Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Estrutura"

O desfile avaiano e os cachorros de madames

19 de abril de 2014 32
Zagueiro Néris, volante Abuda e o atacante Jean Silva foram apresentados ontem - Foto André Palma Ribeiro

Zagueiro Néris, volante Abuda e atacante Jean Silva – Foto André Palma Ribeiro

Esse final de semana inicia nossa caminhada na série B 2014. Será mais um Brasileirão que disputaremos. Começamos o nosso desfile com uma base forte, jogadores experientes e talentosos, enfim, o Leão tem tudo para figurar entre os principais times em 2015.

Com alguns reforços pontuais que chegaram e outros que ainda chegarão, não tenho dúvidas que formaremos um elenco de respeito. Afirmo que temos um time forte. O Avaí começa sua luta hoje, na Arenas das Dunas em Natal, e finalizaremos a série B em grande estilo, disputando o título contra o Vasco na Ressacada.

Também tem início a série A para os nossos representantes (errei, eles não nos representam) catarinense. Vai ser um grande barato acompanhar esse campeonato este ano. Prevejo muitos motivos de gargalhadas até o final deste ano, não sobrando pedra sobre pedra para aqueles que não têm o mesmo pedigree do Maior de SC.

Os outros três catarinas estão oficialmente batizados como Cachorros de Madame. Tomarão banho nas quartas e passeios nos domingos. E antes que me esqueça dele, o Joinville já é carta pré-fora do baralho. O cavalo paraguaio só engana sua torcida, tanto que na semana passada conseguiu a proeza de perder no Scarpelli Park.

Que se iniciem as competições e que seja perfeito para Santa Catarina, ou seja, que o Avaí conquiste o acesso para a série A, lugar de onde nunca deveria ter saído. E se os outros do Estado caírem, sinceramente, não estou nem aí.

Avaí vence em campo mas luta contra os prejuízos

20 de março de 2014 51
Nilton Macedo abriu a caixa preta do Avaí e expôs a fraca gestão de João Zunino.

Nilton Macedo abre a “caixa preta” e expõe as fragilidades da gestão de João Zunino.

Sem muito drama o Avaí venceu o Ibirama por 2×0 e deixou para trás a zona de rebaixamento do hexagonal da morte. Posição que definitivamente não combina com o Maior de SC, mas que faz justiça a tudo o que a equipe não fez no Estadual.

Entretanto, o maior agito aconteceu ontisdonti quando Nilton Macedo reuniu a imprensa para colocar o papo em dia. Como de tanso o dirigente avaiano não tem nada, tratou de mostrar o “belo” legado recebido em dezembro passado:

  • Dívida total de aproximadamente R$ 52 milhões
  • R$ 12 milhões apenas para o ex-presidente Zunino
  • Novembro, dezembro e o 13º de 2013 ainda não foram quitados
  • O déficit mensal está na ordem de R$ 600 mil
  • O clube possui 5.700 sócios adimplentes
  • Só em 2007, 2008, 2010 e 2011 foram negociados 296 jogadores
  • O clube só não teve prejuízo em 2008 e 2009

Um estrago e tanto que explica muita coisa do momento atual e sinistro vivido pelo Avaí. E como rescaldo do flash de transparência de Nilton, contabilizo pelo menos quatro personagens atingidos de forma direta e contundente:

João Zunino – tido por anos a fio como um grande administrador, o saldo de sua gestão é realmente ruim. Fez o que pensava saber fazer, tentou ajudar o clube, emprestou do bolso para bancar suas convicções, mas os números detonam os seus três únicos anos de sucesso (2008, 2009 e 2010), justamente quando o empresário Luiz Alberto estava em seus melhores dias de tino comercial.

Nilton Macedo – passou atestado de omissão ao confessar que, mesmo tendo sido vice de Zunino, não tinha conhecimento da real situação do clube. Já havia assumido não saber dos problemas do Instituto Avaí quando surgiram as primeiras denúncias de irregularidades (ainda em análise do TCE) em sua prestação de contas. Pouco entende de futebol e até agora não se acercou de profissionais que entendam.

O eleitor de Nilton – ninguém imaginaria que três meses depois de eleito, o cartola demonstrasse tão pouca convicção na decisão de dirigir o Leão. Sua declaração “Se pudesse voltar atrás, não teria assumido a presidência do Avaí” é um banho de água fria em seus fiéis votantes, aqueles que o conduziram ao cargo em 20/11/2013.

O Conselho Deliberativo – a divulgação dos números que mostram uma gestão equivocada também realça a omissão do CD, que nesses anos não fiscalizou os atos do executivo de forma adequada. Nesse momento o Conselho deveria exigir uma auditoria que apontasse os responsáveis pela crise agora conhecida por todos.

Respeito e profissionalismo ao Maior de SC

18 de março de 2014 60
A camisa mais pesada de SC precisa ser cuidada por todos os avaianos.

A camisa mais pesada de SC precisa ser tratada com zelo por todos os avaianos.

Ando meio preocupado com o universo do Avaí Futebol Clube. Já com três meses de mandato, o presidente Nilton Macedo ainda dá aquela pinta de estar em compasso de transição, tateando pacientemente a melhor alternativa para colocar as finanças e a administração em sincronia com as necessidades mais urgentes.

A língua do parceiro Luiz Alberto fez com que o Grupo Gestor do Futebol fosse dissolvido antes mesmo de existir na prática. Já o Comitê Gestor do Clube, uma promessa de campanha de Nilton, até hoje não se reuniu, continua no campo dos sonhos e provavelmente se tornará mais uma lenda da Ilha da Magia.

Pingo chegou e tenta imprimir um pouco daquela organização tática que montou no Brusque. Num elenco recheado de medalhões e cobras criadas, o competente técnico está sentindo na pele o que é trabalhar num clube grande, com salários por serem colocados em dia e com alguns vícios pouco produtivos.

Já o torcedor (incrivelmente) comemora a “arrancada” do time. O Avaí já está fora da disputa do título Estadual, briga no hexagonal da morte para não ser rebaixado, não tem seus jogos transmitidos nem pelo pay-per-view, não venceu um adversário modesto no último domingo, terminou a rodada na mesma vice-lanterna da semana passada e ainda assim esse povo crente vê evolução.

Até onde esse perrengue vai, não sei prever, mas o Leão precisa organizar a sua casa, chamar o torcedor de volta e se preparar para a série B. Cumprir cada meta é uma questão de respeito aos 90 anos de história do Maior Clube de SC.

O legado do Avaí é lutar para não cair

10 de março de 2014 88
Nilton Macedo em entrevista para o Globo Esporte. Foto original de Jamira Furlani - Avaí FC

Nilton Macedo em entrevista no dia de sua posse. Foto original de Jamira Furlani

Com essa frase de impacto, Nilton Macedo agradeceu o seu antecessor por tudo o que deixava no Avaí que assumia. Noventa dias depois e o dirigente percebe que aqueles cinco meses de salários atrasados eram apenas a ponta do iceberg.

Em completo desalinho organizacional, com um planejamento que muda toda semana e um elenco descompromissado com o clube, eis que agora o time-problema assumido por Pingo já perdeu sua primeira partida. A situação é crítica, a lanterna do hexa é mais nossa do que nunca e o Avaí namora firme com a segunda divisão.

Um desastre que não foi edificado apenas nesses últimos três meses, mas cuja solução esperamos já estar no cocuruto do presidente-herdeiro. Sortudo, ele!

O melhor técnico de SC no maior clube de SC

08 de março de 2014 77
"É uma equipe grande do futebol catarinense e brasileiro. Eu teria de aceitar". Pingo

“É uma equipe grande do futebol catarinense e brasileiro. Eu teria de aceitar”. Pingo

Eis que o Avaí acaba de apagar mais uma de suas fogueiras artificialmente fabricadas. Paulo Turra, um equívoco desde sempre, já não é mais o técnico do Leão da Ilha. Amarelou no clássico, não acrescentou nada ao time, teve 0% de aproveitamento e “queimou” o elenco em todas as coletivas que deu. Fim.

Em meio ao turbilhão estrutural, a boa nova é a chegada do competente Pingo, aquele mesmo do Brusque que proíbe seus jogadores de darem chutões à esmo. É profissional, gosta do futebol bem jogado e prova ser macho para assumir esse Avaí. Sem medo de errar, é o melhor técnico de SC no Maior clube de SC.

Temos que afastar a ameaça do rebaixamento e encarar a série B. Se os cartolas ajudarem acertando os salários e o elenco corresponder em campo, muita coisa boa pode estar a caminho da Ressacada. Equação fechada. Foto Diplomata FM

Todo mundo de olho nos boleiros ● Atualização domingo 10h

Pingo só teve um dia para treinar a equipe que enfrenta o Marcílio Dias. Então nem precisa dizer que o foco de nossas atenções se voltam imediatamente para os jogadores que até agora se negaram a tocar na bola. Se havia uma “greve branca” por conta das pendências salariais – que precisa de uma solução da diretoria – saibam que os torcedores não aceitarão mais essa postura pré-perdedora.

Hoje não é o técnico que estará sendo julgado, mas o time. Não se aceita menos que uma disposição coletiva para a vitória. Se fora do gramado as coisas ainda estão embaçadas, se as promessas não estão sendo cumpridas, não compareçam aos treinos, esculachem na imprensa, mas quando a bola rolar, sejam profissionais com vergonha na cara. Porque de artistas estamos fartos e cheios.

A chegada dos três magos do cascalho

11 de fevereiro de 2014 50
A LA Sports é um dos três reis magos que prometem colocar a casa do avaí em dia.

O big boss da LA Sports é um dos que prometem colocar o caixa do Leão em dia.

O Avaí luta contra os graves problemas financeiros que atingem desde o mais simples funcionário até estrelas do porte de Marquinhos e Cleber Santana. São pendências que se avolumaram principalmente no ano passado, mas que entram 2014 com suas sequelas em estado bruto e prejudicando o clube como um todo.

Estivesse com as contas em dia e tenho certeza que o Maior de SC estaria encabeçando o Campeonato Catarinense com um pé nas costas. Mas é fato que sem salário não há produtividade, então toma o Avaí lutando contra o Brusque depois de amanhã para não figurar na vexaminosa lanterna.

Tudo indica que o socorro está chegando pelas mãos de empresários com ouro, incenso e mirra. Dizem que Luiz Alberto (LA Sports), Eduardo Uram (Brazil Soccer) e a Plus Sports vão injetar alguns atletas e cerca de R$ 1,3 milhão no Sul da Ilha. Se é um mal necessário ou um bem desnecessário, logo saberemos, nação azurra.

Outubro já foi pago, novembro e dezembro serão escalonados e janeiro deve estar na conta de todo mundo até o dia 15. Não sei se ainda dá tempo para uma recuperação relâmpago na competição, uma ressurreição nos moldes de 2012, mas se deixarem a gente chegar no quadrangular final, já sabe… babau.

Levanta, ajeita a juba e desce o relho no Golfinho

08 de fevereiro de 2014 53
O time com mais sorte em arbitragem depois do time do Papa Francisco.

O time com mais bênçãos alcançadas com arbitragens depois do time do Papa Francisco.

A derrota para o Cavalo Paraguaio foi mais um capítulo de um roteiro já por demais conhecido do torcedor. Havia uma leve esperança de que por 90min os jogadores esquecessem as pendências salariais e atropelassem a vítima, mas se há uma regra fodástica no futebol é a de que um time com salários atrasados não luta por nada. E assim caímos diante do time de Nardela, o único jogador famoso deles.

Nesse domingo o adversário é o Golfinho do Sul, um clube de supermercado que até hoje agradece aos deuses por ter subido e não caído no ano seguinte. Foi tanto júbilo de alegria que as ruas de Criciúma foram tomadas por torcedores da Geral do Grêmio, que cantavam em castelhano as músicas do Boca Juniors ao som de acordeons gaúchos. Um lindo espetáculo de identidade esportivo-cultural.

Também é um time fraco, que tem Matusalém como seu jogador de destaque e que só está no G4 porque quatro dos sete pontos foram obtidos por meio de erros de arbitragem. No primeiro jogo em que o apitador ficou ligado, tomou um sacode de 3×0 do Metropolitano e caiu na realidade de sua amarelidão contumaz.

O Avaí vence com um pé nas costas? ● Atualizado dom 9h30

Normalmente seria mais um joguinho mamão com açúcar, mas não temos como saber se a alma do Avaí estará presente. Medidas emergenciais foram tomadas para que aquele teatro de 11 jogadores entrando em campo sem a intenção de jogar bola não aconteça no dia de hoje. O mal amado Júlio Rondinelli pediu para sair, o dindim de outubro foi pago, o de novembro sai essa semana e os empresários prometem quitar toda a bagaça. Talvez seja o suficiente para uma pausa na greve branca que envergonha o manto azurra. Aí não tem jeito: vitória do Maior de SC.

Avaí, o clube verdadeiramente mais rico de SC

21 de janeiro de 2014 64
Às vezes o dinheiro não é tudo, principalmente quando o assunto é garra e superação.

Mas quase sempre ele não compra paixão, garra, superação e grandeza esportiva.

Quando no dia 26 o Maior de SC entrar no estádio de Ibirama, lá estará a expectativa da nação azurra: Que novo Avaí é esse? Apesar de uma agenda com o Campeonato Estadual, a Copa do Brasil e a série B, o fato é que nenhuma destas três competições costuma ser lucrativa para a maioria dos participantes.

Como é sabido, a saúde financeira do Avaí já foi bem melhor. Júlio Rondinelli e Chico Lins fizeram o que foi possível com as limitações impostas pelo planejamento do clube. Jogador recebendo mais de R$20 mil, só Marquinhos, Cleber e Eduardo e olhe lá. Se queriam um ano ideal para ressuscitar a garra avaiana, aí está ele.

Sim, é verdade: não estamos na série A, não temos dinheiro sobrando, não há nenhum dirigente com seu paitrocínio salvador e não somos os favoritos ao caneco regional. Entretanto continua sendo do Avaí a maior e mais fiel torcida, os três melhores jogadores e a tradição de agigantamento nos momentos mais difíceis.

Há quem arrote por aí ter ter uma folha salarial de R$ 1,2 milhão mensais, mas que em compensação teve que arrendar o clube de porteira fechada. Esse não é o caso do Leão da Ilha. Dinheiro um dia acaba, mas tesão por vestir um manto realmente sagrado, isso só a gente tem e não perde de jeito nenhum!

Sim, torcemos para o clube verdadeiramente mais rico de SC.

Ano novo, vergonha na cara nova

17 de janeiro de 2014 43
Não interessa o tamanho, já fizemos a 1ª vítima do ano!

Agora é assim: não interessa o tamanho do adversário, já fizemos a 1ª vítima do ano!

Futebol é e tem que ser coisa séria o ano inteiro. Se havia espaço para frescura nesse time do Avaí, essa frescura ficou enterrada em 2013. Depois da palhaçada que vimos acontecer nas últimas rodadas da série B passada, o mínimo que se espera para essa temporada é um grupo de homens comprometidos.

Nesse ritmo, ontisdonti a cobra já fumou no Sul da Ilha. Jogo-treino uma ova, era final de Copa do Mundo para a primeira formação titular armada por Emerson Nunes. Embaixo da água que Deus mandava o Avaí venceu o Brusque por 3×2 no CT da Ressacada e um temor conhecido deu as caras: tomar dois duzalemão?

Já as parcerias que estavam sendo alinhavadas, essas parecem ter zicado. O Grupo Malucelli e a AS Esportes não vingaram e periga o presidente Nilton Macedo matar no peito a responsabilidade de tocar o elenco como está, talvez chegando apenas o zagueiro Canavesio e o meia Mateus, ambos do Grêmio.

E por falar em Nilton Macedo, a sua entrevista no Debate Diário dessa semana foi muito interessante. Num saudável chilique de sinceridade admitiu os problemas financeiros do clube e disse que a ordem é economizar até no papel higiênico da Ressacada. Indireta para os boleiros de egos inflados que por acaso já estejam pensando em fazer m… na temporada. Aqui não mais, molequinhos mimados!

Têm coisas que não combinam com o Avaí

10 de janeiro de 2014 74
Não adianta. Nem que tivesse 10 anos a menos e jogasse o fino da bola caberia no Avaí.

Nem que o “substituto” tivesse 10 anos a menos e jogasse o fino da bola caberia no Avaí.

Ontem muitos mamíferos aquáticos do sul vieram dar aqui no blog. Depois de tomarem um corretivo histórico pelo topete de forçarem uma queda de braço com o Maior de SC por Cleber Santana, tiveram que se contentar com um substituto.

Nada como um dia após o outro para que a idade dos craques avaianos – entre 31 e 32 anos – fossem relativizadas por aqueles que tanto nos tripudiaram. Aliás, Marquinhos, Cleber e Eduardo formam uma bela base desse novo Avaí que vai surgindo sob a batuta do recém-empossado presidente Nilton Macedo.

No mais a imprensa da Capital ventila novidades estruturais para a temporada 2014. Só para não perder o costume, surgiu o boato de uma possível parceria com uma empresa de Curitiba que teria o poder de estancar a crise financeira da Ressacada. Também pode pintar uma multinacional como novo patrocinador cujo aporte se juntaria àqueles que o Avaí já tem renovados para o ano.

Em resumo, temos indicativos que devagarinho as coisas vão entrando nos eixos, o que é uma péssima notícia para os demais “primos ricos” de SC que não estão conseguindo fazer nada com seus futuros R$20 milhões da cota de TV da série A.

Mas é aquela velha história: Quer fortes emoções, torça para o Avaí. O resto não combina com esse clube, por melhor que seja o substituto.

Como diria a ministra, relaxa e goza, nação azurra

06 de janeiro de 2014 66
"Não existe maior loucura no mundo do que um homem entrar no desespero" Miguel de Cervantes

“Não existe maior loucura no mundo do que um homem entrar no desespero” Cervantes

A temporada começa em ritmo de dificuldades financeiras para o Avaí, o que está determinando o tamanho do nosso cobertor das esperanças. Um técnico até foi contratado, mas deitou o cabelo assim que soube da realidade no Sul da Ilha. A saída foi transformar o Maior de SC no primeiro clube do ex-auxiliar Emerson Nunes.

Contratações, até agora três: os laterais Bocão e Eduardo Neto e o volante Júlio César. Sobre quem são e suas qualidades, isso eu comento com vocês depois que a bola rolar contra o Atlético de Ibirama. A coisa está tão embaçada que periga chegar o lateral esquerdo Rafinha, reserva do Cavalo Paraguaio (?), antes que Marquinhos, Cleber e Eduardo Costa tenham suas situações resolvidas.

À princípio fiquei preocupado com esse cenário, mas resolvi apertar o botão ali de cima e agora desconfio que o Avaí será o Campeão Catarinense de 2014 e conquistará o acesso para a série A de 2015. F… se não faz sentido!

Agora é oficial: Avaí tem a maior torcida de SC

03 de janeiro de 2014 176
    Não bastasse a tradicional supremacia avaiana, até a Capital dá de relho no interior.

Nem os maus resultados em campo afetam a liderança inconteste do Avaí.

Entra ano, sai ano e é sempre a mesma coisa. Nem bem raiou 2014 no horizonte e a Pluri Consultoria, empresa especializada em pesquisas voltadas ao esporte, publicou o resultado de um estudo com a estimativa de torcedores dos principais clubes do país, e o Avaí confirmou mais uma vez ter a maior torcida de SC.

Os números deste estudo foram resultados de várias pesquisas realizadas em todo o Brasil durante os últimos anos. Um dos principais critérios adotados é que cada torcedor poderia escolher apenas um clube de coração, o que explica os números preocupantes encontrados no interior de SC, um oásis para os mistos do Estado.

Mais uma vez (que saco) fica rovado que o Avaí é o único clube que pode ser oficialmente chamado de Maior de SC. Não é soberba ou humilhação aos adversários, mas um fato. Não adianta espernear, falar de média de público, problemas financeiros ou insucessos em campo: o Avaí é o maior e pronto!

Sozinho o Leão tem mais torcida que o Cavalo Paraguaio, o Golfinho e a Colonense somados. É uma supremacia incontestável, uma chinelada na bunda e uma baga de pimenta na língua dos secadores. O Avaí é o mais vezes campeão de SC, tem o melhor estádio e é o catarina mais bem posicionado nos rankings da CBF e da Conmebol. No Sul é superado apenas por Grêmio, Inter, Atlético/PR e Coritiba.

Agora imagina esse time na série A e ainda fazendo uma boa campanha, hein? Credo! É um clube com um potencial maravilhoso e que por direito merece voltar ao topo da cadeia alimentar do futebol regional e nacional. Podem chorar!

Que tal um bate e volta para o Oeste de SC?

22 de dezembro de 2013 33
No papel era um senhor time de respeito. Pena que o papel não entra em campo.

No papel era um timaço de respeito. Pena que o papel não entrou em campo.

Nilton Macedo está passando maus momentos para tentar organizar esse Avaí que foi herdado em escombros financeiros. O que temos de concreto é um orçamento de R$ 21,2 milhões para 2014, o que dá R$ 1,76 milhão de lastro mensal. Embora bem menos que os outros três clubes de SC na série A, ainda assim é muito dinheiro.

O novo presidente já deixou claro que não há margem para gastos infantis. Os cortes serão feitos “na carne” e talvez seja a hora de calçar as sandálias da humildade e buscar know how de quem fez muito com o pouco que tinha em mãos. Nesse caso a Colonense se destaca por ter conquietado o acesso para a série A com míseros R$ 530 mil ao mês  para o elenco e comissão técnica.

Diante dessa aula de custo-benefício aplicado ao futebol, que tal uma semana de intercâmbio em Chapecó? Um bate e volta ao Oeste de SC poderia ser de grande valia para esse Avaí descapitalizado. Mas que fique claro que as trocas de conhecimentos se dariam nos limites da série B, porque de se manter na série A do Brasileirão os colonos ainda não entendem nada.

Nem sei por onde começar, mas vamos lá

21 de dezembro de 2013 41
Funcionários do Avaí em greve por pagamentos de salários. Foto Renan Koerich - Globo Esporte

Funcionários do Avaí em greve por pagamentos de salários. Foto Renan Koerich – GE

No último dia 12 de dezembro o Avaí teve Nilton Macedo aclamado como novo presidente do Avaí. Desde lá uma macumba feita pelos torcedores de outros clubes de SC foi jogada na Ressacada e nada mais deu certo.

Sidney Morais, o treinador anunciado pelo próprio presidente no dia de sua posse, esse deu meia volta e foi parar na Ponte Preta. Emerson Nunes, o auxiliar técnico efetivo do clube, acabou sendo o abençoado com tal honraria.

De reforços para o elenco, apenas o lateral direito Bocão, vindo do Brasiliense, aquele clube do Distrito Federal que costuma publicar em seu site ensaios de torcedoras nuas e muito interessantes, diga-se de passagem.

E como a situação financeira não está nada boa, o mistério da semana é quem entre Marquinhos, Cleber Santana e Eduardo Costa, com salários bem distantes do mínimo de um trabalhador brasileiro, não permanecerá no Maior de SC.

Fora isso, deixa ver, alguns funcionários resolveram fazer greve por quase dois meses sem remuneração para pedir puramordedeus que seus vencimentos e 13º sejam pagos antes do Natal. A diretoria prometeu quitar até segunda-feira.

Essa é a herança para o presidente Nilton Macedo. Oremos por ele.

Novo lateral, novo técnico, nova camisa

19 de dezembro de 2013 35
Enquanto o novo manto sagrado não chega, a gente brinca de pensar grande.

Enquanto o novo manto não chega, a gente ensaia um Avaí mais bonitão na foto.

Estes últimos dias de 2013 também  têm sido de tensão para o torcedor avaiano. Com apenas uma contratação anunciada, o lateral direito Bocão do Brasiliense, os holofotes viraram para a efetivação do auxiliar técnico Emerson Nunes como o novo comandante do Avaí para a temporada 2014.

Sejamos sinceros, Emerson não foi um técnico planejado, mas aquele que coube no orçamento apertado e que conhecia o Avaí e a sua realidade. Braço direito de Hemerson Maria, Mauro Ovelha, Sérgio Soares, Argel Fucks e Ricardinho, espero que não tenha caído de amores pelo estilo retranca-forever desses senhores.

Fora isso, o lado ameno desse restolho de ano é a expectativa pelo anúncio do novo fornecedor de material esportivo do Maior de SC. Já estava na hora. Dizem os fofoqueiros têxteis que Fila, Umbro e Puma estão na parada, mas seja qual for a marca escolhida, esperamos que não inventem bobajadas com o manto sagrado avaiano. Faz o simples que não tem erro.

Avaí estica o pé conforme o cobertor

18 de dezembro de 2013 40
Sem inventar moda, o negócio é buscar as soluções no quintal de casa. Foto Avaí FC

Sem inventar moda, o negócio é buscar as soluções no quintal de casa. Foto Avaí FC

Após o constrangimento de ter anunciado Sidney Morais no dia de sua posse, tudo leva a crer que Nilton Macedo não não quer unir o inútil ao desagradável. Se os profissionais do mercado estão caros demais e ainda ameaçam sair fora com o bonde andando, nada mais seguro que se optar pelas soluções caseiras. Chega de saias-justas, apostas em treinadores-aposta e cabeças de bagre à peso de ouro.

Se o novo presidente recebe o legado de um clube descapitalizado e agora sendo evitado até por profissionais meia-boca, é normal aumentarem as expectativas de que o auxiliar Emerson Nunes assuma o comando técnico do Maior de SC. Antes a jovem promessa avaiana que Argel Fucks, Vágner Benazzi ou Toninho Cecílio.

E tem outra. Aproveitando que a grana está curta, acabou aquela palhaça de pré-temporada na Serra Gaúcha, em Orleans ou no quinto dos infernos. Se essa penca de boleiros que ainda nem foi contratada quer moleza, que vão tudo sentar num pudim Royal. Em 2014 os trabalhos começam e terminam nos tapetes verdes do Sul da Ilha. Não tem mais essa de hotelzinho cinco estrelas, babação de ovo de prefeitos e birinights com donzelas de outras cidades. Agora é trabalho, cacalhada!

Adeus para a nova quase-contratação do Avaí

17 de dezembro de 2013 39
Vamos e venhamos, o Sidão não era assim um Guardiola. Foto Marcos Ribolli GE

Vamos e venhamos, Sidão nem era assim um Pep Guardiola. Foto Marcos Ribolli GE

Mas o que diabos vou escrever no dia de hoje? Essa foi a pergunta ao sentar na frente do computador para comentar o “grande” acontecimento da hora pelos lados do Avaí. Após ser soprado que a diretoria conversava com Riquelme, e mais depois afirmar ter fechado a vinda de Tinga, Marquinhos Paraná e Jobson, ontem foi a vez do técnico Sidney Morais dar meia-volta para longe da Ressacada.

Contrato assinado já tinha, mas com uma cláusula de liberdade que permitia clube e treinador darem adeus um ao outro na hora que bem entendessem. O problema é que ao que parece a situação financeira do Avaí é grave, o que afasta os boleiros da ilha e permite o assédio de qualquer Ponte Preta da vida. Se dinheiro na mão é vendaval, meus amigos, lá se foi mais uma nova quase-contratação do Leão.

Que fique claro que Sydney não fez nada de ilegal. Respeitou o contrato e fez uma opção que lhe pareceu mais apetitosa. E de mais a mais, vamos combinar, o moço vindo do Icasa estava longe de ser um técnico reconhecido pelo mercado. Era e é uma aposta, então se for para “jogar dados”, efetive-se logo o auxiliar técnico Emerson Nunes que pelo menos é da casa. Que fase, meus amigos!

A maquiagem verbal que não resolve nada

16 de dezembro de 2013 51
Não basta colocar o título, tem que melhorar as condições. Foto UOL Esporte

Não basta colocar o apelido, tem que concluir e melhorar as condições. Foto UOL Esporte

A cidade de Joinville foi duramente atingida pelas cenas de selvageria ocorridas na partida em Atlético Paranaense e Vasco da Gama. Pouco pode ser acrescentado a tudo o que se falou e escreveu, mas gostaria apenas de pinçar um detalhe desse problema brasileiro. Não as brigas nas praças esportivas, mas a maquiagem verbal que quer nos fazer crer que temos locais próprios para o futebol.

Qualquer estádio desse país pode amanhecer com o apelido de Arena para dar a entender que se tem algo melhor do que o que nossos olhos conseguem enxergar. Um exemplo disso é o estádio de Joinville que, para agradar não sei quem, passou a se chamar Arena Joinville. Não possui cadeiras e cobertura em 75% de sua totalidade, nenhum palco reversível, nenhum espaço comercial ou áreas de entretenimento. Ou seja, está longe até de parecer uma arena.

Tudo bem que continuem fazendo a população da cidade acreditar nesse conto de fadas, mas poderiam ao menos terminar a obra. Não apenas pela foto acima, mas também pela conversa via Twitter que tive com o passional do JEC, fiquei sabendo que o estádio ainda não foi concluído. Como assim? Então, além da falta de conforto, ainda se permitem situações de risco para os torcedores?

Com a palavra a proprietária e responsável pelo espaço, a Prefeitura de Joinville. Acima de avaiano, sou catarinense! Mexeu com meu Estado, mexeu comigo!

 

Chegadas e partidas no Maior de SC

12 de dezembro de 2013 34
Hoje João Nilson Zunino passa o bastão presidencial para o novo Noé da Ressacada.

Hoje João Zunino passa o bastão presidencial para o novo Noé da Ressacada.

Na noite de hoje o valente Nilton Macedo Machado se torna oficialmente o presidente do Avaí pelos próximos quatro anos. Desafios não faltam, mas a eleição do último dia 20 de novembro deixou claro esse desejo dos sócios-torcedores do Maior de SC. Toda sorte, competência e paciência do mundo ao cartola azurra.

Nilton já vem comandando as chegadas e partidas do elenco com vistas a temporada 2014. Depois de Aelson, Alê, Márcio Diogo e Leandro Silva, ontisdonti o clube anunciou a dispensa de mais sete jogadores: o goleiro Tiago, o zagueiro Alex Lima, os laterais Vinícius Bovi e Ricardinho, o volante Rodrigo Thiesen e os atacantes Reis e Roberson. Sinceramente, não farão nenhuma falta.

Após a confirmação de Sidney Moraes como técnico, espera-se para a noite de hoje algumas diretrizes em termos de contratações. O gerente de futebol Júlio Rondinelli e seu fiel escudeiro Chico Lins não entregam os atletas já contratados ou alinhavados, mas acenam com uma barca chegando com 8 a 10 boleiros, todos dentro dos novos limites salariais que não admitem tiros nas águas do desperdício.

Uram, vem cá e dá um abraço

11 de dezembro de 2013 23
Avaí e Eduardo Uram, amor pra toda vida até que as derrotas os separem.

Avaí e Uram, amor pra toda vida até que as derrotas os separem.

Não faltou gozação com a parceria do rival com o empresário Eduardo Uram. Fazer o Esforçadinho do Estreito de chocadeira da Tombense foi o nirvana para quem queria tirar sarro com a desgraça alheia. Aliás, quando certa vez perguntado sobre essa possibilidade, o presidente Zunino disse que queria distância do hômi.

Mas como nada é eterno e a Terra é redonda, eis que hoje o Dudu é a melhor opção do mercado para trazer alguns jogadores para o elenco de 2014. Com novo presidente e sem dindim, o Avaí firma um modelo de negócio sem exclusividade que pressupõe apenas o aluguel de atletas com um belo futuro pela frente.

A torcida Barbie quer porque quer batizar o Avaí como a nova Tombense de SC, clube de Uram em MG, mas a pecha está fadada ao fracasso. Se eles foram tansos, bem que fez o Dudu em usar o Scarpelli como “chocadeira” e ficar um pouquinho mais rico. Contrato feito, contrato aceito, então sem essa de churumelas.

Como diria Miguel Livramento, o discurso de quem faz uma boa parceria é um, o de quem não faz é outro completamente diferente.