Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Catarinão"

Arena Liberada ao Trem Pagador

15 de abril de 2014 42

torcida

Outra vez, novamente e de novo a torcida tricolor é a que mais esteve presente nas arquibancadas e detalhe, TODOS OS JOGOS na Arena que foram televisionados, tiveram transmissão liberada para a praça, eu falei TODOS! Meu sinhô, que torcida é essa! Enquanto isso, o seu Wilfredo, presidente da Associação de Clubes não permitiu que o time preto e branco tivesse seus jogos no Scarpelli transmitidos para a própria cidade. Mas de nada adiantou, a imensa nação tricolor atropelou todas as injustiças e mais uma vez mostrou ser o trem pagador de Santa Catarina.

Passa a régua no catarinão, pois agora o negócio é série B e consequentemente o acesso. Finalmente teremos adversários de peso para disputar as melhores médias de publico da competição. A Arena Joinville já está liberada e antes que alguém me pergunte se fiquei preocupado com a interdição, já adianto que NEM UM POUCO! Nunca, jamais a CBF e a FCF deixariam de faturar a renda que só a torcida do Joinville proporciona. Essa pressão do ministério público é extremamente válida para fazer as coisas andarem, mas jamais vai fazer com que a maior fonte de renda do estado fique somente do lado de fora.

A guerra de terno e gravata

15 de abril de 2014 85

ARTE

Aqui em Santa Catarina sempre haverá crédito ao mau elemento. Um grande exemplo disso foram as chuvas de efeitos suspensivos os inúmeros atos de violência ocorridos dentro de campo. Na verdade, o regulamento diz o seguinte, se você tiver punição menor ou igual a dois jogos, o que teoricamente é algo menos grave, as punições terão de ser cumpridas sem qualquer tipo de recurso, porém, caso você tenha agredido covardemente um companheiro seu de profissão e tenha pego mais de dois jogos, basta contratar um advogado, entrar com um recurso e jogar a próxima partida, simples assim!

Na premiação dos melhores do campeonato catarinense as coisas não foram muito diferentes. A sensação que ficou foi a seguinte: “Se você perder, deixe palavras como profissionalismo, dignidade e caráter de lado, e faça tudo para não sair derrotado” E foi isso que aconteceu, ironicamente, o “melhor” treinador e o “melhor” dirigente são preto e branco.

Qualquer pessoa com o mínimo de formação, sabe como um executivo deve se postar, independente das divergências que possam existir. Tenho certeza que se Dr Nereu Martinelli não fosse presidente do meu time, ainda sim teria uma grande admiração pelo seu trabalho, assim como tenho pelo trabalho de Sandro Pallaoro da Chapecoense. Pessoas integras, de carácter, que plantam o bem e fazem tudo por amor ao seu clube e nada mais. Muitas vezes o presidente tricolor foi criticado por prezar muito pela politica da boa vizinhança com os demais clubes, mas quem acompanha, sabe que isso faz parte da personalidade e ninguém será capaz de mudar. Mas as coisas mudaram e uma guerra que sempre existiu nas arquibancadas, agora vestirá terno e gravata.

A relação entre Joinville e Figueirense já haviam se estremecido após a solicitação dos dirigentes alvinegros para que Saci não jogasse a final, e ao mesmo tempo, a vibração pela liberação de Everton Santos, após a agressões no dito clássico citadino, uma incoerência sem tamanho. Ainda antes da bola rolar, a chapa esquentou quando o segurança do time do estreito quis partir pra briga com os goleiros tricolores e seu treinador, era uma clara evidência de que não teriam condições de vencer somente dentro de campo. Como se não bastasse, os dirigentes do Joinville chegaram e novamente, sequer foram recebidos pelos cartolas alvinegros e ainda ficaram num camarote que mais parecia um chiqueiro. Foi a gota da água e ACABOU A PAZ. Faltou postura, faltou caráter, e isso pessoas corretas e dignas como Dr Nereu não toleram. O cavalheirismo acabou, quando percebeu-se que havia um cavalo ao invés de um cavalheiro, então que assim sejamos, quem sabe ano que vem o premiado seja nós!

 

Prejudicados do inicio ao fim

14 de abril de 2014 107

Agora de cabeça fria, menos cansado e após ler e ver todo o material publicado sobre a final é possível fazer uma leitura mais completa de tudo que aconteceu, não só ontem, mas em todo o estadual.

É preciso que se diga, que começamos prejudicados e terminamos prejudicados e ambos as vezes pela arbitragem de Heber Roberto Lopes. Na estreia diante do Criciúma, um gol absolutamente impedido, nos tirou a possibilidade de começar confiante e até mesmo de desgastar-se menos para passar de fase. E  ontem, novamente Heber causou um resultado, é inaceitável que uma arbitragem formada por cinco pessoas não tenha visto que Lucio Maranhão usou o braço pra fazer o gol. Falávamos aqui durante a semana sobre o chororô da imprensa da capital e no sábado escrevi isso no Jornal A Notícia, que só saberíamos se a pressão promovida pela capital afetaria no resultado, quando a bola começasse a rolar. E não demorou muito. O melhor bastidores venceu!

A sensação de que ainda somos o melhor time do estado permanece! Em um ano que o estadual era para ser apenas cumprimento de tabela, não fomos campeões por um “detalhe” extra campo. Obviamente que está longe da perfeição e pra série B certamente haverá mudanças, até porque talvez dentro deste elenco hajam jogadores que não mereçam a torcida que tem! Até por que ninguém poderá dizer que faltou apoio!

Um Chororô Insuportável

11 de abril de 2014 71

choro1

É inacreditável o nível em que está as lamentações do povo do estreito. Nunca pensei que alguém pudesse se sujeitar a uma condição tão deprimente por um titulo estadual. A campanha promovida por alguma “mente brilhante”, chamou a atenção nesta quinta feira. O cidadão fez um apelo na internet para que o Delfinzinho, filho do manda chuva da FCF, não pudesse ficar ao lado do campo exercendo sua função, alegando que ele é o braço do Joinville Esporte Clube na partida. Meu sinhô, que criatividade ein!

Como se não bastasse, o presidente do time preto e branco, afirmou hoje no programa Debate Diário que entrou com um pedido de suspensão para Wellington Saci, almejando tirá-lo da grande final. Ainda no Debate, o cartola, clamou e implorou para que sua torcida comparecesse na final e fizesse uma grande mobilização. Sinceramente? Se o Nereu fizesse esse apelo em público para uma final, eu morreria de vergonha da minha torcida. Só que aqui é diferente de tudo que existe e se alguém tem alguma duvida, veja aqui.

Mas após tanto desespero, enfim os mané terão algo para comemorar. Isso pro que Everton Santos, que brigou literalmente em campo, foi absolvido e jogará a final. Nada que preocupe, mas só devemos lamentar a falta de coerência de um time que chorou dias e dias por um esbarrão de Saci e hoje comemora a absolvição de uma troca de agressões. Como diria Miguelzinho! Se a farinha é pouca, o meu pirão primeiro. #LAMENTÁVEL.

Agora é foco total na final

09 de abril de 2014 63
jogadores

Foto: Juliano Schmidt / Portal Joinville

Indiscutivelmente o Joinville pegou o adversário mais difícil entre os catarinenses na Copa do Brasil.  Não assisti e nem ouvi o jogo, apenas acompanhei muito pouco pela internet pois estava em aula. Mas pela escalação e pelos comentários de pós jogo, foi possível perceber que o placar foi fruto da falta de entrosamento dos suplentes, e também pela proposta de jogo de Maria. Dizer que errou, talvez seja precipitação, essa foi apenas a terceira derrota de Hemerson a frente do JEC e vamos ser sinceros, o placar de 1 x 0 pode ser revertido facilmente aqui dentro.

É hora de voltar para final e concentrar-se na conquista do caneco. Nesta quinta feira, 10, inicia a venda de ingressos para a INVASÃO TRICOLOR no estreito. A preferência pela compra será somente para sócios e caso sobre alguma coisa (sqn), no sábado geral poderá comprar. Pra cima deles tricolor!

Estão com medo e querem ganhar no grito

08 de abril de 2014 57
saci assuncao

Saci atentado, mesmo com uma perna só, inferniza a vida dos preto e branco!

Estão com medo e querem ganhar no grito. Essa é a frase que reproduz toda a fumaça que cerca o pós jogo dos primeiros 90 minutos da final. O foco que deveria ser a vitória, a mobilização e a festa da maior torcida de Santa Catarina, acabou sendo uma jogada de contato totalmente sem intenção entre Wellington Saci e o lateral do Figueirense. É claro que imprensa vive de audiência e toda audiência tem seus picos quando o assunto é polêmico. Mas o que parte da imprensa da capital está fazendo com a decisão do estadual chega a ser sujo. Cabe até uma comparação com o caso do zagueiro Souza da Chapecoense, após uma jogada mais forte sobre o atacante do time alvinegro, que de tanta pressão, acabou sendo punido de forma injusta, ou vocês acham que jogadas como aquela não acontecem constantemente com os dois times da mini capital? A situação se repete e agora o Figueirense denunciou o Wellington Saci almejando tirá-lo da final, passando por cima de arbitragem e querendo levar esse titulo a qualquer custo!

O barulho todo se transferiu também para o vestiário e até os atletas preto e branco estão fazendo espuma por nada. O velho sunssão, que na hora que o bicho pegou, sumiu do mapa, prometeu Saci no jogo de volta. Nem vou dormi de tanto medo!

O detalhe é que todo esse nervosismo presente no estreito, é um ponto a nosso favor! Todos sabemos que quando eles resolvem rodar a baiana, não conseguem mais jogar bola, vide o último confronto na capital. Só espero que sinceramente, tudo seja resolvido dentro de campo, por que esse negócio de tribunal, já deu pra bola!

A MAIOR FESTA DA HISTÓRIA

06 de abril de 2014 35

torcida

Confiantes! Essa é a palavra que descreve toda a população da maior cidade de Santa Catarina. Os ingressos começaram a ser vendidos na quinta feira às 10 horas da manhã e antes mesmo do dia clarear já haviam filas e mais filas nos pontos de venda. Por questões éticas não foi comercializado todo o lote no mesmo dia e neste sábado ainda foi possível conseguir alguma coisa, mas agora acabou e muita gente terá de ficar do lado de fora do estádio.

Ouvi alguns comentários por aí, que alguns torcedores estão preparando uma grande recepção aos jogadores e um imenso corredor de fumaça tricolor será formado na rua Inácio Bastos até a entrada da Arena. Dizem ainda que lá dentro serão distribuídos 1 Tonelada de Papeis para fazer uma grande festa no momento em que os jogadores entrarem em campo.

Impossível não se empolgar, devo dizer que mesmo tendo que decidir lá na capital, este é o momento mais real de conquista do titulo nestes 13 anos que se passaram. Toda Joinville sentiu isso e a mobilização começou desde as primeiras horas da manhã. Vou dizer! Nesses mais de 15 anos acompanhando o Joinville Esporte Clube, nunca vi clube algum suportar tal mobilização da maior torcida do estado.  Que assim seja! #partiuArena

O novo ídolo do povo

05 de abril de 2014 36

Heróis do titulo sempre ficam pra história e os grandes ídolos dos dez primeiros títulos que marcaram a geração de ouro, foram eternizados no coração de toda nação tricolor! O Bi campeonato conquistado no inicio do novo milênio também deixou alguns grandes nomes cravados na história, Doriva, Paulinho e Fabinho, fora protagonistas da conquista de 2000. No ano seguinte, Perdigão e Marcão foram mágicos! Desde então, restaram apenas boas lembranças de dois vice campeonatos, provavelmente Rafael Tesser em 2006 e certamente Ricardinho em 2010, e só!

Quem viveu pelo menos um desses grandes momentos, certamente espera que uma nova geração de ídolos volte a reinar por aqui, e se perguntássemos um postulante, Ivan certamente seria o primeiro nome. O fato é que a fase é boa e talvez esse seja o grande momento para o titulo desde 2001. O que nos resta é torcer muito para que desta vez, surja mais um grande herói e não somente mais uma lembrança.

Coluna Jornal A Noticia de hoje

Pesos iguais com medidas diferentes

03 de abril de 2014 68

peso

As trocas de agressões no dito clássico citadino passaram batido e as punições ordenadas foram rasgadas e jogadas no lixo. Quem viu as imagens após a partida, percebeu o quão Marquinhos foi covarde e deveria no mínimo ficar o resto da temporada sem jogar, sem qualquer tipo de recurso. Não foi isso que aconteceu, tanto Marquinhos como Everson Santos estavam livres leves e soltos horas depois.

O detalhe é que um fato bem menos grave ocorreu na partida entre Figueirense e Joinville, digo bem menos grave por que não houve covardia (Covardia = Agredir por trás). O zagueiro do time alvinegro que por coincidência também leva o nome de Marquinhos chegou dando tapas para tudo quanto é lado e nesta acertou Juliano que revidou, obviamente que naquele momento ambos receberam a mesma punição e foram expulsos. O detalhe está no julgamento pós jogo, onde somente o jogador tricolor foi punido com mais jogos e Marquinhos (do Figueirense), foi absolvido. Inacreditável!

O tricolor já entrou com recurso para ter o jogador disponível para a decisão, até por que isso já virou moda aqui em Santa Catarina, o detalhe é que se não for cedido, aí estarão deixando bem claro para todos que o taça de campeão já tem dono, independente de ser o melhor ou não!

Uma cena prestes a se repetir

01 de abril de 2014 39

As imagens dizem tudo. Sem mais!

Obs: Não deixem de reparar no silêncio ensurdecedor do estádio Orlando Scarpelli.

Material de Marcos Messias