Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

ENEM - Bom ou ruim? Permanece ou não?

14 de outubro de 2010 1

Olá pessoal!

 

Uma das justificativas do Ministério da Educação (MEC) para propor a substituição dos atuais vestibulares pelo novo Enem é ajudar na reorganização do Ensino Médio. Mas será que isto acontecerá, tornando o acesso à universidade mais democrático? “O vestibular tem servido ao longo dos anos como um mecanismo de exclusão de milhares de jovens da universidade pública. Portanto, nos colocamos a favor da substituição do vestibular e, inclusive, no início do ano iniciamos esta discussão com o Ministério da Educação. Porém, é necessário ressaltar que apenas a substituição de uma prova por outra não resolve o problema do acesso à universidade”, observa Ismael Cardoso, presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

 

O MEC coloca em pauta uma questão que é fundamental para a Ubes: a qualidade do Ensino Médio. “O vestibular tem moldado o currículo do Ensino Médio brasileiro, as provas têm se resumido a simulados e os trabalhos escolares abordam diversas questões do vestibular. Portanto, o Enem também influenciará no currículo das escolas e é necessário que se faça isso de maneira consciente”, diz.

 

O principal problema da proposta apresentada pelo MEC, segundo Ismael, é continuar avaliando apenas os resultados. “As escolas são diferentes, trabalham em condições financeiras e técnicas diferentes. Portanto, não podemos achar que mudaremos positivamente o currículo avaliando escolas e estudantes apenas no final. É necessário avaliar ano a ano, para se corrigir as dificuldades ao longo do Ensino Médio”, opina.

 

O presidente da Ubes acha que, na prática, as mudanças afetarão pouco os estudantes. “Quem se prepara para o atual modelo de vestibular terá poucas dificuldades no novo Enem”, afirma. Ismael aponta como uma das vantagens da proposta do MEC e do novo modelo de Exame, a possibilidade de o estudante concorrer, ao mesmo tempo, a um maior número de vagas.

 

 “Além disso, como o Enem é uma prova mais analítica, ao invés de decorar datas e macetes, o estudante terá que responder de maneira contextualizada, ou seja, aprenderá mais e estará mais voltado para os conteúdos”, diz. Mas ele alerta: “para que, de fato, mudemos as características das universidades, extremamente elitizadas, é necessário continuar ampliando massivamente as vagas e melhorar a qualidade do Ensino Médio”.

 

Fonte: Site Conexão Professor/RJ

 

Pergunta lançada. Queremos ler a sua opinião? O Enem veio para ficar? A universidade fica mais democrática com o ENEM?

 

Estou desblogando, até a próxima!

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • JOEL CORDEIRO diz: 27 de outubro de 2010

    GRANDE PROF OTAVIO

    QUERO PARABENIZÁ-LO PELO SEU BLOG NESTA TÃO CONCEITUADA EMPRESA DE INFORMAÇÃO, RBS/DC.
    QUERO TB DIZER-LHE QUE NÃO SERÃO SÓ PRÉ UNIVERSITÁRIOS QUE O ESTARÃO ACESSANDO, MAS TB, NÓS QUE GOSTAMOS DE SER BEM INFORMADOS E ATUALIZADOS…

    GRD ABRAÇO !!

    JOEL DO SOM / UFSC

Envie seu Comentário