Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

JEC vai perder dinheiro em 2015

24 de novembro de 2014 53
Arena

Disseram que nesse dia tinha 17.800 pessoas! Ahh para né ohhh, fala pro bonequinho aqui. fala! 

Presença maciça da torcida aqui em Joinville nunca foi novidade! Tanto é que novamente o tricolor está entre as equipes que mais levaram torcida ao estádio nesta série B, com média de 9.684 tricolores, isso é exatamente o dobro do que o Avaí por exemplo que até o momento tem média de 4.842, é apenas uma constatação, nada que seja surpreendente!

O fato é que se falarmos de percentual de ocupação, o Joinville Esporte Clube é a equipe com melhores resultados. São 43%, seguido de Ponte Preta com 37% e Sampaio Correia e Vasco com 33%. Diante desses números, é impossível não tocar naquele assunto que já causou mais dor de cabeça do que gol contra diante da Luverdense! A ampliação da Arena Joinville!

A colocação das cadeiras parece que já está definida e sacramentada e essa decisão tem tirado o sono de muita gente, pois a capacidade liberada que hoje é de 18.000, com as cadeiras será reduzida para aproximadamente 15.900, justamente no ano em que retornaremos a série A. E os primeiros reflexos disso já começam a afetar a nação tricolor e os cofres do clube, que atualmente tem uma fila de espera com mais de 700 torcedores, impossibilitados de se associarem justamente pela pouca capacidade do estádio.

A pressão está grande, e os cartola vida mansa, que só aparecem meses antes das eleições, começaram a se coçar! A PROMESSA, é que a verba está garantida e a ampliação acontecerá, detalhe, após o término das obras a capacidade final será de 22.500, aquilo que atualmente ela já deveria suportar!

Hoje meu amigo Mário Nascimento publicou em seu twitter uma série de comentários sobre o assunto. “Pelo que tenho lido, a Prefeitura Municipal de Joinville vai congelar a Arena em aproximadamente 24.000 lugares. É menos do que cabia no Ernestão há 37 anos” Mario ainda lembrou que a inauguração do Ernestão teve 30.000 pessoas e a população de Joinville era metade da atual.

O que está acontecendo hoje na Arena Joinville é uma série de remendos. Cada prefeito faz uma obra pra dizer que mexeu. Tebaldi “construiu” e deixou pela metade. Carlito deu umas pinceladas e passou a régua. Agora Udo, que destes é o de melhores intenções, quer contribuir deixando o estádio com a capacidade insuficiente, porém com cobertura e cadeiras!

Caso se concretize, ficará muito melhor do que está, mas ainda sim não estará completo! E quando digo completo, não quero o projeto original pra 40 ou 50 mil pessoas! O que precisamos é de um estádio capaz de absorver decisão de competições internacionais, ou seja, 32.000 lugares. Espaço que é mais do que suficiente para uma cidade do tamanho de Joinville. É como o Mário falou, vão gastar dinheiro de forma errada e quem sofrerá será o publico, já que vão gastar, custa menos planejar agora do que corrigir depois! E não é por impossibilidade, é falta de visão estratégica. Estádio é pequeno e será novamente em pouco tempo. “Mais curtos que coice de porco”!

É isso aí Mário!

#HojeNãoTemHashtag

Comentários (53)

  • Carlos Cojeka diz: 25 de novembro de 2014

    Meu amigo, o prefeito está certo, é um visionário. No primeiro mês de série A o time já se estabelece na lanterna e o público será de 7.000 e decaindo. Está certo também o Valadares nos seus comentários realistas e racionais. Saudaçoes avaianas.

  • Dan diz: 25 de novembro de 2014

    tem que fazer as coisas planejando o crescimento, uma coisa e’ o estacionamento da Arena, vai ter que fazer esses estacionamento/predio de algums andares ali, pq se nao vai ficar so no chao batido, vamos gastar? Entao vamos fazer as coisa certa, pq mal planejado vai ser um desperdicio.

  • Tricolor Revoltado diz: 25 de novembro de 2014

    Cidral, 30 mil lugares é o MÌNIMO de capacidade que um estádio de futebol numa cidade do porte e da importância de Joinville deveria ter. Aliás, não é nenhuma utopia termos um Arena moderna e com capacidade para 40 mil pessoas para a maior cidade e torcida de SC.

  • Seo Zé diz: 25 de novembro de 2014

    Perder dinheiro não. Cada jogo um cálculo para fazer e imaginar que vai lotar jogando contra os últimos da série A, duvido. Torcedor do Joinville está acostumado a ver VITÓRIA contra os alvirosas e muitos clubes fracos que estarão na elite, não vai lotar.
    Podemos dizer, grandes jogos somente contra uns 10 e os demais a arena é grande demais.

    Ver um estádio ridículo como o gayrense tem, também só entra 17 mil, imagina o sofrimento da torcida que só vai a jogos a 5,00 – 10,00. Pagar mais para ficar no alto da arquibancada, onde só dessa forma enxerga o campo, ninguém merece, um estádio do tempo do epa, com alambrado, torto, no meio de casa, rua e ninguém está reclamando, claro são uns coitados, sem dinheiro.
    Por isso eles tem na série A, jogando contra grandes do Brasil uma média de 8 mil e um valor ridículo, de gente pobre, favelados.

  • Serginho Sardá(o SHEIK) diz: 25 de novembro de 2014

    BUZINA FOOOOMMM como tu é burro cara então o GENINHO numca ganhou nada?hehe foi só campeão brasileiro com o ATLÉTICO-PR em 2002 sua ANTA não manhã nada de futebol e não sabe da história e vem aqui falar bosta aliás é o que max tem aqui é gente falando porcaria o campeão disso é a Sra.RUDI que puxa um monte de retardado junto hehe nóx da CAPITAL entendemos de sobra de futebol podemos dar aula para VOCEX estamos tentando a muito tempo mas os cabeçudos não aprendem não adianta.Entao o CIDERAL assumiu que este estadiosinho aí é um REMENDÃO hehe está aí o novo estadiosinho de Joinvill acaba de ser batizado pelo próprio CIDERAL de REMENDÃO hehe depox dessa ó fuuuu,SURF,fuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuui..,,

  • Renato Alvinegro diz: 25 de novembro de 2014

    Número de cadeiras do Orlando Escarpelli, o estádio próprio do FURACÃO: 19.908.
    Bem maior que a arena sucateada da prefeitura, onde estão criando gado para arranjarem uma graninha extra.

  • Juka diz: 25 de novembro de 2014

    Olha…esse papo de ampliação eu sou um dos únicos que vou contra todos.
    Respeito a opinião de todos, mas não acho que precisamos de um estádio para 32 mil pessoas.

    Um estádio entre 22 mil e 25 mil COM COBERTURA, para mim já estaria em perfeita condições. Vou explicar o porque.

    Com 32 mil pessoas, não teremos estádio cheio em todos os jogos. Teremos em apenas jogos com uma chamada maior. Com times de grande expressão que irá atrair pessoal de Joinville e região. Isso porque o preço dos ingressos ano que vem será mais caro.

    Para se ter uma ideia, a MÉDIA de publico desse ano do Cruzeiro, foi de 32.000 pessoas. Isso em uma cidade de mais de 2 bilhoes de pessoas (se não me engano).
    Eu vejo que a nossa média aqui no JEC no brasileiro será de 15 a 18 mil por jogo.

    Então na minha opinião é que não adianta um estádio muito grande para ter vários pontos sem torcedor na marioria dos jogos. Prefiro ter um estádio coberto (já que aqui chove muito), com arquibancada grudada no gramado., sempre cheio e que tenha uma acústica PHOD@, formando um verdadeiro caldeirão.

    E como o Udo está pensando em fazer agora, para mim, estaria perfeito.

    Na verdade, na verdade, eu gostaria muito que o JEC tivesse um estádio próprio, tirando toda e qualquer intervenção do poder público. Mas isso deixa para daqui uns 5 anos.

  • Juka diz: 25 de novembro de 2014

    ERRATA: No meu comentário, aumentei “um pouco” a população de Belo Horizonte.
    rsss

    Onde se lê 2 Bilhões, leia-se 2 Milhões.
    eheheheh

    Erro grotesco.

  • Diogo diz: 25 de novembro de 2014

    Bom, se usarmos a lógica do nosso amigo Carlos avaiano, então se o prefeito de Florianópolis fosse “visionário”, ele desapropriava o terreno da ressacada e botava o estádio abaixo, podia então lucrar alugando o espaço pra parque de diversões e circos que dariam mais público do que o Avai leva ao elefante branco.
    Mas se ele também fosse “honesto”, devolveria o terreno pro estado.

  • Chuck Norris Jequeano diz: 25 de novembro de 2014

    Eu tenho pra mim que a decisão do título ficou para o jogo em Itapólis por um motivo nostálgico. Acontece que o estádio lá tem as famosas arquibancadas metálicas e nos fará lembrar nosso antigo Ernestão.

    Quanto à nossa Arena, concordo que o projeto original deveria ser seguido e concluído para termos 32 mil lugares. Infelizmente o dinheiro público acaba indo para o bolso de particulares em, pasmem, desapropriações de terrenos públicos apossados por particulares (v.g. 9 milhões por um pedaço de mangue no Carianos em Fpolis onde teoricamente não se poderia construir nada por questões ambientais) enquanto que quando é para finalizar um patrimônio público, a lenga lenga se arrasta eternamente, deixando um prédio público apodrecer no relento.

  • Pracomeçá diz: 25 de novembro de 2014

    Carlos… Cú de jeca? Mesmo que sejam 7.000, vai ser SEMPRE mais do que vcs botam na “reza-a-queda” e com um agravante, mesmo que perdendo, não abandonamos o campo 25 minutos antes do jogo acabar que nem vcs… eheheheheheheheheh…!!!
    De resto boa série “B” em 2015 pra vcs e cuidado, com a falta de bufunfa que predomina por aí , não caiam para a série “C”, hein?
    É PRAKABÁ…!!! CÚ SUJO GOSTA DE INTICÁ…!!!

  • Tricolor Discordante diz: 25 de novembro de 2014

    Caro Juca, discordo. Joinville precisa, sim, de um estádio grande e 32 mil lugares não é nenhum exagero ou utopia. A Arena Joinville tem que ter uma capacidade e imponência à altura do porte da cidade e tamanho da torcida do JEC.

  • Anti-corneteiro diz: 25 de novembro de 2014

    Renato alvirosa, realmente criamos gado aqui dentro e a senhora sua mãe tbm pasta por aqui. Difícil de entendê-la, pois o que mais diz é “muuuuuu…!”
    E não se afobe! Sua hora de comer capim tbm vai chegar!

  • Carlos H. diz: 25 de novembro de 2014

    Bom dia Cidral!

    Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra totalmente diferente.
    Concordo que a Arena precisa ser modernizada e ampliada, principalmente ter mais conforto, não só dentro como fora do Estádio. 32.000 seria o numero ideal, mas sejamos realistas quando vamos ter média de 14.000 por jogo em Joinville? Essa seria aproximadamente a ocupação que temos agora, 43%. Essa média seria maior que os 2 Atléticos, Bahia e Coritiba tem esse ano na Série A. Prefiro ter um Estádio meio cheio, do que um meio vazio, então para um 1o momento acredito que 22 mil seja uma boa capacidade.
    Outra coisa comprovada esse fim de semana, foi só aumentar o preço do ingresso que a torcida deixou de ir, sendo um jogo valendo título, imagina jogando sábado as 21:00h, com chuva em julho contra o Boa Esporte como vai ser?
    Pé no chão é a marca desta diretoria do JEC, e é o que parece ser a da Administração do Udo também.
    Abraço.

  • 404 diz: 25 de novembro de 2014

    Na minha opinião a prefeitura de Joinville deveria doar o estádio para o time de futebol, para acabar com essa palhaçada de colocar dinheiro publico que beneficia um ente privado. O LHC e a curriola deveriam se preocupar com outros problemas na cidade e no Estado, que não são poucos. Por exemplo um aeroporto descente para a cidade.

  • Alemão diz: 25 de novembro de 2014

    Cidral.
    Sei que minha pergunta não tem nada a ver com teu comentário , mas estou curioso e gostaria que se for possivel ABRIR O JOGO , respondesse a seguinte pergunta:
    O que aconteceu com os otarios titulares dos blogs do Figueira do do Avai ???

    Nota do Editor: Ainda esta semana será esclarecido

  • Chico diz: 25 de novembro de 2014

    Chupa catarinas de cocô nopolis.
    Nosso prefeito chamou hoje a imprensa, para informar a ampliação da ARENA. Vai bancar o que ela quer, mais 2 mil lugares perto do campo. Obras imediata.
    Chupa manezada, pede para a prefeito mais corupta do Brasil fazer o mesmo, kkkkkkkkk
    E tirar os alambrados, coisa ridícula, coisa de clube amador.

    Chupa Manés recalcados.

    SigamOlider

    Jec campeão.

  • juka diz: 25 de novembro de 2014

    Sou da mesma opinião do Carlos H.

  • Chico diz: 25 de novembro de 2014

    Falou Renata alvirosa, como foi falado tua mãe deve pastar neste potreiro, olha as porcaria de vocês, alambrado e um campo que mais parece um chiqueiro.
    kkkkkkkkk

  • Guigo diz: 25 de novembro de 2014

    Certo, Cidral! A luta deve ser abraçada por toda a cidade, levantar a bandeira de um estádio para 32 mil, sentados em cadeiras e cobertos. A questão é a seguinte: atrás donde fica a União, já tem estrutura para erguer o anel, o tal tobogã. Por que não lembram que ali é para ser feito isso? Tem de ter mais um anel, sobre o fundo do gol e sobre a arquibancada central descoberta. JEC na série A não lota sempre, mas quando precisa para shows e grandes jogos (rotina a partir de agora), teremos estádio…mas aí abre só a parte inferior em jogos contra times pequenos, como alvirosinhas e Bvaíbis pelo estadual. Em Natal e Recife eles fazem assim. E JEC na série A é Sul Americana, é chance real de Libertadores… ESTÁDIO COBERTO PARA 32 MIL PESSOAS, JÁ!
    CALA A BOCA, VALADARES. CASINHA, SHEIK!!

  • Renata alvirosa diz: 25 de novembro de 2014

    Falaram que minha mãe, anda pastando em potreiro da prefeitura, hihihihihihi, minha mãe gosta de grama, com gosto de peixe.
    Nunca vamos querer misturar gosto, cada um come a sua comida que merece.

  • William diz: 25 de novembro de 2014

    Não te preocupe 404, um dia que arena de Joinville estiver concluída, será doada ao Futebol. AO JOINVILLE.
    A prefeitura de Joinville não gastou com a arena, 20% do que floripa gastou numa ponte que pode cair, não serve nem para pedestre.
    Comparando cidade por cidade, Joinville não tem ladrões, nunca a imprensa falou que é uma cidade corupta tipo a nossa capital.

  • Tricolor Joinvilense diz: 25 de novembro de 2014

    Cidral,

    Concordo com você em relação à capacidade ser de 32000 pessoas. Não podemos usar este ano ou os passados como referência. E nem considerar apenas a cidade de Joinville. Quantos vem de Curitiba, São Francisco, Araquari, Garuva, Florianópolis, etc. Série A aqui vai ser outra coisa, a disputa pelos poucos ingressos vai ser grande!E deve-se parar de chamar isso que eles farão na Arena de “ampliação”, isso vai ser a diminuição do encolhimento.

  • XAUXAU MENEZES diz: 25 de novembro de 2014

    O FIGUEURENSE na final da COPA DO BRASIL colocou 29 mil pessoas no XCARPELLI,o Jec com sua ARENA REMENDÃO não consegue coçar mais de 16.000 mil no seu campinho hehe MACACA campeã fato,mexeu com CACAU mexeu com XAUXAU,XAU,CIDRAL.

  • D4 B4rr4 diz: 25 de novembro de 2014

    Apenas uma pergunta singela para os torcetolos aí do INTERIORZÃO!
    O time da prefeitura tem quadro de associados?
    Tem?
    Como?
    De que jeito o associado pode garantir o seu lugar privativo, sem enfrentar filas, se a “arena” sucateada do contribuinte ainda está na “era” do Império Romano”, tipo o coliseu, onde a ralé tinha que se sentar kokúnochon? …. hihihihihiiii! …. colonada tansa!

    Sds,. desde o FURACÃO, DNA de série A e exterminador de bailarinas e Bvaianos.

  • Corneta fooooommmmm diz: 25 de novembro de 2014

    Em seis meses teremos uma bamboneira jequeana. Torcedor a dois metro do campo.
    E tem estádio para ver o campo, só ficando a 20 metro. Nas nuvens kkkkkkkkk, um estádio com alambrado, kkkkkkkkk
    O que o povo de Joinville quer, a prefeitura faz. Aqui tudo da certo, não é uma cidade corupta, nem de ladrões.

    Chupa manezada, sai dos trilhos.

    SigamOlider.
    Jec campeão.

  • Pracomeçá diz: 25 de novembro de 2014

    O CUjeca levou uma piaba, cambaleou, “seborroussetodo”, saiu mais cedo do “reza-a-queda” (25 minutos antes do jogo acabar) e prometeu a si mesmo que a partir dali viveria no ostracismo. Não conseguiu! Depois de bastante tempo e de novo deu um ar de sua graça comentando no melhor blog dos passionais de SC. Igual ao time do JEC, ou seja, melhor time, melhor torcida, melhor Arena e assim como não podia deixar de ser, melhor passional.
    Perdestes a vergonha CUjeca? Demorastes! Mas seja benvindo, pois sem suas aberrações o blog fica sem piada. Palhaço!
    É PRAKABÁ…!!! TADINHO DO BVAI NA “B” VAI FICÁ…!!! FAZENDO CÔSAS…KKKKKK…!!!

  • D4 B4rr4 diz: 25 de novembro de 2014

    O chico-GAY deve estar muito DaPracolonus da vida hoje!
    Explico!
    É que a BBC elegeu Floripa como a melhor capital brasileira para empreendedores entre 14 capitais brasileiras.

    Fatores positivos e determinantes da capital Barriga-Verde:

    - 1ª em qualidade de vida.
    - 1ª em Capital Humano,
    - Cultura e planejamento,
    - Referência nacional em ambientes de negócios,
    - Infra estrutura e mercado,
    - Mais de 30% da população com curso superior,
    - 60% dos universitários com notas 4 e 5 no ENADE (3 x acima da média nacional),
    - 80% da população conectada na internet.
    - Maior proporção de pesquisadores trabalhando em empresas (dobro da média).

    Meus deuses!
    Como a nossa bela capital orgulha TODOS os catarinenses, clarokê, menos os forasteiros invejosos … heheheheee!

  • Colonus Duzalemon Octarios diz: 25 de novembro de 2014

    Para entendermos a redução do número de torcedores para 15.900 com a implantação de cadeiras, devemos fazer uma conta simples. Devido ao êxodo rural muitos de jeca-ville (Ex. diversos temos aqui, que moram na Capital etc.), saem em busca de melhor qualidade de vida. A cada ano este número também é mensurado na plantação de repolhos (bem como os salsichons, que fazem parte da dieta duzalemons) e que vem diminuindo sensivelmente. Isto tudo somado a possibilidade real de já nas primeiras rodadas assumirem a lanterna, chegaremos ao número de 15.900 ora estipulado e que dentro de 2 anos já estará sobrando lugares no Estádio Estadual Arena do Jegue.

  • Pracomeçá diz: 25 de novembro de 2014

    tinhoso raivoso, mas anêmico, que se faz passar Colonus Duzalemon, seu otário…!!!
    O êxodo rural é para as tuas bandas. Aqui é uma cidade industrial e uma das maiores do Brasil. Por isso o nome de Manchester catarinense. Não sabias, caboclo invejoso? Pois é, se voltarmos quase dois séculos atrás e historicamente a industrialização mundial começou na cidade inglesa de Manchester, por isso a relação. “Capiche”? Aprendestes mais uma? Desculpa o “capiche”, para vcs tem que ser o velho “entendestes”? Até que nas redondezas de Jlle temos bastante agro-pecuária, mas nossa cidade se realça na realidade pelo seu poder industrial. Os “salsichons” que tu tanto gostas de comer, por cima e por baixo, são da Aurora e são de Chapecó, nossos colegas interioranos que felizmente vão de novo honrar esse estado com sua permanência com o time na série A.
    Enquanto isto na mini-capital as “potrancas paraguaias” continuam se lamentando da má sorte… oh, céus… oh, vida…!!! E fora os calotes… eheheheheheheheheh…!!!
    É PRAKABÁ…!!! O TINHOSO ANÊMICÚ CONTIMUA A DÁ…!!!

  • osley diz: 25 de novembro de 2014

    o dinheiro das cadeiras ja prometem a três anos e nadaaaa o responsavel da felej ja prometeu tantas vezes que que …e alguns jornalistas ainda dão parabens para a administração dele vergonha

  • tinho sangue azul diz: 25 de novembro de 2014

    Pracomeçaadá, escreves endereçado a mim, tentas dar uma aula sobre Revolução Industrial, falas em Italiano, agropecuária, potrancas paraguaias em céu, vida dás uma outra finalidade do “salsichons” que comes por baixo, cara tas surtando, disca 193. E já que gostas de corrigir os outros esta foi de doer “Pois é, se voltarmos quase dois séculos atrás…”, voltar pra frente se conseguires me avisa. Acho que nem com uma máquina de tempo!

  • JECTIBAH diz: 25 de novembro de 2014

    Por falar em dinheiro, é caótica a situação dos jogadores do Náutico que enfrentarão a Ponte. Salários atrasados há três meses, quatro meses de direito de imagem atrasados e consequentemente jogadores desanimados. Por isso, não acredito que o Náutico vá complicar a situação da Ponte. O JEC têm que esquecer o jogo de Recife e fazer de tudo para não perder do Oeste. Este é o plano A. Já o plano B… não dá pra contar.

  • Marcão diz: 25 de novembro de 2014

    O de quatro, no blog do castiel diz:
    Prefiro ficar no barzinho, ( bar dos gays ) na lagoa e não ir a jogos do meo figueira. Bem o tipo de gay chamaria atenção de torcedores logo.
    - explico
    Gay só no vestir, já sabem que é.
    Então é um torcedor modinha, só fica beliscando com os amiguinhos hihihihihihihihih

  • Toninho FiGUEIRA diz: 25 de novembro de 2014

    Pura bobagem essa discursão de estádio de 30 40 50 100 mil pessoas. Nada disso vai impedir que disputemos para não cair.
    O que Figueirense, Chapecoense, joinvile, Criciuma e Avaizinho tem que fazer e juntar forças e ser mais profissionais. Por exemplo, a RBS não pode mais pagar uma mixaria para transmitir o catarinão. Os empresários catarinense contribuirem com uma cota única a ser rateado entre os times da A, B, C e D
    Iniciativas que fortalessam os clubes para que eles possam fazer alguma contratação não de peso mais de qualidade.

  • XAUXAU MENEZES diz: 25 de novembro de 2014

    PRACOMEÇAADÁ e GUIGO(cabeça chata)porque vocês não vazam daqui? U duas carniças credo,e já está tudo certo o Nautico entrega o jogo e o OESTE já está com a grana na não inclusive,mexeu com CACAU?mexeu com XAUXAU,XAU,Cidral.

  • Marcão diz: 25 de novembro de 2014

    Sinto cheiro de “crime” no ar.

  • Elton diz: 25 de novembro de 2014

    Cara, acho que o Jec tem que pensar em fazer um estádio particular, ainda que na arena tenha havido investimento de torcedores tricolores, o fato é que ele é considerado público, como é de conhecimento de todos.

    Mesmo que seja de pouquinho em pouquinho, quem sabe com parcerias, acredito que seja possível.

  • William diz: 25 de novembro de 2014

    Quando eu digo que esse anti-corneteiro, Pracomeçá, dusalemão é um marginal, meliante e escória da sociedade, o Cidral faz vista grossa.
    O dia que ele envolver a tua mãe, CIDRAL, gostaria de ver a tua reação.
    Na real, esse marginal não tem estrutura nenhuma para receber zoação. Não deveria estar aqui.
    O Renato Alvinegro não falou nada demais, se comparado com o que falam de Floripa.
    Te liga, blogueiro, poderás ser o próximo.

  • FIGÃO FOREVER SERIE A diz: 25 de novembro de 2014

    sai dai bambis do balé rosado! Vejão a torsida do Figão PARANDO A CIDADE na foto nunca serão capetau e nunca terão a maior torsida, dalhe FIGUEIRA !
    http://wp.clicrbs.com.br/ospassionaisjoinville/2014/11/24/todas-as-atencoes-ao-joinville-esporte-clube/#comments

  • Da estrada da ilha diz: 25 de novembro de 2014

    Falam que o Icasa pode ser excluído, como já foi e está jogando com liminar, julgamento nesta quinta-feira, se for todos que ganharam pontos, perde.
    Fica assim a tabela:
    Joinville 67
    Ponte 65
    Vasco 61
    Atl.go. 58
    Am mg 57
    Boa. 56
    Ceará. 54
    Avai. 53
    América rn e bragantino rebaixados.
    Oeste escapou.
    Será que vão fazer essa confusão toda.

  • FIGÃO FOREVER SERIE A diz: 25 de novembro de 2014

    Sideral me enganei no link pois tava tomano uma gelada aqui em latinha, o link com a foto da torssida auvinegra invadino a sidade FIGÃO PARA SEMPRE SERIE A kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk:
    http://www.figueirense.com.br/wp-content/uploads/2014/11/obrigadotorcida.jpg

  • REPÚBLICA MANÉZINHA DO SUL diz: 25 de novembro de 2014

    video Argel motivando no vestiário alvinegro, simplesmente o time da raça é o Figueira:
    https://www.youtube.com/watch?v=PjjBwFGYUPI

  • D4 B4rr4 diz: 25 de novembro de 2014

    A verdade deve ser dita, comentário meo acima, esqueci de escrever porquê floripa é citada por uma eng e está no ranking do melhor lugar para abrir e fechar empresa.

    Mão de obra, 43% do que ganha um funcionário em Sp.
    Atividade das empresas com sucesso garantido, bares e boates gays.
    Cidade pequena, a menor do Brasil, fácil de achar tudo.
    Tem mais coisa, outro dia escrevo.

    Sds figayrense.

  • Marcão diz: 25 de novembro de 2014

    William a tua mãe não está neste pasto também.

  • Pracomeçá diz: 25 de novembro de 2014

    William e tinhoso anêmico, vão ver se estou na esquina, ok?
    Se por acaso encontrarem vossas mães por lá, não estranhem, ok? Tudo normal!
    Vão zoar com a vossa laia, ninguém vos chamou aqui. Se não encontrarem os vossos passionais, que aliás um deles nunca publicava nem 1/8 do que vcs escrevem por aqui, dirijam-se ao posto Ipiranga, tem um pseudo-advogado trabalhando por lá, ok?
    Gentinha da mini-capital que nem vcs, NÃO SÃO bem vindas aqui, ok?
    E marginal é vc mesmo seu eira nem beira que comenta com diversos fakes.
    Se não aguentam com a tal da zoação, “zarpem” fora. Queriam ser os “tais”? kkkkk…!!!
    É PRAKABÁ…!!! “ELAS” NEM QUEREM QUE AS VAMÔ XINGÁ…!!!

  • Mario L. Nascimento diz: 26 de novembro de 2014

    Antes de comentar sobre Arena, capacidades, cobertura e outros quetais, exponho minha opinião sobre o investimento de dinheiro público em entretenimento (leia-se estádios, arenas, ginásios etc.).

    Uma cidade que deixa ser fechada uma escola como o Monsenhor Sebastião Scarzzello, num bairro populoso como o Itaum, que tem um hospital estadual sucateado como o Regional e que espera há anos pela Universidade Federal na região industrial mais desenvolvida de SC não deveria estar se empenhando para obter verbas para ampliação de estádio e sim para corrigir estes absurdos. São descasos com o trem pagador da economia catarinense que deveriam provocar reações indignadas de nossos políticos. Para estas coisas (algumas de poucas, já que há no estado uma cidade onde não faltam verbas estaduais e federais) não se consegue mobilização política. Para a Arena, em uma semana estão todos em Brasília. É uma inversão de prioridades.

    A melhor solução para a Arena é um projeto de concessão ou PPP através de licitação, em que o vencedor assumiria a ampliação e alguns compromissos a mais, como cessão para eventos esportivos de interesse da cidade e obrigatoriedade da participação do Joinville Esporte Clube. Isso foi feito no Maracanã, por exemplo. Além disso, teria que pagar ao poder público algo pela parte já construída. É uma solução viável, que não é explorada porque os homens público de Joinville não têm alcance para pensar em soluções diferentes do convencional. Os exemplos de soluções semelhantes estão em estádios construídos para a Copa do Mundo em cidades quem mal e parcamente têm times na série D do campeonato brasileiro. Como para os nossos “grandes homens públicos” o mundo termina em Pirabeiraba e Araquari, não conseguem pensar além.

    Mas já que se conseguiu ou conseguir-se-á a verba, vamos discorrer sobre a forma de usá-la. Em outros comentários.

  • Mario L. Nascimento diz: 26 de novembro de 2014

    Como comentei antes, já que vão mesmo conseguir verba para ampliar a Arena, é hora de falar das maneiras de usar esse dinheiro. Pior do que investir no lugar errado é investir no lugar errado E DA FORMA ERRADA.

    Em 1977 o JEC, campeão catarinense de 1976, tinha assegurada vaga para o Campeonato Brasileiro. Mas jogava em estádios que comportavam em torno de 2 mil pessoas. Era preciso ampliar, o que foi feito no Estádio Ernesto Schlemm Sobrinho, do Caxias. A necessidade de construção rápida determinou a construção de arquibancadas metálicas. Hoje a capacidade (controlada por autoridades que, em tese, visam à segurança) ficaria em torno de 17 mil pessoas. Na época, era algo como 25 mil. E no primeiro jogo (empate com o Grêmio) registrou-se público de 25.945 pessoas. Mas diz-se que havia mais de 30 mil, já que as catracas foram estouradas e muita gente entrou sem ingresso.

    Durante os anos em que Joinville recebia o primeiro escalão do futebol brasileiro, o público raramente era menor do que 15 mil espectadores. E Joinville tinha na época em torno de 200 mil habitantes. Hoje não é exagero falar-se em 3 vezes mais.

    Por que diabos então nossas autoridades querem “fechar” a Arena Joinville para uma capacidade equivalente ao que era suficiente HÁ 37 ANOS??? Eu, honestamente, não consigo compreender tanta falta de visão estratégica e uso pouco inteligente do dinheiro público.

    Mais comentários adiante.

  • Mario L. Nascimento diz: 26 de novembro de 2014

    Comecemos pela colocação de cadeiras. Qual a necessidade da colocação de cadeiras na parte descoberta do estádio. Alguém falou que é uma imposição para a participação na série A. Alguém precisa informar à CBF que a Arena Condá (essa de tirar o Índio do nome foi genial…) não tem cadeiras. Quem sabe não é uma maneira de mandar a Chapecoense de volta para a série B e livrar a cara de Palmeiras e Coritiba sem riscos…

    Dinheiro jogado fora. Cadeiras na chuva viram bacias. Se já é difícil ir ao estádio com a água apenas no concreto bruto, imagina se o cara for obrigado a sentar em uma bacia. Além do mais, sujeitas a intempéries, as cadeiras em pouco tempo terão que ser trocadas.

    Outra pergunta sobre a colocação de cadeiras é porque haverá redução da capacidade para 15.900 Só posso enxergar duas hipóteses:

    1) vão ser colocadas cadeiras grandes, que ocuparão mais de 50 cm cada uma. Dos modelos simples disponíveis no mercado, poucos ocupam mais do que esta medida. E NÃO HÁ NECESSIDADE DE CADEIRAS MAIORES QUE ISSO. A parte hoje descoberta tem em torno de 7.000 m úteis (descontando escadas, acessos etc.) para colocação de cadeiras. com 50 cm por cadeira, dá 14 mil lugares. Somando aos 4.800 lugares das cobertas atuais, são 18.800 lugares. Onde foram parar 2.900?

    2) Os nossos valorosos bombeiros militares, com sua infinita capacidade de chutar números para baixo quando se trata de prejudicar Joinville, mais uma vez o fizeram por conta de falta de rampas, escadas ou sei lá o que mais. Se for isso, porque não se corrigem esses problemas de uma vez, para que a capacidade não seja reduzida?

    Mais uma vez estamos diante de um caso de uso pouco inteligente de um dinheiro que é difícil de conseguir.

    Apenas para registro, leiam em outro comentário o que penso sobre dinheiro para estádio em uma cidade que deixa o governo estadual fechar escolas por falta de manutenção, que tem um hospital estadual sucateado e espera por uma universidade federal há tanto tempo.

  • Mario L. Nascimento diz: 26 de novembro de 2014

    Continuando, vem a priorização de ampliação x cobertura. Aí é que acho que vem a parte mais doída da falta de planejamento. Numa cidade em que chove mais da metade dos dias do ano, é certo que os jogos perdem mais público por falta de cobertura do que por falta de lugares. Portanto, aumentar a capacidade é MENOS PRIORITÁRIO DO QUE COBRIR parte do estádio.

    Não que não se deva pensar em aumentar a capacidade. Com uma população que triplicou, ter um estádio com a mesma capacidade do Ernestão de 1977 soa como piada.

    Mas é preciso pensar em um modelo integrado de crescimento da capacidade com cobertura. Nesse aspecto, é necessário planejar qual o modelo e qual a capacidade final da Arena. Pensando no crescimento da cidade e do time, 32 mil é uma CAPACIDADE FINAL bastante razoável. Para se ter uma ideia, o Coritiba e o Atlético Paranaense têm estádios com capacidade para em torno de 40 mil pessoas, em uma região metropolitana de mais de 6 vezes a população de Joinville. Têm portanto potenciais de torcidas 3 vezes maiores que a do JEC.

    Pode ser que hoje os 32 mil só fossem ocupados em poucos jogos. Mas não precisamos chegar lá em pouco tempo. Se sairmos dos atuais 18 a 20 mil para 32 mil em 4 a 8 anos estará de bom tamanho.

    O QUE NÃO É ADMISSÍVEL É GASTAR ALGUNS CAMINHÕES DE DINHEIRO E “FECHAR” O PROJETO DA ARENA EM 24 ou 25 mil espectadores. Digamos que o JEC embale e se mantenha da série nos próximos 5 anos. Vamos derrubar tudo e fazer outra Arena, gastando mais dinheiro que deveria estar em escolas, hospitais, estradas?

    Um dos papéis mais relevantes dos homens públicos deveria ser o planejamento do futuro. Pelo jeito os nossos estão, como é costume, cedendo ao canto da sereia eleitoral. Eu esperava mais…

  • Mario L. Nascimento diz: 26 de novembro de 2014

    Para terminar, aqui vão algumas sugestões para tentar minimizar os prejuízos de gastar mal um dinheiro que é tão difícil de conseguir.

    1) Projeto conceitual que deverá ser seguido nas etapas posteriores: a porralouquice eleitoral do Tebaldi foi determinante para todos os problemas da Arena. Há alguns anos conversei com um engenheiro da Cassol, fornecedora do concreto pré-moldado da Arena. Ele disse que foi difícil terminar o projeto porque a cada reunião o então prefeito queria mudar tudo. Com a obra tinha prazo (ELEIÇÃO!), acabou-se fazendo “o que foi possível”. Ou seja, o projeto original que previa ampliações futuras não pôde ser estudado como deveria e hoje há limitações técnicas que demandarão custos maiores para a ampliação. Não inviabiliza, mas pode encarecer. Não se pode repetir os mesmo erros.

    2) Planejamento para evolução da capacidade e cobertura da Arena de forma modular. Uma vez que exista um plano para se chegar a um projeto final, cada etapa será construída de forma coerente com esse plano, não inviabilizando etapas futuras.

    3) Construção de acordo com as verbas disponíveis e o projeto em evolução para se chegar ao número final, que no meu modo de entender é um estádio totalmente coberto, com capacidade para 32.500 lugares.

    Sugestões para o plano ampliação (que deverá ser feito por gente especializada):

    1) Construção de mais 15 ou 16 degraus de arquibancada acima dos existentes hoje em toda a Arena.

    2) Começar pelo reestudo do fosso, o que já está sendo feito. Mas acho que deve-se também pensar nas áreas abertas nos 4 cantos, que, pelo que sei, seriam áreas para cadeirantes. Parece-me que há lugares em excesso para essas pessoas, que hoje estão sendo acomodadas em área diferente, nas arquibancadas cobertas. Acho que dá pra manter uma área razoável para cadeirantes (há normas para isso) e ampliar os lugares usando parte da área atual destinada a eles. Somando com as áreas do fosso, acho que é possível obter em torno de 3 mil lugares a mais.

    3) Começar a ampliação por outros 3 mil lugares no setor grená e cobertura total da área ampliada. Nessa situação, teríamos em torno de 12 mil lugares cobertos e capacidade total de 23 mil pessoas. Com isso é possível disputar a série A por alguns anos, mesmo que muita gente fique de fora nos jogos contra os times de maior torcida no Brasil.

    4) Continuar a ampliação pela construção dos 15 ou 16 degraus a mais nos setores azul, depois verde e nos cantos, terminando pelo setor atualmente coberto. Cada ampliação aumentaria a capacidade em algo como 2500 lugares, até chegar ao número final de 32.500.

    Repetindo: gostaria de estar aqui falando sobre as verbas para a Universidade Federal do Norte Catarinense, revitalização do Hospital Regional, construção de novas escolas estaduais e federais. Mas já que o dinheiro que vem será para a Arena, que seja gasto de forma inteligente.

  • Tricolor Esclarecido diz: 27 de novembro de 2014

    Sr. Mário L. do Nascimento!

    Com sempre, nos fornecendo textos (opiniões) em linguagem concisa, coerente e de fácil entendimento. Tens opinião própria e não se preocupas a agradar a gregos e/ou troianos. Parabéns, pessoas como você é que precisamos na política, no esporte e em tantos outros setores citadinos. Grande abraço!

  • Mario L. Nascimento diz: 27 de novembro de 2014

    Tricolor esclarecido,

    agradeço os elogios, aceitando-os com um grande desconto. Principalmente no que se refere a concisão. Nos tempos de hoje, em que as opiniões devem caber em 140 caracteres, difícil encontrar quem esteja disposto a ler muito mais que isso. E, por isso, aqui vai um agradecimento a mais… hehehe

    Creio que todos devemos emitir nossas opiniões, procurando embasá-las com leitura e ilustração, hoje tão fáceis de encontrar na Internet.

    Infelizmente hoje me vejo meio pregando no deserto com relação ao tema. Parece que quem decide não está interessado em outras opiniões, já tomou a decisão e esta está voltada mais ao aspecto eleitoral do que ao aspecto das reais necessidades de um equipamento público. Pelo que se anuncia, teremos mesmo um projeto “congelado” em 24 ou 25 mil lugares, público bastante frequente no Ernestão há quase 40 anos. Tenho certeza absoluta de que o arrependimento virá em muito pouco tempo.

    Apesar do discurso contrário, só está contando a necessidade de que tudo fique pronto para a próxima eleição. Se até lá constatarmos que a capacidade é pequena (acreditem, isso VAI acontecer), dirão que era o que era possível fazer. Será apenas mais uma mentira eleitoral. Ninguém está preocupado com a Joinville de 2020. No máximo com a Joinville que vai votar em 2016.

    Para mim, uma decepção. Sempre respeitei o nome de Udo Döhler, um empresário de sucesso. Mas o Udo Döhler político parece seguir em parte a cartilha dos políticos tradicionais, ou os escuta em demasia. Pensamento limitado à próxima eleição.

Envie seu Comentário