Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Lembra deles?

21 de abril de 2015 0

Com o Leão da Ilha ausente e como a rodada do Catarinense sem o seu maior clube na disputa pelo título não atraía, então fiz um “tour” pelos estaduais. Valeu pela lembrança de alguns que vestiram o manto sagrado azul, como: Robinho no Verdão, que apesar do pênalti perdido eliminou o queridinho do vizinho no Itaquerão. Em Minas, a finalista Caldense tem o zagueirão-capitão Paulão e o meia Nádson, que aqui não emplacaram, e no Rio as estrelas solitárias da final poderão ser Diego Jardel e Carleto. Entre os técnicos, Sérgio Soares levou o Bahia à decisão como Silas no Ceará, que conta com o amuleto William Batoré, além do lendário Roberto Cavalo que está a um passo de devolver o Oeste à Primeirona do Paulistão.
Teve também os que não avançaram, como Eduardo Martini no Brasil-RS e Leandro Silva, zagueiro campeão em 2012, no Foz (PR).

Produto final

A intertemporada em Águas Morna está garantida, mas com mudança de data. Agora vai ser do dia 27 deste mês até 4 de maio, ante véspera do clássico da Copa do Brasil. Kleina terá uma grande oportunidade para azeitar a “nova máquina” azurra.

 Detalhes

O zagueiro Emerson estará na Ilha para exames médicos nas próximas horas. A nação está ávida para comemorar seu retorno e montar o paredão da zaga com Antônio Carlos. Estamos juntos!

Tempo técnico

20 de abril de 2015 0

Após a celeuma das datas dos clássicos, que ficaram para depois do Estadual – conforme o gosto do nosso rival –, começamos a procurar o que podemos tirar de positivo dessa decisão.
Se perdemos a chance de jogar num momento em que o Avaí parece demonstrar uma nova pegada sob o comando de Gilson Kleina, teremos a oportunidade de fortalecer o elenco com mais qualidades na vinda de reforços e na possível intertemporada, onde estratégias e acertos do time podem ser decisivos para repetir o feito de 1999, despachando o time do vizinho.

Os volantes

Tenho observado entre torcedores do Avaí uma longa discussão sobre a quantidade de volantes que estão para vir. Adriano, confirmado foi o primeiro, Rudnei está na marca do pênalti para fechar e Jocinei, ex-Timão, que anda fazendo carreira no Interior de SP. Precisamos de fato reforçar esse setor? Os que aqui estão, exceção do garoto Renan, não agradam e por mim poderiam deixar a Ressacada. Vamos ver se a direção pensa da mesma forma. Sem esquecer que Kleina já acenou que vai contar com Eduardo Costa, que prepara seu retorno.

Vem chumbo grosso por aí

Se agora teremos pouco mais de duas semanas para preparação da equipe, do dia 6 até 17 de maio teremos dois clássicos históricos: Santos e Inter. É mole?

A Ilha vai ferver

17 de abril de 2015 0

Com o fim da primeira fase da Copa do Brasil e a garantia de um superclássico, a cidade já vive um clima diferente e de muita rivalidade, o que é muito legal – respeitada de maneira saudável. Esperamos que a CBF marque a data nas próximas horas para que o planejamento dos time e torcidas sejam executados. A Ilha será pequena para tanta emoção e só um vai passar: o Leão!

Dois de uma vez

Ficamos praticamente todo Estadual com Pablo na ala direita sem emplacar e tampouco ganhar a simpatia da torcida, até porque Marrone, que poderia ser opção, passou bastante tempo no DM. Traumatizado com o ocorrido, o Leão garantiu a ótima contratação de Nino Paraíba e deve acertar com Everton Silva, cria do Flamengo que jogou o Campeonato Paulista pelo Red Bull Brasil. A disputa pela titularidade vais ser acirrada, embora Everton possa jogar mais avançado.

Vale a pena repetir de novo

Na eliminação histórica imposta pelo Leão ao vizinho na Copa do Brasil 1999, ganhamos a primeira de 2 a 1, gols de Dão (2) e Genilson. O time azurra jogou com: César Silva; Fantick, Wesley, Altair e Cesar Souza; Luis Fernando, Régis, Dirlei e Murilo; Dão e Cley, e ainda entraram Cedenir, China e Rogério. Na volta, a alteração relevante foi Jacaré no lugar de Cley e o 0 a 0 confirmou o Avaí.

Tremor no Estreito

16 de abril de 2015 0

O bafafá que o time do vizinho está fazendo para adiar o clássico da Copa do Brasil para depois das finais do Estadual mostra que “eles tremem” na hora do vamos ver, como foi há 16 anos, por essa mesma competição, e pelo atropelamento ocorrido na última final de campeonato entre ambos – 5 a 1 no placar agregado.

O momento do Avaí é de crescimento e Kleina diz que seria bom o duelo começar já, mas reforços poderão chegar caso a disputa demore um pouco. De um jeito ou de outro, ruge o Leão!

Números que recomendam

Está aí uma contratação com subsídios para dar certo: Nino Paraíba. Jogador de qualidade e raça, tanto que ganhou a posição em 2009 do queridinho dos rubro-negros Apodi, hoje na Chape, e que por três vezes levantou o caneco baiano. Possui mais de 200 jogos pelo Vitória, numa história de titularidade que só foi interrompida quando da boa fase de Aírton, outro que interessava ao Leão. Como não esteve presente nos duelos contra a Anapolina, poderá jogar na Copa do Brasil.

Chama que ela vem

Que a torcida azurra é maior, eu tenho certeza. Ainda que queiram discutir quem é a mais fanática, não há contestação. Os mais de 7 mil na Ressacada contra o Operário, terça, provam isso. No Estreito, no jogo do mesmo nível não passa de 3 mil.

Dever cumprido pelo Avaí

14 de abril de 2015 0

Gilson Kleina programou a classificação desde a ida para Cuiabá, quando armou um mistão com características defensivas, acreditando que mataria a vaga em casa – e assim ocorreu. Avassalador no início, o Avaí meteu 2 a 0 com o matador AL99 e Anderson Lopes.

O time se acomodou e permitiu que o perigoso Geílson diminuísse o placar, colocando certa tensão na vaga. Porém, o segundo tempo foi de ampla vantagem do Leão, que poderia até ter goleado. Os mais de 7 mil torcedores não tiveram mais dúvida de que avançaríamos após o tijolaço de cabeça de André Lima, no terceiro tento azurra.
Só faltou a bola do dono da noite, Marquinhos, entrar para completar a festa das máscaras, mas a trave não permitiu.

Vai ter de novo!

Lá em 1999, no Clássico do Século, atropelamos no Scarpelli sob a batuta de Dão e garantimos a vaga na Ressacada com o empate sem gols. Agora, 16 anos depois, o duelo voltará a acontecer e a massa azurra deixou o recado para o rival: “a tua hora vai chegar”. Nesse caso, de novo!

O melhor em campo na Ressacada

André Lima está votando a velha forma de fazer gols, o que é importantíssimo para a confiança dele e a tranquilidade do torcedor azurra. Ovacionado pela massa ontem, começa a ser um diferencial do Avaí. Coisa linda!

Consequências...

13 de abril de 2015 0

Havia escrito que o empate poderia ser a consequência da situação em que se encontravam Avaí e Atlético- Ib. Isso ficou claro na medida em que o jogo transcorria normalmente com domínio do Leão apesar das melhores chances pertencerem só ao time da casa. A expulsão de Renan Oliveira, de boa atuação, mudou radicalmente o panorama.

O tempo passa

O Ibirama temeroso em ser ultrapassado pelo Bugre no saldo de gols aproveitou a vantagem numérica para reter a bola e deixar o tempo passar, enquanto o Avaí observava sem correr riscos. Jogo chato, modorrento e incorreto, mas que satisfazia os interesses. O rebaixamento não se deve a esse jogo especificamente e sim ao quadrangular como um todo. Caiu quem já se esperava, mesmo antes da bola rolar.

Seis por meia dúzia

O jogo Alemanha 1 x 0 Áustria na copa de 1982 placar que classificava ambas as seleções foi tipo o de Ibirama só para citar exemplo semelhante. A lamentação do Guarani que não fez os 2 gols de vantagem necessários acaba perdendo força, já que a vitória do Avaí por um placar mínimo não mudaria a situação.

Páscoa estendida

O coelho da Páscoa continuou em evidência pelo menos em Joinville. O chocolate tricolor deu o tom do que veremos na final. Argel deve continuar na seca de títulos.

Sacramentar a permanência

11 de abril de 2015 0

Está sendo uma ano difícil para o Leão. Entretanto, existem grandes desafios pela frente como Copa do Brasil e Série A. Para que o Avaí entre de cabeça fresca nessas disputas, é preciso garantir presença na elite do Catarinense – um empate diante do Atlético-Ib já basta. Sustento minha opinião de que o Avaí vai para vencer, embora não possa deixar de lado a ampla vantagem que possui nos critérios de desempate.

300 de Esparta

Marquinhos Santos é avaiano nato, craque, ídolo e um verdadeiro guerreiro quando veste sua armadura azul e branca. Na terça, em mais uma batalha pelo Leão, ele fará seu jogo 300 pelo clube, uma marca difícil de ser atingida nos dias atuais.
Acesse o blog da Paixão Azurra e saiba como homenageá-lo contra o Operário, terça!

Seriedade confirmada no Avaí

10 de abril de 2015 2

Kleina manteve o tom da seriedade e do foco que o Avaí pretende colocar na sua partida final no Catarinense. Com boa vantagem para se manter na divisão de elite, o técnico vai alterar o time que inicia a partida contra o Atlético apenas na lateral-esquerda, com a volta de William Rocha no lugar de Eltinho.
Pelas declarações dos atletas e do nosso comandante, vamos para vencer o Atlético, logicamente sabendo até que ponto podemos no expôr de acordo com a situação.

Mudança de estratégia

Acreditando que teremos um final feliz no que diz respeito ao Quadrangular da Morte, já que no Estadual a equipe fracassou. Visualizo o duelo de terça contra o Operário, que se mantém vivo no seu campeonato. Na Ressacada, teremos que ir pra cima em busca do resultado positivo, sabendo que por não ter feito gols gols fora de casa o empate não nos satisfaz.

Pontes do destino

A ida do temperamental Fabrício para o Cruzeiro pode viabilizar a vinda de Breno Lopes, jovem destaque do Paraná em 2014, para o Avaí, que tinha interesse anterior em Gilson. O problema é a Ponte Preta, que mais uma vez pode atravessar.

Vai, Maria!

Maria chega em sua terceira final. Será o desempate contra o time do vizinho. Aposto!

Tem uma barca grande no Avaí

09 de abril de 2015 1

Que a reformulação do grupo que fracassou no Estadual e está próximo de evitar o piorar vai acontecer é fato, porém tudo indica que apenas após a partida de volta contra o Operário-MT na Copa do Brasil será dado o start. Penso que precisamos contratar 10 jogadores, onde pelo menos 7 atletas para abocanharem a camisa de titular e outros para aumentar as opções de Kleina. Quanto as dispensas, vejo uma lista com 12 a 13 integrantes que não vingaram durante a temporada e que dificilmente vão mudar tal expectativa nesses jogos faltantes antes de deflagar esse processo.

Todos os lados da moeda

Quanto as críticas de M10 sobre sua suspensão e principalmente a perda de prazo para diminuição da sentença estou totalmente de acordo. Sou fã do craque que é um ídolo incontestável do clube, porém vale lembrar que seu comportamento no ato é que gerou a punição e não pode ser esquecido no contexto, O que fica difícil de engolir é os jogadores do lado de lá terem penas distintas e amenas, além do arbitro em questão ter sido inocentado num evento onde as penas impostas foram significativas.

Aguardar o BID

Adriano assinou contrato e oficialmente é quem abre a porteira daqueles que deverão chegar. Por favor, fiquem de olho no Bid antes de coloca-lo a jogar, sei lá entende?!

Empate é consequência

08 de abril de 2015 0

Marquinhos e Kleina já cantaram a bola da vez sobre o último jogo do Quadrangular da Morte. Sem desfocar, com responsabilidade e atuando para vencer, mas ciente da ampla vantagem que possui. A equipe chegou a essa condição e pode desfrutar da situação que criou após duas goleadas nos adversários. Portanto, o empate, se acontecer, pode ser uma consequência da partida e não um resultado programado, até porque só um desastre praticamente inacreditável pode evitar que o Avaí chegue ao seu objetivo. Se alguém vai procurar a igualdade nessa partida é o Atlético, que não possui saldo tão significativo.

Demorou, mas chegou

Adriano é o primeiro contratado para a Série A e já está na Ressacada. O volante, de ótima passagem pelo Santos e que estava no Grêmio, era esperado e será apresentado amanhã, pois seus exames médicos estão regulares. Se jogar o que sabe será um grande reforço.

Balança de qualidade

A receita para o sucesso de um time é o equilíbrio de seus setores e a mescla entre juventude e experiência. O Avaí fala em jogadores de maior expressão e rodagem, e de fato são necessários, desde que ainda apresentem futebol de qualidade. Por outro lado, vale a pena apostar em jovens talentos que têm custo mais baixo e podem render acima do esperado. O importante é ter uma espinha dorsal.