaleza       1
Internacional   1
Portuguesa      1
Vitória         1

 

Os treinadores que passaram pelo Flu desde 2005.
Técnico                % (aproveitamento)
Abel Braga            56,89
Ivo Wortmann          44,44
Josué Teixeira       100,00
Paulo Campos          53,33
Josué Teixeira        66,66
Oswaldo de Oliveira   57,14
Josué Teixeira        41,66
Antônio Lopes         28,66
PC Gusmão             29,41
Vinícius Eutrópio     66,66
Joel Santana          53,33
Vinícius Eutrópio     33,33
Renato Gaúcho         54,86
Cuca                  40,74
René Simões           60,31
Parreira              45,83
Vinícius Eustrópio     0,00
Renato Gaúcho         20,00
Cuca                  36,50

Postado por Cioatto

O ano acabou para Avaí e Figueira

26 de outubro de 2009 30


Foto: Emerson Souza

Sábado e domingo não foram dos melhores dias para a dupla da Capital. Os resultados determinaram o fim do ano para Avaí e Figueirense. Muita gente vai dizer que é cedo para a turma do Estreito e da Ressacada jogar a toalha. Acho que não. O último cartucho foi gasto em Florianópolis.

AVAÍ
2009 acabou melhor para os azurras do que para os alvinegros. O Avaí conseguiu, depois de patinar no começo, o objetivo da temporada, que era ficar na Série A. Sete partidas antes do fim do campeonato está lá, sem correr riscos. Pode ainda beliscar (e tá se encaminhando para isso) uma vaga na Sul-americana.

Ficou um fio de esperança em relação à Libertadores, mas ele se rompeu no empate contra o Sport. Se o torcedor azurra acha que ainda dá para descontar oito pontos de diferença para o quarto colocado, faço uma pergunta instigante: o Fluminense consegue descontar cinco pontos para o 16º colocado e escapar do rebaixamento em sete jogos?

FIGUEIRENSE
Tinha, contra a Ponte, a chance de manter as chances. Agora, as possibilidades são remotas: 16% segundo o Infobola do professor Tristão. Precisa descontar cinco pontos para o quarto colocado com seis jogos pela frente. Sim, ainda dá, mas não acredito porque acho que o Fluminense não tem condições de descontar cinco pontos para o 16º colocado com uma partida a mais que os alvinegros.

A volta à Série A fica adiada para 2010. E ela será mais penosa do que foi este ano. Olho para o Figueira como olho para o Juventude. Assim que caiu, os gaúchos montaram um bom time para voltar. Não conseguiram o objetivo e este ano brigam para não despencar para a Série C.

Assim como quem sobe precisa se adaptar ao tipo de jogo da elite, quem cai também precisa rever conceitos. Às vezes, o prumo chega tarde demais.

Postado por Cioatto

Nem sempre é Lima quem resolve

25 de outubro de 2009 8

Itamar Schulle, técnico do Criciúma, não é bobo. Viu o JEC jogar e sabia quem é o cara do Tricolor. Escalou três zagueiros e mandou o sistema defensivo cuidar bem de Lima. Fez o que qualquer treinador ligado faria. Mas para azar dele, o JEC parece que não depende só do goleador. Cris deu um jeito e fez o golzinho que possibilitou um andamento de jogo menos nervoso. Atrás do empate, o esquema que cuidava de Lima precisou ser desfeito e o atacante acabou marcando o dele, de pênalti. Quando fez a paradinha (aquele truque desleal para passar o goleiro para trás), o Tigre já havia recebido a extrema unção.

Tudo bem que o jogo foi feio, de poucas chances e alguns sustos. Mas o que vale nessa altura do campeonato é somar três pontos em casa. Precisa só melhorar o preparo físico porque, outra vez, o time quase parou no segundo tempo.

Agora olhando para a frente.

Nos próximos dias será o Brusque quem vai decidir o futuro do JEC na competição. Primeiro porque recebe, no Augusto Bauer o Metropolitano, o time que parece, pelo que se viu até agora, o único em condições de brigar contra o JEC pela vaga na Série D. Depois, porque o Joinville recebe o Brusque no fim de semana.

Mantendo-se a diferença de três pontos entre JEC e Metrô, o Coelho chegaria à última rodada podendo até perder para o Verdão, “em Metropolitano”, para ficar com o título do turno e um lugar na final da Copa SC -dependeria do saldo de gols.

Agora, se o JEC patinar contra o Avaí-B e for para o confronto contra o Metrô jogando só pelo empate a coisa pode ficar feia. O Joinville não pode deixar o filme que o assombrou nos últimos cinco voltar ao cinema.

nota do blogueiro: por uns dez minutos ficou no ar um texto errado que tinha como base uma tabela que descobri, espero que em tempo, estava errada.

Postado por Cioatto

Os melhores times da América - Século 20

22 de outubro de 2009 2

A Libertadores, parece-me, passou a ser mais importante que o próprio título do Brasileirão. Vejam, impedidos, que se dá mais atenção para a conquista de uma vaga na competição à faixa de campeão. Pode ser só impressão causada pelo fato de haver mais times brigando por um lugar entre os que vão atrás do Mundial de Clubes. Sei lá, talvez não passe mesmo de impressão e o que todos queira seja o título e a Libertadores seja um disfarce para quem não o alcança.

Mas a Libertadores é apenas uma das competições usadas pelo Instituto de História do Futebol (http://www.iffhs.de) para revelar qual foi o melhor time da América do Sul no século 20 (tem gente que vai dizer que eu tenho de escrever XX, como os cromossomos femininos). E deu Peñarol, com o Nacional em terceiro. Bons tempos do futebol platino.


Fernando Morena,
chamado de “El Potro”,
um dos símbolos
do Peñarol vitorioso.

Para ficar claro, antes que são-paulinos e colorados reclamem, o ranking é do século 20. Portanto, não inclui os títulos desses clubes em 2005 e 2006. E nem as campanhas quase vitoriosas de São Caetano (2002), Santos (2003), Atlético/PR (2005), São Paulo (2006), Grêmio (2007), Fluminense (2008) e Cruzeiro (2009). Muito menos as semifinais de Palmeiras (2001), Grêmio (2002), São Paulo (2004), Santos (2007) e Grêmio (2009)

Ranking dos clubes da América do Sul no século 20

1    Peñarol          Uruguai     531
2    Independiente    Argentina   426,50
3    Nacional         Uruguai     414
4    River Plate      Argentina   404,25
5    Olimpia          Paraguai    337
6    Boca Juniors     Argentina   312
7    Cruzeiro         Brasil      295,50
8    São Paulo        Brasil      242
9    América          Colômbia    220
10   Palmeiras        Brasil      213
11   Flamengo         Brasil      200
12   Estudiantes      Argentina   175
13   Atl. Nacional    Colômbia    158,50
14   Grêmio           Brasil      157
15   Racing           Argentina   149
16   Santos           Brasil      140
17   Colo Colo        Chile       139,50
18   Cerro Porteño    Paraguai    110
19   Vasco            Brasil      109,50
20   Barcelona        Equador     108
22   Atlético/MG      Brasil      95,50
31   Corinthians      Brasil      60
     Internacional    Brasil      60
37   Botafogo         Brasil      44
52   CSA              Brasil      14
54   Bahia            Brasil      12
56   Sampaio Corrêa   Brasil      10
     São Raimundo/AM  Brasil      10
72   Criciúma         Brasil       4
     Paraná           Brasil       4
89  Bragantino        Brasil       2

Como é feito o ranking.
Copa Libertadores (1960-2000): 8 pontos por vitória, 4 por empate;
Supercopa (1988-1997) e Recopa Sul-americana (1988-1997): 6 pontos por vitória, 4 por empate;
Mercosul (1998-2000) e Merconorte (1998-2000): 5 pontos por vitória, 2,5 por empate;
Copa Ricardo Aldao (1916-1947), Copa Atlântico (1956), Supercopa (1968-1969), Recopa Sul-americana (1970-1971), Copa Master Supercopa Libertadores (1992-1995), Copa Ouro (1993-1995), Copa Master (1996) e Copa Conmebol (1992-1999): 4 pontos por vitória, 2 por empate;
Copa de Campeões (1948): 6,5 pontos por vitória, 3,25 por empate;

Postado por Cioatto

JEC pé no chão: primeiro a vaga, depois a festa

21 de outubro de 2009 14

A vitória de agora há pouco por 4 a 2 sobre o Atlético/IB mostra que a Copa Santa Catarina foi feita para o JEC. Não só porque o time parece ser o que mais se preparou para a vaga na Série D, mas porque os adversários diretos ficaram para trás na rodada: Metrô e Brusque foram humilhados por Criciúma e Avaí B.

Então, tudo que o JEC precisa fazer é não entregar o doce para esses adversários diretos quando os enfrenta. E não relaxar se ficar com o título do turno – o do returno leva outro time à final. E como a história recente do JEC nos ensina, o negócio é não deixar o bicho se criar.

Por isso, nada de euforia entre torcedores, muito menos entre os jogadores. Primeiro a vaga, depois a festa.


Paulinho Dias também deixou o dele na noite em que
Lima marcou três vezes.
Foto: Fabrizio Motta

Postado por Cioatto

Pato é melhor que Kaká e salva a vida de Dida

21 de outubro de 2009 1


Pato se deu bem na noite madrilena. Foto: Paul White, AP

É claro que Kaká é muito mais jogador que o jovem Pato, disso acho que ninguém tem dúvidas, mas ontem foi o ex-Seleção (aposto com quem quiser que ele não vai à Copa) quem roubou a cena. No jogão entre Real Madrid e MIlan, Pato marcou duas vezes e garantiu uma vitória que rossonero algum imaginaria.

Pato, na verdade, salvou a vida do colega, o veterano Dida. O sonho de consumo corintiano falhou feio no primeiro gol madrileno, feito por Raúl, e poderia ter defendido o chute de Drenthe que resultou no segundo gol. Pelo menos não pôde ser sacaneado por merengue algum, já que Cassillas entregou o jogo.

No mais, a brincadeira aqui na redação foi de que Ronaldinho participou muito bem dos três gols do Milan: no primeiro, saiu de perto da bola para que Pirlo chutasse; no segundo, distraiu a marcação para que outro companheiro fizesse o lançamento para Pato; e no terceiro, deu o passe para Seedorf, esse sim, deixar Pato na cara do gol.

Postado por Cioatto

Avaí e Figueira no turno e no returno

21 de outubro de 2009 6

Ricardo Duarte, BD, 17/10/2009                     Juan Barbosa, BD, 14/7/2009
 
Marquinhos, do Avaí: contra o Goiás, a arrancada.
Schmoller, do Figueira: fase ruim começou contra o Juventude
 

Uma das constatações que podem ser feitas com a comparação do desempenho de Avaí e Figueirense nas primeiras rodadas de cada turno é de que a largada alvinegra é muito melhor que azurra, embora o que valha, no fim da competição, seja o total de pontos.

A turma da Ressacada patinou no início da Série A, talvez ainda tentando entender a competição, mas conseguiu na reta final do returno a arrancada que possibilitou o principal objetivo do ano (ficar na Primeira Divisão), praticamente garantiu o time no segundo objetivo da temporada (um lugar numa competição diferente para o clube, a Sul-americana) e possibilitou sonhar com uma participação na Libertadores.

O jogo marcante foi contra o Goiás, no primeiro turno, aquela partida que era decisiva para o futuro de Silas à frente do comando técnico. E venceu lá por 2 a 0.

O pessoal do Scarpelli, ao contrário, fez boa soma de pontos nos primeiros confrontos de cada turno, mas perdeu gás no fim. Assim como o Avaí, já se garantiu na divisão que disputa e ainda tem fôlego para voltar à elite. Para isso, terá de ter comportamento diferente daquele do turno, quando somou só nove pontos em 27 disputados.

A partida que mudou a história do turno foi contra o Juventude, a derrota por 1 a 0 na noite gelada de Caxias do Sul.

Compare as campanhas
Avaí

Rodada   1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  
Turno    1  2  3  3  4  4  7  7  7   7  10  13  16  19  22  23  26  27  30
returno  1  4  4  4  4  7  7  8  9  10  13

Figueirense
Rodada   1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19
Turno    3  6  6  7  7  7 10 11 14  17  17  20  23  26  26  26  26  29  29
Returno  1  4  4  7  7 10 13 16 19  19  22  22

Obs: os números correspondem à pontuação total naquela rodada.

Postado por Cioatto

O pesadelo dos gols contra

20 de outubro de 2009 1


Davis, craque do Rangers, perde pênalti contra o Unirea. Foto: Scott Heppel, AP

A torcida do Rangers teve uma tarde para esquecer pela Champions League.

O time, que lidera o campeonato na Escócia, encarava o “temido” Unirea. Tudo bem que o Rangers no cenário europeu não é lá grandes coisas, mas jogava em casa contra um time que era menos ainda.

Agora você, impedido, imagine-se no lugar do torcedor Blues depois do relato abaixo.

O time sai vencendo a partida por 1 a 0, com um gol contra do adversário chamado Ricardo Viana. Isso aos dois minutos. Que noite perfeita viria pela frente, hã?

Que nada! O maior desastre do mundo para um torcedor estava por acontecer. Aos 32, o empate. Cinco minutos depois, o craque do time, Steve Davis, perde um pênalti.

A tragédia está só começando.

Depois do intervalo, ela se confirma. O zagueiro Lafferty marca contra e o Unirea passa à frente. Dez minutos depois, seu outro zagueiro, McCulloch marca… contra também. E a vaca vai para o brejo.

Para fechar o caixão, os romenos ainda marcam mais aos 20 do segundo tempo e cozinham o jogo até o fim. Rangers na Liga com duas derrotas dentro de casa e um adeus prematuro à vaga na fase seguinte.

Enquanto isso, em Milão, o Internazionale tropeça feio contra o Dynamo Kiev. E, pasmem, com um gol contra. Um gol totalmente brasileiro, com Lúcio marcando de cabeça em cima de Julio Cesar.

Lúcio marca em cima de Julio Cesar. Foto: Antonio Calanni, AP

Postado por Cioatto

Fla deveria estar no G4

20 de outubro de 2009 0

Teve pênalti em cima de jogador do Cruzeiro que o sr. árbitro não marcou, mas que não fez diferença, afinal a Raposa venceu o Botafogo e segue na arrancada rumo a uma vaga na Libertadores. E foi isso na rodada.

Assim, se não fossem os MIB, o campeão seria o mesmo, mas o Flamengo ocuparia a vaga do Atlético/MG na Libertadores. No rebaixamento não haveria diferenças.

 

A Classificação sem os erros de arbitragem
1   Palmeiras          54   (54)
2   Internacional      52   (49)
3   São Paulo          47   (49)
    Flamengo           47   (48)
5   Cruzeiro           46   (45)
    Atlético/MG        46   (50)
7   Grêmio             45   (44)
    Vitória            45   (44)
    Avaí               45   (43)
10  Goiás              44   (46)
11  Botafogo           41   (32)
    Barueri            41   (41)
13  Corinthians        40   (42)
14  Santos             38   (41)
    Atlético/PR        38   (39)
16  Coritiba           35   (34)
17  Santo André        32   (29)
18  Sport              29   (28)
19  Náutico            26   (29)
20  Fluminense         26   (26)

ps1: entre parenteses, a pontuação real no campeonato;
ps2: os pênaltis que deveriam ter sido marcados são considerados gol.

Postado por Cioatto