Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "ENEM"

Sobre cartão de inscrição e local de prova do Enem 2014

20 de outubro de 2014 0

Primeiramente vamos esclarecer a relação entre o cartão e o local de prova. O primeiro consiste num documento oficial que será posta no correio pelo Ministério da Educação (MEC) para o endereço cadastrado por cada um dos 8,7 milhões de candidatos inscritos no Exame Nacional do Ensino Médio.

O cartão de confirmação trará, entre dados pessoais e opções escolhidas pelos participantes no momento da inscrição, o local exato (escola ou universidade, prédio, bloco, sala etc.) onde o estudante realizará as provas desta edição do Enem.

A questão é que, tradicionalmente, o MEC tem enviado tais cartões dias antes da prova. Muitos inscritos, especialmente aqueles que prestarão o exame pela primeira vez, ficam ansiosos e pensam que não receberão o documento. Se você é um deles, acalme-se, o mesmo deve chegar em sua residência ainda neste mês.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E se eu não receber meu cartão?

Por se tratar do maior exame do Brasil, com dimensões continentais, é absolutamente natural que uma pequena porcentagem dos candidatos não receba o cartão, seja por falha do MEC ou de logística do correio.
Se isso ocorrer com você, não se desespere. Todos os anos, após anunciar o envio dos cartões, o MEC disponibiliza o documento para consulta na internet, no sistema do Inep (órgão responsável pela organização do Enem). Neste momento será possível também fazer a impressão do documento.

E se mudei de endereço após as inscrições do Enem?
Muitos participantes mudaram-se de endereço durante o ano, o que obviamente resultará em não recebimento do cartão, uma vez que o mesmo será enviado para o endereço informado no momento da inscrição.
Como não é possível alterar este dado, a recomendação é que aguarda a liberação da consulta online para acessar o site do Inep e imprimir o documento.

O que fazer nestes últimos dias então?
A dica aqui é muito simples. Você deve aproveitar estas últimas semanas para acelerar os estudos e praticar o máximo que puder através da participação em simulados e resolução de provas anteriores (estratégia principal de nossas Apostilas Enem 2014).
Esfrie sua cabeça e esqueça o cartão de confirmação da inscrição.

Fonte: InfoENEM

Bookmark and Share

ENEM: Chance é maior para candidato que organiza o tempo de prova

07 de outubro de 2014 0

A pouco mais de 01 mês das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014, a preparação dos inscritos chega à reta final. Por todo o Brasil, estudantes participam de testes simulados, grupos de estudos e aulas particulares e procuram formas de chegar bem preparados ao momento das provas. Mas é certo que isso causa muita ansiedade.

O estudante Matheus de Araújo Cavalcante conseguiu vencer esse desafio em 2012. Conquistou vaga na Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, após fazer boa prova no Enem. Segundo ele, saber organizar o tempo e manter-se calmo ao fazer uma prova complexa e longa como o Enem foi essencial para realizar o objetivo.

“Como sou egresso do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba, meu ensino médio foi diferente de um normal, por ter sido voltado mais a disciplinas técnicas que às comuns”, diz. “Portanto, para realizar o Enem, minha preparação praticamente resumiu-se à revisão do conteúdo de disciplinas como biologia e história, pois não as estudara com a profundidade requerida.”

O estudante soube usar a experiência de estudar em um instituto federal, onde foi preparado para participar de diversas olimpíadas científicas, e fazer todas as provas dentro do tempo exigido e sem a necessidade de se apressar ao final.

Para fazer uma boa prova é importante, portanto, que os participantes do Enem de 2013 saibam administrar o tempo, principalmente para evitar o preenchimento apressado e sem a atenção necessária do cartão de respostas.

Fonte: INEP

foto-curso-escola-educadora

Bookmark and Share

Como passar no ENEM

01 de outubro de 2014 1

Você que vai fazer a prova do Enem 2014 – Exame Nacional do Ensino Médio que vai acontecer duas vezes, uma em maio e outra em outubro em todo o Brasil, deve ficar atento em algumas dicas de como passar no Enem 2014 para garantir uma boa nota e ingressar em uma universidade através do Sisu e Prouni.

Diversas universidades federais já aderiram a nota do Enem como forma de vestibular (e a tendência é aumentar a cada ano) por isso o Enem cada ano que passa fica mais difícil, pois aumenta a concorrência e o número de inscritos. Para você conseguir entrar em uma Universidade Federal você precisa ter uma média de 60% de aprovação do Enem pelo menos, mas isso varia de acordo com a universidade e curso, os mais cursos mais concorridos, como o de medicina, você terá que alcançar ao menos 75% para ter chances.

Agora se sua meta é tirar o certificado de conclusão do ensino médio, você deverá alcançar a média de 400 pontos na média geral das provas e 500 pontos na redação, o que não é muito difícil, porém quem estuda tem muito mais chances.

Uma boa dica para ir bem no Enem é estudanto as provas anteriores e matérias da atualidade, existem diversos materias que vão te auxiliar com os estudos. Outra opção é fazer um cursinho preparatório para o Enem e fazer vários simulados pela internet. Quanto mais você tiver preparado, maiores serão as chances de você garantir uma boa nota, portanto não deixe de estudar! Esse é o maior segredo de como passar do Enem.

Você tem mais alguma boa dica de como passar no Enem? Deixe nos comentários e compartilhe com todos, pois assim um ajuda o outro a passar na prova do Enem 2014.

alunos na sala

Bookmark and Share

Vale a pena "chutar" no ENEM

30 de setembro de 2014 0

Cuidado! Isso pode ser um mau negócio

Olá pessoal no artigo de hoje você vai descobrir porque não vale apena chutar no Enem deste ano devido a vários fatores, e o principal deles é o sistema anti-chute do ENEM criado pelo INEP para evitar os famosos chutes nas questões do ENEM. A TRI não contabiliza apenas o número total de acertos no teste, leva em conta a dificuldade de cada questão. Um item com baixo índice de acertos tem mais peso na pontuação final, aqueles com alto índice de acertos contam menos pontos na nota final do candidato. Além disso, o sistema ‘antichute’ consegue perceber quando a resposta não é compatível com o nível de conhecimento demonstrado pelo aluno e reduz a pontuação da questão.

Vale apena chutar no ENEM?

Para explicar a TRI de maneira mais simples e podemos comparar ao sistema a uma consulta oftalmológica: “O médico coloca uma lente atrás da outra e pede para você ler as letras. Ele conhece o grau de cada lente. Ele não quer saber quantas letras você acertou, ele quer descobrir o seu grau, algo interno a você. Como ele não tem acesso direto a isso, ele usa algo externo e dependendo do padrão ele vai te posicionar em uma escala. É isso que a TRI faz”, explica. “Eu apresento uma série de questões como se fossem lentes, dependendo daquelas que ele acertar eu vou saber o grau do aluno, dependendo do acerto eu sei se ele melhorou ou piorou em leitura, em matemática e em outras competências.

Na prática, funciona assim: uma questão que teve baixo índice de acertos é considerada “difícil” e, portanto, tem mais peso na pontuação final. Aquelas que têm alto índice de acertos são classificadas como “fáceis” e contam menos pontos na nota final do candidato. Dessa forma, dois participantes que acertaram o mesmo número de itens poderão ter médias finais diferentes, dependendo do nível de dificuldade de cada uma dessas questões. Também não é possível comparar o número de acertos nas provas de diferentes áreas do conhecimento. Se um aluno acerta a mesma quantidade de itens nas provas de matemática e ciências humanas, por exemplo, não significa que a pontuação obtida será igual. Isso porque o nível de dificuldade de cada prova e dos diferentes itens que a compõem afetam esse cálculo final. Sistema ‘antichute’ A TRI consegue até mesmo identificar o famoso “chute”.

Vamos dar um exemplo se um candidato só acerta questões até o nível 300, depois erra tudo e acerta uma única questão de um nível maior, o modelo encara essa questão com um peso menor, pois considera que ela não mostra muito bem o nível do aluno, já que no restante da prova ele está abaixo. “O chute não vai piorar a nota, em última instância você pode até acertar algumas questões. Existe o acerto casual. Minha recomendação é que o aluno faça tudo, mesmo que não tenha certeza. Vá primeiro nas questões que tem mais segurança, mas tente fazer toda a prova, é o melhor.

Notas máximas e mínimas Após a divulgação do resultado individual de cada candidato no Enem, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) também publica as notas máximas e mínimas de cada área da prova. Essas notas servem como parâmetro para o inscrito saber se foi bem ou mal no exame, já que não existe 0 ou 1.000 nas provas de múltipla escolha. A única parte da prova que não usa a TRI para a correção é a redação. Nela é possível o candidato tanto zerar como conseguir nota 1.000.

Vamos esclarecer alguns pontos sobre a TRI.

A TRI é um sistema matemático capaz de analisar as questões que cada participante respondeu corretamente e dar um peso específico para cada acerto, baseando-se na dificuldade e no conhecimento necessário para solucionar cada uma delas. Em outras palavras, tal sistema tem por objetivo identificar possíveis “chutes” dos candidatos e minimizar o valor dessas questões.
De acordo com o próprio INEP, o modelo de TRI adotado no exame é do matemático Birbaum, que avalia três parâmetros para então chegar à nota final. São eles: poder de discriminação, referente às habilidades dos participantes. o grau de dificuldade de cada questão. a probabilidade de acerto ao acaso, popularmente conhecido como “chute”.

curso-tecnico-300x199
Bookmark and Share

Testes seus conhecimentos nos melhores simulados para o ENEM

29 de setembro de 2014 0

Reta final do ENEM, e claro  sempre é bom treinar antes de entrar em campo, por isso escolhi alguns simulados para o ENEM que podem lhe  ajudar  a se preparar melhor para esta grande prova.

Abaixo o link de dois simulados para você praticar!!!

http://goo.gl/SIbUcl

http://goo.gl/6AMfOD

Agora é só treinar!!!

 

enem

 

 

 

 

Bookmark and Share

Temas de atualidades para Enem e vestibulares 2014/15

26 de setembro de 2014 0

Extração de gás e petróleo de xisto

A extração de gás e petróleo a partir das rochas de xisto tem crescido a cada ano, ganhando destaque nas discussões sobre matriz energética. Em 2013, o petróleo obtido a partir desse minério representou 29% da produção total do produto nos Estados Unidos. O gás de xisto, por sua vez, representou 40% do total.

As reservas desse minério representam 10% do total de petróleo e 32% do gás disponível no planeta. O país que mais detém reservas é a Rússia, seguida por Estados Unidos, China e Argentina. Já os países com maiores reservas de gás de xisto — encontradas entre as camadas do mineral — são China, Argentina, Argélia e Estados Unidos. O Brasil  também possui grandes quantidades do minério e, em 2013, o governo chegou a realizar leilões de exploração da reserva. A produção a partir desse material, entretanto, está paralisada por falta de regulamentação específica.

Para produzir petróleo e gás a partir do xisto é preciso explodir as rochas do minério por um processo chamado de “fraturamento hidráulico”, que injeta grandes quantidades de água misturada a produtos químicos sob grande pressão. A técnica, porém, é questionada por ambientalista e já foi proibida na França e na Bulgária.

Água e crise no sistema hídrico

As anomalias verificadas nos índices pluviométricos, que tiveram como consequências a falta de água em São Paulo e enchentes em outros Estados da região Sudeste, também estão entre as apostas dos professores de cursinho. “O stress hídrico esteve na pauta dos jornais por meses e o tema abre margens para toda a sorte de perguntas no Enem, que pode cobrar desde conhecimentos sobre mananciais até a fórmula química da água.

No início do verão, houve muitas chuvas em Minas Gerais, Espírito Santo e norte do Rio de Janeiro. No leste de Minas Gerais e no norte do Espírito Santo, não chovia tanto desde 1979. Essa umidade, entretanto, não alcançou a cidade de São Paulo. Dezembro de 2013 foi o terceiro mês menos chuvoso dos últimos 71 anos na capital, só perdendo para os anos de 1999 e 1963. Ainda assim, as chuvas na capital só atingiram o volume de 237,9 milímetros, inferior à média histórica de 265,6 milímetros. Com isso, o reservatório da Cantareira, que abastece a Grande São Paulo, teve sua capacidade reduzida. Na última terça-feira, o volume armazenado de água caiu para 11,9% da capacidade.

Já na região Norte, o excesso de chuvas deixou diversos pontos de Porto Velho (RO) submersos e o Acre ilhado em função da cheia do Rio Madeira, que em março de 2013 bateu recorde histórico com 25,44 metros de profundidade. A cheia afetou pelo menos 66.000 pessoas e deixou famílias desabrigadas em dez cidades da região, além de interromper o tráfego nas principais rodovias de Rondônia, como a BR-364 e a BR-319.

Crise energética

A crise no setor energético. É um tema que mistura questões de física, química e biologia, uma interdisciplinaridade que é típica de questões do exame federal. O Brasil tem atualmente capacidade elétrica instalada de 120.000 megawatts, mas desde 2013 enfrenta dificuldades no abastecimento, com registros de apagões em diversas regiões do país que acarretaram problemas para a economia.

Em janeiro, foram registrados os dez maiores picos de consumo de energia da história do Brasil e, em fevereiro, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) registrou apagões em onze Estados das regiões Norte, Sudeste e Sul. Só na região Sudeste, a falha no sistema elétrico pode ter atingido 950.000 pessoas. Pelas normas de segurança, o sistema elétrico brasileiro precisa trabalhar com sobra de energia equivalente a 5% da eletricidade consumida no país. Entretanto, em janeiro, essa marca atingiu 2%.

Uma das justificativas para o problema apresentadas pela ONS foi uma interrupção no fornecimento de 5.000 megawatts/hora para essas regiões. Outra explicação para os apagões é a de que descargas atmosféricas (raios)  provocaram curtos-circuitos no sistema nacional, causando a queda de energia. Entretanto, apesar de o Brasil ser um dos países com maior quantidade de raios do mundo, o sistema elétrico foi montado para ser à prova de descargas elétricas, com a proteção de uma grande rede de para-raios.

O principal gerador de energia no país são as usinas hidrelétricas, que respondem pela geração de 86.923 MW, seguidas das termelétricas a gás (9.816 MW), as usinas a biomassa (8.870 MW) e usinas a óleo e bicombustíveis (5.297 MW). Outras formas de energia respondem por parcelas menores do fornecimento, como as pequenas centrais hidrelétricas (PCHs) e centrais geradoras hidrelétricas, que somaram no ano passado 4.805 MW de capacidade de geração. As usinas a carvão mineral registraram 3.152 MW, as eólicas marcaram 2.181 MW e as nucleares, 2.007 MW. Fonte: veja professor

Bookmark and Share

Como fazer uma boa redação para o Enem

24 de setembro de 2014 0

Todos nós brasileiros sabemos da importância que tem o Enem, principalmente os jovens que atualmente estão cursando o Ensino Médio. Ter uma boa nota na prova do Enem é essencial tanto para a instituição de ensino quanto pro aluno que irá fazer a prova do Enem. Essa importância é devido que tanto o aluno como a instituição de ensino irá receber notas, que são resultados das notas da prova. A nota da instituição de ensino serve para avaliar se a mesma preparou os alunos que fizeram o Enem da forma correta e se a mesma possui um bom ensino. Já para os alunos a importância é que com uma boa nota no Enem o mesmo poderá entrar numa faculdade através de bolsas de estudos do ProUni, SISU dentre outros.

Um dos grandes problemas enfrentados pelos estudantes é a redação do Enem, essa é de fato muito exigida e o estudante terá de caprichar para obter sucesso neste quesito. Confira logo abaixo algumas dicas para você se dar bem no Enem e fazer uma boa redação.

Dissertação e Narração

O primeiro a se analisar e saber é a diferença entre: dissertação e narração, dominando estes assuntos a sua redação sairá boa. Para quem não sabe, o textos dissertativo é todo o texto na qual temos comentários a respeito de uma questão em debate, lembrando que neste tipo de texto os comentários são expresso de maneira direta, através de conceitos e julgamentos, já no texto narrativo, a opinião é implícita.

Leitura da Coletânea

Nunca procure assimilar a coletânea com um assunto que é mais familiar, você deve dar atenção o que está na coletânea e não a um assunto de sua cabeça.

Posicionamento

Outro fato importante é o seu posicionamento em sua redação. Não se deve fazer algo “sem pé nem cabeça” você já deverá ter uma opinião própria sobre o assunto da redação para poder dominar o mesmo.

Argumentação

Usar uma boa argumentação e de forma correta é muito bom, para se ter sucesso na redação. Procure usar o mesmo com o que você pretende sustentar na redação.

Linguagem

Você deve usar bem a linguagem, ou seja, ter uma boa correção gramatical e organizar de forma correta as frases. Use o seu próprio esquema de linguagem, de forma mais intensa, jamais use termos na qual você desconhece, pois ai é que está o erro.

Fonte:  Enem net

blog13

Bookmark and Share

O que vai cair na prova do Enem 2014

19 de setembro de 2014 0

Para se antecipar e saber o que poderá cair na prova do ENEM 2014 antes mesmo da divulgação do edital oficial é verificar o que foi assunto nas provas passadas e até mesmo estudar o estilo das provas e forma de perguntas que são feitas no exame do Enem. A mesma dica de antecipar os estudos vale também para quem está se preparando na parte da redação do Enem 2014 que é outro problema dos estudantes, a temida prova de redação.

Alguns temas eram cotados para caírem nas provas do ENEM do ano anterior, sendo que alguns caíram e outros não. Valem os temas principalmente para a prova de redação que sempre são temas bem atuais, por isto o estudante precisa estar em dia com suas leituras.

Entre os temas que podem ser abordados nas provas de redação como também em provas como a de linguagem, com textos interpretativos podem ter como temas: protestos, um dos grandes acontecimentos em 2013 e que aconteceram principalmente entre os meses de junho e julho e aconteceram nas principais cidades do Brasil.

Os protestos tinham como reinvindicação várias pautas como saúde, educação, corrupção, por transportes públicos de qualidade; outros temas são os 40 anos do golpe militar no Chile que durou até 1992, sendo um dos regimes militares mais recentes na história; acesso à população à saúde; comissão da verdade, que completou em 2013 um ano que foi criado e que tem como objetivo investigar as violações dos direitos humanos que ocorreram durante a ditadura militar no Brasil e uma das determinações desta comissão foi à exumação do ex-presidente João Goulart para esclarecer as causas da morte do ex-presidente; reforma política, mensalão, transporte urbano de qualidade; Primavera árabe, que é um tema recorrente praticamente todo ano devido às comunidades árabes estarem sempre em conflitos; centenário de Vinícius de Moraes que aconteceu este ano; e 50 anos do discurso de Martin Luther King, famoso discurso que começava com” Eu tinha um sonho.”, que aconteceu em agosto de 1963, em Washington, nos Estados Unidos.

Quanto às demais matérias do Enem 2014 o conselho é pesquisar o temas recorrentes no último ENEM a partir do edital. Para te auxiliar nos estudos, os candidatos que mandaram bem nas edições anteriores aconselham estudar através de uma apostila do Enem 2014, já que elas são completas e tem todo o conteúdo necessário que você terá que saber para conseguir obter uma excelente nota no resultado final do exame.

enem-logo

Bookmark and Share

6 truques para tirar uma boa nota no ENEM

17 de setembro de 2014 0

Dica 1: o ENEM é politicamente correto

Nunca se esqueça: um dos princípios básicos do ENEM é levar aos candidatos valores éticos e sociais, favoráveis ao meio-ambiente, aos diretos humanos, à saúde, à justiça social etc. e, portanto, você deve ficar atento a isso. Por exemplo, se em uma questão de física houver um texto gigante sobre como economizar na hora de preparar um alimento, preste atenção nas alternativas: a correta deverá estar ligada à economia em casa! Por mais que a resposta pareça estar em uma alternativa mais simples e lógica, é provável que, na verdade, esteja em um contexto social que foi citado no texto da questão. É algo como uma espécie de lição de moral, vai vendo!

Dica 2: não é politicamente correto? Tá errado!

Aqui vai um exemplo clássico: já rolou, no ENEM, uma questão a respeito dos danos causados pelos anabolizantes e, obviamente, a alternativa correta discriminava o uso dessas substâncias. Ok, tem muita gente por aí que malha, faz uso de anabolizantes e discorda dessa informação em algum grau, mas não precisa deixar essa opinião clara bem na hora da prova, certo? A probabilidade de a resposta correta vetar as famosas “bombas” é muito, mas muito grande.

Dica 3: “nunca”, “sempre”e seus variantes, no geral, estão nas questões incorretas

As questões do ENEM dificilmente afirmam ou negam algo com certeza absoluta, então, fique esperto!É fácil detectar uma alternativa errada: palavras como “sempre ou “nunca”, “tudo” ou “todo”, “só” ou “somente”, tendem a ser falsas. Já se você apostar em alternativas que levam palavras como “alguns” ou “geralmente”, tem muito mais chances de acertar respostas de uma questão.

Dica 4: desconfie da alternativa com resposta maior

O ENEM é pró em preparar alternativas gigantescas para cada questão, o que contribui para o desespero a confusão de qualquer aluno. Para se safar dessa, saiba que, na maioria das vezes, a alternativa com o texto mais extenso está ERRADA. Isso porque esse texto mais longo permite o uso de mais palavras e expressões só para fazer o aluno quebrar a cabeça para responder. Pode checar nos últimos gabaritos, a maior parte das alternativas corretas possui textos curtos. Mas não se engane, que vez ou outra pode acontecer exatamente o contrário. Uma alternativa mais longa, que se destoa de outras mega curtas pode ser a correta!

Dica 5: fique esperta com a alternativa diferente das outras superparecidas. A chance de ela ser a certa é grande

Sabe aquela pergunta que apresenta quatro alternativas bem parecidas, além de outra que é totalmente nada a ver em relação às outras? Quando isso acontece, o mais comum é pensarmos que se quatro de cinco alternativas semelhantes, então a correta tem que ser uma delas, certo? ERRADO! Quando isso acontece no ENEM, geralmente a questão correta é justamente aquela que está sozinha, e que costuma passar despercebida. Se liga!

Dica 6: elimine as alternativas absurdas

Se você deu de cara com uma pergunta sobre a qual não faz idéia da resposta, saiba que duas das cinco alternativas obrigatoriamente são absurdas e não têm nada a ver com a resposta certa, então, comece tesourando essas. Daí, você já tem 33% de chance de acertar, já que faltam três alternativas. Continue: as outras duas opções erradas que restaram são feitas justamente para tentar enganar o candidato e convencê-lo de que estão certas. Nessa hora, se algo lhe soar um pouco estranho, mesmo que de leve, provavelmente se trata de uma resposta incorreta que deve ser eliminada. Depois disso fica fácil, pois sobram duas alternativas e você já tem 50% de chance de acerto. Tente se concentrar e assinalar a resposta correta.

Fonte: UOL

enem-prova1

Bookmark and Share

Veja os conteúdos que mais caíram no ENEM desde 2009

12 de setembro de 2014 0

Fizemos um levantamento dos conteúdos   que mais caíram no ENEM desde 2009 até 2012, aproveite e monte seu plano de estudo!

Ciências Humanas

Brasil República – 15 Questões
Idade Contemporânea – 9 Questões
Idade Moderna – 9 Questões
Brasil Colônia – 7 Questões
Brasil Império – 7 Questões
Era Vargas – 3 Questões
Idade Antiga – 2 Questões
Idade Média – 2 Questões
História política – 2 Questões
Formação dos estados nacionais – 1 Questão
História da América – 1 Questão
Pré-história no Brasil – 1 Questão
Historiografia – 1 Questão

iências da Natureza

QUIMICA

Fisico-química 19 Questões
Geral 14 Questões
Atomística 5 Questões
Meio ambiente 5 Questões
Orgânica 4 Questões

BIOLOGIA

Ecologia 15 Questões
Genética 10 Questões
Reinos do mun…8 Questões
Fisiologia anim…7 Questões
Citologia 4 Questões
Parasitoses 4 Questões
Programas da …4 Questões
Evolução 2 Questões

FÍSICA

Eletricidade 11 Questões
Mecânica 11 Questões
Óptica 5 Questões
Termologia 4 Questões
Ondulatória 3 Questões

 

MATEMÁTICA

Funções (conceitos, gráficos e tabelas) 27 Questões
Grandezas proporcionais 25 Questões
Porcentagem 14 Questões
Noções de estatística 12 Questões
Probabilidade 10 Questões
Funções afins 8 Questões
Prisma 6 Questões
Cilindro de revolução 6 Questões
Áreas de regiões planas 5 Questões
Números inteiros 5 Questões
Introdução à geometria do espaço 5 Questões
Técnicas de contagem 4 Questões
Ângulos e triângulos 3 Questões
Triângulos e figuras semelhantes 3 Questões
Cone de revolução 3 Questões
Trigonometria e triângulo retângulo 3 Questões
Equações da forma “a.x=b” 2 Questões
Esfera 2 Questões
Números reais 1 Questão
Função quadrática 1 Questão
Inequações 1 Questão
Sequências 1 Questão
Exponenciais e logarítimos 1 Questão
Polinômios e equações polinomiais 1 Questão
Polígonos e quadriláteros notáveis 1 Questão
Circunferência e ângulos da circuferência 1 Questão
Pontos notáveis de um triângulo 1 Questão
Poliedros convexos 1 Questão
Sistema cartesiano 1 Questão
Medidas e arcos e arcos trigonométricos 1 Questão
Seno e coseno de arco trigonométrico 1 Questão
Funções trigonométricas 1 Questão

Linguagem

Interpretação de texto 56 Questões
Gêneros textuais 24 Questões
Relação intertextual 20 Questões
Norma culta x popular 15 Questões
Funções de linguagem 12  Questões
Literatura e artes 11 Questões
Regras gramaticais 5 Questões
Figuras de linguagem 5 Questões

Bookmark and Share