Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Joinville"

O dia da confirmação

01 de novembro de 2013 26

Não é pelo fato de termos vencido Figueirense e Paraná Clube, que o confronto de hoje diante do Paysandu, que briga para não ser rebaixado, será uma tarefa relativamente mais fácil. O time paraense possui uma das camisas mais pesadas desta série B,quem não lembra da vitória sobre o Boca Juniors dentro da Bombonera? Quebrando uma longa invencibilidade do time argentino, além disso,  já faturou a segunda divisão nacional por duas vezes e é um dos maiores vencedores da região norte e nordeste do Brasil. Sabe-se que ninguém vive de história, porém é preciso respeita-los em qualquer condição que estejam.

Mas acima de qualquer coisa é hora de confirmar o bom momento e fazer a nossa parte, por mais história que o Paysandu tenha, aqui quem manda somos nós e ninguém será mais forte que o Joinville enquanto a MAIOR TORCIDA DE SANTA CATARINA estiver perto. Hoje é o dia de confirmar ainda mais o desejo da torcida do Remo (Veja aqui a contagem regressiva para o rebaixamento do Papão), mas acima de tudo, hoje é dia de confirmar que chegamos de pra valer e que definitivamente a Elite é logo ali.

Castigo é outra coisa

12 de setembro de 2012 14

Pelo amor de Deus não me venham com frases prontas do tipo “O Joinville sofreu um castigo no final do jogo”. Ou ainda “Foi um pecado o que aconteceu”. Perdemos três pontos para o até então 15º da tabela de classificação. Fica um gosto amargo quando se percebe que o Joinville parecia satisfeito com o empate.

Realizar substituição aos 43 minutos do segundo tempo demonstra isso. Sendo que o jogador substituído saiu de maca sem motivo aparente nenhum pra isso. O Lima voltou e não deve estar sendo fácil passar 90 minutos isolado. Sinceramente temo que o nosso artilheiro “caia em depressão”.
Ontem no final do jogo tivemos duas oportunidades de falta desperdiçadas de forma absurda. Nenhuma das duas cobranças ofereceram qualquer tipo de perigo. Será que o bom zagueiro Pedro Paulo treina cobranças de falta?

Se alguém acha que o Jailton vai conseguir substituir o Tiago Real, pode desistir. Não sou viúva de nenhum jogador pois acho o futebol muito dinâmico pra isso. Está na hora de se pensar em outro esquema. É impressão minha ou o Eduardo parou de funcionar sem o Real?

Para finalizar, gostaria de entender que mal fizeram Ramon e Aldair que não foram relacionados.

Chegar e ficar

11 de setembro de 2012 6

A vitória sobre o Avaí e a derrota do São Caetano nos colocou novamente no G-4.
O jogo de hoje contra o Asa marca o retorno do nosso artilheiro a equipe. Precisamos e muito dessa vitória. Um dos favoritos antes de começar o campeonato, o Atlético Paranaense, começou a subir na hora certa e já o avistamos pelo retrovisor.

O Goiás é mais um dos favoritos que começou sua arrancada rumo ao acesso. Como o Vitória parece já ter assegurado uma vaga e o Criciúma outra (desde que não sofra muitos apagões como o do último sábado) a disputa está cada vez mais acirrada. Temos dois jogos consecutivos fora, hoje contra o Asa e sábado contra o Ceará. Quatro pontos nessas três partidas seria o ideal. Teoricamente a vitória no jogo de hoje parece ser mais fácil de ser alcançada. Aqui vai um recado específico a um jogador. Apenas jogue o que você sabe e muito. Faça aquilo que sempre fez, assim sendo teremos grandes chances de terminar mais uma rodada no G-4.

Era uma vez....

10 de setembro de 2012 21

Era uma vez um circo com muitas atrações. Tinha leão, globo da morte, palhaços, enfim, tudo que se espera de um bom circo. Certo dia durante a apresentação do Leão azul (cor que distingue os leões machos dos não tão machos), este fugiu e causou uma grande confusão na platéia.

Uma bailarina que apresentava um bonito espetáculo do circo tranquilizou a todos. “Sentem todos, esse leão já fugiu esse ano e eu consigo tranquilamente vencê-lo”. O dono do circo, apavorado, clamou: “Faça algo, a vida das pessoas está em jogo”

A bailarina, tranquila como nunca, dirigiu-se ao leão e disse: “Leão, depois do espetáculo eu empresto minhas sapatilhas para você  desfilar tranquilamente pela Beira-mar”. O leão voltou para a jaula saltitante como nunca e todos ficaram impressionados.

Daqui pra frente esse espaço será destinado somente para o futebol dentro de campo. Eu admito que seis pontos em dois jogos deve ser difícil de engolir. Tentar desviar o foco se faz necessário. Feliz 2013 para todo circo!

Várias referências

07 de setembro de 2012 4

O Joinville não terá amanhã a sua principal referência nos últimos anos. Existe por parte da torcida uma teoria que quando mais se precisa do Lima ele não está em campo. Eu particularmente não compartilho dessa opinião. O técnico Leandro Campos terá o retorno do meia Willian para essa partida. Já no ataque a opção pelo Jean Carlos demonstra a carência de um substituto com as mesmas características do Lima.

O Jean Carlos é aquele típico segundo atacante e não uma referência na área como o Lima. O Jec vai precisar e muito do empenho e da movimentação dos seus jogadores para superar o gatinho da ilha. Muitas referências serão necessárias. A propósito desconheço algum Jean que não seja bom de bola.

Ousadia e alegria

05 de setembro de 2012 6

Infelizmente a música ousadia e alegria de grande repercussão nacional não faz parte do repertório do técnico do Jec, Leandro Campos. Depois de um primeiro tempo equilibrado, o Joinville literalmente chamou o bugre para o seu campo e a derrota tornou-se algo inevitável.

Três zagueiros, um volante de lateral e mais dois volantes no meio, não foram suficientes para conter o ataque do Guarani. Além das substituições erradas, o Joinville foi castigado pelo individualismo do Marcinho e pela displicência do Lima.

O velho e surrado jargão “quem não faz toma” também pode ser aplicado para definir esse confronto. Saímos do G-4 e precisamos mais do que nunca vencer o Avaí sábado, na Arena, pois além de voltarmos à briga, deixaremos o rival sem qualquer aspiração no campeonato, se é que ainda tem alguma.

A propósito, Lima, defendo você em qualquer discussão sobre futebol, agora levar dois cartões em dois jogos seguidos, faltando menos de cinco minutos, não vejo argumentos que possam te ajudar!

Jean

Buscar fora o que não veio em casa

03 de setembro de 2012 5

O jogo dessa terça contra o Guarani em Campinas será de fundamental importÂncia para as pretensões do Jec nesta série B. O empate sábado contra o ABC não estava nos planos de quem estava demonstranto uma grande regularidade nos jogos na Arena.

Foi notório que o time sentiu a falta de uma maior mobilidade devido a mudança de esquema com a ausência do Tiago Real. Mesmo assim trÊs bolas na trave em uma mesma partida demonstram que chances houveram. No final um milagre do Ivan, o  melhor goleiro do estado e um dos melhores do Brasil, deixou claro que o prejuízo poderia ter sido ainda maior. O importante é manter uma constância no G-4.

Um bom resultado em Campinas irá proporcionar algo jamais visto no futebol. A torcida do Jec terá que escolher entre assistir  o 1º ou o  2º tempo do jogo contra o gatinho da Ilha sábado na Arena. A procura por um lugar será muito maior que a capacidade do estádio. Só a divisão do público poderá equacionar esse “problema”.

Jean Helfenberger

Maior e melhor torcida do estado

30 de agosto de 2012 6

É grande a satisfação de poder neste espaço representar a maior e melhor torcida do estado. Isso não é uma opinião e, sim, um fato comprovado pelos números.

A campanha do Joinville nesta Série B demonstra a força e a tradição deste clube que passou sete anos longe dessa competição. Terminar o primeiro turno no G-4 já é um forte indício que teremos um final de ano de alegria em nossa cidade. Muitos fatores, entre eles, a arbitragem (o jogo de terça contra o Atlético Paranaense foi simplesmente um absurdo) e o assédio de outros clubes podem comprometer nossa campanha.

Clube de Série A, como o Palmeiras, com presença já garantida na Libertadores do ano que vem, não obteve êxito na investida em um dos nossos guerreiros (Eduardo). Esse simples fato já demonstra o quanto a diretoria e o próprio jogador pensam no projeto do acesso.

Vamos subir assim mesmo no campo e com muitas dificuldades como foi da Série D para a Série C e da Série C para Série B, e não como um clube de nosso estado que à alguns anos fez uso até de uma invasão de campo para conquistar o acesso.

A história do JEC refletida no seu hino “nasceu campeão” nos leva a acreditar no acesso.