Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Do outro lado"

O futebol catarinense ficou completamente biruta

02 de março de 2014 65
Com a ausência do Avaí nas finais do Estadual, audiência vai pras cucuias.

Os adversários sabem que com a ausência do Avaí nas finais, o Campeonato perde muito.

Realmente este futebol Catarinense esta uma loucura. Times inexpressivos estão na Série A e na finais do Campeonato Catarinense. Enquanto isso o Maior de SC, aquele com maior torcida, maior patrimônio e com um plantel no mínimo de razoável pra bom, corre o risco de rebaixamento. Claro que isto é fruto de má gestão da Diretoria, maior responsável já que não paga os salários, mas toda Santa Catarina espera pela recuperação avaiana. Hoje o futebol Barriga Verde está sem sua bússola. Comentário do Fernando Avaiano.

Está faltando critério nas contratações ● Atualização 21h

Se pudesse escolher duas posições onde a equipe precisa se reforçar, nove entre dez torcedores apontariam um zagueiro e um centroavante sem pestanejar. Mas para nossa surpresa, o Avaí acena com a possibilidade de trazer Eltinho e Jonas para engordar o leque de opções nas laterais, o que daria sete no total.

Com orçamento financeiro e número máximo de jogadores projetados no início da temporada já ultrapassados, confesso que não estou entendendo onde a direção azurra pretende chegar. Acredito que o Avaí precisa ser pontual e certeiro principalmente a partir de agora. Não dá mais para patinar nos mesmos erros.

Por favor, parem com esse chororô vergonhoso

18 de fevereiro de 2014 106
Um rio de lágrimas invade o lado continental da Capital e acaba com a seca.

Um rio de lágrimas finalmente acaba com a seca no lado continental da Capital.

É inacreditável a síndrome de mau perdedor que se abateu no rival do Estreito. Só fazem se esparramar em prantos pela merecida chinelada no clássico de domingo, agora colocando a culpa em todo mundo, menos no seu limitado grupo de jogadores. Vamos combinar, um elencozinho bem mixuruca que vai bater na série A e despencar rapidinho para a série C devida até hoje.

Marquinhos – que se destacou por dar um cascudo pelas costas – e vários jogadores de ambas as equipes distribuíram porrada à reviria num espetáculo deprimente para quem aprecia o bom futebol. Mas os invejosos que não têm craque em seu time, perseguem justamente o galego no intento de fazer dele o único culpado. Para, para, para! Naquele gramado não tinha nenhum anjo!

Essa vitória provou aquilo que a gente diz desde o início da temporada. O elenco do Avaí não é fraco e se não fossem as pendências salariais, estaria lutando na parte de cima da tabela e sendo um dos favoritos ao título. Quando quis, calou os iludidos alvinegros remetendo-os ao seu estado perene de freguesia ilhéu.

Aos leitores do interior do Estado, uma reflexão: sabe quando essa partida de AVA 2×1 FIG vai terminar? Jamais, porque clássico é a partida que nunca termina. Será sempre lembrada pelos dois lados da ponte como todos os outros confrontos destes 90 anos de história. CRI x CHA do mesmo domingo já foi esquecido pela imprensa e inclusive em Criciúma e Chapecó a prosa dos torcedores já é outra.

A diferença entre um e outro confronto se chama rivalidade, um sentimento de competição saudável e que não tem nada a ver com a inimizade vista dentro de campo por aqueles tansos de Avaí e Figueirense. Entenderam agora?

Joguinho bom para tirar a barriga da miséria

05 de fevereiro de 2014 171
Hoje ficará claro para todos que no Avaí têm homens com vergonha na cara.

Hoje ficará claro para todos que no Avaí têm homens com vergonha na cara.

Não há porque se alongar no vernáculo para falar da importância da partida desta noite na Ressacada. É, é verdade que o Avaí está em crise, com salários atrasados e jogadores pra lá de insatisfeitos. Podem não ser santos, mas a maioria é pai de família e têm toda razão de estarem putos da vida com a situação.

Apesar do caos do momento, acredito que esses homens – sim, homens – mostrarão o que podem fazer não apenas no Catarinense, mas também na série B. Basta que sejam respeitados no acordo firmado com o clube: dinheiro pra cá, conquistas pra lá. É justo, está no contrato e assim provarão seu valor.

E se alguém tem que pagar esse pato, o Cavalo Paraguaio cai como uma luva no projeto. Continua sem estádio, sem centro de treinamento, sem nenhum jogador conhecido, vem mal no Estadual, ocupa a constrangedora 8ª posição na tabela, sua estrela é o técnico e só porque não caiu para a série C agora se atreve medir forças com o Leão da Ilha. Merece ou não merece uma chinelada na bunda?

Oportunidade de ouro para o Avaí tirar a barriga da miséria e pulverizar do retrovisor mais um time pequeno pretendente ao quadrangular final. Estou tão confiante na vitória que escolhi esse jogo para pagar aquela dívida e publicar a foto usando a camisa chumbrega das bailarinas no próximo post. E ainda zoando.

E a coerência vai bem?

18 de janeiro de 2014 54
Como é bom ver os corneteiros da temporada passada mordendo a língua em 2014.

Como é bom ver os corneteiros da temporada passada mordendo a língua agora.

Legal perceber que aqueles mesmos que enxovalharam o Avaí em 2013 por ser o “time do INSS” estão vibrando com tantos reforços de idades tão alvissareiras. Fosse o Maior de SC a fazer isso e as críticas viriam em containers.

Se com 32 anos Marquinhos e Cleber Santana eram chamados de velhos, o que falar das 37 primaveras de Marcos Assunção e dos quase 40 verões de Paulo Baier? “Mas é que eles são craques, seo blogueiro”. Será que é por isso mesmo?

Eu sei o que você fizeram no verão passado

10 de dezembro de 2013 93
Manchete pelo não "caimento" para a série B catarinense. Imagem Jorge Jr. Hora SC

Manchete pelo não “caimento” para a série B catarinense. Imagem Jorge Jr – Hora SC

Chapecoense – Rebaixada no Catarinense de 2010, entrou na vaga do Atlético-Ib que se licenciou por um ano. Antes dessa decisão do TJD, o presidente do clube já havia enviado uma carta para a Associação de Clubes propondo uma “virada de mesa”. Resultado: o coitado do vencedor da divisão de acesso não subiu, a Colonense não foi para a segundona estadual, criou asas postiças, conquistou o acesso (aleluia, dentro de campo) para a série A e não vai tirar um tostão do bolso para usar o estádio da prefeitura todo reformado com o dinheiro do Estado.

Criciúma – Acesso para a 1ª divisão de 1993 graças à mudança de regulamento que aconteceu durante a 1ª Fase da 2ª divisão de 1992. Foi salvo do rebaixamento em 1999 para a 3ª divisão e resgatado para o Módulo Amarelo, 2ª divisão da Copa João Havelange em 2000. Vive de lembranças de uma Copa do Brasil abandonada pelos grandes times, tido como um clube de supermercado e apoiado por torcedores gaúchos que cantam em castelhano para serem confundidos com argentinos. Passou toda a série A lutando apenas para não cair. Não caiu e a torcida foi para as ruas celebrar a maior conquista pós-Copa do Brasil de três décadas atrás.

Figueirense – Foi resgatado para o Módulo Amarelo, 2ª Divisão da Copa João Havelange, em 2000. Juntou um elenco ruim para a série B desse ano, metade foi parar no DM e com o que sobrou montou um Frankenstein que se aproveitou do único clássico de SC para arrancar rumo ao G4. Batizado de time-bagaceira pelos próprios torcedores, ficou esquecido por 37 rodadas e foi surpreendido na cidade da linguiça por meia dúzia de vans lotadas por um bando de oportunistas de ocasião. Tem como ídolo o presidente do clube e vai para a série A devendo uma série C.

Joinville – Beneficiado pela mudança de regra durante a 1ª fase do Brasileirão de 1986, o que resultou em sua classificação para a 2ª fase. Em 2013 arrancou todo bonitão no Estadual e na série B, mas da metade para a frente não passou de sparring para os adversários realmente profissionais. Continua sem estádio, sem centro de treinamento, sem academia própria, sem uniforme de treino, mas está feliz. Cumpriu a missão de não cair, de vencer o Avaí na Ressacada, de terminar na frente do Avaí, de levar o técnico do Avaí e por 50 dias parecer maior que o Avaí.

E o Avaí? Fez um temporada medonha, não ganhou nada, não aprendeu nada, mas continua sendo o Maior de SC no ranking da CBF e não aparece no Google quando se digita “virada de mesa”. Fontes base Papo FC aqui e aqui, e Vitor Birner aqui.

Até na pindaíba o Avaí dá de relho em SC

03 de dezembro de 2013 114
Em três jogos a Ressacada teve lotação máxima. Foto Jamira Furlani AFC

Reclame-se de tudo, menos da fidelidade dessa nação. Foto Jamira Furlani AFC

O Avaí fez de tudo, mas de tudo mesmo para que o torcedor sumisse do estádio nessa série B. O primeiro turno foi medonho; no segundo turno houve um renascer das cinzas; mas as últimas rodadas foram melancólicas ao extremo. Entretanto os números provam que a nação azurra esteve junto na maior parte do campeonato.

Embora o Avaí tenha feito uma campanha medíocre, as catracas da Ressacada provam que essa é a maior e mais apaixonada torcida de SC. Segundo o Globo.com o Leão da Ilha teve 6.054 torcedores por jogo contra os 5.111 do rival do Estreito que obteve o acesso. Até a Colonense, que fez uma uma excelente campanha em 100% da competição, por pouco não fica atrás do Maior.

No quesito maiores públicos, aí mesmo é que a coisa fica até engraçada. A diferença para o rival do Estreito é abissal, já que que contra a Colonense 16.077 pessoas estiveram na melhor praça esportiva do Estado. Contra o próprio rival, nada menos 15.739 pagaram ingressos. Note que aqui é público pagante e não total, já que em pelo menos três partidas batemos fácil nos 18 mil.

Agora imagina esse time lutando pelo acesso nas 38 rodadas. Já pensasse?

Avaí, a rodada, a imagem e o fato

22 de agosto de 2013 34
Um abraço para meu amigo Jean Helfenberger, torcedor-símbolo do vasco em SC. Foto UOL

Um abraço para o amigo Jean, torcedor-símbolo do Vasco em SC. Foto UOL

Amanhã tem América/RN x Avaí no distante nordeste brasileiro, onde o Maior de SC vai esfomeado pela vitória e seus ricos três pontos de compensação. Dia de galgar degraus na tabela da série B, deixando pelo menos dois co-irmãos para trás: as Barbies da Praia do Cagão e o Cavalo Paraguaio do Norte Catarinense.

Já o Jean estará esperando pelo domingo para torcer pelo seu time do coração, o Vaixcão da Grama, que pega o Curíntia em São Januário. Torcedor fiel e passional de time de série A é outra coisa, Vale dizer que a foto acima não é montagem.

Atualização das 21h

O top comentário de ontem
“Caro cara de corvina, passei pra dizer que estamos muito bem, obrigado!!” A Aldeia Maldita

Os malucos vão deixar o Avaí chegar

26 de março de 2013 54

Arturzinho não falou, mas a cara diz tudo. Montagem em foto de Salmo Duarte/RBS

Não foi por falta de erros, pois olha que o Maior de SC deu chance para os adversários. O que os nossos cartolas fizeram de bobagem só nesse ano, credo! Elenco de 2012 desmanchado, conta corrente zerada, falta de crédito na praça, contratação de jogadores enjeitados e um treinador que em 10 rodadas não conseguiu ensaiar sequer um escanteio.

Ao longo do campeonato o Avaí foi perdendo pontos bobos e trazendo “mortos” à vida em todos os cantos de SC. A defesa foi e é uma das mais vazadas, no meio de campo Marquinhos assobiando e chupando cana ao mesmo tempo, e no ataque uns malucos que mal conseguiam correr sem tropeçar. Mas o Avaí foi se ajeitando enquanto os adversários foram cumprindo à risca a sua sina de coadjuvantes no futebol catarinense.

O Cri-ciúme mostrou que é uma bagunça. Largou o Estadual e o o presidente já canta a queda da série A. O Jo-inveja, esse a gente sabia que ficaria pelo caminho. A Colonense já está perdendo aquele típico tesão gauchesco passageiro e amarelará no quadrangular final. O time chocadeira da Tombense, deixa ele lá sonhando.

Será que vão mesmo deixar o Avaí chegar? Sinceramente, é muita loucura conjunta. Tudo o que era possível fazer de errado o Avaí fez, o que culminaria em deixar escapulir o quarto título dos últimos cinco anos. Mas a incompetência dos outros nos convida para a decisão. E quando o Maior de SC chega, todos sabem o que acontece: cada enxadada é uma minhoca e o caneco vem parar na Ilha… ao natural.

Imagina a "festa" se fosse aqui

10 de dezembro de 2012 21

Sábado pudemos acompanhar a inauguração da badalada Arena do Grêmio, em partida amistosa do tricolor gaúcho com o Hamburgo da Alemanha. Um belo espetáculo de abertura, acompanhado pelo lotação total de 60.170 torcedores, foi uma bela avant-première da vitória gremista por 2×1.

Uma praça de esportes realmente espetacular, que cumpre as rigorosas exigências da FIFA e que lança todos os demais estádios brasileiros na categoria de ultrapassados. Até a inauguração daqueles que serão utilizados para a Copa de 2014, a Arena do Grêmio será o único respiro daquilo que costumamos chamar de primeiro mundo em termos de beleza, conforto e funcionalidade.

Com tudo isso e ainda com o plus a mais de abrigar jogos de um clube grande do futebol brasileiro em campenatos de ponta como a série A e Libertadores da América, duvido que lá seja cobrado um ingresso e mensalidade que foram cobrados do torcedor avaiano em 2010 e 2011.

Tão cedo não esqueceremos a festa de esganação que ceifou nossa confiança na administração ISOnino e que esvaziou a Ressacada até os dias de hoje.

Futebol não é isso

07 de novembro de 2012 11

Foto Flávio Neves/Agencia RBS

Toda Santa Catarina ainda está sem entender a violência que se seguiu a derrota de ontem do Criciúma para o São Caetano. Vaias contundentes durante a partida, quebra-quebra na saída do estádio, agressões, pedradas, intervenção da PM, enfim, nada que tenha justificativa até mesmo pela posição do time na série B.

Infelizmente esse tipo de “torcedor” que se mistura aos amantes do verdadeiro futebol e acabam por emporcalhar o esporte. Tentam, mas não conseguirão. Mas, repito, ainda não deu para entender os protestos. Apesar de tudo a situação do Criciúma continua confortável e tem tudo para subir para a série A.

Avaí e Jec morrerão abraçados?

10 de outubro de 2012 28

Não é de hoje que afirmo que o Joinville é o mais tradicional “cavalo paraguaio” de Santa Catarina. E mesmo assim, nessa série B, um cavalo capenga.

Reza o mantra do futebol amarelo-equino que pelo menos se comece largando bem, nas primeiras posições, deixando os concorrentes comendo uma poeirinha básica.

Mas nem isso o time de Chuvaville fez esse ano. Nem no estadual e nem agora.

Ontem os “coelhinhos” entregaram a cenoura dentro de casa empatando com seu concorrente direto ao acesso, o São Caetano.

Com 49 pontos e na sexta posição, provavelmente será ultrapassado pelo Avaí até o fim do campeonato, que tem uma partida a menos e joga sábado aqui com o CRB. Vencendo, fica há apenas três pontos do Joinville e se lança seriamente em busca da desejada 5ª posição.

O pesadelo de Mourinho

08 de outubro de 2012 9

Foto Lancepress / Reuters

Assistia ontem o maior clássico do futebol mundial, Barcelona versus Real Madrid, quando a certa altura Cristiano Ronaldo aventurou-se numa “bicicleta” e caiu de mau jeito sobre o ombro. Dor daqui, cara feia dali e a preocupação era que o atacante lusitano tivesse que deixar o jogo. José Mourinho ficou tenso e começou a olhar para suas opções no banco.

Nessa hora, por alguma razão que só o trauma causado pelos últimos elencos formados por João e cia poderia explicar, imaginei o desespero do “professor” se tivesse que optar entre Fábio Santos, Ricardo Jesus, Diogo Acosta, Evando, Nunes, Felipe Alves, Laércio e Ronaldo Capixaba. Mas, felizmente, Ronaldo se recuperou e continuou em campo normalmente até o apito final. Foi só um pesadelo passageiro.