Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de outubro 2014

Falta pouco para o Enem: veja dicas e conheça as regras da redação

31 de outubro de 2014 0

Faltam poucos dias para o início do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), marcado para os dias 8 e 9 de novembro. A dica de hoje é sobre redação, que será aplicada no segundo dia (9).

POR ONDE COMEÇAR?

- Calcule o tempo. Separe uma hora para fazer a redação.
- Encontre o tema. Organize as ideias e pense quais argumentos você vai defender.
- Escreva primeiro no rascunho. Faça os ajustes necessários. Releia o que escreveu para ver se está tudo compreensível e se não tem nenhum erro. Só depois transcreva o texto final para a folha oficial. As boas redações não têm nenhuma rasura.
- Capriche na letra. O examinador precisa entender o que você escreveu.
- Alguns professores recomendam começar pelo meio, a parte dos argumentos, para depois fazer a introdução.

COMO DIVIDIR O TEXTO?

- Divida o texto em parágrafos. Tem que dar a margem antes de iniciar um novo parágrafo. E coloque ponto final ao terminar.

- Faça um texto com 30 linhas. Dê um título de quatro a cinco palavras. O título não é obrigatório segundo o edital, mas ajuda a enriquecer a prova.
- Não escreva em primeira pessoa. Faça uma dissertação usando a terceira pessoa do singular ou plural (ele, ela, eles, elas).
- Leve a prova a sério. Não faça piadinhas, brincadeiras, nem seja preconceituoso nas ideias.
- Seja simples e objetivo. Pode escrever com simplicidade. Não precisa se preocupar com texto muito elaborado com vocabulário muito intelectual. Enem pede texto correto e coeso.
- Não fuja ao tema proposto. Segundo o edital, quem fugir ao tema deliberadamente vai ganhar nota zero.

COM OU SEM TÍTULO?

Segundo as regras do Enem, “o título é um elemento opcional na produção da sua redação e será considerado como linha escrita”.

O QUE PODE DAR ZERO À SUA REDAÇÂO?

- Não atender a proposta solicitada ou desenvolver outra estrutura textual que não seja a do tipo dissertativo-argumentativo;
- Entregar a folha de redação sem texto escrito;
- Escrever até 7 (sete) linhas, qualquer que seja o conteúdo;
- Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação;
- Desrespeito aos direitos humanos;
- Parte do texto deliberadamente desconectada com o tema proposto.

TEMAS QUE JÁ CAÍRAM

1998: Viver e aprender
1999: Cidadania e participação social
2000: Direitos da criança e do adolescente: como enfrentar esse desafio nacional
2001: Desenvolvimento e preservação ambiental: como conciliar os interesses em conflito?
2002: O direito de votar: como fazer dessa conquista um meio para promover as transformações sociais que o Brasil necessita?
2003: A violência na sociedade brasileira: como mudar as regras desse jogo
2004: Como garantir a liberdade de informação e evitar abusos nos meios de comunicação
2005: O trabalho infantil na sociedade brasileira
2006: O poder de transformação da leitura
2007: O desafio de se conviver com as diferenças
2008 Como preservar a floresta Amazônica: suspender imediatamente o desmatamento; dar incentivo financeiros a proprietários que deixarem de desmatar; ou aumentar a fiscalização e aplicar multas a quem desmatar
2009: O indivíduo frente à ética nacional
2010: O trabalho na construção da dignidade humana
2011: Viver em rede no século 21: os limites entre o público e o privado
2012: Movimento imigratório para o Brasil no século 21
2013: Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil

Fonte: G1 Educação

Bookmark and Share

Prepare-se para o Enem refazendo provas anteriores

30 de outubro de 2014 0

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), será realizado em 8 e 9 de novembro. É hora de revisar. Pode parecer difícil escolher o melhor método para estudar, mas, sem dúvida, um dos mais importantes é refazer as provas anteriores do exame. Provavelmente algum colega ou professor já te deu essa dica, mas você sabe exatamente por que ela é fundamental para um bom desempenho?

As razões são simples: treinar com provas anteriores do exame pode ajudar a acostumar com o estilo da prova, o tipo de questões que costuma ser cobrado e, também, a mapear os assuntos que caem mais em cada matéria. Além disso, resolver as questões também pode servir como “termômetro” para os seus estudos, ajudando a verificar quais assuntos precisam ser estudados um pouco mais.

Reserve também alguns dias para resolver as provas inteiras nas mesmas condições exigidas na aplicação do exame, como número máximo de horas, espaço e alimentação. Nessa situação, fique longe de qualquer distração, como celular, computador, televisão ou mesmo familiares e amigos – lembre-se que, no dia da prova, nada disso será permitido! Essa é uma tática importante para treinar sua resistência e capacidade de concentração em uma prova longa, e pode ser o diferencial que o manterá focado no dia do Enem.

Para te ajudar nessa tarefa, separamos as provas e os gabaritos de todas as edições do formato atual do Enem, de 2009 a 2013. Confira abaixo:

 

Enem 2013
- Ciências Humanas e suas Tecnologias | Ciências da Natureza e Suas Tecnologias

Gabarito

- Redação | Linguagens, Códigos e suas Tecnologias | Matemática e suas Tecnologias

Gabarito

Enem 2012
- Ciências Humanas e suas Tecnologias | Ciências da Natureza e Suas Tecnologias

- Gabarito

- Redação | Linguagens, Códigos e suas Tecnologias | Matemática e suas Tecnologias

- Gabarito

Enem 2011
- Ciências Humanas e suas Tecnologias | Ciências da Natureza e Suas Tecnologias

- Gabarito

- Redação | Linguagens, Códigos e suas Tecnologias | Matemática e suas Tecnologias

- Gabarito

Enem 2010
- Ciências Humanas e suas Tecnologias | Ciências da Natureza e Suas Tecnologias (1ª aplicação) – com gabarito

- Ciências Humanas e suas Tecnologias | Ciências da Natureza e Suas Tecnologias (2ª aplicação) – com gabarito

- Redação | Linguagens, Códigos e suas Tecnologias | Matemática e suas Tecnologias (1ª aplicação)

- Redação | Linguagens, Códigos e suas Tecnologias | Matemática e suas Tecnologias (2ª aplicação)

 

Enem 2009

- Ciências Humanas e suas Tecnologias | Ciências da Natureza e Suas Tecnologias

Gabarito

- Redação | Linguagens, Códigos e suas Tecnologias | Matemática e suas Tecnologias

Gabarito

 

Fonte: Guia do Estudante

Bookmark and Share

Como imprimir o cartão de confirmação de inscrição do Enem 2014?

29 de outubro de 2014 8

Conforme já havíamos divulgado anteriormente, o Ministério da Educação (MEC) liberou a consulta do cartão de confirmação da inscrição pela internet, que entre outros dados, informa o local de realização das provas.

Assim como ocorre em todas as edições do exame, o cartão também será enviado pelo correio para o endereço cadastrado pelo candidato e começará a chegar nesta semana. Caso você tenha mudado de residência ou simplesmente quer tê-lo mãos agora mesmo, saiba que é possível imprimi-lo.

Basta seguir os passos abaixo:

1 – Acesse o sistema do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais);

2 – Clique em “Local de proval” e preencha os campos com CPF, senha cadastrada no Enem 2014 e caracteres anti-spam;

3 – Ao visualizar seu cartão de confirmação de inscrição online, confira se todos os dados estão corretos. Se houver alguma informação errada entre em contato com o MEC pelo telefone 0800 616161 (ligação gratuita);

4 – Role a página até o final e clique no botão “Imprimir”, localizado abaixo das instruções.

Pronto! Agora que você já tem o documento em mãos, recomendamos que leia atentamente as instruções para saber o que pode e o que não pode ser feito durante a realização do Enem 2014.

Visitar o local de prova com alguns dias de antecedência também é uma boa recomendação, assim você aprende o caminho e se familiariza com o ambiente.

Por fim, orientamos que dê uma olhada nesta página que o MEC desenvolveu para esclarecer dúvidas sobre o horário, materiais válidos e documentos de identificação aceitos. Além disso, o ambiente virtual ainda explica as oportunidades que o Enem abre ao candidato: Sisu, Sisutec, Prouni, Fies, Ciências Sem Fronteiras e as cotas.

Fonte: InfoENEM

Bookmark and Share

Saiba como fazer uma revisão completa para o Enem

28 de outubro de 2014 0

Falta pouco: daqui duas semanas, mais de oito milhões de estudantes farão a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que ocorrerá no fim de semana dos dias 8 e 9 de novembro. O exame é porta de entrada para milhares de vagas no ensino público e privado. Por isso, não dá para bobear faltando apenas quatro semanas para a prova, não é?

A revisão é parte muito importante da etapa final de estudos e deve ser o seu foco principal nessas últimas semanas. É importante valorizar a objetividade, analisando quais conteúdos mais caem na prova e quais matérias e assuntos você deve priorizar na hora de rever tudo de novo. Hora de estudar!

ESTUDO NA RETA FINAL

Para a revisão, o mais importante é saber organizar o seu tempo. Se até o Enem teremos quatro semanas, é importante programar os estudos e definir quais matérias vão ser estudadas em cada dia. Para o professor Célio Tasinafo, coordenador pedagógico do cursinho Oficina do Estudante, o candidato deve estar preparado para fazer essa seleção. “Não adianta desperdiçar tempo e esforços com aqueles tópicos nos quais sempre teve dificuldades. O aluno também não conseguirá uma melhoria no desempenho geral com o estudo daquilo que já domina bastante”, explica. No entanto, isso não significa largar o estudo por completo de uma matéria! É importante saber escolher, dentro de todas as disciplinas, quais tópicos são importantes e ainda podem ser estudados.

Se você ainda não pegou nenhuma prova do Enem para tentar resolver inteira, não perca mais tempo: essa é a hora. Desde que o Enem passou a ter o formato atual, em 2009, já temos 11 provas disponibilizadas pelo Ministério da Educação (MEC), contando as edições para presidiários e a segunda aplicação de 2010. Mas, por que treinar com a prova inteira ao invés de simplesmente resolver questões aleatórias do Enem? A razão é simples: refazer as provas pode ajudar a acostumar com o estilo do exame, o tipo de questões que costuma ser cobrado e, também, a mapear os assuntos que caem mais em cada disciplina.

Na hora de refazer a prova, o professor Alexandre Linares, do Cursinho Henfil, recomenda escolher “a pior cadeira que tiver em casa”. “A cadeira em que você vai fazer a prova tem muita chance de ser uma cadeira bem desconfortável. A prova do Enem é também uma prova de exaustão física, por isso você tem que estar preparado para enfrentar essa maratona”, explica. Além disso, fazendo a prova você pode avaliar também o quão preparado está para enfrentar o exame – e saber quanto esforço terá que fazer até o dia 8.

Além disso, o formato do Enem pede um tipo de preparação diferente do que é exigido pelo vestibular tradicional. “O domínio da linguagem é a essência do Enem, porque é a partir dela que você vai dominar o que a prova requer”, explica o professor Alexandre. Por isso, a prova do Enem exige muito mais compreensão e habilidade do que só “decoreba” de conteúdo. Nessa reta final, dê prioridade à leitura - mas muita leitura mesmo! “O aluno deve se acostumar à leitura de diversos tipos de textos, especialmente literários, notícias de jornais, artigos e crônicas”, explica a professora Fernanda Carvalho Bomfim, do Cursinho do XI. Aqui, é importante lembrar que o Enem é uma prova que cobra muita interpretação de texto – até nas questões de Exatas! -, e desenvolver bastante a leitura possibilita uma qualidade maior na correlação de informações.

Na hora de revisar, também é preciso dar atenção especial à redação, que no Enem conta como uma prova separada. “A redação é a única prova em que você pode chegar a 1000 pontos. Eu sempre recomendo: se você quer entrar em uma boa universidade, dedique-se a fazer redação”, diz o professor Alexandre Linares. Para treiná-las, também só há uma saída: fazer o máximo de dissertações possível até a prova. Só nas provas do novo formato do Enem, temos 11 temas já utilizados. Se necessário, também dá para usar as redações do formato antigo, a partir de 1999.

Agora, você sabe o passo a passo de uma boa revisão. No entanto, também é necessário saber quais temas podem ser cobrados, não é? Então, confira abaixo os assuntos nos quais você deve focar na reta final:

Ciências da Natureza e suas Tecnologias

É possível que os assuntos que se destacaram mais nos acontecimentos do ano sejam priorizados nas questões. Deve ser dado enfoque em: água, com destaque para o estresse hídrico e suas razões e implicações; energia, com destaque para a eólica e xisto; vacinas, com destaque para o que é e as campanhas de vacinação; lixo, com destaque para a Lei de Resíduos Sólidos.

Para Biologia, estude:

- Assuntos ligados à ecologia (ciclos biogeoquímicos – carbono, água e nitrogênio)
- Poluição ambiental
- Teias alimentares (energia e matéria) e bioquímica relacionada à botânica (fotossíntese)
- Fisiologia (humanos e doenças)
- Citologia (incluindo manipulações de DNA)

Para Química, estude:

- Cálculo estequiométrico
- Equilíbrios químicos
- Soluções
- Termoquímica
- Isomeria (plana e espacial)

Para Física, estude:

- Relações energéticas
- Transformações de energia
- Circuitos elétricos
- Energia mecânica
- Leis de Newton
- Empuxo
- Propagação de ondas

Ciências Humanas e suas Tecnologias

As questões têm privilegiado a leitura de textos, a análise de fotos, charges e obras de arte, e a comparação entre texto e imagem. Nas questões de Filosofia e Sociologia, têm havido um pouco mais de cobrança de conceitos fundamentais. Além disso, é importante focar também em assuntos que envolvem os direitos humanos, como luta do operariado, movimentos populares anti-escravidão no Brasil, e luta das mulheres por diretos civis e políticos.

Para História, estude:

Brasil:
- 150 anos do início da Guerra do Paraguai (1864-1870)
- 60 anos do suicídio de Getúlio Vargas
- 50 anos do Golpe de 1964
- 30 anos das “Diretas Já”

Mundo:
- 100 anos da Primeira Guerra Mundial
- 20 anos do fim do apartheid na África do Sul
- 25 anos do Massacre da Praça da Paz Celestial
- 25 anos da queda do Muro de Berlim

Para Geografia, estude:

- Urbanização (cidades, problemas sociais e ambientais urbanos)
- A questão da indústria mundial, questões ambientais (desmatamento, desgaste de solos)
- Energia (construção de usinas hidrelétricas e suas consequências para o meio ambiente e sociedade)
- Água (de abastecimento à geração de energia).

Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Português:

Na prova de Linguagens, é frequente a cobrança das funções da linguagem, como a referencial, a denotativa, a emotiva e a conotativa. Dentre elas, a mais importante é a função metalinguística e tem mais chances de cair.
Apesar de o Enem não exigir muito o conhecimento específico dos movimentos literários, são muito cobrados os textos de autores clássicos como Machado de Assis, Guimarães Rosa e José de Alencar. É possível que caia comparação entre o estilo desses autores com autores de outros movimentos literários, como Camões, por exemplo. Além disso, autores mais contemporâneos também vêm ganhando espaço nas provas.
São frequentes as questões que falam do mundo virtual, como a linguagem utilizada pelos usuários, as relações estabelecidas nas redes sociais, a substituição do livro de papel pelo digital e o uso da informação.
Costumam também aparecer questões que falam sobre a diversidade cultural, a identidade, através de textos jornalísticos, críticos e obras de arte diversas, como pintura, escultura, dança e fotografia.

Inglês e espanhol:

A prova de língua estrangeira do Enem é famosa por cobrar bastantes charges, que podem conter um volume grande de texto, muitas vezes contextualizado na pergunta. Nesses casos, deve-se buscar a interpretação que faz coerência pelo jogo de sentido entre a imagem e o texto da charge. São, basicamente, questões de interpretação e dedução.
Além disso, a prova exige compreensão de textos maiores em prosa, que requer cuidado na hora de ser respondida. Muitas vezes, o enunciado da questão já deixa claro o modo com que se deve ler o texto e o que o examinador espera que se responda.

Um ponto a que se deve dar atenção são os falsos cognatos, palavras que têm escrita semelhante a uma palavra em português, mas com significado completamente diferente. Exemplo: “Apology”, em inglês, significa “pedido de desculpas”, mas poderia ser confundida com “apologia”, em português.

Dica: atenção às alternativas que apresentem palavras como NUNCA, JAMAIS, SEMPRE. Geralmente, essas opções com palavras restritivas não costumam corresponder à resposta correta.

Matemática e suas Tecnologias

A prova de Matemática é forrada de gráficos e tabelas que devem ser cuidadosamente analisados e interpretados. No entanto, a resolução das questões depende de conhecimentos específicos.
Estes conhecimentos específicos, por sua vez, nem sempre são apresentados de forma direta. Por exemplo: num vestibular tradicional, uma questão de progressão aritmética (PA) é anunciada com a frase “Em uma PA (…)”. No Enem, isso também pode ocorrer, mas existe a preferência em se criar uma situação em que o aluno reconheça que se trata de uma PA.

Estude:

- Porcentagem
- Conversão de medidas
- Sólidos geométricos
- Cálculo de área
- Funções trigonométricas
- Funções do 1º e do 2º graus
- Equações do 1º e do 2º graus
- Razão e proporção (regra de três, diretamente proporcional ou inversamente proporcional).

Fonte: Guia do Estudante

Bookmark and Share

Cartão que indica onde candidato fará provas do Enem sai nesta segunda, 27

27 de outubro de 2014 0

Os cartões de confirmação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) estarão disponíveis a partir desta segunda-feira (27), segundo o Ministério da Educação. Para acessá-lo, é preciso informar o CPF e a senha de login no site de inscrições do Enem. O acesso é individual.

O ENEM 2014 acontece nos dias 8 e 9 de novembro. Segundo o MEC, o envio dos cartões pelos Correios também terá início nesta segunda-feira. A versão enviada pelo correio é a mesma que pode ser acessada pela internet.

O cartão confirma o endereço e o local de provas de cada candidato, mas não é obrigatório apresentá-lo no dia do exame para poder fazer as provas. Ele também informa se o candidato fará a prova de linguagens com questões em espanhol ou inglês (de acordo com a escolha no ato da inscrição), se ele se inscreveu para o Enem para conseguir o certificado de conclusão do ensino médio e/ou se terá acesso a atendimento especial (no caso de deficientes) ou específico, no caso de gestantes, lactantes, idosos e sabatistas, por exemplo.

Quem não receber o cartão, não conseguir imprimir pela internet ou constatar algum erro no documento, deve entrar em contato com o Inep pelo telefone 0800-616161.

ALERTA

Nas últimas duas edições do Enem, o cartão de confirmação foi divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) pouco mais de 20 dias antes das provas. Neste ano, porém, a distribuição via Correios e pela internet será feita com antecedência de menos de duas semanas. A expectativa do cartão por parte dos candidatos fez com que o Inep divulgasse, na semana passada, um alerta no site oficial do exame.

O aviso do Inep era quanto à falsidade de um e-mail endereço a candidatos do Enem sobre possíveis erros em sua inscrição.

Neste ano, o Enem tem mais de 8,7 milhões de candidatos com a inscrição regularizada e que, segundo o Ministério da Educação, poderão participar das provas nos dias 8 e 9. O número é 21% mais alto do que na edição de 2013 do exame.

REALIZAÇÃO DAS PROVAS

Assim como nos anos anteriores, o Enem ocorrerá em dois dias seguidos. No sábado, dia 8 de novembro, os participantes farão as provas de ciências humanas e ciências da natureza, das 13h às 17h30 (horário de Brasília). No domingo, dia 9 de novembro, serão aplicadas as provas de linguagens e códigos, matemática e redação. Nessa data, o tempo do exame será mais longo, entre as 13h e as 18h30 (horário de Brasília).

Segundo o MEC, serão impressas 18,3 milhões de provas (incluindo normal, ampliada, ledor e braile – estas três últimas, para quem tem diferentes graus de deficiência visual) em 1.699 municípios do país. Este ano, 785 mil funcionários vão ajudar na realização do Enem, entre coordenadores de locais de aplicação, assistentes de coordenação, chefes de sala, fiscais e apoio. Em todo o Brasil, haverá 16,6 mil locais de exame.

Fonte: G1 Educação

Bookmark and Share

Veja como descansar dos estudos sem se sentir culpado

24 de outubro de 2014 1

O ideal é, aos poucos, começar a descansar corpo e mente para estar preparado para o fim de semana do exame, que será bem puxado! Porém, muitos vestibulandos teimam em não diminuir o ritmo e querem, desesperadamente, estudar até o último minuto.

Essa teima nada mais é do que o medo de se permitir descansar e depois se arrepender. A pressão no ano de vestibular é muito grande. Muitos candidatos, inclusive, passam o ano tomando decisões pensando no que seu concorrente está fazendo. “Enquanto eu estiver na piscina, vai ter alguém (provavelmente um asiático) estudando que vai tirar minha vaga.” “Se eu ver um filme agora, vai ter alguém estudando em algum lugar no mesmo momento”.

Pensar assim, às vezes, pode até trazer garra para estudar e desenvolver seu espírito competitivo. Mas, sempre, não é sadio! É preciso saber dosar os momentos de estudo com os de lazer, pois isso permitirá que você faça integralmente sua presente ação. Não adianta tentar estudar com a mente cansada nem tentar descansar pensando em tudo que tem para estudar.

Para conseguir isso, evite passar um dia completo sem estudar. Se você reserva um dia inteiro para descanso, poderá ter a sensação de que não fez nada de útil e começará a se sentir culpado. Planeje antecipadamente seu dia. Se seus amigos te chamaram para um cinema à tarde, esforce-se para fazer alguns exercícios no período da manhã. Ou seja, elimine suas pendências de estudo antes do descanso e respeite seu limite para estudar com eficácia.

Fonte: InfoENEM

Bookmark and Share

Consulta ao cartão de confirmação da inscrição do Enem 2014 será liberada dia 27

22 de outubro de 2014 0

A partir da próxima segunda-feira, 27 de outubro, o Ministério da Educação (MEC) irá liberar para consulta online o cartão de confirmação da inscrição do Enem 2014.

Os mais de 8,7 milhões de candidatos poderão fazer a consulta diretamente no sistema do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), mediante inserção do CPF e da senha cadastrada na inscrição do exame.

De acordo com a Assessoria de Comunicação Social do MEC, a partir desta mesma data as versões impressas dos cartões, enviadas pelo Inep via correio, começarão a chegar no endereço indicado pelos participantes no momento do registro nesta edição do Exame Nacional do Ensino Médio.

O principal dado contido no cartão de inscrição informa o local exato (ensalamento) onde o participante realizará as provas nos dias 8 e 9 de novembro. Além disso, o documento também apresenta: nome completo; CPF; número de inscrição no Enem 2014; data e hora das provas; opção de língua estrangeira (inglês ou espanhol); necessidade de atendimento especializado ou específico (se foi solicitado); e solicitação de retirada do Certificado de conclusão do ensino médio (caso tenha sido assinalado).

Em alguns casos os estudantes não receberão o cartão, seja por mudança de endereço ou por uma falha de logística do serviço prestado pelo correio. De acordo com o MEC, os candidatos que tiverem seus cartões de confirmação de inscrição devolvidos receberão uma notificação de alerta do Inep através de SMS no celular e mensagem eletrônica no e-mail cadastrados no sistema.

Vale ressaltar também que, além da consulta do cartão no site do Enem, também será possível imprimi-lo.

Fonte: InfoENEM

Bookmark and Share

Entenda como é feito o cálculo da nota das provas objetivas do Enem

21 de outubro de 2014 0

As provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que vão acontecer nos dias 8 e 9 de novembro, têm um total de 180 questões objetivas e uma redação. A metodologia das perguntas de múltipla escolha, porém, é diferente da maioria dos vestibulares tradicionais. Por isso, a nota dos candidatos não é calculada apenas a partir do número de questões acertadas.

Chamada de Teoria de Resposta ao Item, ou TRI, a metodologia confunde muitos candidatos acostumados com outros vestibulares, mas é considerada pelos especialistas como a forma mais adequada de avaliar um grande número de estudantes. É o caso do Enem, que neste ano tem 8,7 milhões de candidatos.

No Enem, cada estudante tem cinco notas: uma para cada prova objetiva e uma para a prova da redação. As provas objetivas são as de ciências da natureza, ciências humanas, matemática e linguagens e códigos.

Uma das principais dúvidas sobre a TRI é o fato de que é impossível o aluno tirar nota 1.000 na prova de múltipla escolha (na redação, isso é possível). Por meio dessa metodologia, mesmo que o aluno acerte todas as 45 questões de cada prova, sua nota nunca será 1.000. Da mesma forma, um candidato que erre todas as questões não acaba com a nota zero (ou, no caso do Enem, a pontuação mínima, que é 200 pontos).

Isso acontece porque o exame dá pontos aos candidatos de acordo com uma escala. Ou seja, a nota do candidato não se trata diretamente do seu desempenho individual, mas de como ele se saiu dentro do conjunto dos demais candidatos. Por exemplo, quanto mais próximo da nota máxima, mais certeza é possível ter de que o estudante domina os conhecimentos exigidos na prova.

CHUTAR OU NÃO CHUTAR?

Como o cálculo da nota de um aluno no exame não depende só de seus acertos, os candidatos do Enem reclamam que é impossível calcular sua própria nota comparando as respostas com o gabarito oficial e, quando chega o resultado, criticam o fato de colegas com números semelhantes de acertos terem recebido uma pontuação diferente.

O motivo desse fato, segundo especialistas, é que, ao observar diversos aspectos do desempenho dos candidatos, além de apenas o número de acertos, a TRI também consegue prever se um estudante acertou uma questão por acaso, ou seja, se ele “chutou”, ao comparar essa resposta com as que ele deu para outras questões.

Por isso, dois estudantes que acertem a mesma questão podem não receber a mesma pontuação por ela –se a questão é considerada difícil, e só um dos alunos acertou outras questões com o mesmo nível de dificuldade, esse aluno receberá mais pontos pelo acerto da questão específica.

Mas, mesmo que o aluno não tenha certeza da resposta, os professores afirmam que a melhor opção é chutar uma alterativa, porque, se a resposta for correta, a pontuação poderá ser pequena, mas será maior do que zero.

Fonte: G1 Educação

Bookmark and Share

Sobre cartão de inscrição e local de prova do Enem 2014

20 de outubro de 2014 9

Primeiramente vamos esclarecer a relação entre o cartão e o local de prova. O primeiro consiste num documento oficial que será posta no correio pelo Ministério da Educação (MEC) para o endereço cadastrado por cada um dos 8,7 milhões de candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio.

O cartão de confirmação trará, entre dados pessoais e opções escolhidas pelos participantes no momento da inscrição, o local exato (escola ou universidade, prédio, bloco, sala etc.) onde o estudante realizará as provas desta edição do Enem.

A questão é que, tradicionalmente, o MEC tem enviado tais cartões dias antes da prova. Muitos inscritos, especialmente aqueles que prestarão o exame pela primeira vez, ficam ansiosos e pensam que não receberão o documento. Se você é um deles, acalme-se, o mesmo deve chegar em sua residência ainda neste mês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E se eu não receber meu cartão?

Por se tratar do maior exame do Brasil, com dimensões continentais, é absolutamente natural que uma pequena porcentagem dos candidatos não receba o cartão, seja por falha do MEC ou de logística do correio.
Se isso ocorrer com você, não se desespere. Todos os anos, após anunciar o envio dos cartões, o MEC disponibiliza o documento para consulta na internet, no sistema do Inep (órgão responsável pela organização do Enem). Neste momento será possível também fazer a impressão do documento.

E se mudei de endereço após as inscrições do Enem?
Muitos participantes mudaram-se de endereço durante o ano, o que obviamente resultará em não recebimento do cartão, uma vez que o mesmo será enviado para o endereço informado no momento da inscrição.
Como não é possível alterar este dado, a recomendação é que aguarda a liberação da consulta online para acessar o site do Inep e imprimir o documento.

O que fazer nestes últimos dias então?
A dica aqui é muito simples. Você deve aproveitar estas últimas semanas para acelerar os estudos e praticar o máximo que puder através da participação em simulados e resolução de provas anteriores (estratégia principal de nossas Apostilas Enem 2014).
Esfrie sua cabeça e esqueça o cartão de confirmação da inscrição.

Fonte: InfoENEM

Bookmark and Share

Música na História, uma bela música para sexta-feira

10 de outubro de 2014 0

É quase sexta-feira, e o nosso post do dia é para aprender e relaxar com boa música!

Abaixo  a biografia de Johann Pachelbel e a obra prima de Pachelbel,  Canon em ré para você escutar e claro aproveitar um boa música clássica!

Johann Pachelbel (alemão, pron.['johan ˈpaxl̩bɛl]2 ), nascido na cidade alemã de Nuremberg, e, batizado em 1 de setembro de 1653 na mesma localidade, Johann Pachelbel cresceu numa região culturalmente ativa na época. Desde cedo, demonstrou talento e, incentivado pelo pai, iniciou os estudos com o músico Heinrich Schwemmer e, posteriormente, com o organista Georg Caspar Wecker. A excelente habilidade musical o levou, aos 15 anos, para a Universidade de Altdorf. Por lá, foi organista em Lorenzkirche, abandonando o cargo menos de um ano depois, por falta de dinheiro.

Em junho de 1678, Pachelbel foi nomeado organista da Protestant Predigerkirche, em Erfurt, onde permaneceu por 12 anos. No decorrer deste período, alcançou sucesso extraordinário como organista, compositor e professor. Casou-se duas vezes. Ele perdeu a primeira esposa e o filho contaminados pela peste, em 1683, e casou-se novamente em 1684.

Pachelbel, carta autografada

Depois de deixar Erfurt em 1690, passou breves períodos como organista em Stuttgart e Gotha. No verão de 1695, voltou à sua Nuremberg natal para trabalhar os últimos 11 anos de sua vida, como organista na Igreja St. Sebalduskirche. Em 1699, produziu a importante coleção de seis árias, Hexachordum Apollinis, para órgão. Johann Pachelbel morreu, aos 53 anos, no dia 3 de março de 1706, mas acredita-se que ele tenha sido enterrado no dia 9.

Deixou dois filhos, Wilhelm Hieronymous Pachelbel e Charles Theodore Pachelbel, ambos músicos e organistas. De religião protestante, foi notavelmente compositor para órgão, predominantemente para músicas religiosas da Igreja Protestante alemã, músicas as quais foram muito influenciadas por seu conhecimento em música religiosa Católica tanto da Áustria, bem como da Itália.

Clique e assista: Música clássica vale a pena!

Bookmark and Share