Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Oferecemos o Gabriel?

29 de julho de 2016 4

Em qualquer nicho de mercado existe a lei da oferta e da demanda. Não precisa ser especialista em futebol nem em negócios para saber que quando oferecemos um jogador, ao invés de esperar uma proposta, ele automaticamente desvaloriza. Pois nossa atual situação financeira, nebulosa desde 2013 e inexplicável desde 2015, nos obrigou a sair de porta em porta oferecendo o Gabriel. O valor de venda, se for como se falou, não é dos piores. Mas certamente seria bem maior se pudéssemos esperar uma proposta.

Ofereceram

Todo mundo sabe que empresários de jogadores (e às vezes até diretores, conselheiros e torcedores) saem por aí oferecendo seus pupilos pelos clubes. Dentre os oferecidos na Ressacada está o zagueiro Jaime, reserva do lado de lá da Ponte (sem trocadilhos). Pelos jogos dele que sequei, não achei de todo ruim, mas há melhores opções. Procurem direito – e tem bastante funcionário no clube para sair procurando – que vão achar.

Mal contado

Primeiro se falou em 500 mil euros. Depois, em entrevista, o presidente falou em 400. Também, que o Avaí tinha 70% dos direitos econômicos do Gabriel, depois 60%. Não vou me surpreender se daqui a pouco os euros virarem reais. Tudo é sempre mal explicado e nada transparente nas nossas negociações. Que o conselho olhe bem!

Aprovação de contas

Por falar em contas, em reunião do Conselho no início do ano, as contas foram aprovadas às pressas para que se conseguisse as certidões negativas para buscar patrocínio. Até agora nada.

Adeus ou até logo, Gabriel

28 de julho de 2016 4

Segundo o colunista Rodrigo Faraco, vizinho de página, nosso garoto da base Gabriel está sendo negociado com o Fortuna Dusseldorf, da Alemanha, por empréstimo. Pagam 500 mil euros agora e, se agradar, mais 3,5 milhões daqui um ano. Se não agradar volta. Economicamente parece ser um ótimo negócio. O que se precisa saber é qual porcentagem de venda será nossa (a princípio, 70%) e o que será feito com o dinheiro. Como é dono dos direitos federativos, o valor do empréstimo deve ir integralmente para os cofres do clube.

Números

Gabriel fez 33 jogos e um gol. Com a saída também do Célio, ficamos sem zagueiro pela esquerda. Precisamos contratar. Esperamos que, aí, o dinheiro seja bem investido. Que não sirva para trazer mais 10, mas dois ou três de qualidade.

Outros podem ir

Na coletiva, Silas foi questionado sobre a volta do Romulo e deixou no ar que ele pode nem voltar. Caio César também. Que vá, mas que tenha reposição. Não podemos perder um jogador de futuro e contratar qualquer encostado em empresário.

Surramericana

Depois de apanhar da Ponte mais que as empreiteiras da nossa Hercílio Luz, o vizinho conquistou sua vaga para a Sul-Americana pra ver se faz o passaporte, coisa que ainda não tem.

Jogando pelos três pontos

27 de julho de 2016 8

Em mais um jogo daqueles para “os de sempre”, conseguimos uma importante vitória contra o Londrina. O time mostrou muita raça e alguma qualidade. Nada que nos ponha como ascendentes, mas valeu muito pelos três pontos, que nos colocam momentaneamente na 11ª posição, e garantem pelo menos a 13ª ao final da rodada. Saldo muito positivo para a nossa luta.

Fez o gol e fechou

É uma coisa que irrita o torcedor, mas em alguns jogos é importante. Lógico que o sucesso depende da vitória, mas a partir do gol, no início do segundo tempo, renunciamos ao jogo. Nosso ataque foi ponto fraco. Apenas Lucas Coelho conseguiu fazer alguma coisa mas saiu, contundido, no intervalo. O Diego Jardel, embora ainda irregular, merecia o gol. Esperamos mais dele, pois já mostrou bom futebol. Gabriel voltou e reeditou boa zaga com Fábio Sanches.

Próximo desafio

Terça que vem, contra o Brasil em Pelotas, jogamos para tentar terminar o turno na parte de cima da tabela. Nossa campanha fora casa é fraca e temos muitos desfalques. Fábio Sanches é um dos que tomou terceiro amarelo (inclusive era pra ser expulso).

Na Ressacada

Em casa, fechamos o turno com seis vitórias, dois empates e uma derrota. Diferencial que precisa se manter no returno.

Leão x Tubarão

26 de julho de 2016 7

Hoje é dia de Ressacada, às 21h30min, contra o Londrina. Temos problemas na zaga, com Gabriel voltando de contusão, Célio indo para a Coreia do Sul e Renato suspenso. Há boa chance de improvisar Alemão ou João Filipe por ali. Perigoso para um time que precisa vencer em casa. No ataque, Romulo suspenso deve dar lugar a Romarinho, o mais provável, ou Lucas Coelho. Eu deixaria o William no banco para recuperar o prestígio, a confiança e, especialmente, a forma.

O adversário

O Londrina, apesar da boa campanha, teve uma derrapada feia em casa contra o lanterna Sampaio Correa. Eles possuem a segunda melhor defesa da Série B.

Perdendo dinheiro

Conforme levantado pelo colega Janniter de Cordes, da CBN Diário, no contrato do Célio havia uma cláusula que, em caso de venda do atleta, o Avaí iria ficar com 30% do valor. Acho inacreditável como o clube, que é quem paga o salário e corre os riscos do contrato, nunca sai ganhando. A atual diretoria não aceitou e só liberou o atleta mediante pagamento de 100%. O Conselho Deliberativo precisa questionar a antiga diretoria executiva, que foi quem fez o contrato.

Velha bengala

O vizinho fala, mas tá usando a bengala da arbitragem. Quando é ajudado não fala nada.

Juntando os cacos

25 de julho de 2016 4

Depois da decepcionante derrota para o Náutico na Arena Pernambuco, é hora de juntar os cacos e seguir em frente. Amanhã, às 21h30min, vamos jogar contra o Londrina, na Ressacada. Renato Silveira, expulso tansamente na estreia, é o “desfalque”. André Santos tá fora por lesão e Célio deve mesmo trocar marisco por caninos na Coreia do Sul.
Oremos para o Gabriel voltar, depois de uma cirurgia no joelho, pra fazer dupla com Fábio Sanches, caso contrário nos resta apelar para João Filipe.

Escalando lebre por coelho

Lucas Coelho pode não ser um primor técnico, mas pede passagem. Romulo, que teve sua fase artilheiro, já apagou e William não consegue marcar nem de pênalti. Lucas Coelho fez boa partida contra o Oeste e marcou contra o Náutico, de cabeça. Tá mostrando crescimento e oportunismo. Abre o olho, William. Abre o olho, Silas!

Joceli vem aí

Aí que tudo indica vamos ter Joceli dos Santos em um cargo ali denominado de “assessor de futebol”. Seria os olhos da diretoria nos treinos. Teoricamente é um profissional bom e barato, que conhece a história do clube e pode acrescentar conhecimento. Na prática, para cogitar isso tem que tirar pelo menos um dos Gonçalves (Marcelo ou Agnello), para não termos muitos caciques para poucos índios.

Naufrágio

22 de julho de 2016 3
Foto: Léo Lemos/Náutico

Foto: Léo Lemos/Náutico

Em exibição lamentável em Recife, perdemos nossa invencibilidade e voltamos àquele time que desesperava sua torcida algumas rodadas atrás. Tomamos um gol no primeiro minuto de jogo e, em nenhum momento, mostramos reação. Exibição horrível e jogo para esquecer. Qualquer adjetivo utilizado para esta partida será negativo.
Perdemos qualquer evolução que tínhamos conseguido nos últimos jogos. De positivo apenas o primeiro gol do Lucas Coelho. Já pode ser o 9 contra o Londrina.

Perdoa, senhor…

…ele não sabe o que faz. Depois da expulsão do estreante zagueiro Renato Silveira, ficamos com 10 jogadores em campo. Ao incluir no intervalo o Toshi em campo, ficamos com nove jogadores profissionais (no máximo).
Com todo respeito ao esforçado e carismático japa, o pai dele paga para ele jogar. Futebol é coisa séria. Não dá para enfrentar uma Série B do Brasileiro com esse pensamento amador.

Superstição?

O uniforme 3 do Avaí mais uma vez trouxe a derrota. Já são 14 jogos com ele, tendo oito derrotas, cinco empates e apenas uma vitória – justamente no nosso último triunfo longe da Ressacada, contra o fraco Guarani. Muitos criticam, outros acham que é apenas superstição, mas o fato é que os números não ajudam nem um pouco esta camisa.

Todos a bordo: Náutico x Avaí

22 de julho de 2016 2

Hoje, às 21h30min, na Arena Pernambuco, o Avaí luta para não deixar os de baixo se aproximarem. Joinville, Bragantino e Goiás estão alternando vitórias e derrotas e já respiram. Um tropeço pode nos jogar até para a 16ª posição, mas uma vitória nos garantiria pelo menos a 11ª, ultrapassando inclusive o adversário.
Silas pode escalar o Judson no lugar do Alemão e jogar Renato de volta para a lateral. Parece ser essa a única dúvida na escalação azurra.

Remando contra o tabu

Vale lembrar que nesta volta o Silas ainda não venceu fora de casa. Talvez seja a grande oportunidade de, com a confiança de um mês sem derrotas, partir para cima e buscar os três pontos. Coragem, meu filho.

Adversário afundando

O Náutico do Alexandre Gallo, que já começa a balançar mais que batera no vento sul, vem de três derrotas seguidas na Série B, tomando 10 gols nesses jogos. Por outro lado, possuem o segundo melhor ataque.
Se antes os pernambucanos miravam o G-4, inclusive estando lá em várias rodadas, hoje olham com cuidado para a parte de baixo – o Z-4 bem pertinho. Dos que podem entrar em campo, temos como conhecido apenas Renan Oliveira. O sonolento meia vem sendo reserva, mas entra com o decorrer da partida.

Passagem de faixa

21 de julho de 2016 6

Silas informou em entrevista que quer William preocupado só em fazer gol. Fábio Sanches, capitão contra o Oeste, deve continuar com a tarja. Não acho que muda muita coisa, já que o William tem que se preocupar mais com a saliência abdominal do que com o que fica no braço esquerdo, mas o zagueiro mostrou liderança e tem sido uma das maiores surpresas entre os contratados. Ele já havia passado por aqui e eu, particularmente, não lembrava. Achei que viria apenas para compor elenco, mas surpreendeu. Esperamos que possa ser bom capitão, como tem sido bom zagueiro.

Base

Acho que todos concordamos que, para um time em condições financeiras no mínimo controvérsias, a base passa a ser a galinha dos ovos de ouro. Pois nossa base revelou recentemente jogadores como Walace, Gabriel, Renan, Anderson Lopes e Romulo. Dos que saíram, nenhum rendeu grandes frutos financeiros. Dos que ficaram, não temos 100% dos direitos. O Lovat tem direito de compra alto no Grêmio, vamos ver se desta vez rende.

Tá chato

O Cuevas, do São Paulo, foi punido com cartão amarelo por ter colocado as mãos nos ouvidos em direção à torcida do Corinthians em um gol no clássico. Como se fosse isso que provocasse briga entre torcidas. Futebol tá cada vez mais chato.

A volta do Batoré

20 de julho de 2016 4
William no jogo que fez chover contra o Ceará. Foto: Jamira Furlani/Avaí FC

William no jogo que fez chover contra o Ceará. Foto: Jamira Furlani/Avaí FC

Depois de 13 dias sem jogar o que se espera é vontade do nosso Batoré. Ele, que nos deu muita alegria em 2008, 2009 e 2011, voltou ano passado mas ainda não conseguiu ser o mesmo. Um lampejo daquele William matador se viu contra o Ceará. Ainda acima do peso, esperamos mais do nosso camisa 9. Camisa descolada e bola na rede e o amor volta.

Mudanças

Sobre o jogo de sexta contra o Náutico, Célio e Tatá estão fora. William volta e deve retomar a 9 que foi de Lucas Coelho. Já Gabriel ainda é dúvida e a zaga deve ser mesmo Fábio Sanches e André Santos. De resto, o time deve ser o mesmo. Rafinha e Romarinho, que volta de contusão, devem ser opção no banco.

Dispensáveis

Não tenho visto nenhuma lista de dispensáveis pelos lados da Ressacada. Alguns jogadores estão lá esquecidos e podem ser emprestados para times da Segunda e Terceira Divisão do Catarinense para ver se pegam experiência e podem ser úteis futuramente. Henrique, Wilker e Iury são três exemplos. Braga é outro que claramente não agrada Silas.

Enquanto isso…

Dos sete times abaixo da gente na tabela, um que vejo se movimentar é o Goiás. Contratou dois bons atacantes: Marcão e Léo Gamalho. Ano passado ambos disputavam Série A pela dupla da Capital. Para a Série B vão acrescentar muito. Vamos acordar também. Não dá para depender de lampejos.

Nevoeiro

19 de julho de 2016 4

Completamos um mês sem derrotas e algumas histórias e mistérios acabam ficando esquecidos. Lucas Fernandes foi para o Atlético-PR, mas até agora ninguém foi a público falar se vem alguém ou não para compensar.
Oras, ele era emprestado mas tinha contrato. O outro emprestado pelo mesmo Fluminense é o Rafinha, que está praticamente o ano inteiro no estaleiro sem justificar sua permanência. Se umtem que ficar recebendo por ter contrato, o outro não deveria ter saído sem um faz-me-rir ou um outro “emprestável” pro lugar.

Cadê?

Outros mistérios também rondam a Ressacada, como: quando Renanzinho e Marquinhos voltam; o que Renanzinho tinha; o que o presidente foi fazer no Japão; e, o que faz Agnello Gonçalves. Essas são só algumas dúvidas que vejo de torcedores que falam comigo ou nas redes sociais. O nevoeiro está forte e a transparência está fraca. O torcedor merece e quer saber.

Mascote interativo

Quando é para elogiar a gente elogia. Tenho percebido na Ressacada a boa interação do nosso mascote com a torcida e com o jogo. Rende boas fotos e chama a atenção. A garotada gosta. Outra ação interessante foi o Twitter oficial do Avaí relembrando no domingo os 28 anos do título de 88. Que continue assim. E que isso nos traga frutos.