Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de fevereiro 2010

Pegaram o Pato para pato

25 de fevereiro de 2010 13


Foto: Lefteris Pitarakis, AP

Fosse eu Alexandre Pato, não iria servir de modelo para a apresentação do uniforme que a Seleção Brasileira usará na Copa da África do Sul. Por duas razões: ele foi chamado porque o Barcelona não liberou Daniel Alves e Luís Fabiano está machucado. Era o terceiro da lista.

Depois, porque deve ser uma aparição constrangedora para ele. Vejam a foto, impedidos. Pato é o único dos atletas que não deve ir à Copa. Só segue para lá se der uma zica em Robinho, Adriano, Nilmar e Luís Fabiano. Ficaria atrás até, acredito eu, de Ronaldinho Gaúcho.

A foto tem da esquerda para direita o eslovêno o australiano Vince Grella (Blackburn), Robert Koren (West Brom), o americano Clint Dempsey (Fulham), o português Nani (Manchester United), Pato (Milan), o inglês Jermaine Jenas (Tottenham), o holandês  Edson Braafheid (Bayern), o sul-coreano Chung-Young Lee (Bolton), o neozelandês Ryan Nelson (Blackburn) e o sérvio Nenad Milijas (Wolves).

ps.: a apresentação foi dos uniformes da Nike, mas a seleção da Inglaterra usa Umbro. A explicação para estar ali é o fato de o evento ter sido realizado em Londres.
ps.2: sim, a Nike comprou a Umbro no fim de 2007. O que eu quis dizer (não ficou claro, falha minha), foi que se o evento fosse realizado em outro país, em Portugal, por exemplo, ou em Beaverton, no Estado do Queijo (Oregon), EUA, a camisa inglesa não estaria ali. abs a todos.

Postado por Cioatto

Em nome dos bons tempos

25 de fevereiro de 2010 13

O impedido Sandro Lenzi é um cara que gosta de futebol e é apaixonado pelo JEC. Tanto que não se limita a ir até o cimento das arquibancadas da Arena gritar o nome do time. Acha que torcedor tem de contribuir com ideias sempre que elas aparecerem.

Pois o Sandro tem uma sugestão ao clube. Pede que sejam feitas réplicas de camisas histórias do JEC, principalmente dos áureos anos 1970 e 1980.

Uniformes com identificação de conquistas vendem feito água. Os grandes clubes fazem isso. No Brasil é um mercado embrionário – as lojas apareceram há três ou quatro anos na internet e ainda negociam com alguns clubes os direitos de reprodução.

Mas na Inglaterra isso existe desde o meio dos anos 90. A Toffs (toffs.co.uk), onde comprei réplicas de camisas de Arsenal, Chelsea e Barcelona, tem mais de 1,5 mil modelos – a azul da Seleção da final da Copa de 1958 é a próxima da minha lista.

Como o tecido destas camisas é algodão, o preço das peças não seria muito alto, o que facilitaria a venda. Quem quiser pode dar uma olhada nos sites www.saudosistas.com.br, www.ligaretro.com.br, www.idolosec.com.br ou www.cluberetro.com.br para ter uma ideia do que se trata.

Abaixo, alguns modelos de camisas históricas co JEC (da época mesmo) que estão sendo vendidos no Mercado Livre e que poderiam ser reproduzidos.

   
   Anos 1980          Anos 1980          Anos 1980         Anos 1970

Postado por Cioatto

Arena: mistério não é tamanho, é público

23 de fevereiro de 2010 36

Nosso amigo, colaborador e impedido Mário Nascimento é um apaixonado pelo JEC (antes pelo Caxias) e por cálculos. É daqueles que vão ao estádio com uma máquina fotográfica para registrar não só momentos da partida, mas também coisas estruturais como as arquibancadas e cadeiras para cálculos. E para ele, que é engenheiro e aplica cálculos do dia a dia, cabem na Arena entre 18,8 mil e 22,1 mil, dependendo do espaço reservado para cada torcedor. Já o número de torcedores…

O texto abaixo é dele:
_________________________________________________________________

Caros amigos,
 
Ainda embriagado pela conquista e, principalmente, pela forma como ela veio, volto ao tema capacidade do Estádio Municipal de Joinville.

Sempre que um grande público comparece, voltamos a números não muito bem explicados. Para tentar diminuir (ou será que vai aumentar?) a polêmica, peguei algumas imagens no Google Earth para fazer alguns cálculos básicos. Vamos a eles.

Ala Oeste (arquibancada coberta). Aqui vamos estimar a partir do número de cadeiras em cada degrau, que é de 196, e média de 24,5 degraus, uma vez que existem recortes na faixa central (entrada dos times em campo) e nas pontas. Isso dá uma capacidade de 4802 pessoas.

Antes de analisar as demais alas, é preciso que se diga que a capacidade varia em função de quanto espaço for considerado para cada espectador. Nem mesmo as orientações da Fifa estabelecem esse valor. Para efeito de raciocínio, vamos usar valores entre 40cm e 50 cm.

Comecemos pela ala Leste. É composta de 26 degraus e pode ser dividida em 5 setores:
a) Meio do Campo, com 21 m de comprimento
b)  2 setores nas Intermediárias, cada um com 12,5 m
c) 
2 setores em frente às áreas, cada um com 14,5 m


a) ·  Nos degraus próximos a cada um dos acessos cabem mais algumas pessoas (4 degraus com 5 m disponíveis em cada um).

Alas Norte e Sul. São 3 setores e possui também 26 degraus:
a) Atrás das traves, com 19 m
b) 2 setores próximos ao escanteio, com 16,5 m em cada setor


Novamente consideramos mais alguns lugares junto aos acessos, que neste caso podemos considerar 3, contando cada um com 4 degraus de 5m.

Cantos. Podemos considerar 2 setores, separados pelo acesso central.
a) Para a Linha de Fundo, com comprimento médio de 13,5 m
b)Setor para Leste, com comprimento médio de 14 m.

·         Existem 7 degraus “livres” em cada um dos 2 acessos dos cantos, cada uma delas com espaço de 5 m.

 
ALA
cm/pessoa
40
42,5
45
47,5
50
Capacidades
Leste
5028
4726
4440
4216
4060
Meio do Campo
21m
1352
1274
1196
1144
1092
Intermediária
12,5m
806
754
702
676
650
Área
14,5m
936
884
832
780
754
Acessos
5m
192
176
176
160
160
Norte/Sul
3498
3252
3096
2928
2824
Traves
19m
1222
1144
1092
1040
988
Escanteio
16,5m
1066
988
936
884
858
Acessos
5m
144
132
132
120
120
Cantos
1324
1225
1191
1109
1075
Para Linha de Fundo
13,5m
561
527
510
476
459
Para Lateral
14m
595
544
527
493
476
Acessos
5m
168
154
154
140
140
Oeste
4802
4802
4802
4802
4802
Capacidade Total
22122
20932
20198
19310
18810

A capacidade divulgada (22 mil pessoas) é atingida se considerarmos 40cm/pessoa. Este valor é aceitável apenas quando não existem assentos. Na existência destes, é razoável se considerar um valor mínimo de 45cm/pessoa, o que deixará a Arena com capacidade menor, de 20.198 espectadores.

A seguir vem uma análise do público da decisão do primeiro turno.

Primeiramente, com a capacidade maior, 22.122: descontamos o espaço cedido à torcida adversária, um canto (1.324 lugares) e um dos setores do “escanteio” (1.066 lugares), além de uma faixa de aproximadamente 10 m usada pela força policial para isolamento (650 lugares).

Descontamos também as arquibancadas cobertas (4.802 lugares). A capacidade do restante do estádio é de 14.280 pessoas (21.122 – 1.066 – 1.324 – 650 – 4.802). Estimando que os torcedores do Avaí fossem 700 e que 4.000 pessoas tenham assistido ao jogo nas alas Oeste (ocupação de 85% das arquibancadas cobertas) teríamos, segundo os números oficiais, um total de 8.704 (13.404 – 4.000 – 700) tricolores felizes assistindo ao jogo num espaço onde caberiam 14280.

Portanto, deveríamos ter espaço livre para 5.576 pessoas, o que equivaleria a toda a ala leste e mais 548 lugares vazios. Alguém acredita que seria possível a torcida se espremer de modo que isso acontecesse?

 
Fazendo a mesmas contas, mas para a capacidade  menor (18.810, para 50 cm/pessoa). Descontos do espaço para a torcida do Avaí = 2.453 (canto = 1.075; escanteio = 858; 10 m = 520). Cobertas = 4.802. Capacidade do restante = 18.810 – 2.453 – 4.802 = 11.555 pessoas. Público restante = 8.704. Espaço vazio nas arquibancadas: 11.555 – 8.704 = 2.851. É como se toda a torcida que estava atrás do gol onde Ricardinho decidiu o turno se espremesse no restante do espaço. Dá para admitir essa hipótese? Creio que não.
 
Resumo da ópera: tinha mais gente na Arena. Sendo conservador, eu diria que seria possível colocar o público que estava nas 3 curvas (1 era da torcida adversária) em duas delas. Usando a capacidade menor, teríamos um público de 11.555 (capacidade das descobertas, sem contar o espaço da torcida do Avaí) – 1.075 (um dos cantos vazio) + 700 (torcida do Avaí) + 4.000 (cobertas) = 15.180.

A  mesma conta feita para um espaço de 45 cm/pessoa (mais apertado, portanto) daria um público de 16.200. Com o pessoal espremido em 40cm/pessoa, teriam sido 17.650. Meu palpite: 15.500. Jamais saberemos.

Postado por Cioatto

JEC põe seis na seleção do campeonato

23 de fevereiro de 2010 27

O Instituto Mapa divulgou há pouco a relação dos jogadores escolhidos para a seleção do primeiro turno do Campeonato Catarinense. E o JEC, com a melhor campanha e com o título que garantiu um lugar na final, meteu cinco jogadores e o técnico na lista.

A seleção ficou assim:
Wilson (Figueirense)
Lucas (Figueirense)
Emerson (Avaí)
Samuel (Joinville)
Uendel (Avaí)
Carlinos Santos (Joinville)
Rodrigo Thiesen (Avaí)
Ricardinho (Joinville)
William (Joinville)
Felipe Oliveira (Imbituba)
Lima (Joinville)

Técnico: Sérgio Ramírez.

Uma pergunta. Numa Série A de Brasilerão, onde esse time chegaria?

Postado por Cioatto

Videocast: JEC e Avaí, zebras e Ronaldo

22 de fevereiro de 2010 2

Hoje um programa diferente. Com o impedido Rodrigo Stupp tratando da mudança de cidade, dessa vez são dois os convidados. Rafael Battisti, leitor do blog e torcedor do JEC, e Marco Aurélio Braga, o Marcão, colega aqui de AN e representante do Brasil, de Pelotas, na redação.

Entre os assuntos a final do turno do Catarinense, o segundo finalista, as zebras pelo Brasil e a aposentadoria do Ronaldo.

Se você quiser participar das gravações mande um e-mail para jeferson.cioatto@an.com.br com o número do telefone que a gente entra em contato.

Divirtam-se.

Postado por Cioatto

JEC quebra recorde de público

22 de fevereiro de 2010 43


Foto: Pena Filho

Acabou de sair o público e a renda oficiais da final do turno entre Joinville e Avaí. E, como era de se esperar, o recorde de público do ano foi quebrado. Nada menos do 13.404 pessoas foram à Arena. A maioria absoluta foi do desespero às lagrimas de felicidade com aquele gol do Ricardinho aos 49 do segundo tempo. A minoria foi do êxtase às lágrimas de tristeza com o mesmo gol.

Assim, o público do clássico entre Figueirense e Avaí, que levou levou 12.022 ao Scarpelli, foi superado.

Abaixo, o resumo do campeonato

Jogos em casa

Clube         Público       
JEC           48.059**
Avaí          29,417**
Figueirense   28.017
Chapecoense   13.696*
Criciúma      11.461*
Brusque        8.434
Metrô          8.199
Atlético/IB    6.014
Imbituba       4.356*
Juventus       1.764*
* jogaram cinco vezes
** jogaram seis vezes 

Público (média)
JEC           8.009
Figueirense   7.004

Avaí          4.902
Chapecoense   2.739
Criciúma      2.292
Brusque       2.108
Metrô         2.049
Atlético/IB   1.503
Imbituba        871
Juventus        352



Por arrecadação (R$)

Clube            Bruto            Líquido
JEC            274.116           145.776
Figueirense    236.760           147.340
Avaí           157.810            93.617
Chapecoense     79.820            30.817
Metrô           61.489            32.728
Brusque         52.900            23.659
Criciúma        59.629            18.961
Atlético/IB     46.862            20.512 
Imbituba        32.551             2.894
Juventus        15.130          - 10.408
  

Melhor público

Joinville 1 x 1 Avaí : 13.404
Pior Publico
Juventus x Atlético/IB: 183

Quem foi assistido por mais gente no estádio (casa + visitante):


Clube             Público
Avaí              62.495
Joinville         58.862
Figueirense       40.055
Metropolitano     31.818
Chapecoense       29.484

Atlético/IB       22.747
Criciúma          22.328
Imbituba          22.175

Brusque           17.938
Juventus          12.230

Postado por Cioatto

Tem copeiro entre os aniversiariantes do dia

22 de fevereiro de 2010 0

Vejam, impedidos que tem torcida de time bem antigo e que nunca havíamos escutado falar que está de parabéns hoje.

Conseguir informações sobre clubes africanos é um trabalho, mesmo que esse clube já tenha sido campeão continental. Fundado em 1936, o DC Motema Pembe, da República Democrática do Congo, tem 12 títulos nacionais, além de 12 Copas do Congo. São conhecidos comos “Os imaculados”. fico devendo o distintivo.

O Sol de América foi duas vezes campeão Paraguaio (1986 e 1991). Faz 101 anos. 

O Selangor, da Malásia, sim que é copeiro. Fundado em 1936, tem cinco títulos do campeonato nacional de lá, mas em compensação venceu 32 vezes a Copa da Malásia. Vai entender.

O torcedor médio, aquele que não acompanha futebol com muito interesse, não vai lembrar do Dom Pedro 2. Mas os torcedores do Fluminense e aqueles que tem um convívio maior com esporte lembram do “time de bombeiros” de Braília. Sim, o Dom Pedro, fundado em 1996, em Guará (o mercado de lá é um lixo), ganhou fama ao enfrentar o Flu na Série C. Duas vitórias tricolores: 1 a 0 no Maracanã e 2 a 0 no DF.

Postado por Cioatto

JEC na máquina do tempo

21 de fevereiro de 2010 88


Foto: Fabrizio Motta


O JEC aperta o botão de hiperespaço do Asteroids. Pula no tempo. Salta de 21/2 para 25/4. Tem dois meses sem pressão para trabalhar. Observa os outros nove times da Série A se matarem num returno que tem tudo para ser muito mais equilibrado que esse que terminou na chuvosa tarde na Arena.  

Aos 49 do segundo tempo. Não poderia ter sido mais emocionante o título do turno para o JEC. É só o turno, mas é um grande passo. O JEC aguarda o campeão do returno ou o time de melhor índice técnico. Fica na boa, sem pressão.

A tarde que se desenhava catastrófica, que poderia trazer todos os fantasmas que rondam a Arena de volta, transformou-se em dia de glória para os tricolores.

Aquele gol azurra no início do segundo tempo tinha cara de tragédia. Mas parece que a sorte do Tricolor mudou de uns tempos para cá e aos poucos o passado de glórias está sendo resgatado.

Ricardinho contribui muito para isso. Terá uma segunda-feira de herói. Se na quinta-feira, apesar do gol contra o Metrô, ele foi lembrado pelo lance pastelão na cobrança de escanteio, agora o que vai rodar pelo Brasil é ele ao lado da taça.

Taça que a torcida ajudou e muito a conquistar. Além de ter a melhor média de público (não dá para saber se há pouco o recorde do Estadual foi quebrado porque o JEC só divulga os números via Federação) os tricolores não abandonaram o time. Gritaram o tempo todo, mesmo depois da água fria que foi o gol azurra. E agora encherão este post de coméntários. É direito e é válido tirar sarro do adversário.

Postado por Cioatto

Deu o óbvio: JEC e Avaí

18 de fevereiro de 2010 46

Quem observa um pouco de futebol e acompanha a bola que rola em Santa Catarina apostava, desde as primeiras rodadas, em uma final de turno entre Joinville e Avaí. O primeiro por estar jogando junto há mais tempo e ter montado um bom time. O segundo pela representação de Santa Catarina na Série A.

Domingo, na Arena, O JEC terá a chance da revanche, a chance de dar o troco nos azurras porque aquela goleada por 5 a 1 na Ressacada está atravessada na garganta de tricolores – torcedores e jogadores.

E alguém aposta em favorito? Eu tô fora. Tudo que resumo a dizer aqui é que o JEC tem a vantagem do empate e joga em casa naquele que vai ser o maior público desse Estadual – será que o recorde da Arena será quebrado?

Quem ficar com o caneco vai ter um segundo turno inteirinho para experiências, já que a vaga na final do Estadual está garantida. Fica ali, na rede, com um ventinho e água de coco a mão.

Ao perdedor resta encarar uma concorrência que será mais acirrada, já que times tradicionais, como Figueirense e Criciúma, parecem te se acertado nos últimos jogos.


Último confronto entre os dois na Arena terminou em goleada do JEC sobre o Avaí B, 6 a 1. Foto: Fabrizio Motta, 19/11/2009

Postado por Cioatto

Os mistérios da renda em Chapecó - e em SC

18 de fevereiro de 2010 16

Esse post partiu de um comentário do impedido Antônio Paulo, nosso leitor de Chapecó.

Ele achou estranho os números que publicamos referente a público e renda dos jogos da Chapecoense e, a pedido do blog, ficou de ouvido bem ligado no borderô do jogo entre Verdão e Joinville divulgados pela Rádio Super Condá. Vamos a eles*:

Sócios: 2.200
Pagantes: 550
Aposentados: 500
Total: 3.250

*números arredondados

São números bem diferentes dos que estão registrados no boletim financeiro enviado à Federação Catarinense de Futebol. Compare:

Sócios: 667
Pagantes: 135
Total: 802


Falando com Marcelo Mantelli, que trabalha na Super Condá, ele explicou que os números divulgadospela rádio foram pegos diretamente na contabilidade da partida.

Isso quer dizer que cerca de 2,5 mil pessoas sumiram entre as catracas da entrada do Índio Condá e as rampas de saída do estádio. Um mistério.

O primeiro vice-presidente financeiro da Chapecoense, Ivan Tozzo, que trabalhou na contabilidade do jogo entre Chapecoense e Joinville, confirmou os números da rádio (tudo aproximadamente) e disse que nesta sexta-feira, quando retornar ao clube, vai tentar descobrir o que aconteceu.

Falando em Mistério, alguém sabe dizer por que o público e as rendas da Arena não são mais divulgadas durante os jogos e por que as informações só aparecem no relatório entregue à Federação?

No mais, o balanço de público e rende referente ao turno.


Públicos Catarinense (em casa)

Melhor público
Figueirense 2 x 2 Avaí : 12.028
Pior Publico
Juventus x Atlético/IB: 183

 

Clube                      Público       
JEC            28.701
Figueirense    28.017
Avaí           23.474*
Chapecoense    13.696*
Criciúma       11.461*
Brusque         8.434
Metrô           8.199
Atlético/IB     6.014
Imbituba        4.356*
Juventus        1.764*
* jogaram cinco vezes


Público (média)
JEC           7.175
Figueirense   7.004
Avaí          4.694
Chapecoense   2.739
Criciúma      2.292
Brusque       2.108
Metrô         2.049
Atlético/IB   1.503
Imbituba        871
Juventus        352

Por arrecadação (R$)

Clube            Bruto            Líquido
Figueirense    236.760           147.340
JEC            156.496            78.461
Avaí           126.795            74.872
Chapecoense     79.820            30.817
Metrô           61.489            32.728
Criciúma        59.629            18.961
Brusque         52.900            23.659

Atlético/IB     46.862            20.512 
Imbituba        32.551             2.894

Juventus        15.130          - 10.408

Quem foi assistido por mais gente no estádio (casa + visitante):


Clube                          Público
Avaí              43.148
Figueirense       40.055
Joinville         39.504

Chapecoense       29.484
Metropolitano     25.858
Criciúma          22.328
Imbituba          22.175

Brusque           17.938
Atlético/IB       16.804
Juventus          12.230

Postado por Cioatto