Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

MEC quer criar empresa para gerenciar o Novo ENEM

21 de janeiro de 2011 1

Olá,

A centralização do MEC na elaboração e execução do ENEM esta rumando para caminhos no minímo questionáveis.

Depois de gerir com a máxima competência a incompetência que tisnou as últimas rodadas do Enem (2009 e 2010), o MEC flerta com o inusitado.

Nos subterrâneos, a pasta “administrada” pelo ministro Fernando Haddad cogita criar uma nova estatal para cuidar da aplicação de seus exames.

Além de se ocupar do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), a ‘Examebras’ aplicaria o Saeb (Prova Brasil) e o Enad (Exame Nacional de Desempenho).

Deve-se a revelação ao repórter Demétrio Wéber. Ele conta que um grupo de trabalho dedica-se ao estudo da novidade.

Participam do debate representantes de dois ministérios: o da Educação e o do Planejamento.

O plano mastigado pelo grupo traz no miolo a ideia de aproveitar na nova estatal a estrutura do Cespe (Centro de Seleção e Promoção de eventos).

Vem a ser um órgão vinculado à UnB (Universidade de Brasília). Foi contratado pelo MEC para para realizar o novo Enem, em parceria com a Fundação Cesgranrio.

Longe dos refletores, a equipe de Haddad ocupa-se do debate sobre a ‘Examebras’ desde o ano passado.

Ouvido, o reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Júnior, disse ter tratado da matéria num par de reuniões com Fernando Haddad.

Conversaram pela primeira vez no final de 2010. Voltaram a conversar no início deste mês de janeiro.

Cabe a José Geraldo, como reitor da UnB, responder pelo Cespe. Ele observa a movimentação do MEC de esguelha.

A despeito de afirmar que desconhece os detalhes da proposta, receia que a nova estatal acabe por assumir as rédeas do Cespe, desvirtuando-o.

Hoje, além de realizar avaliações do ensino, o órgão da UnB organiza concursos públicos.

No apagar das luzes da gestão Lula, o governo já havia pendurado no organograma do MEC uma nova estatal, dedicada à gestão de hospitais universitários.

Aplicando-se a mesma fórmula aos exames anuais, o MEC responderá ao inconcebível (a desmoralização do Enem) com o impensável (a criação da ‘Examebras’).

Fonte: Blog do Josias/Folha

Abraços

Bookmark and Share

Comentários (1)

  • Priscilla pinheiro diz: 24 de janeiro de 2011

    Só esperamos que essa empresa tenha seriedade e competência para acompnhar todo o processo do enem, desde a confec ção das provas, armazenamento, entrega as universidades e por fim devolução ao seu local de origem. Chega de erros no enem. Até, e parabéns pelo post.

Envie seu Comentário