Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Curso pré-vestibular sul-coreano tem disciplina militar

06 de janeiro de 2015 0

O colégio interno Jongro Yongin, localizado a 40 quilômetros de Seul, no subúrbio, da capital da sul-coreana, tem regras rigorosas que lembram um quartel militar. Ao entrar, os adolescentes têm seu material revistado pelos professores. Não é permitido telefone celular, jogos eletrônicos, revistas de moda e internet. Mas apesar de rigoroso, os cerca de 300 jovens entraram neste cursinho pré-vestibular por vontade própria.

Na Coréia do Sul o histórico escolar tem extrema importância. A escolha da Universidade pode determinar as chances profissionais e até mesmo o provável salário aos 50 anos. A Universidade Federal de Seul é uma das mais procuradas e em dias de vestibular é comum ver mães rezando pelos filhos nos corredores.

Nos cursos preparatórios a rotina é puxada. Os estudantes acordam às 6h30, fazem exercícios e depois tomam um rápido café da manhã. As aulas começam às 7h30 e os alunos só param de estudar pouco antes da meia-noite. São 16 horas por dia, sete dias por semana. Para não cochilar, alguns alunos assistem às aulas em pé. Os poucos intervalos são usados para dormir, lavar roupa, fazer exercícios ou estudar.

“No começo eu ficava envergonhado. Perguntava o que estava fazendo aqui, enquanto meus amigos estão curtindo a faculdade. Mas no nosso país é muito importante tem um bom diploma, mesmo que isso signifique estudar um ano a mais. Considero um ano passado aqui um investimento para o meu futuro”, conta Chung Yong Seok, de 19 anos.

ara manter a motivação, várias mensagens estão presas nas paredes das salas de aula, por exemplo: “pense no sacrifício que os seus pais fizeram para mandá-lo para cá!” ou ainda “suas lágrimas podem ser de tristeza agora, mas serão de alegria no futuro”. O ambiente é quase militar, com regras rígidas para evitar distrações. Como o colégio é misto, os namoros são proibidos e podem ser punidos com a limpeza de salas de aula e banheiros por alguns dias. Mas a cada três semanas, os alunos podem deixar o colégio para visitar a família por dois dias.

 

*Distribuído por “The New York Times Syndicate”.

Fonte: G1

dog enem

 

Bookmark and Share

Envie seu Comentário