Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de abril 2014

MEC cria comitê para garantir segurança do Enem

30 de abril de 2014 0

O Ministério da Educação (MEC) criou hoje (28), por meio de portaria, o Comitê Gestor de Tecnologia da Informação dos processos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O grupo será responsável por aprimorar a gestão das atividades do Enem relacionadas à tecnologia da informação. Ficará responsável pelo sistema de inscrição, feita online, pela vista pegagógica das redações, entre outros procedimentos.

O comitê será presidido pelo secretário executivo do MEC, Luiz Cláudio Costa. O objetivo será orientar as ações de segurança da informação e comunicações no âmbito do Enem; definir os recursos necessários de tecnologia da informação para o cumprimento do cronograma previsto para o exame; definir formatos das bases de dados; e acompanhar e propor melhorias e evoluções do sistema integrado de monitoramento dos processos do Enem.

No ano passado, mais de 5 milhões de candidatos fizeram o exame. Em 2014, as provas ainda não têm data definida. Uma possibilidade é que ocorram nos dias 8 e 9 de novembro.

A nota do exame pode ser usada para a participar de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que disponibiliza vagas no ensino superior público; o Programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas em instituições privadas; e o Sistema de Seleção Unificada do Ensino Técnico e Profissional (Sisutec), que destina a estudantes vagas gratuitas em cursos técnicos.

O Enem é também pré-requisito para firmar contratos pelo Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e para obter bolsas de intercâmbio pelo Programa Ciência sem Fronteiras.

Enem-publicidade

fonte: Ag Brasil

Bookmark and Share

Professor da Coreia ganha 4 vezes mais que os docentes brasileiros

29 de abril de 2014 0

A Coreia do Sul tem hoje um dos melhores modelos de ensino do mundo. No Programa Internacional de Avaliação de Alunos aparece em sétimo lugar em leitura e matemática. O país foi um dos primeiros do mundo a equipar escolas com internet de banda larga.

Um professor como Jin Oh ganha em média US$ 65 mil por ano. Tem casa própria, carro do ano e pode patrocinar o estudo dos filhos em boas faculdades particulares.

No Brasil, a vida de um professor é bem diferente. A paulistana Ana Carolina Cuofano Gomes da Silva, de 30 anos, dá aulas desde os 19. Na época tinha apenas o Magistério. Depois foi obrigada a concluir o ensino superior. Há oito anos, formou-se pela Faculdade de Letras da Universidade São Judas Tadeu. Preferiu a rede pública, porque sentia mais afinidade com os alunos. Outro fator: a escola fica perto da casa dela, Hoje, ela leciona Português para turmas de 7º e 8º anos da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Júlio Marcondes Salgado, no Parque Edu Chaves, na zona norte de São Paulo.

“Sinto um respeito muito grande”, diz Ana Carolina, que tem sorte. Segundo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp), 44% dos professores da rede pública já sofreram algum tipo de violência na escola.

Casa alugada. Ana Carolina ganha R$ 2,8 mil, em troca de uma jornada de 40 horas semanais. Para complementar a renda, dá aula em outra escola. “A prefeitura oferece uma estabilidade que as escolas particulares não têm”, explica. A professora mora de aluguel.

Jin Ho trabalha hoje no Brasil como adido cultural da Coreia. No ano que vem, volta para casa, e retoma a vida acadêmica, mas agora como vice-diretor. Na Coreia os professores, só depois de uma determinada qualificação, podem se candidatar ao cargo de vice-diretor e diretor de uma escola. Jin Ho é doutor em língua inglesa.

“Há um ditado no meu país que diz que um estudante não pisa nem na sombra de seu mestre”, diz Sok Jin Oh, professor de língua inglesa, por 32 anos na Coreia do Sul. Ele se refere ao respeito que os alunos têm pelos mestres. No país de Jin Oh, ser um professor da rede pública significa ter bom salário, e status na sociedade.

Fonte: Estadão

numero-jovens-negros-universidade-quadruplica-noticias

Bookmark and Share

Como estudar na Universidade de Coimbra com a nota do ENEM

28 de abril de 2014 0

A Universidade de Coimbra, em Portugal, disponibilizou em seu site oficial uma página com todas informações (http://www.uc.pt/brasil/graduacao/enem) sobre como os estudantes brasileiros podem participar da seleção para um curso de graduação usando a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O candidato pode escolher um dos cursos com oferta de vagas para ingresso no ano letivo de 2014 e 2015. É preciso ter feito o Enem em 2011, 2012 ou 2013.

Coimbra é a primeira universidade estrangeira a aderir ao exame do Ministério da Educação (MEC). A instituição anunciou a adesão ao ENEM depois que o governo português facilitou a entrada de estudantes internacionais no país para cursos de graduação, por meio de uma legislação publicada no dia 10 de março. Antes, essa possibilidade era mais difícil e ficava no âmbito e acordos entre o país e a instituição.

A universidade é paga. O custo da mensalidade gira em torno de 700 euros (R$ 2,1 mil). Já as despesas incluindo alimentação, transporte e moradia gira em torno de 1.358 euros, o equivalente a R$ 4,2 mil por mês.

As notas do Enem têm diferentes pesos para cada curso. As notas são convertidas para a escala de notas portuguesas de acordo com o curso escolhido.  O site traz ainda informações sobre as taxas acadêmicas e os pré-requisitos de nacionalidade.

O processo será feito em duas fases. As inscrições para a primeira fase serão abertas dia 19 de maio e podem ser feitas até 13 de junho. A divulgação dos resultados será no dia 23 de junho. Uma segunda fase terá inscrições de 21 a 31 de julho, com resultados no dia 8 de agosto.

enem-prova1

Fonte: G1

Bookmark and Share

Falta de Internet dificulta uso de tablet pelos professores

22 de abril de 2014 0
O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), em parceria com as empresas Amazon e Saraiva.com, anunciou investimento de R$ 19,1 milhões para ofertar 232 livros didáticos aos professores de ensino médio público. É através da tecnologia da Amazon Whispertcast, presentes nos tablets, que o acesso ao material é permitido. Segundo o FNDE, o serviço de acesso está disponível desde 2013, bastando apenas ao profissional realizar o desbloqueio e iniciar o aplicativo.
O problema é que, apesar de o órgão afirmar que já foram encaminhados para todas as secretarias estaduais os 461 mil tablets destinados a professores do ensino médio, falhas de infraestrutura comprometem o uso dos dispositivos móveis depois de mais de dois anos de anunciado o programa. Ainda em curso, a ação segue alvo de reclamações de professores. Existem escolas sem acesso à internet em sala de aula – o que impossibilitaria o uso pleno dos aparelhos. Ainda para 2014, o Ministério da Educação (MEC) prometeu começar nova distribuição de tablets, desta vez para professores do ensino fundamental.

O fato é que os tablets sem conteúdo e internet nas escolas não servem para nada, me lembro daqueles laboratórios que as escolas recebiam e não eram usados.

numero-jovens-negros-universidade-quadruplica-noticias

 

Bookmark and Share

MPF identificará problemas das escolas públicas do País

17 de abril de 2014 0

O Ministério Público Federal (MPF) lançou nesta terça-feira, em parceria com o Ministério Público dos Estados, o projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc). Pelo projeto, o MP fará um diagnóstico dos centros de ensino e apresentará, por meio de recomendações, soluções para os problemas identificados. A intenção é que o projeto chegue às mais de 150 mil escolas públicas do País.

O objetivo, segundo o próprio MPF, é estabelecer a defesa da educação básica de qualidade como prioridade na atuação do Ministério Público. “O projeto partiu de um levantamento que mostrava que, de toda a atuação do MP em educação, apenas 6% estavam voltados para a educação básica, e mesmo assim as ações eram muito dispersas”, diz a procuradora da República no Rio de Janeiro e gerente do MPEduc, Maria Cristina Cordeiro.

riodasostras.rj.gov.br

 

Fonte: Terra

Bookmark and Share

Possível data do ENEM: dias 08 e 09 de novembro

16 de abril de 2014 0

Segundo o jornal Estado de São Paulo o  Ministério da Educação (MEC) já tem data para a próxima edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem): dias 8 e 9 de novembro de 2014.

Instituições de ensino onde as provas devem ser aplicadas já estão recebendo consulta para cessão de espaço nesta data. Oficialmente o MEC informou que o calendário ainda não está pronto.

No ano passado, 7,1 milhões de estudantes inscreveram-se no Enem. Em 2009, o exame passou por uma grande reforma e deixou de ser apenas uma avaliação do ensino médio. Desde então, o exame é adotado como seleção de praticamente todas as universidades e institutos federais, além de ser critério para bolsas do Programa Universidade para Todos (ProUni) e do Financiamento Estudantil (Fies). As notas do Enem também servem como certificação do ensino médio e para participação do programa Ciência sem Fronteiras.

Abaixo documento enviado pelo MEC às escolas

Fonte: Estadãoenem3-744x1024

Bookmark and Share

Prazo para se inscrever no Vestibular EAD da Udesc vai até 5 de maio

14 de abril de 2014 0

Quarta melhor estadual do Brasil oferece 402 vagas em Pedagogia a Distância

Curso é mantido pelo Centro de Educação a Distância (Cead), com sede na Capital – Foto: Div.

As inscrições do Vestibular EAD da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) para o curso de Pedagogia a Distância podem ser feitas em www.vestibular.udesc.br até 5 de maio, com término às 20h, prazo final também para pagar a taxa de R$ 90.

Nesta sexta-feira, 11, a Coordenadoria do Vestibular da Udesc divulgou os doadores de sangueque ficaram isentos de pagar a taxa e agora precisam confirmar sua inscrição na internet.

Vagas

De acordo com o edital, a seleção oferece 402 vagas em nove polos EAD: Blumenau (40), Caçador (60), Canelinha (40), Joaçaba (60), Laguna (40), Palmitos (40), Ponte Serrada (40), São José (42) e Tubarão (40).

A prioridade para o preenchimento das vagas será dos professores em exercício na educação infantil e séries iniciais do ensino fundamental da rede pública estadual e municipal, sem a formação superior em Pedagogia. Os candidatos aprovados começarão a ter aulas no segundo semestre.

Provas

As provas serão aplicadas em 1º de junho, das 15h às 19h30, em oito cidades de SC: Blumenau, Caçador, Canelinha, Chapecó, Florianópolis, Joaçaba, Laguna e Ponte Serrada. A confirmação dos locais de cada município será divulgada a partir de 22 de maio.

Os candidatos terão de escrever uma redação sobre atualidades e conhecimentos gerais, além de responder 30 questões objetivas: 12 de Português, dez de História e Geografia e oito de Matemática.

A lista dos classificados em primeira chamada será divulgada até 26 de junho na Reitoria da Udesc, em Florianópolis, e no site do vestibular. A matrícula ocorrerá em 10 e 11 de julho.

Quarta melhor estadual do Brasil

No fim do ano passado, a Udesc foi apontada como a quarta melhor instituição estadual do País e a 18ª melhor no geral pelo ranking do Ministério da Educação (MEC), ficando atrás somente de instituições do Rio de Janeiro e São Paulo, como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Se for considerado apenas o conceito médio da graduação, a Udesc sobe para a oitava posição na classificação nacional.

Os critérios incluem a média ponderada dos conceitos preliminares de curso no triênio de referência (2010 a 2012) e os conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável por avaliar os programas de pós-graduação das instituições.

Mais informações podem ser obtidas com:

  • Coordenadoria do Vestibular: telefones (48) 3321-8098 e 8147, das 13h às 19h, e e-mailvestiba@udesc.br;
  • Secretaria de Ensino do Centro de Educação a Distância (Cead): telefones (48) 3321-8402, 8408 e 8432, das 8h às 19h, e e-mail seceg.cead@gmail.com.

Leia mais:

10/4/2014 - Inscrições do Vestibular de Inverno 2014 da Udesc seguem abertas até 5 de maio

6/12/2013 – Avaliação do MEC coloca Udesc como quarta melhor estadual do Brasil e 18ª no geral

Fonte: UDESCsenai_spsenaibr

Bookmark and Share

Inscrições do Vestibular de Inverno 2014 da Udesc seguem abertas até 5 de maio

11 de abril de 2014 0

As inscrições do Vestibular de Inverno 2014 da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) podem ser realizadas no site www.vestibular.udesc.br até 5 de maio, com término às 20h, prazo final também para pagar a taxa de R$ 90.

Os candidatos que obtiverem isenção da taxa pelo critério socioeconômico ou por doação de sangue precisarão efetivar sua participação no vestibular, devendo se inscrever na internet.

A Coordenadoria do Vestibular da Udesc recomenda a todos os candidatos que leiam com bastante atenção o edital, que traz informações detalhadas da seleção.

Mais informações podem ser obtidas com o setor pelos telefones (48) 3321-8098 e 8147, das 13h às 19h, e pelo e-mail vestiba@udesc.br. Acompanhe as notícias pelo Twitter e peloFacebook.

Provas

As provas serão aplicadas em 1º de junho, das 9h às 12h30 e das 15h às 19h30, em oito cidades de SC: Balneário Camboriú, Chapecó, Florianópolis, Ibirama, Joinville, Lages, Laguna e São Bento do Sul. A confirmação dos locais de cada município será divulgada a partir de 22 de maio.

Vagas e cotas

O Vestibular de Inverno 2014 tem 1.072 vagas em 36 cursos presenciais de graduação oferecidos gratuitamente pela Udesc em dez unidades no Estado.

Isso representa 75% do total de vagas, pois as 25% restantes serão preenchidas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A Udesc manterá o sistema de cotas no vestibular, pelo Programa de Ações Afirmativas. Do total de vagas por curso, 30% estão reservadas: 20% para candidatos que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em instituições públicas de ensino e 10% para candidatos negros.

Quarta melhor estadual do Brasil

No fim do ano passado, a Udesc foi apontada como a quarta melhor instituição estadual do País e a 18ª melhor no geral pelo ranking do Ministério da Educação (MEC), ficando atrás somente de instituições do Rio de Janeiro e São Paulo, como a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).

Se for considerado apenas o conceito médio da graduação, a Udesc sobe para a oitava posição na classificação nacional.

Os critérios incluem a média ponderada dos conceitos preliminares de curso no triênio de referência (2010 a 2012) e os conceitos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável por avaliar os programas de pós-graduação das instituições.

Leia mais:

4/4/2014 - Vestibular EAD da Udesc tem 402 vagas em nove polos para curso de Pedagogia a Distância

6/12/2013 - Avaliação do MEC coloca Udesc como quarta melhor estadual do Brasil e 18ª no geral

Fonte: UDESCUDESC_vertical_assinatura

Bookmark and Share

Apostila escolar tem erros ortográficos nos nomes dos Estados

10 de abril de 2014 0

Uma apostila escolar com erros ortográficos em um mapa geográfico fez com que a mãe de um aluno de uma escola municipal de Jundiaí, em São Paulo, se revoltasse e divulgasse imagens do achado pela internet. Ela folheava o livro quando encontrou nomes de três Estados brasileiros escritos de maneira incorreta. 

Tendo compartilhado o erro com o ‘G1′, Vanessa Marques, de 34 anos, mostra a imagem onde é possível encontrar os erros de escrita, como “Espíritu Santo”, “Minas Gertais” e “Ácre”. Além disso, cinco Estados da região Nordeste não aparecem identificados no mapa, assim como o Distrito Federal. 

Vanessa chegou a pensar que o erro fosse uma espécie de ‘pegadinha’ do livro, mas não encontrou palavras semelhantes.  “Dei uma olhada no resto para ver se aquilo era alguma pegadinha ou algo que fosse para chamar a atenção da criança, mas não era. O resto do livro está correto, o que não adianta nada porque são demais esses erros crassos em um livro destinado a ensinar crianças em uma fase crucial da alfabetização”, disse, em entrevista ao ‘G1′.

Em nota, a Secretaria Municipal de Educação de Jundiaí informou que a editora responsável pelas apostilas já foi contactada. A empresa assumiu total responsabilidade pelo erro e se comprometeu a reimprimir o material.

imageapostila

Bookmark and Share

Ciência sem Fronteiras pede retorno de 110 bolsistas do exterior

09 de abril de 2014 0

O governo federal começou a convocar de volta ao Brasil bolsistas do Ciência Sem Fronteiras que nem sequer começaram a exercer atividade na universidade estrangeira, foco do programa federal. Pelo menos 110 bolsistas terão de retornar do Canadá e da Austrália – onde já estão desde setembro de 2013 – por não terem conseguido proficiência em inglês.

Estudantes reclamam que a prova de certificação foi antecipada e que a permanência no país será perdida sem a realização do estágio. Além de interromper os planos dos estudantes, a decisão significa ainda um prejuízo para os cofres públicos: cada aluno já recebeu cerca de US$ 12 mil, além dos valores com passagens aéreas e seguro saúde, para o intercâmbio. Esse investimento não retornará ao País em forma de capacitação profissional e acadêmica, a contrapartida do programa.

Esses estudantes que já receberam aviso para voltar fazem parte de um grupo que, inicialmente, não se candidatou para estudar no Canadá ou na Austrália. Eles haviam sido aprovados em edital para universidades de Portugal, aberto em 2012.

No entanto, o governo federal decidiu excluir Portugal do programa – por entender que já havia grande número de estudantes naquele país, e que, lá, eles não dominariam uma segunda língua. Assim, 3.445 estudantes tiveram de escolher outro país e viajaram mesmo sem ter proficiência no idioma.

As bolsas são geridas pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), órgão ligado ao Ministério da Educação (MEC).

De acordo com as regras editadas pela Capes, esses estudantes ficariam no país estrangeiro para estudar inglês antes de ingressar na universidade. Por ora, terão de voltar 30 bolsistas que estão na Austrália e outros 80 que ficaram no Canadá. Mas o número pode aumentar, porque os exames de língua ainda estão ocorrendo.

salao-do-estudante-

fonte: Uol

Bookmark and Share