Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Adversário"

Troféu cara de pau para os secadores do Estado

12 de março de 2014 143
Querendo tirar onda com o Avaí? Paguem suas dívidas antes de querer peitar o Leão.

Querendo tirar onda com o Avaí? Paguem o que devem antes de peitar o Leão da Ilha.

O leitor avaiano já deve ter percebido os orgasmos múltiplos dos secadores com o momento vivido pelo Maior Clube de SC. É um comportamento compreensível, haja vista que a escala da evolução faz com que os menores torçam pela “morte” daquele está no topo da cadeia alimentar.

O Avaí corre risco de rebaixamento? Sim, a tabela do hexagonal nos estapeia o fato. O Avaí vai cair? Ora, não seja ridículo! Mas se ocorrer como em 1993, voltaremos campeões e dentro de campo, porque é assim que acontece com os grandes.

Mas essa não é a tradição dos mini-clubes do Estado. Já fizeram das suas, posaram garbosos com o escudo do incaível Fluminense e seus pobres torcedores vem aqui apenas para abafar episódios constrangedores de suas agremiações. À saber:

Chapecoense – Rebaixada no Catarinense de 2010, entrou na vaga do licenciado Atlético-Ib. Antes da decisão do TJD, enviou carta para a Ass. de Clubes propondo uma “virada de mesa”. Deve uma série B estadual até os dias de hoje.

Criciúma – Acesso para a 1ª divisão de 1993 graças a mudança de regulamento durante a 1ª Fase da 2ª divisão de 1992. Foi salvo do rebaixamento em 1999 para a 3ª divisão e resgatado para a 2ª divisão da Copa João Havelange em 2000.

Joinville – Foi beneficiado pela mudança de regra durante a 1ª fase do Brasileirão de 1986, o que resultou em sua classificação biônica para a 2ª fase.

Figueirense – Em 1987 disputou a segundona catarinense e conseguiu ser vice do Blumenau. Em 2000 foi vergonhosamente resgatado para a 2ª Divisão da Copa João Havelange. Deve uma série C nacional até os dias de hoje.

Caíram na real? Tiraram o sorrisinho amarelo das bocas desdentadas? E digo mais: preparem-se porque na sexta-feira publicarei um post especial para acrescentar mais tensão nessas faces que papai e mamãe não tiveram dó de imprimir feiura.

Como é que é? Reclamando de efeito suspensivo?

05 de março de 2014 85
Tem que haver coerência entre o pensamento, as palavras e as atitudes.

Óleo de Peroba para a incoerência entre o chororô e a sua própria história.

Após um carnaval com muito trabalho no Sul da Ilha, amanhã tem início o hexagonal para os clubes menos competentes da primeira fase do Campeonato. Com sete pontos ganhos em 27 disputados, com justiça o Avaí será um dos participantes de 10 rodadas que definirão os dois rebaixados para a Divisão Especial de 2015.

O Leão dá a sua arrancada diante da Colonense na Ressacada. Por enquanto o destaque dessa partida está sendo o senhor Sandro Pallaoro, que parece ter esquecido a história recente do clube que preside, para reclamar do efeito suspensivo cedido aos atletas avaianos envolvidos na confusão do clássico.

Não bastasse ser um recurso previsto em lei, o cartola sofre de amnésia temporária por não recordar que o seu clube foi rebaixado no Estadual de 2010, mas escapuliu do castigo por uma ação do mesmo TJD que hoje tanto critica. Mais constrangedor que essa manobra (também legal), foi antes da decisão salvadora ter enviado uma carta para a Associação de Clubes propondo uma virada de mesa.

Mas é claro que dá para entender o desespero do seo Sandro. Além do gosto amargo de estrear o hexagonal fora de casa e justamente contra o Maior de SC, já sabe que um time onde Neílson, Abuda e Leandro Amaro são os reforços para a série A, com certeza testemunhará uma temporada melancólica de ponta a ponta.

Só para aprenderem a ser coerentes, amanhã tomarão três chineladas naquelas bundas cor de cuia, com dois gols de Roberto e um de Marquinhos. Na boa, logo eles reclamarem de regras esportivas é muita cara de pau!

O futebol catarinense ficou completamente biruta

02 de março de 2014 65
Com a ausência do Avaí nas finais do Estadual, audiência vai pras cucuias.

Os adversários sabem que com a ausência do Avaí nas finais, o Campeonato perde muito.

Realmente este futebol Catarinense esta uma loucura. Times inexpressivos estão na Série A e na finais do Campeonato Catarinense. Enquanto isso o Maior de SC, aquele com maior torcida, maior patrimônio e com um plantel no mínimo de razoável pra bom, corre o risco de rebaixamento. Claro que isto é fruto de má gestão da Diretoria, maior responsável já que não paga os salários, mas toda Santa Catarina espera pela recuperação avaiana. Hoje o futebol Barriga Verde está sem sua bússola. Comentário do Fernando Avaiano.

Está faltando critério nas contratações ● Atualização 21h

Se pudesse escolher duas posições onde a equipe precisa se reforçar, nove entre dez torcedores apontariam um zagueiro e um centroavante sem pestanejar. Mas para nossa surpresa, o Avaí acena com a possibilidade de trazer Eltinho e Jonas para engordar o leque de opções nas laterais, o que daria sete no total.

Com orçamento financeiro e número máximo de jogadores projetados no início da temporada já ultrapassados, confesso que não estou entendendo onde a direção azurra pretende chegar. Acredito que o Avaí precisa ser pontual e certeiro principalmente a partir de agora. Não dá mais para patinar nos mesmos erros.

Aleluia, o primeiro clássico do ano em SC

15 de fevereiro de 2014 94
Tem um monte de jogos importantes em SC. Clássico, apenas um.

Tem uma montoeira de jogos importantes em Santa Catarina. Clássico, apenas um.

Não é um jogo importante, é o clássico de SC. São mais de 90 anos de rivalidade entre os dois clubes que dividem a preferência da mais importante cidade do Estado. Simplesmente a sua Capital. Nas bastassem os seus torcedores ficarem 365 dias do ano se engalfinhando de todas as formas possíveis e imagináveis, neste domingo estarão cara a cara decidindo a “Copa do mundo” da Ilha da magia.

Ontem Paulo Turra foi apresentado como o novo técnico do Avaí, mas não estará na beira do gramado do estádio mais torto da Via Láctea. Baita mancada, já que essa é a única oportunidade do professor dirigir o Avaí num clássico em 2014. Nesse não teremos mais o Newcastle da Praia do Cagão pela frente. Perdendo,Turra  não seria responsabilizado de nada, e ganhando adquiriria status de semideus.

O que esperar de quem se espera pouco ● Atualização dom 8h

Essa é a dúvida do torcedor: que Avaí entrará em campo? Se for esse dos últimos jogos, abatido pelos atrasos salariais, que esconde sua alma, já podemos perder as esperanças de um bom futebol e mais uma vitória no nosso salão de festas.

Mas como é um clássico, existe a expectativa de que a rivalidade salte das arquibancadas para o brio dos jogadores avaianos. À rigor considero esse time um moribundo no campeonato, e se teremos um Avaí com tesão ou não, isso ninguém sabe, mas há uma expectativa de redenção no ar.

Se Marquinhos, Cleber e cia acordarem para a vida por pelo menos 90min, poderemos assistir mais uma vitória no estádio mais torto do mundo. Até porque do outro lado estará um adversário previsível e com uma única jogada de bola parada, bem coisa de time pequeno. O passionalismo me sopra 2×1 para o Leão.

O que temos para o jantar?

04 de fevereiro de 2014 51
Contagem regressiva para que muitas perninhas colonas tremam na Ressacada.

Contagem regressiva para que muitas perninhas colonas tremam na Ressacada.

Campeonato de tiro curto exige uma boa largada, certo? Mas com três pontos ganhos em nove disputados diante de times que não lutam pelo título, vamos e venhamos, não há motivos para se soltar fogos no Sul da Ilha. Sinceramente, essa mania do Avaí em criar dificuldades do nada, já perdeu a graça há muitos anos.

Fim da fase das “entradas” e ainda na indigesta 6ª colocação, chegou a hora de matar a fome com os próximos três pratos principais reservados pela tabela. Joinville, Criciúma e Brusque são os três adversários a serem jantados nas rodadas seguintes. Se o Avaí quer “fazer coisa”, que seja uma boa sequência de vitórias que garanta a sua recuperação e presença no quadrangular final. Depois é o clássico.

Ainda dá para o Maior de SC. É só querer. Coluna de hoje no Diário Catarinense

Por incrível que pareça, o Avaí não é o favorito

25 de janeiro de 2014 46
Um campeonato, um craque e alguns coadjuvantes. Vai começar o Estadual 2014.

Um campeonato, UM CRAQUE e muitos coadjuvantes. Com esse Avaí não se brinca!

Dizem que vem aí o Campeonato Catarinense mais disputado dos últimos anos. Faz sentido, já que pela primeira vez desde 2008 o Avaí não é o time a ser batido.

Vindo de uma temporada onde tudo foi perdido, inclusive a honra nas últimas rodadas da série B de 2013, o Maior de SC teve que largar atrás dos demais adversários. Pouco dinheiro, poucos jogadores e pouca credibilidade do mercado e da torcida, vamos e venhamos, não é pouca coisa para ser administrada.

Mas a faxina do novo presidente vem dando resultado. O elenco já é bom e até superior ao do ano passado. Com garra e vergonha na cara podemos surpreender, o que não será nenhuma novidade em se tratando de Avaí.

E a coerência vai bem?

18 de janeiro de 2014 54
Como é bom ver os corneteiros da temporada passada mordendo a língua em 2014.

Como é bom ver os corneteiros da temporada passada mordendo a língua agora.

Legal perceber que aqueles mesmos que enxovalharam o Avaí em 2013 por ser o “time do INSS” estão vibrando com tantos reforços de idades tão alvissareiras. Fosse o Maior de SC a fazer isso e as críticas viriam em containers.

Se com 32 anos Marquinhos e Cleber Santana eram chamados de velhos, o que falar das 37 primaveras de Marcos Assunção e dos quase 40 verões de Paulo Baier? “Mas é que eles são craques, seo blogueiro”. Será que é por isso mesmo?

Breve retrospectiva desse 2013 pra lá de zebrado

30 de dezembro de 2013 54
Justo esse ano os adversários do Maior de SC resolveram não seguir as suas tradições.

Justo esse ano os adversários do Maior de SC resolveram não seguir as suas tradições.

Vamos e venhamos, 2013 rendeu um caminhão de surpresas para os torcedores catarinenses. Fora o Cavalo Paraguaio do Norte, todas as demais equipes chutaram as suas tradições e escangalharam os nossos prognósticos de início de temporada.

Aos trancos e barrancos os dois de Floripa se classificaram para as finais do Estadual, mas quis o destino termos que aturar uma final caipira. Sem a força e o prestígio de uma equipe da Capital, coube ao Golfinho e a Colonense se atracarem pela bola na decisão de um campeonato agora esvaziado de emoção.

Com esse “aborto da natureza” em terras catarinenses, já era de se esperar que muitas coisas estranhas acontecessem ao Leão da Ilha. E aconteceram na série B, montando um time com alguns craques de elite, chamando o técnico Hemerson Maria de volta, mas esquecendo de lhes honrar os salários nas datas acordadas.

A primeira “resposta” veio num clássico perdido bisonhamente por 4×0, seguida de seis derrotas consecutivas para adversários da rabeira da tabela. Depois desse milagre às avessas deu tudo errado: o rival amarelão não amarelou, o colono arregão do Oeste não arregou, o Golfinho não caiu e o Maior de SC conseguiu jogar pela janela o acesso mais fácil do século XXI. Pota que los pariu, mis amigos.

Não fosse pelo tricolor de Joinville, que novamente começou bem e terminou mal em todas as competições, esse pobre aproveitamento de 20% nas projeções do blogueiro teriam sido uma lástima completa. Por isso deixo aqui meu fraternal abraço ao clube da cidade da dança que me evitou uma desgraça profética ainda maior.

Mas como aqui o pessimismo não tem vez e para não perder o costume, anotem aí a profecia matadora: no ano que vem haverá abundância de choro e ranger de dentes para todos os que estiverem do lado de lá da ponte e em 2015 o Avaí será o único clube de SC na série A nacional. Podem me cobrar no próximo dezembro.

A maquiagem verbal que não resolve nada

16 de dezembro de 2013 51
Não basta colocar o título, tem que melhorar as condições. Foto UOL Esporte

Não basta colocar o apelido, tem que concluir e melhorar as condições. Foto UOL Esporte

A cidade de Joinville foi duramente atingida pelas cenas de selvageria ocorridas na partida em Atlético Paranaense e Vasco da Gama. Pouco pode ser acrescentado a tudo o que se falou e escreveu, mas gostaria apenas de pinçar um detalhe desse problema brasileiro. Não as brigas nas praças esportivas, mas a maquiagem verbal que quer nos fazer crer que temos locais próprios para o futebol.

Qualquer estádio desse país pode amanhecer com o apelido de Arena para dar a entender que se tem algo melhor do que o que nossos olhos conseguem enxergar. Um exemplo disso é o estádio de Joinville que, para agradar não sei quem, passou a se chamar Arena Joinville. Não possui cadeiras e cobertura em 75% de sua totalidade, nenhum palco reversível, nenhum espaço comercial ou áreas de entretenimento. Ou seja, está longe até de parecer uma arena.

Tudo bem que continuem fazendo a população da cidade acreditar nesse conto de fadas, mas poderiam ao menos terminar a obra. Não apenas pela foto acima, mas também pela conversa via Twitter que tive com o passional do JEC, fiquei sabendo que o estádio ainda não foi concluído. Como assim? Então, além da falta de conforto, ainda se permitem situações de risco para os torcedores?

Com a palavra a proprietária e responsável pelo espaço, a Prefeitura de Joinville. Acima de avaiano, sou catarinense! Mexeu com meu Estado, mexeu comigo!

 

Até na pindaíba o Avaí dá de relho em SC

03 de dezembro de 2013 114
Em três jogos a Ressacada teve lotação máxima. Foto Jamira Furlani AFC

Reclame-se de tudo, menos da fidelidade dessa nação. Foto Jamira Furlani AFC

O Avaí fez de tudo, mas de tudo mesmo para que o torcedor sumisse do estádio nessa série B. O primeiro turno foi medonho; no segundo turno houve um renascer das cinzas; mas as últimas rodadas foram melancólicas ao extremo. Entretanto os números provam que a nação azurra esteve junto na maior parte do campeonato.

Embora o Avaí tenha feito uma campanha medíocre, as catracas da Ressacada provam que essa é a maior e mais apaixonada torcida de SC. Segundo o Globo.com o Leão da Ilha teve 6.054 torcedores por jogo contra os 5.111 do rival do Estreito que obteve o acesso. Até a Colonense, que fez uma uma excelente campanha em 100% da competição, por pouco não fica atrás do Maior.

No quesito maiores públicos, aí mesmo é que a coisa fica até engraçada. A diferença para o rival do Estreito é abissal, já que que contra a Colonense 16.077 pessoas estiveram na melhor praça esportiva do Estado. Contra o próprio rival, nada menos 15.739 pagaram ingressos. Note que aqui é público pagante e não total, já que em pelo menos três partidas batemos fácil nos 18 mil.

Agora imagina esse time lutando pelo acesso nas 38 rodadas. Já pensasse?

A penúltima edição do Profeta Istepô da rodada

28 de novembro de 2013 73
Um vencedor, dois prêmios. Esse blog é um conforto só!

Um vencedor, dois prêmios. Esse blog é mais querido que coração de mãe!

No dia 03 de agosto publiquei um desafio feito pelo leitor Serginho_Jec onde, dependendo do time que terminasse a série B na frente, o perdedor compraria uma camisa do clube adversário para o vencedor. No caso deste blogueiro, ainda teria que postar uma foto no blog com a camisa tricolor. Uma brincadeira saudável.

O JEC começou a descer a ladeira e Serginho_Jec sumiu do blog, mas foi só o Avaí desandar e aparece quem? Ele mesmo, nesse sábado, cobrando a camisa. No stress. Agora era procurar uma para pagar a aposta. Encontrada e comprada em um site de SP no mesmo sábado, era esperar 10 dias úteis para recebimento.

Quando fui entrar em contato com a criatura, eis que já tinha feito conluio com o Passional de Joinville que, num post equivocado, sugeriu que um golpe estava prestes a ser dado pelo Manézinho aqui. Dessa patacoada surgiu uma lamentável sequência de comentários injustos e desagradáveis em todas as redes sociais.

O Profeta Istepô da rodada

Assim posto, está lançada a nossa penúltima promoção de 2013. Como o Serginho do JEC será penalizado com a perda da camisa por mau comportamento e nenhum espírito esportivo, e não tendo eu interesse em ter uma de outro clube no guarda-roupa, o prêmio desta edição é duplo.

Além da tradicional camiseta da promoção, agora o vencedor também levará essa do Joinville (ver imagem) para fazer o que bem entender. Isso depois de eu bater a foto com a bendita. As regras todo mundo já conhece (aqui), bastando copiar e colar os jogos abaixo com seus respectivos placares:

AVA x BOA
CHA x PAL
CEA x JEC
BRA x FIG

A insustentável leveza dos sonhos coadjuvantes

10 de novembro de 2013 32

Lá vem o Jecaville e o Zumbi do Estreito com suas torcidas esperançosas. Que coisa mais linda, mais estimada e inútil. Desistam, nunca chegarão!

Enquanto isso o Avaí vai tendo mais sorte que juízo. Todo ano a gente repete a mesma coisa, mas nunca esteve tão fácil subir como nesse ano. Mesmo perdendo as três últimas partidas, permanece colado no G4 em condições de acesso.

Se vai continuar não querendo, aí é outro pato. Papo, quis dizer papo.

Um minuto de silêncio pela situação do rival

02 de novembro de 2013 32
Um minuto de silêncio pela situação do rival... fim do minuto... huahuahua

Fim do minuto de silêncio… huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahua

Pensa num clube de futebol desesperado, abandonado, sem torcida e sem esperança. Agora multiplique por um zilhão e você terá a situação do Íbis da Capital. O Avaí disponibilizou 4 mil tickets para a torcida geladeira e o que aconteceu? Nada! Aí veio o plano de emergência dos caras: “Faz de graça, puerra!”.

Esse banner acima foi publicado (sem o Obama) na tarde de ontem e dizem que ainda têm nove ingressos dando sopa na secretaria. Enquanto isso o Maior de SC já está tendo problemas com o fim dos bilhetes para os setores A e B da Ressacada. Se nós temos pena do caos no Continente? Nenhuma, meus amigos!

Avaí firme no G4, rival já pensa em 2014

20 de outubro de 2013 73
Fora do campeonato, 50% de ocupação do remendão. Foto blog Paixão Alvinegra

Hoje caidaço, fora da série B e abandonado pela torcida. Foto antiga do Paixão Alvinegra.

Com a vitória sobre o Paysandu e os demais resultados da rodada, o Maior de SC não só voltou para o G4 como se manteve na quarta posição mesmo com um jogo a menos. Antes da partida da próxima sexta-feira diante do Bragantino na Resssacada, a missão é secar o Paraná na terça-feira, quando enfrenta o Atlético em Curitiba.

O que não anda nada bem é o clima do outro lado da ponte, principalmente depois de perder em casa para o Cavalo Paraguaio Catarinense. Além do fracasso dentro de campo, registre-se a frustração do Real Madrid Fail após sonhar superar o público de 17 mil de Avaí x Chape e empacar na casa dos 9.500 pagantes.

Sintam o devaneio verbal do vídeo que rodou na Capital para tentar lotar o estádio mais assimétrico do mundo: “Estão dizendo que o campeonato já acabou. Estão dizendo que o G4 já está definido. Estão dizendo até que o maior público do ano na série B já aconteceu. Só esqueceram de avisar você!”

Se é por falta de aviso prévio, pode contar com a nossa sinceridade. Sim, o campeonato já acabou para você! Sim, o G4 já está definido sem você! Não, o maior público de SC na série B de 2013 ainda vai acontecer no dia 03 de novembro, no clássico da Ressacada! Pronto, agora você está informado de tudo!

Torcidas de Avaí, Figueirense e Santa Cruz não mandam nada

30 de outubro de 2012 15

O futebol brasileiro está em stand by, em compasso de espera, e isso é perceptível na medida em que até a admiração dos torcedores de outros países tem tomado o caminho da Espanha, Inglaterra e Argentina, só para citarmos três. E é nessa espuma global que caminha o futebol da Capítal.

Na Grande Florianópolis, o Avaí e seu rival disputam palmo a palmo a preferência do torcedor a cada pesquisa de “intenção de paixão eterna”. Na última, divulgada ontem pelo Instituto Ipson Marplan, o rival levou a melhor, com 37% a 21%, mas registre-se que em quase todas as pesquisas o Leão perde na cidade mas vence em SC, o que lhe dá vantagem em termos absolutos.

Entretanto, apesar do forte apelo popular, as duas torcidas da capital são tão politicamente inexpressivas como a do Santa Cruz que, independente de série, quebra recordes nas catracas do Mundão do Arruda. De comum entre estes torcedores é o fato de não terem qualquer influência nas tomadas de decisão de seus respectivos clubes. Seus dirigentes pintam e bordam sem que nenhum tipo de cobrança qualificada venha a interferir na “administração” do futebol.

Se em 2009 o Santinha “arrombava” com sua média de 40 mil pessoas na série D nacional, na C de 2012 metade resolveu largar o osso. O torcedor cansa e, diferente dos cidadãos europeus que reclamam de produtos e serviços antes de buscar um novo fornecedor, o brasileiro sai de mansinho e toma lugar em seu sofá da sala. Não é isso que está acontecendo também em Florianópolis?

Essas crianças lindas

12 de outubro de 2012 18

Singela homenagem do blogueiro àqueles que NUNCA SERÃO mais que recém-nascidos quando comparados ao MAIOR DE SC. Feliz Dia das Crianças, passionais complexados.

Série B encaminha os favoritos

06 de outubro de 2012 5

Faltando apenas uma partida, Vitória x ABC que começa agorinha mesmo em Salvador, a 28ª rodada da série B vai encaminhando as equipes que estarão na elite do futebol brasileiro em 2013. Não acredito em surpresas daqui para o final.

O JEC, o famoso “cavalo paraguaio” da bela e úmida Chuvaville, conseguiu a proeza de sair na frente contra o vice-lanterna, o Barueri, mas permitiu o empate. Tudo isso no primeiro tempo. Morrerá na praia, como sempre.

Já o Criciúma suou sangue para vencer o Ceará no Heriberto Hulse, com um gol salvador naquele estilo Cricri de jogar: aos 48min40seg, há 20 tictacs do apito final do árbitro. Mas valeram os três pontos. À partir de agora a dúvida é se o tricolor da cidade do carvão será campeão ou vice do Vitória.

Goiás, São Caetano, Joinville e Atlético disputam as duas vagas em aberto. O Avaí, com míseras possibilidades matemáticas, depende de algum fator extra-ordinário ainda não conhecido pela ciência moderna. Pelo sim, pelo não, melhor já planejar a próxima temporada, certo João?

Joguinho bom com estreia legal pela frente

25 de setembro de 2012 4

O próximo jogo do Avaí será nada mais, nada menos, contra o líder isolado da série B, o Vitória, com seus “só rindo para não chorar” 73% de aproveitamento. Isso não é uma campanha, é um tapa na cara do freguês, essa é a verdade.

Mas acredito que o Avaí não poderia ter um adversário melhor. Vamos e venhamos, perdendo para os baianos, a “casa” de Argel Fucks não cairá e os seus meninos nãos serão massacrados nem pelos torcedores e menos ainda pela imprensa.

Em contrapartida, imaginem o efeito que causaria um trinfo sobre o quase imbatível do nordeste. Jogo bom de se jogar, já que não se pensa num Vitória retrancado. Os rubronegros vêm à Ressacada para vencer, não tenha dúvida, e isso pode ser ótimo.

Foto Flávio Neves

O novo camisa 10
O técnico Argel Fucks pediu pra gente parar de falar em Cleber Santana e tem razão. Pensar nessa negociação, sinceramente, é de causar úlceras no torcedor avaiano. Então vamos mudar de assunto rapidinho: Cleverson retornou do Náutico e é o novo Cleber Santana da Ressacada (putz, falei).

A tentativa com Acosta não deu certo, o que nos faz crer que o filho pródigo que  já treina na Ressacada possa ser o novo 10 do Avaí. Cleverson não é exatamente um meia-armador, mas meia-atacante, o que fará Argel rebolar um bocado para fazer do rapaz o substituto de Cleber Santana (droga).

Cleverson não foi bem em 2011 e acabou caindo com o Avaí para a segundona. Volta querendo mostrar mais do seu futebol e de quebra engatar um contratinho melhor para 2013. Se der tudo certo, talvez consiga até ir para o Flamengo, fazer dupla de meio com Cleber Santana (desisto).