Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Catarinense 2013"

Breve retrospectiva desse 2013 pra lá de zebrado

30 de dezembro de 2013 54
Justo esse ano os adversários do Maior de SC resolveram não seguir as suas tradições.

Justo esse ano os adversários do Maior de SC resolveram não seguir as suas tradições.

Vamos e venhamos, 2013 rendeu um caminhão de surpresas para os torcedores catarinenses. Fora o Cavalo Paraguaio do Norte, todas as demais equipes chutaram as suas tradições e escangalharam os nossos prognósticos de início de temporada.

Aos trancos e barrancos os dois de Floripa se classificaram para as finais do Estadual, mas quis o destino termos que aturar uma final caipira. Sem a força e o prestígio de uma equipe da Capital, coube ao Golfinho e a Colonense se atracarem pela bola na decisão de um campeonato agora esvaziado de emoção.

Com esse “aborto da natureza” em terras catarinenses, já era de se esperar que muitas coisas estranhas acontecessem ao Leão da Ilha. E aconteceram na série B, montando um time com alguns craques de elite, chamando o técnico Hemerson Maria de volta, mas esquecendo de lhes honrar os salários nas datas acordadas.

A primeira “resposta” veio num clássico perdido bisonhamente por 4×0, seguida de seis derrotas consecutivas para adversários da rabeira da tabela. Depois desse milagre às avessas deu tudo errado: o rival amarelão não amarelou, o colono arregão do Oeste não arregou, o Golfinho não caiu e o Maior de SC conseguiu jogar pela janela o acesso mais fácil do século XXI. Pota que los pariu, mis amigos.

Não fosse pelo tricolor de Joinville, que novamente começou bem e terminou mal em todas as competições, esse pobre aproveitamento de 20% nas projeções do blogueiro teriam sido uma lástima completa. Por isso deixo aqui meu fraternal abraço ao clube da cidade da dança que me evitou uma desgraça profética ainda maior.

Mas como aqui o pessimismo não tem vez e para não perder o costume, anotem aí a profecia matadora: no ano que vem haverá abundância de choro e ranger de dentes para todos os que estiverem do lado de lá da ponte e em 2015 o Avaí será o único clube de SC na série A nacional. Podem me cobrar no próximo dezembro.

Marca Avaí dá de relho nos adversários de SC

08 de setembro de 2013 34
Eu já sabia, tu já sabia, ele já sabia. Todo mundo já sabe!

Eu já sabia, tu já sabia, ele já sabia. Na verdade todo mundo já sabia!

O Avaí não fez um bom campeonato catarinense. Também não foi campeão estadual. Não fez um bom primeiro turno na série B e, mal começou o returno, já tropeça nas próprias pernas dentro de casa. Mas nada disso o impediu de continuar sendo o maior clube, o de maior torcida e o mais querido do Estado.

Depois do TOP OF MIND, agora foi a vez do Leão da Ilha receber o IMPAR 2013 na categoria “Time de Santa Catarina”, com 16% dos votos. O Cavalo Paraguaio (que não vai subir para a série A) ficou em segundo com 13% e o Middlesbrough da Praia do Cagão empatou com o Golfinho na terceira posição com 9%.

Duas curiosidades: em Joinville a pergunta feita aos entrevistados foi “Qual o seu time preferido depois do Vasco?”; e a Colonense não foi citada na pesquisa porque em Chapecó só se encontrou torcedor de Grêmio e Internacional.

Será que o título foi justo?

21 de maio de 2013 161

Montagem sobre foto original de Sirli Freitas Agencia RBS

Tenho minhas dúvidas se o título de Campeão Catarinense fez justiça àquele que foi realmente melhor dentro de campo. A Colonense encheu os olhos de todos no primeiro turno e, por alguma razão misteriosa, arregou geral no segundo turno. Passou pelo freguês da Capital na semifinal – mas isso era mamão com açúcar – depois jogou como time minúsculo na primeira partida da decisão, deu um banho na volta, mas aí já era tarde.

O Avaí fez um campeonato ridículo, excetuando-se duas ou três partidas onde percebemos a presença da sua tradicional garra, somada a um futebol de alta qualidade. É um time que possui um elenco com alguns jogadores acima da média – Marquinhos, aliás, foi eleito o craque do campeonato – e poderia ter rendido muito mais na semifinal. Botou os golfinhos na roda aqui na Ressacada e sofreu um tilt na cidade do carvão.

Voltando ao tema de “justiça dentro de campo”, é uma pena que o SE não joga, porque se jogasse, poderíamos voltar no tempo e marcar aquele pênalti claro que o árbitro Célio Amorim não viu (e não viu mesmo) a favor do Avaí contra o golfinho nos acréscimos do jogo da 3ª rodada do returno. À época comentei que o erro poderia definir o campeonato, assim como profetizamos que o campeão sairia da semi entre estes dois. Dito e feito.

Mas dizem que futebol é apaixonante exatamente por isso, porque às vezes o melhor não vence. Por esse ângulo, talvez, o Criciúma Dolphin mereça estar momentaneamente na quarta colocação entre os maiores vencedores de canecos catarinenses. No topo da cadeia alimentar está, obviamente, o Maior de SC.

Homenagem ao campeão e vice de SC

20 de maio de 2013 138

Continuem assim, organizadinhos, esforçados, torcendo para que o Avaí não chegue a mais nenhum título Estadual e quem sabe, até 2050, um de vocês nos alcance.

Final do Estadual e reforços no Avaí

14 de maio de 2013 57

A final Estadual é importante, mas sem o Maior de SC, fica bem menos importante.

Ontem muitos leitorem de regiões isoladas de SC cobraram a ausência de uma linha que fosse sobre a final do Catarinense 2013. Precisam da nossa bênção, só isso. Como comentei aqui, diferente de muitos catarinenses que optaram por assistir a final de outros Estados, esse manezinho da ilha ficou de olho no que é nosso. Muitos de SC sintonizaram a TV em partidas de “times de fora”, os mesmos que não entendem quando a TV escolhe transmitir um jogo de SP ao invés de algum representante do nosso Estado.

Então, à comentar sobre a vitória do Dolphin sobre a Colonense por 2×0, apenas que o título não está decidido. Os Amarelos estão pisando feio no salto 15 e já se consideram campeões. A arrogãncia é um perigo, sem falar que os Verdes devem crescer muito dentro de casa. Conforme o comentário de um leitor do Oeste numa postagem anterior: Caiu no Condá, é só entrerrá. Racharei o bico de tanto rir com a conquista do 5° título do povo de Chapecó. São chatos pra caramba, mas merecem o caneco.

Voltando para o que mais nos interessa, Felipe Alves, aquele da cavadinha fail no clássico que interrompeu seis anos de tabu no nosso salão de festas, esse está de volta ao Avaí. Não deu certo na Penapolense e vem dar uma “encorpada” na folha salarial do clube. Mas temos uma boa notícia para nossa sofrida zaga. Leandro Amaro chega diretamente do Palmeiras para reforçar o Avaí. Já estava na hora de colocar um companheiro à altura de Leandro Silva na cozinha azurra. Bem-vindo, meu pombo.

Final caipira em Santa Catarina

06 de maio de 2013 140

Parabéns aos vencedores do 1° e 2° turnos que com justiça decidem o caneco estadual.

E aos cinco dias de maio do ano da graça de 2013 confirmou-se o temor dos Manézinhos da Ilha mais bonita do mundo: o futebol da Capital está fora da disputa do título do Campeonato Catarinense. Me perdoem os comptetentes finalistas pela sinceridade, mas eita campeonatinho ruim esse, não? Tirando aquele Joinville 4×3 Criciúma e Avaí 3×2 Criciúma, o resto foi de regular para sofrível, o que leva a crer que todos os cinco grandes de SC penarão em suas respectivas séries no Brasileirão que começa dacumpoco.

Pelo que apresentaram ao longo da competição, os dois de Florianópolis até que foram longe. Com sérios problemas financeiros e um planejamento que foi sendo ajustado pelo caminho ao toque de atabaque, só resta aceitar com humildade e bom humor a supremacia dos clubes do interior. E se Criciúma e Chape não são um primor administrativo, ainda assim conseguiram superar as suas dificuldades internas latentes.

Diferente do que muitos catarinenses fazem nesse momento em que seus times estão fora da disputa, ficarei grudado nos dois bons jogos que estão à caminho. Espero que os cartolas e boleiros da Capital façam a mesma coisa, até porque já estamos cansados de ver chegar jogador de fora que não produz nada que preste. Vai que algumas das soluções para essa ou aquela posição estejam aqui mesmo em nosso quintal, hã!?

Quase ia me esquecendo: dizem que aquele povo de Joinville que comprou ingresso para o jogo contra o Santos, já pode ir até o PROCON pedir os R$100 de volta. Parece que Neymar não vem. Que coisa, ainda bem que Nardela vem. Não, pera!

Só vou dizer uma coisa

05 de maio de 2013 154

Espero que a Chape não decepcione os seus fãs-postiços-vapt-vupt hoje no Condá.

O que tinha para dizer era isso, mas vou continuar. Não estava afim de falar sobre a zebra de ontem, mas como os leitores do Estado sabem que avaiano que é avaiano não arrega nunca, cá estou para dar a cara à tapa da zoação da cacalhada secadora.

Marquinhos fazendo lambança aos 3min, 1° tempo ridículo de emparedamento tático, um quarteto defensivo à lá cones de trânsito e um arbitrosinho que comeu pelo menos 5min de acréscimo… é de tirar o tesão de qualquer um para comentar algo racional.

Na verdade o Maior de SC só chegou até aqui pela tradição de sua camisa e a força que o impulsiona em retas finais de qualquer competição. Cansamos de comentar isso no blog. O elenco é limitado mas honrou as nossas cores. Estão de parabéns.

Venceu com justiça o time-golfinho de SC, aquele que subiu no ano passado, fez essa palhaçadinha eliminando o Avaí, mas que tomará um sacode da Chape na final. Depois deve cravar sua queda da série A até no máximo novembro. Não torço por isso, mas tradição é coisa séria e o seo Angeloni costuma respeitar essas coisas.

De cabeça erguida, orgulho de ser avaiano sempre!

Hoje sai o campeão de 2013

04 de maio de 2013 53

Contagem regressiva para o jogão de hoje na cidade do carvão. Vamu vamu Avaê!

Quis o destino que Avaí e Criciúma se enfrentassem justo nas semifinais. Por tudo o que jogaram no domingo passado, cravo que o próximo campeão catarinense será conhecido hoje no Heriberto Hulse. Prepare-se, pois teremos outro espetáculo de fazer o torcedor esfregar seus olhos para tirar as ramelas desse futebol enfadonho que tomou conta do país.

O Avaí chega com a vantagem do empate, a sua tradição de time de chegada, com o peso de sua camisa e jogadores mais decisivos. O adversário vem com gana de vitória, com a força do conjunto e o coro de 15 mil vozes das arquibancadas. Que sacrilégio essa decisão antecipada. O Criciúma também merecia estar na final. Mas não hoje. Coluna Passionais Avaí deste sábado no Diário Catarinense

O predador é o de azul e branco

03 de maio de 2013 70

Pelo certo a luva azul deveria ser maior, mas manda a educação sermos humildes.

Como já era de se esperar, o discurso na Ressacada é de enxergar a partida de amanhã como uma final de campeonato. Há quem diga que realmente é, opinião da qual 100% dos torcedores de Criciúma e da parte insular de Florianópolis concordam plenamente. Da outra semifinal, venha quem vier, será devorado ao natural.

E para quem espera um Avaí ressabiado, pode ir tirando o cavalinho da chuva porque o Leão chega encarando os golfinhos sem medo de cara feia ou pó de carvão nos olhos. Postura de time grande, não menos que isso. Valorizar a posse de bola, dosar a ansiedade, minar os nervos do adversário, impor o silêncio para os 15 mil secadores das arquibancadas e não dar atenção para seus cânticos copiados da Geral do Grêmio.

Como bem disse Julinho, esse coro gauchesco importado não vai fazer diferença: “Entre a torcida deles e a nossa, a nossa faz muito mais pressão”. Respeito sim, temor jamais, até porque o predador é o de azul e branco, com time completo e repleto de confiança de voltar para casa com o passaporte carimbado para a finalíssima. O Maior de SC entra em campo classificado, mas terá que confirmar isso nos 90min. E assim será!

As três vantagens do Avaí

02 de maio de 2013 60

Entre tantos jogadores "iguais", apenas o Leão possui um que faz toda a diferença.

Acredito que o primeiro jogo da semifinal principal do Campeonato Catarinense mostrou um grande equilíbrio entre as duas equipes. Digo e repito que o Avaí foi mais incisivo, mais esganado pela vitória aqui na Ressacada. Foi o único, aliás, que não fez uso da chamada cera amorcegante típica dos medrosos, não é mesmo, senhor goleiro Bruno?

O Maior de SC precisava desfazer a vantagem do adversário, então jogar-se para frente e buscar o gol que valia ouro era a sua obrigação. Missão dada, missão cumprida, e um 3×2 que mostrou que Ricardinho e seus meninos não estão de brincadeira nesta competição. Agora, meus amigos, vamos para a cidade do carvão com três vantagens.

A primeira é a do placar, onde um empate é suficiente para cravar presença na grande final. A vez de sair atrás do resultado agora é deles. E é aí que surge a segunda vantagem, a tradição de uma camisa acostumada à decisões, coisa que o jovem Criciúma Dolphins está buscando há apenas 35 anos. Isso desde que surgiu da “super fusão” entre Comerciário, Metropol, Ouro Preto, Atlético Operário e Boa Vista, se não me engano.

Por último, o importante handicap técnico de ter em seu elenco Marquinhos Santos, o único craque em atividade no futebol de SC. Jogador talentoso, líder nato e capaz de definir o jogo num único toque, M10 será o fator de desequilíbrio no Heriberto Hulse, ainda mais com os generosos espaços que o técnico Vadão costuma ceder. Me cobrem depois.

Papo reto, sem bobiça e guéri-guéri

30 de abril de 2013 60

O homem que pode ter decidido o campeonato. Foto base Maurício Vieira/RBS

Diferente de uma boa parte dos torcedores da Ilha de SC, não sou um adepto da “Teoria da Conspiração Contra o Avaí”. Quando os dirigentes são profissionais, a comissão técnica é competente e o elenco possui uma razoável qualidade técnica, não há macumba que impeça o triunfo de um clube de futebol. Pois é, mas quem apanha não esquece.

Por isso, se Avaí e Criciúma estão antecipando aquela que seria a justa final do Campeonato Catarinense, uma boa parcela se deve àquele erro de Célio Amorim ao não marcar o pênalti fosforescente para o Leão justamente contra o Tigre. Os confrontos das semifinais seriam diferentes, com ambos enfrentando as duas babas da outra chave.

Vadão, o míope
Sou um admirador do trabalho do treinador do Criciúma, mas lamento que tenha dado tanta ênfase para o “amorcegamento” dos gandulas da Ressacada. Disse e repito que o professor estava certo, mas com tantas coisas boas para comentar sobre a partida, se ater a esse problema menor cheirou a compensação pela derrota. Desnecessário, até porque no Heriberto Hulse os gandulas não são mais profissionais que aqui… ou são?

Foi gente pra chuchu
Os secadores não perdoaram os 10  mil de público na Ressacada, então vou desenhar. Foi um domingo de sol de rachar, com a concorrência de 42 lindas praias e a certeza de filas-monstro para o estádio com o pior acesso do Brasil. E como dificuldade é mato para a nação azurra, a diretoria majorou o preço dos ingressos em mais de 30% e ainda teve a transmissão da TV para Floripa. Fosse outra torcida e não daria 5 mil almas.

Praticamente uma seleção
Saiu a lista dos melhores das semifinais e o Avaí passou o rodo geral: Arlan, Eduardo Costa, Higor, Marquinhos, Roberson e mais o técnico Ricardinho. É isso o que acontece com qualquer jogador que enverga as muitas toneladas do nosso manto sagrado: vestiu, chegou nas finais e cada chute vira um flash. A tendência é de superação no sábado para confirmar presença na final. Agora imagina Cleber Santana nesse time, hã!?

Avaí e Criciúma, duelo de gigantes

29 de abril de 2013 107

Um show de bola das duas melhores equipes de SC. Arte sobre foto de Jamira Furlani AFC

Avaí Futebol Clube e Criciúma Esporte Clube. Nome e sobrenome de duas equipes que por 90min fizeram o torcedor esquecer o marasmo e a falta de comprometimento que inunda o futebol brasileiro. Foi a melhor partida deste ano em SC, onde só resta lamentar o “sacrilégio” de ser a final antecipada do campeonato.

Jogo com alternância de domínios territoriais, disposição física e cinco gols. Confronto que teve o Leão da Ilha sempre à frente do placar, o que resultou na vitória por 3×2  do time que precisava desfazer a vantagem do adversário. Mas até o apito final do homem de preto, nada estava definido nesse jogaço.

Os meninos de Vadão reclamam – e com razão – da “ensebação” dos gandulas, um problema crônico na Ressacada. Já a gurizada de Ricardinho grita – também com razão – do excesso de “voluntariedade” de alguns e da “ensebação” do goleiro Bruno sempre que o placar apontava a igualdade. Sim, foi um jogo com catimba de ambos os lados.

Se ninguém abriu mão de jogar para frente, venceu o Maior de SC por ter atuado com mais garra e experiência. A arquibancada também “entrou em campo”, o que geralmente determina o vencedor aqui na Ilha. Venceu o Avaí, mas também poderia ter vencido o Criciúma. Jogo maluco de bom. O deuses do futebol agradecem o espetáculo.

Sobre leões e gatinhos

28 de abril de 2013 31

Raça, tradição e união. Há 90 anos isso faz muita diferença. Foto de Maurício Vieira

Até a goleada sobre o Voltaço no meio de semana, o Avaí era o azarão entre os semifinalistas do Catarinense. Era. Eu, você e os nossos adversários foram todos pegos de surpresa por um time organizado, disciplinado e que não cessou de buscar o gol durante quase todos os 90min.

As energias estão renovadas, a confiança em alta e Ricardinho já consegue enxergar os seus 11 titulares finalmente com um plano tático. Isso é música nos ouvidos na nação azurra para a partida deste domingo contra o Criciúma.

Já que os alemães lançaram moda em ganhar bem em casa e fazer turismo no jogo da volta, não se espante se a classificação para a final se dê hoje mesmo na Ressacada. Eliminar amarelões é coisa de Leão, não de gatinho manhoso. Passionais Avaí de hoje no DC

Previsões óbvias para as semifinais

23 de abril de 2013 128

Esses são os TOP5 de SC com suas "marcas registradas" já devidamente conhecidas.

O papo deveria ser Copa do Brasil, mas esse blog transpôs culturas e precisa atender a solicitação do povo para passar a régua no segundo turno e engatilhar as semifinais do Estadual. Aliás, registre-se a fidelidade dos leitores que conferem uma audiência expressiva e qualificada a esse endereço virtual (para o desespero dos outros Passionais).

O ausente
Desde o primeiro raio de sol desta temporada, aqui se afirmou que o Jo-inveja não chegaria a lugar algum. Antes revoltado com o batismo de seu time como o cavalo paraguaio por excelência de SC, agora o torcedor tricolor percebeu que pode haver sabedoria no sarcasmo . Virado na “casa da mãe Joana”, não restou outra coisa aos meninos do Rei Artur que juntar os cacos para não cair para a série C. Dedos cruzados.

Semifinal secundária
De cá o time de um técnico-inventor e mais duas dúzias de aloprados que tentam resgatar a bússola perdida no Estadual passado. E não tem jeito do Amarelense se levantar e fazer seu torcedor acreditar. Entretanto, deve passar ao natural pela “carroça morro abaixo” de lá que se tornou a equipe de Dal Pozzo. Sem a grama de jardim do estádio de Xanxerê, a Chape será presa fácil nas duas partidas em tapetes verdes de boa qualidade.

Semifinal principal
O Cri-ciúme se aproveita do glamour do maior de SC e faz a eliminatória mais importante. Vem numa fase ascendente e Vadão parece ter encaixado a equipe. O problema é que os sulistas perderam a lembrança de como é decidir alguma coisa e dão logo de cara com o predador. O Avaí é favorito não pela superioridade técnica, mas pela sina de campeão que sempre invade as veias de quem veste o seu manto sagrado. Me cobrem depois.

Sai pra lá, urucubaca dos infernos!

22 de abril de 2013 75

O Avaí "fez de tudo" para ficar de fora. Mas foi fondo, foi fondo, foi fondo e... iu!

Poderia ter sido mais simples, mas se é o Avaí que está em campo, haja pronto-socorro para os cardíacos. O Camboriú prometia chegar mortinho da Silva, mas cadê da gurizada rebaixada dar mole para o Leão? Se fingiram de morto para traçar o coveiro, mas esqueceram que nesse cemitério só os adversários são enterrados. Sai bruxa!

Depois de um primeiro tempo medonho, o Maior de SC retornou para a etapa final com a obrigação de mexer naquele indigesto 1×1 dos primeiros 45min. Até o desempate para fecharmos o caixão do Cambura com a terceira pixotada, sinceramente, foi um sofrimentos só para as quase 6.000 almas presentes na Ressacada. Mas foi o suficiente para mostrar que de amarelão o Avaí não tem nada.

Ficamos com a modesta 4ª colocação geral, a campanha foi irregular e com um futebol que não convenceu o torcedor. Ricardinho ainda está fazendo testes e lendas como entrosamento, ocupação de espaços e movimentação prometem emergir agora na reta final. Se chegamos até aqui, não foi pela qualidade técnica, mas com a garra de predador-mor de SC. O favorito para a semi com o Cricri? Amanhã eu conto.

Campanha de conscientização

16 de abril de 2013 46

O pedido de um gaúcho fresco é uma ordem para os colonos do Oeste.

Não fosse o futebol uma caixinha de surpresas e poderíamos cravar os confrontos das semifinais. Com o “cavalo paraguaio” já de fora – pedra que este blogueiro vem cantando desde a primeira rodada – Avaí, Criciúma, Chapecoense e Figueirense poderiam estar esfregando as mãos todos faceiros. Mas há uma pequena dúvida pairando no ar.

Combinado com outros resultados, se a Chapecoense arregar para o Atlético Ibirama e tomar seis gols, vejam só, o Maior de SC sai fora e entra o time do Vale do Itajaí. Aqui na Capital surgiu uma corrente conspiratória que antevê um agradecimento pela virada de mesa de 2010, ano em que a Chape caiu para a segundona estadual, mas que se salvou graças ao Atlético que pediu afastamento do futebol para 2011.

Ninguém em posse de suas faculdades mentais pode imaginar uma coisa dessas. Nem o Jorge da Borracharia (que arrega para todo macho que lhe aparece) pode acreditar que o valoroso time do Oeste catarinense entregaria uma partida de forma assim deselegante. Com a Chapecoense em frangalhos, o Criciúma amarelão e Figueirense o freguês de sempre, sabemos que o Avaí é o favorito, mas que ninguém desista já!

O medo que faz a diferença

15 de abril de 2013 45

Dixcoxta para os "modinhas" do Orlandes Carpelli. Foto Facebook de Carmem Mência.

Já perguntei antes e pergunto de novo: quando foi que o Avaí entrou em campo para empatar e conseguiu vencer? Não lembro e o leitor também não. Mas ontem parecia que Ricardinho havia montado a equipe sem medo de ser feliz. Três atacantes dava pinta que pela primeira vez no ano o Maior de SC entraria em campo como time grande.

Embora com um futebol ainda abaixo do esperado, a ousadia redundou em um gol do zagueiro Pablo ainda no primeiro tempo. Mas a falta de ensaio no 4-3-3, somado ao excessivo zelo pelo placar até então vantajoso fez o Avaí voltar para o segundo tempo com aquele tradicional covardia dos treinadores brasileiros.

Todo recolhido, chamando o Metropolitano para cima, não tardou para que Alef fizesse um pênalti bobo e de brinde recebesse o cartão vermelho. Rafael Costa, aquele mesmo, decretou o que seria o placar final no estádio do Sesi (pelo menos não é da prefeitura), que garante ao Avaí o 3° lugar no segundo turno e o 4° na classificação geral.

Embora o Maior de SC tenha estado em campo, o destaque da rodada vai para o FREGUErense, que aliviou o pezinho diante do Cri-ciúme para se ver livre do pesadelo de pegar o Avaí no primeiro jogo da semifinal. Tomou um “tapa na rosca” dentro de casa e o técnico reclamou da “geladeira” que é a sua torcida. Eu quero é novidade.

Com o Avaí, alles blau

14 de abril de 2013 4

Só queremos o chopp e a vitória, nada mais. Montagem em foto de Jaime Batista da Silva.

Lá se vai uma semana desde a vitória sobre o rival, mas quedê que o prazer nos dá trégua? Três pontos que encaminharam a classificação do Maior de SC para o quadrangular final do Estadual. Triunfo na base garra de um grupo tecnicamente limitado, mas onde sobrou vergonha na cara. Já no Estreito, haja lenço para o chororô de Adilson e cia.

Mas hoje a “bronca” é na cidade da Oktoberfest, lugar para onde o Avaí e sua torcida levarão um mar de boas energias para confirmar sua condição de predador-mor do futebol barriga-verde. O Metrô que nos perdoe, não é nada pessoal nem nada, mas nesse domingo o chopp com chucrute dá lugar ao café preto com cardosa frita. Alles blau, tudu azuli, tudo azul, esse é o Leão da Ilha. Coluna Passionais Avaí de hoje no Diário Catarinense.

Um time de patos

09 de abril de 2013 55

"Floripa também é pequena pra você" Zagueiro jurando Eduardo Costa. Cristiano EstrelaRBS

Meus Pai do céu, que xororô dos infernos! Os caras vêm para a Ressacada com o rabinho entre as pernas, propõem não jogar bola diante de 11.200 espectadores, se armam feito virgens para não fazer nem tomar gols, praticam o anti-jogo por todos os 90min, catimbam tudo o que podem, perdem a partida e a culpa é dos outros?

O senhor Adilson garante que Marquinhos apitou o jogo. Maylson (who?) disse que só com a ajuda do árbitro para “esse timinho ganhar da gente”. E tem o zagueiro Douglas, aquele que quase arrancou a cabeça do atacante Reis para dar o passe para o gol da virada do Avaí (foto), reclamando que foi intimidado por Eduardo Costa durante o jogo. Queria flores, ele? Zagueirinho, vai vender cookies que futebol não é pra ti!

Engraçado que depois do apito final todo mundo ficou macho e chorão. Por que não peitaram os jogadores do Avaí quando estavam cara a cara? Por que não chutaram uma única bola durante toda a partida para só depois reclamarem de nossos gols? É muito mimimi para desviar a atenção da imprensa e engambelar a torcida. Olha, vô ti dizêti, parece um time de patos: nadam, correm, voam e não fazem nada disso bem feito.

Eu sei que vocês estão aí

08 de abril de 2013 112

Reclamando de arbitragem, é? Entrando em campo para não jogar, é? Merecem chorar.

Estou esperando vocês aparecerem. Tô falando dos tricolores fanfarrões, aqueles que na semana passada entupiram o blog cantando humilhação ao Avaí. Apareçam, zumbis, saiam de seus sarcófagos, comedores de cardosa que arrotam camarão no Estreito. O 2×1 da vitória azul de ontem ficou barato e vocês sabem disso.

Foi a pôca da vergonha ver um time pisar a grama sagrada da Ressacada para servir de sparring do Maior de SC. Esse aí é o técnico sensação que vocês falavam? Armar uma equipe para não jogar, até o seo Alfosinho, o dono do boteco que é míope e anda torto por ter levado uma bolada no testículo, isso ele também sabe fazer muito bem.

Técnico medroso, jogadores amarelões, dirigentes cheios de xororô. Agora a culpa é da arbitragem? Vão criar vergonha na cara! Admitam que os dois gols do Avaí foram legítimos. Assumam que o Avaí se agiganta nas finais, que é cavalo de chegada e que está no topo da cadeia alimentar do futebol de SC. Nunca duvidem do Leão da Ilha!

Ah, e por que vocês abandonaram o time? Zunino liberou 3.300 ingressos e vocês não compram nem 2.000? Qué qué isso, torcida modinha? Não é assim que se apóia um time. Sigam o exemplo da nação azurra que ontem incendiou o time o jogo todo e que agora vai invadir Blumenau no próximo domingo. Nação que hoje é só alegria. Créu!