Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Os soldados voltaram

31 de maio de 2015 2

Todos estiveram bem nessa partida, afinal vencemos o bicampeão Figueirense 2 x 1 Cruzeiro

Alex Muralha sensacional, seguro e com reflexo apurado. Fez duas defesas maravilhosas notas 10.

Leandro Silva finalmente uma apresentação perfeita. Muita disposição, raça e vontade de vencer nota 8.

Bruno Alves não tem comprometido e tem se mostrado preparado para a posição nota 8.

Marquinhos cada partida ele transmite mais segurança ao treinador e aos torcedores. Bom na defesa e bem no ataque, fez um belo gol nota 10.

Marquinhos Pedroso saiu contundido, em quanto teve em campo foi bem nota7.

Roberto Cereceda substituiu Pedroso e foi melhor que em outras jornadas nota 8.

Paulo Roberto a cada partida vem jogando melhor excelente volante nota 9.

Fabinho um preparo físico diferenciado, defende , ataca com desenvoltura, mais uma vez foi o destaque nota 9.

Ricardinho ainda não mostrou que merece ser titular, mesmo assim foi melhor que em outras jornadas. nota 7.

Rafael Bastos estava bem até que se contundiu de novo nota 7.

Carlos Alberto o pouco tempo que esteve em campo mostrou qualidade fez o gol e se apresentou, essa camisa é minha nota 9.

Yago entrou no lugar do Carlos Alberto e cumpriu bem o papel que lhe foi solicitado nota 7.

Clayton esforçado, esta lhe faltando o gol nota 7.

Marcão Tentou mais ainda esta devendo nota 7.

Técnico: Argel Fucks mudou o sistema tático antes jogava com três volantes e um meia, hoje dois volantes e dois meias, deu certo nota 10.

Comentários (2)

  • Wagner diz: 1 de junho de 2015

    Para o Clayton está faltando um banco.

    Acha que é craque…

  • secretario da fazenda diz: 1 de junho de 2015

    Eis que nesta manhã, o FBI prendeu alguns dirigentes da FIFA, entre eles o ex-presidente da CBF, José Maria Marin (vulgo Zé das Medalhas).

    Esta prisão, por suposta corrupção, é um alento a quem gosta e luta pelo esporte. Um sopro de esperança aos que sonham com gestão eficiente dentro e fora de campo.

    No caso do Figueirense, desde 2012 cobra-se de forma efusiva uma maior transparência e abertura do clube aos associados. Primeiro, surgiu a “Democracia Alvinegra”, e depois a “Transparência Alvinegra”. Houve a divulgação de contratos nocivos ao clube e outros documentos, como o percentual de cada atleta da base.

    Aos poucos, o alvinegro foi aberto aos associados através da eleição de novos conselheiros, mudança no estatuto e um processo eleitoral deflagrado no final de 2014, cujo resultado terminou num vexatório “acordo” após a desistência de alguns nomes ditos de oposição.

    Falta ainda maior transparência, pois o clube foi entregue pela antiga gestão, em 2010, com dívidas praticamente zeradas. Passados cinco anos, o rombo ultrapassa o faturamento mais o patrimônio do Figueirense. Assim, se vender tudo, não sobra para pagar as dívidas.

    O que tu dix?

Envie seu Comentário