Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Deixem o Eutrópio trabalhar

25 de abril de 2014 1

Fazer uma análise depois do resultado é fácil. A missão quase impossível fica por conta do treinador, que sempre é culpado. Se jogar com três volantes, três zagueiros um isolado na frente é retranqueiro, botar três atacantes dizem que jogou exposto. Acredito no treinador que, qualificando o elenco, saberá escolher os melhores. Sem interferências, é claro.

 Mudanças

As maiores mudanças serão no meio: Paulo Roberto, Assunção, Marco Antônio e Giovanni Augusto formarão o quarteto, com Vitor Júnior e Éverton Santos no ataque. Goleiro, laterais e zagueiros continuam os mesmos, só acho que Rivaldo tem lugar no time.

Dá pra ganhar

Donos da casa e jogando longe da nossa torcida, mesmo assim é possível o Figueira sair de Barueri com um bom resultado. Convenhamos, o Bahia não tem um plantel superior ao nosso. Bem armado poderemos fazer os três primeiros pontos.

Cara nova no Scarpelli

O atacante Denílson, que vem do Audax, é nosso. Ele já fez o gol que Pelé não conseguiu, ao aproveitar reposição de bola do goleiro adversário e mandou pro gol do meio de campo. Além de habilidoso, tem boa visão de jogo e serve bem seus companheiros com lançamentos precisos.

Comentários (1)

  • Mauro FFC diz: 25 de abril de 2014

    Ivens, acho que a meia cancha deveria ser Paulo Roberto, Rivaldo, Marcos Assunção e Marco Antonio; e o ataque Éverton Santos e Ricardo Bueno (Dudu). A defesa é a mesma, mas temos que contratar um lateral direito, o que temos é fraco, não apoia e defende muito mal.

Envie seu Comentário