Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Cadê vocês?

01 de outubro de 2014 36

Gostaria de saber onde será que andam os secadores, principalmente os hinchas do time da cidade do carvão? Estou bastante preocupado. Faz tempo, muito tempo que a rapaziada que canta em castelhano nas arquibancadas de cimento do Quitandão não dá as caras. Viraram brasa de churrasco? Jogaram a toalha? Sumiram de uma vez por todas? Cadê aquela pompa dos pobres metidos a ricos e que se acham a última bolacha do pacote? Paulo Baier, Cléber Santana e Zé do Cuspe pelo visto não conseguiram dar jeito naquela barca furada. Nada como um dia após o outro…

Onde se meteram, também, aqueles secadores que faziam contagem regressiva para o rebaixamento do Figueirense? Os bailarinos do Norte e os gaúchos fakes do Oeste do Estado batiam ponto praticamente todos os dias por aqui e, como num passe de mágica, meio que evaporaram no ar. Lembram daquela praga rogada pelo presidente chorão e fanfarrão de um certo time que há 30 anos não disputa a elite do futebol brasileiro? Acho que bateu e voltou, tanto que o craque da equipe dele acabou se lesionando e só vai retornar aos gramados no ano que vem. Bem feito!

Quanto ao pessoal do Sul da Ilha nem vou perder meu tempo, pois previsão não é o forte deles. Desde o ano passado, quando o MAIOR DO ESTADO aplicou-lhes uma goleada bem dada no meio dos cornos, o raciocínio dos torcedores do leão banguela não está fluindo com naturalidade. Falaram que o Figueirense não conquistaria o acesso, que não seria campeão estadual, e que já estaria rebaixado na virada do turno para o returno da Série A. Sabem de nada, inocentes!

Por fim, repito o que falei no início do ano, neste mesmo blog: o Figueirense é o melhor time de Santa Catarina e ponto final. O resto é simplesmente o resto. Aceitem, curvem-se ou chorem!

O porco foi assado e devorado

29 de setembro de 2014 55

O porco foi assado e devorado em pouco mais de cinco minutos no Scarpelli. Os secadores, que já estavam comemorando a vitória do Palmeiras, no final das contas acabaram se dando mal. Resultado épico do alvinegro numa virada sensacional.

Nosso time não jogou bem, é verdade, no entanto, como falei no post sobre o jogo contra o Santos, perder jogando bem não acrescenta absolutamente nada. Hoje, por outro lado, a rapaziada não foi tão bem assim, mas venceu, e isso é o que realmente importa.

Argel mais uma vez teve estrela, porém acho que Clayton e Marcão não podem ser em hipótese alguma reservas desse time. É o segundo jogo consecutivo que o placar acabou sendo definido por eles.

Diga-se de passagem, antes de encerrar meu comentário, aceitam uma costelinha de porco no ponto, meus queridos secadores?

Vem que tem porco assado

27 de setembro de 2014 30

Antes de falar sobre o jogo contra o Palmeiras, neste domingo, é importante ressaltar, mais uma vez, que o Figueirense venceu o Corinthians porque jogou muito melhor que o adversário. Não teve nada de sorte, foi competência e, acima de tudo, superioridade. Nosso time envolveu o adversário do início ao fim. Mereceu o resultado e ponto final. Durante toda a partida a equipe paulista ofereceu perigo ao alvinegro apenas no lance em que o Guerrero acertou a trave, sendo que, logo em seguida, Marcão acabou anotando o único gol do confronto. Portanto, bando de secadores, baixem a bolinha, pois neste blog vocês não têm a menor chance.

Agora, sobre o confronto deste final de semana, todo cuidado é pouco. O Palmeiras passa por um momento conturbadíssimo, porém continua sendo o perigoso Palmeiras. Por outro lado, obviamente que, em casa, temos que derrotá-los. Uma vitória nos coloca numa posição extremamente confortável na tabela de classificação.

Argel não poderá contar com França – um dos destaques do alvinegro na partida diante do Corinthians – pois o volante é jogador do Palmeiras. No seu lugar deve entrar Dener ou Jefferson, como volantes; ou Felipe, na meia, para, teoricamente, tornar o time um pouco mais ofensivo. No ataque, tudo leva crer que Marcão reassumirá a vaga de titular no lugar de Pablo. O restante da equipe provavelmente será a mesma.

Teremos um grande jogo no Scarpelli. A presença de público certamente vai ser maciça, da mesma forma que aconteceu na partida contra o São Paulo. O torcedor alvinegro vem marcando presença e apoiando bastante o time nos últimos jogos em casa. Vem sendo um diferencial. É por essas e outras que somos a melhor, a maior e a mais fiel torcida do estado.

Dito isto, não poderia deixar passar em branco a situação do time do supermercado. Gostaria de mandar um efusivo abraço aos hinchas do Cri”ciúme”, o LANTERNA da competição, posição digna daqueles que se acham a última bolacha do pacote. Pobre metido a rico tem mais é que chegar em último mesmo. Parabéns!

Seis pontos no freguês

25 de setembro de 2014 41

Ué, o fôlego do “mestre” Argel não tinha acabado? O Figueirense não iria perder para o Corinthians? O MAIOR DO ESTADO não sucumbiria para o time paulista na noite de ontem? O que foi que aconteceu, heim secadores? Vou repetir aquilo que eu sempre falo aqui no blog: FALEM, FALEM MESMO, MAS FALEM MAIS ALTO QUE DAQUI DA SÉRIE A EU NÃO ESCUTO VOCÊS! Seus ingênuos.

Que vitória fantástica para cima do freguês. Sim, o Corinthians é um baita freguês do Figueirense. Era no Pacaembu, foi no Itaqueirense, é no Scarpelli… Não adianta, os paulistas se apequenam contra nosso time. Estamos com problemas? Chamem eles que a gente resolve a parada.

Não há reparos na vitória do alvinegro. Merecemos do início ao fim os três pontos. Mesmo com uma arbitragem extremamente tendenciosa, conseguimos superar uma das melhores equipes do país. Na bola, meus amigos, é muito difícil derrotar os comandados do Argel. Aliás, meu amigo Marcão, iluminado, tu és o cara.

Chorem mais secadores, chorem! Vou ali comemorar mais uma vitória do time que representa com dignidade nosso estado na elite do futebol brasileiro.

Vencer é o que nos resta

24 de setembro de 2014 17

O Figueirense passou por um momento no Brasileirão, principalmente depois da chegada do Argel, que jogava bem e vencia, e agora passa por um momento no qual joga bem e não vence. A partida contra o Santos foi o maior exemplo disso. Não adiantou colocar o adversário na roda e, no final das contas, acabar perdendo. Temos que voltar a vencer, independentemente da forma como o time irá se apresentar, até porque, convenhamos, o rendimento nessas horas é o que menos importa.

O Corinthians, por outro lado, vive de extremos. Os paulistas costumam jogar muito contra os times que estão na parte de cima da tabela, mas se complica diante daqueles que estão na parte de baixo. Normalmente joga retrancado longe dos seus domínios. É uma equipe que empata muito na competição, por isso estagnou na terceira e/ou quarta colocação. Não avança, não recua; permanece sempre na mesma posição.

Sendo assim, o que os comandados do Argel têm que fazer para conquistar uma vitória para cima do Corinthians? Simples: não desperdiçar tantos gols. Se os atacantes do MAIOR DO ESTADO concluírem corretamente cerca de 20% das oportunidades claras que perderam na partida contra o Santos, por exemplo, já está de bom tamanho. Paciência e tranquilidade cara a cara com os goleiros adversários é fundamental.

Quem não faz, toma

22 de setembro de 2014 31

Aquela velha máxima do “quem não faz, toma” serve para justificar a derrota do Figueirense para o Santos na tarde/noite de ontem. O time jogou bem, em alguns momentos da partida colocou os donos da casa na roda, podia ter conquistado uma boa vantagem no placar ainda no primeiro tempo, só que no final das contas acabou perdendo. Ou seja, fazer uma bela partida e perder é o mesmo que ir numa festa e dançar a noite toda com a irmã. Não vale nada.

Os atacantes do MAIOR DO ESTADO precisam colocar o pé na forma. Oportunidades de fazer gols não faltaram nos últimos jogos. Nesse jogo de ontem contra o Santos, então, as chances pareciam que brotavam do chão. Não entendi ainda como o Everaldo foi perder aquele gol no final da segunda etapa. Era ele, o goleiro, a rede, e um abraço para o gaiteiro. Logo em seguida, o jogador do Santos mostrou para ele como é que se faz. Aprende, meu filho!

A vantagem para a zona de rebaixamento, habitat natural do time da cidade do carvão, dos hinchas que costumam tacar pedra nos carros dos jogadores da sua própria equipe, diminui. Agora a diferença é de apenas três pontos. Sendo assim, os jogos contra Corinthians e Palmeiras, principalmente, tornaram-se primordiais. Dos seis pontos temos que conquistar os seis pontos. Deu de perder pontos em casa, ainda mais contra times horrorosos como o Palmeiras.

Abre o olho, cambada!

Que os santos estejam ao nosso lado

20 de setembro de 2014 26
Reprodução: Globo.com

Reprodução: Globo.com

Após resultados ruins diante de Fluminense, Bahia e Cri”ciúme”; contra o Santos, neste domingo, fora de casa, os comandados do Argel têm que tentar ao máximo trazer os três pontos na bagagem de lá. Vai ser difícil? Claro que vai, principalmente porque é sempre muito complicado enfrentá-los na Vila Belmiro. Em todos os confrontos realizados naquele estádio conquistamos apenas uma vitória, que aconteceu, se eu não me engano, no Brasileirão de 2011.

Mas a equipe santista está longe de ser um bicho de sete cabeças. Trata-se de um time inconstante, que não consegue, por exemplo, emplacar duas vitórias consecutivas na competição. O Figueirense, por outro lado, está há três jogos sem vencer, por isso precisa de todas as formas de um resultado positivo, de preferência, uma vitória, já que os times da zona de rebaixamento diminuíram a vantagem para nós. Farinha pouca meu pirão primeiro!

A rapaziada precisa reencontrar aquele futebol vistoso que apresentou nos jogos na reta final do primeiro turno, pois no returno as apresentações foram abaixo do esperado. Poderíamos estar numa situação bem melhor na tabela de classificação. Se derrotarmos o Santos a tranquilidade voltará ao Scarpelli.

Empatite em casa

18 de setembro de 2014 47

Eu falei que com o Bezerra o jogo seria difícil para o Figueirense… E não deu outra! Tivemos um pênalti para lá de duvidoso marcado contra nós (sétimo na competição), sem contar a velha mania “bezerriana” de travar o nosso time. Azar da diretoria do clube, que costuma permitir numa boa que um péssimo árbitro como esse ainda apite jogos do MAIOR DO ESTADO.

De qualquer forma, mesmo com todas as adversidades, considero o resultado ruim. Aliás, a partida foi muito fraca. Esperava mais do Figueirense, até porque, em relação ao time da cidade do carvão, ainda mais com Dal Pozzo no comando, não se imaginava outra coisa senão jogar na retranca. Time pequeno costuma atuar dessa forma.

Foi o quarto empate seguido no Scarpelli, e o terceiro jogo no segundo turno sem vitórias. Está na hora dos comandados do Argel se reencontrarem no campeonato. A atuação do time nas últimas três partidas foi bem abaixo do esperado.

Confronto local contra um dos times da "zona"

17 de setembro de 2014 53

… e não é que escolheram o Bezerra para o jogo da noite desta quarta-feira? Só pode ser brincadeira! Não é possível que a diretoria do Figueirense tenha permitido isso. O último jogo deste senhor no apito foi o confronto entre Corinthians e Fluminense, há pouco mais de duas semanas. Uma lástima! Cansou de errar. Foi considerada pelos especialistas uma das piores arbitragens do campeonato. E quem não lembra, também, daquele fatídico lance de impedimento do Paulo Baier, na partida contra o Metropolitano, no Catarinense desse ano? Quem era o “dono do apito”? Sim, o próprio!

O Figueirense perdeu as últimas cinco, repito, CINCO partidas com esse árbitro no comando. Mas o que me deixa transtornado é a passividade da diretoria do clube nestes casos. O árbitro do jogo contra o Bahia foi o mesmo que nos prejudicou naquela partida contra o Cruzeiro. Agora, diante do time da cidade do carvão, eis que surge o Bezerra, uma tremenda pedra no nosso sapato há muito tempo.

Sobre o confronto, especificamente, somos o favorito e ponto final. Temos um time muito, mas muito melhor que o deles, por isso não vejo nenhum problema em derrotá-los. Isso, claro, se a arbitragem não interferir no bom andamento do jogo. Clássico? Longe disso. Não temos rivalidade alguma com o time do supermercado. Se há da parte deles não é problema da gente. Nosso único rival é o leão banguela.

Espero que o alvinegro conquiste uma bela vitória para afundá-los ainda mais na zona de rebaixamento. Esses times de torcedores (hinchas) que cantam em castelhano não merecem disputar a elite do futebol brasileiro.

Deu tudo errado

15 de setembro de 2014 37

Deu tudo errado para nós lá na Bahia. Previa um jogo difícil, porém não imaginava que o MAIOR DO ESTADO faria uma péssima apresentação, daquelas para ser completamente esquecidas. Depois de oito jogos de invencibilidade fomos perder logo para o lanterna da competição. Um desastre!

Nossa zaga, ponto forte da equipe, cansou de falhar. A proteção de zaga com Paulo Roberto e Nem (até quando essa naba terá oportunidades de vestir o manto alvinegro?), deixou muito a desejar. O meio-campo foi inoperante, e o ataque produziu muito pouco. Resumidamente, ninguém foi bem.

Acho que o Argel se equivocou na escalação do time titular. No meu ponto de vista ele deveria ter entrado com apenas dois volantes, e não três, tanto que ainda no primeiro tempo ele meio que tentou corrigir seu “erro”. O problema é que já estava 2 a 0 para os baianos, e a equipe, diferentemente do que aconteceu na partida contra o Internacional, não se encontrava em campo.

Agora é se recuperar diante do Cri”ciúme”, quarta-feira, no Scarpelli. Perder pontos para um time que encontra-se na zona de rebaixamento é compreensível, acontece. Só não pode tropeçar novamente contra outro adversário que habita aquela região desconfortável, como é o caso do time da cidade do carvão.