Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Não deu pra garotada

16 de janeiro de 2017 5

Foi uma campanha de destaque: cinco vitórias em seis jogos, 13 gols marcados e três sofridos, e o principal – bom futebol. A garotada foi derrotada, mas muitos ali mostraram que têm futebol para subir para o profissional, e isso é o mais importante na Copinha. Parabéns aos nossos garotos! Agora é com o Claudinei para saber aproveitar.

Opções no mercado para o Leão

O Corinthians quer um time para emprestar Lucca e Mendoza. A equipe do Vitória com Cardenas sobrando. Se temos um teto salarial, para alguns jogadores esse teto deveria ser furado. Claro que não podemos ter muitos jogadores assim, mas um ou outro vale a pena a diretoria buscar.

Semana de treino para ajustar o time

Agora teremos nove dias até o primeiro jogo contra o Paraná. Está na hora de ajustar o time, afinal, entrosamento pelo menos já deu para ver que a gente tem. Acredito em um bom turno com esse time, apesar de ter medo do que vem pela frente na Série A. Dos que devem ser titulares nesse começo, apenas Douglas Friedrich e Leandro Silva devem ser novidades. Os outros jogadores, bem ou mal, a gente já conhece.

 

Nas oitavas

14 de janeiro de 2017 0

Passamos pelo poderoso Santos e estamos nas oitavas da Copinha. Quem estava fazendo contas pode guardar a calculadora. Não dependemos de ninguém e fizemos a nossa parte com mais um gol do Vinicius Baiano. O desafio agora é contra o Juventus, que eliminou o Fluminense. Não vamos permitir travessuras do adversário para buscar a vaga nas quartas no domingo.

Erro

O Avaí anunciou no fim do ano passado os valores da mensalidade. Quem fizesse débito em conta teria desconto. Pois logo no primeiro mês o valor foi debitado sem desconto. Para alguns torcedores, por e-mail, o clube avisou que em fevereiro vai descontar o que cobrou a mais. É um erro primário. Mas aparentemente tá resolvido.

Grupp fechado

Tenho recebido muita resposta de torcedor, alguns satisfeitos com a postura da diretoria, outros concordando que precisa contratar mais. Com mais um atacante e um segundo volante podemos pelo menos ter um time para o Catarinense, sem isso vejo o time inferior ao de 2016.

 

Júnior Dutra é o novo atacante do Leão!

13 de janeiro de 2017 0

28 anos, passagens pelo futebol japonês, belga, Santo André e estava no Vasco. Não teve uma boa temporada, vi poucos jogos na carreira, mas o currículo é bom. Chega livre de contrato e fica com direitos presos ao Avaí com contrato de um ano. Sucesso ao nosso novo atacante.

 

Júnior Dutra é o novo reforço do Leao

Júnior Dutra é o novo reforço do Leao

 

 

 

Pra cima deles, garotada!

13 de janeiro de 2017 6

Hoje, às 16h, enfrentaremos o Santos pra manter o 100% e classificar na Copa São Paulo. Uma derrota nos pênaltis e podemos torcer pra Bragantino, Corinthians, Inter e Paulista não irem para os pênaltis (independente de vitória ou derrota, é isso mesmo). O jogo vai ser em Barueri. Era pra ser em Guarulhos pelo Avaí ter a melhor campanha, mas sabe como é, né… jogo contra o Santos. Se ganhar, deve pegar o Fluminense. Se classificar como “melhor pior”, o Juventude.

A camisa de treino

Quem viu não curtiu. Vazaram fotos da camisa de treino feita pela Umbro. A primeira tem três tons de azul (nenhum o do escudo) e foi a mais aceita. A segunda é branca com um azul tão escuro que parece preto. A terceira, de goleiro, provavelmente, é laranja com azul bem escuro também. Acredito que isso deva passar pelo crivo da diretoria antes de mandar para a produção. É preciso manter a tradição.

Primo do hômi

Dizem que Maxi Biancuchi, primo do Messi, pode pintar na Ressacada. Até preferia o primo mais famoso, mas pelo que temos, pode ser esse mesmo.

Mas aumenta

Dando uma espiada na rua, quase não vejo preto e branco. Pelo jeito o pessoal tá usando pra tapar o sol na praia, porque como camiseta é que não estão, vizinho. Ou o vendedor não foi com vossa face.

Primeiras imagens do novo uniforme de treino

12 de janeiro de 2017 10

Imagens do uniforme de treino, produzido pela Umbro. Vi na comunidade do Facebook do Avaí. E aí, começa bem a marca inglesa?

!Camisa de treino 1 Camisa de treino 2 Camisa de treino 3

O que precisaremos na Copinha

12 de janeiro de 2017 0

Como todos sabem, estamos com 4 jogos e 4 vitórias. Junto com a gente, apenas Corínthians, Internacional, Bragantino e Paulista de Jundiaí.

O Batatais teve também campanha de 100% na primeira fase mas na segunda avançou apenas nos pênaltis, portanto está fora da disputa. Grêmio, São Paulo e Goiás tiveram 3 vitórias mas foram eliminados na segunda fase.

Conforme a regra da Copa São Paulo, o melhor entre os eliminados da terceira fase avança (já que temos 15 confrontos e precisamos de 16 classificados).

Nesse momento na classificação geral temos:

CLASSIFICAÇÃO

P

J

V

E

D

GP

GC

SG

%

Corinthians

12

4

4

0

0

18

3

15

100.0

Internacional

12

4

4

0

0

16

1

15

100.0

Avaí

12

4

4

0

0

12

2

10

100.0

Bragantino

12

4

4

0

0

9

1

8

100.0

Paulista

12

4

4

0

0

4

0

4

100.0

Caso só um dos times perca nos pênaltis, estará classificado (certo, produção?). Caso todos percam, valerá o saldo de gols, contando também o jogo das oitavas. Como têm o mesmo saldo de gols, Corinthians e Inter não estão garantidos nem se forem para os pênaltis e perderem. Depende da quantidade de gols no tempo normal.

Claro que é nosso dever ir lá e ganhar o Santos, mas não custa ficar atento a essa possibilidade.

O “melhor pior” da terceira fase enfrentará o vencedor de Juventude x Água Santa, enquanto o vencedor de Avaí x Santos enfrentará o vencedor de Fluminense x Juventus-SP.

Mais uma vitória da garotada

12 de janeiro de 2017 2

Continuamos 100% e único representante de Floripa na Copinha. 3-0 sem tomar sustos contra o Rio Branco, que tava pelo biquinho ou pênaltis. Os gols só saíram no segundo tempo. Agora, pegamos o Santos. Como temos uma das melhores campanhas, mesmo perdendo podemos nos classificar.

Reservas na B

Quando o Avaí não renovou com João Filipe, imaginei que viria alguém. Não veio. Judson deve ser promovido a titular no começo da temporada. Gabriel também promovido. Com a saída do Renato, Lucas de Sá, voltando de contusão, me parece ser a melhor opção. Diego Jardel só foi titular no fim do ano e, hoje, com o que temos, é titular absoluto. Douglas é uma incógnita, Renan era conhecido. Apenas Leandro Silva “somou” ao elenco.

Olhando pro lado

Não conseguimos trazer Djavan, da Série C, nem Moisés, da Série B, mesma série para qual perdemos um zagueiro. Olhamos para os nossos adversários contra o rebaixamento e vemos o Bahia contratando Allione, Armero, o Sport mantendo Diego Souza e Rithely, Vitória com Cleiton Xavier, Coritiba com Kléber, Chape se reconstruindo, e olhamos para o Avaí e nada. É preocupante para o torcedor ver que em janeiro todo mundo tem uma base para Série A e a gente não. Hoje vejo Leandro Silva, Betão e Marquinhos sendo os únicos com boa experiência de titularidade na A.

A formação de elenco - Parte II - 2012

11 de janeiro de 2017 2

Depois da Parte I – 2011, mostrando a gastança sem planejamento e a contratação de inúmeros jogadores no meio da temporada em contrapartida da não renovação de peças importantes de 2010 para “não fazer loucuras”, vamos à parte IIa.

No fim de 2011, o Avaí caiu na real e entrou em uma pindaíba da qual não saiu até hoje. Carlito Arini foi contratado para montar um grupo enxuto e barato, e Mauro Ovelha, que chegou com status de “atual campeão Catarinense”, tentou montar uma “seleção do futebol Catarinense” (sic).

Tínhamos no elenco:

G: Moretto e Aleks

LD: Arlan e Rodinei

LE: Aelson, Pirão e Léo Campos

Z: Leandro Silva, Jaílton, Renato Santos, Rafael, Cássio e Luiz Matheus

V: Bruno, Marcinho Guerreiro, Mika, Diogo Orlando e Rodrigo Thiesen

M: Robinho, Cleverson, Caíque, Saldanha e Diego Palhinha

A: Ronaldo Capixaba, Felipe Alves, Gilmar, Cristian, Neílson e Laércio
Durante o ano, ainda tivemos:

G: Diego e Vítor

LD: Patric e Wágner Diniz

Z: Fred, Thiago Medeiros e Alef

LE: Julinho

V: Marrone e Nenê Bonilha,

M: Cléber Santana, Camilo, Erick Flores, Jaílton e Jefferson Maranhão

A: Evando, Tauã, Fábio Santos, Maurício, Diogo Acosta e Ricardo Jesus

T: Hemerson Maria e Argel Fucks

 

GOLEIRO

Começamos a temporada apostando no Aleks, bijuteria da base que teve algumas convocações para seleções de base, e Moretto. Logo vimos que precisávamos de um goleiro e fomos atrás do Diego. Goleiro de estatura mediana, base no Flamengo, que não foi tão mal nesse ano. E deu volta Olímpica no Scarpelli. Comparado com 2011, tivemos até que poucos goleiros. Mas o ideal é que se tenha apenas um, não é mesmo?

diego 2012

Diego chegando. O braço alcançou a camisa. Mas depois de tanto goleiro ruim, ele nem parecia tão ruim assim.

LATERAL-DIREITO

Começamos com Arlan, remanescente de 2011 e “à cara” do “Avaí 2012″. Logo retornou Patric, uma das melhores contratações daquele ano. Ele tomou conta da posição enquanto ficou. Pena que em agosto rumou ao Náutico, onde disputaria Série A. Em substituição, chegou Wagner Diniz, lateral que tinha feito um bom ano no Vasco e ido pro São Paulo, onde já tinha sido emprestado algumas vezes. Começamos com Arlan, terminamos com Arlan. Ô sina.

LATERAL-ESQUERDO

Aelson era mais um no “Pacotão do Ovelhão”. Campeão Catarinense de 2011 pela Chapecoense. Pirão veio do Criciúma pra ser volante mas logo teve que ser improvisado por ali. Foi o dono da posição. Pra gente ver como foi um ano sofrido pelo lado esquerdo.

ZAGUEIRO

Cássio e Rafael prometiam ser os protagonistas da posição. Um havia sido campeão pelo Fluminense em 2010 e voltado e o outro voltava da Suíça. Os gêmeos tinham o carinho da torcida e estavam lá de modelo na apresentação dos uniformes para a temporada. Só que o Avaí contratou Leandro Silva, capitão da Ponte Preta no acesso e Renato Santos, que vinha de acesso da Série C com o Joinville. Formaram uma excelente dupla e assim foi pelo Catarinense e por parte da Série B, até que o canhoto foi “vendido” ao Flamengo, junto com Cléber Santana. Em contrapartida, o rubro-negro mandou Thiago Medeiros e Argel trouxe do lado de lá Fred, zagueiro bem contestado mas que hoje é conhecido por bater falta. Ao contrário de 2011, foi uma posição que deu pouca dor de cabeça ao torcedor. Ah, teve o Jaílton também, que veio da gloriosa Penapolense e terminou o ano como titular, junto com o Fred.

VOLANTE

O ano começou com medianos nomes por ali (comparado com o ataque, por exemplo). Tínhamos a volta do Marcinho Guerreiro (quase um afilhado do Arini), e os remanescentes Bruno Silva e Diogo Orlando, além de Mika, ex-Criciúma, e Rodrigo Thiesen, a eterna promessa da base. Durante o ano, numa bizarra parceria com o Corinthians, veio Nenê Bonilha, que pouco jogou. Marcinho Guerreiro mais uma vez saiu no meio do ano, dessa vez para o CRB (assim que Arini foi mandado embora depois de ser campeão, mas isso merece ser relembrado em um parágrafo a parte).Terminamos o ano com o Bruno Silva e mais um.

MEIA

Os nomes comentados não agradavam o torcedor. A manutenção de Cléverson, Caíque, do contestado Robinho e as contratações de Saldanha e Diego Palhinha não eram animadoras. A grande contratação para a posição seria então Cléber Santana. Jogador com passagem por Santos, Atlético de Madri, Mallorca, que estava no São Paulo igual rádio velho e vinha de rebaixamento com o Atlético-PR. Boa parte da torcida torceu o nariz mas, ao ver o maestro em campo, todo mundo logo se rendeu. Cléber era diferenciado. Camisa 10 como poucos, cobrador de falta como poucos (pênalti não, ok). Foi negociado com o Flamengo quando ainda tínhamos alguma chance ainda de subir. Em contrapartida, veio Erick Flores, que não se firmou. Camilo acabou se tornando o 10 daquele time, que, já desanimado, terminou sonolento o ano.

O já saudoso Cléber Santana sendo apresentado. Viria a ser o inesquecível maestro do Catarinense.

O já saudoso Cléber Santana sendo apresentado. Viria a ser o inesquecível maestro do Catarinense.

ATACANTE

Vendemos o Batoré pro Atlético Goianiense. Ok, eles estavam na Série A. Ok, eles tinham dinheiro. Ok, o Batoré adora um salário mais gordo (sem referências). Mas ele tinha contrato e aí talvez tenha sido a maior “economia burra” de 2012. Para o lugar dele, trouxeram o Nunes, que até começou bem mas não conseguiu ter identificação. A promessa da vez foi Felipe Alves, que era artilheiro na Penapolense. Neílson, outro da Seleovelha e Ronaldo Capixaba, artilheiro da Série C, eram outras apostas para o ataque. Com todo respeito, era de doer ver Neílson e Ronaldo Capixaba em campo. Ainda tinham as eternas promessas Cristian e Laércio para completar elenco. Nunes, que era pra ser o 9, terminou o ano com 26 jogos e 4 gols (William tinha feito 28 em 2011). Ainda passou por aqui um jogador que era artilheiro e de quem eu esperava muito: Ricardo Jesus. Mas nem Jesus salvou aquele ataque horroroso. Aposto que o salário dele, emergencialmente contratado da Série A em agosto vindo da Portuguesa, era não muito menor do que seria o do William.

Tauã já aparecia como promessa. Gilmar chegou machicado, recuperou, chutou placa e foi pra Criciúma. Evando ainda voltou pra aposentar, e terminamos o ano com Diogo Acosta com a 9.

TREINADOR

Mauro Ovelha chegou no final da gastança de 2011 e vimos de cara como seria o time: cheio de apostas e jogadores de times menores. E assim foi. Ovelha trouxe Pirão e Mika do Criciúma, Renato Santos e Capixaba do Joinville, Neílson e Aelson da Chapecoense, além de outras apostas e promessas que dificilmente dão certo por aqui. Não durou muito. Já no Catarinense foi substituído por um nome desconhecido. Hemerson Maria. Junto com Emerson Nunes, formariam a comissão para provavelmente não fazer feio no Catarinense e esperar pra contratar alguém pra Série B (falavam em Narciso, técnico da base do Corinthians). Pois não é que deu certo? Maria levou o time a um título histórico em cima do rival. Só que chegou a Série B e a tal parceria. Estavam esperando a hora certa pra frigideira entrar em campo. Pegaram o Argel, que até fez uma boa sequência de vitórias, só que aí sem o maestro do time não tinha mais muito a fazer.

PARCERIA

Esse episódio merece mesmo um parágrafo próprio. Só comprova-se que, quando contrataram o Maria, era pra tapar um furo até o final do Catarinense. Provavelmente Narciso seria mesmo o técnico para a Série B. Talvez hoje seríamos um Bragantino, que nada mais é que um entra e sai de jogador encostado do Corinthians. Arini foi demitido um dia depois do título Catarinense. No seu lugar, Marcelinho “Arroz” Paulista. Dizem que pintou um cheque e o Nenê Bonilha. Eu não vi nada além disso e de uma rebelião de jogadores, configurando o maior mico de 2012 do futebol catarinense, tipo o termo de compromisso em 2016).

pacotao 2012

Avaí apresentando pacotão com Diogo Acosta, Jaílton (o meia, não o zagueiro), Evando e Nenê Bonilha. Pra ser bem sincero ninguém rendeu nada.

2012 X 2017

O principal objetivo desse post é mostrar que devemos aprender muito com os erros do passado. Aparentemente tínhamos aprendido algumas lições de 2011 em 2012. O discurso, aliás, era o mesmo de 2017: ECONOMIZAR. Se olharmos no geral, o ano não foi dos piores, e não tivemos grandes atrasos de salários. Mas de todas as apostas, só vejo uma que deu certo: Renato Santos. A turma do Ovelha pouco rendeu e só prejudicou, em menor escala que 2011, nossos cofres. Tínhamos Neílson ganhando X no lugar do inútil Leandrinho ganhando 10X. Tivemos que procurar um goleiro em março porque a aposta no da base não deu certo. A saída do nosso camisa 9, já aclamado pela torcida e reconhecido fazedor de gols, foi desastrosa e o ano inteiro apanhamos dessa camisa. A saída de Cléber Santana nos tirou a referência do camisa 10, e o Flamengo NÃO NOS PAGOU POR ISSO. Em 2017, fala-se que fulano é “jogador de um dígito só” (ou seja, ganha menos de 10 mil). Mas qual retorno desses ao clube? Em 2012 o discurso era o mesmo de “depois a gente contrata o destaque do Paulistão”. E só nos sobrou o bagaço da laranja do Paulistão.

Pra matar a saudade do maestro:

Um olho em Guarulhos e outro em Águas Mornas

11 de janeiro de 2017 2

O Avaí enfrenta hoje, às 16h, o Rio Branco, pela segunda fase da Copa São Paulo, na mesma Guarulhos. O Leão tem 100% de aproveitamento, com 9 gols marcados em 3 jogos. Vinícius Baiano, que já andou sendo relacionado no profissional, briga pela artilharia com 4 gols. Se passar, devemos pegar o Santos. Nos jogos que vi, gostei do Lineker, do Getúlio e do Baiano, que logo podem aparecer como opções do Claudinei. Em 2015, surgiram Renanzinho, Braga, Yuri, Philipe Maia e Raphinha, hoje na Europa. Ano passado, Gabriel e Lucas e Sá. Dali sempre sai bom jogador.

Jogo-treino

Está confirmado para o dia 17 o primeiro jogo-treino contra o Barroso em Águas Mornas. Ali, já vamos poder ver um esboço de time. O foco é a preparação o primeiro turno do Catarinense, que levaria direto para a final. Ali, acredito que disputaremos com o rival e a Chapecoense, que vem montando bom elenco mas tendo que se remontar. Criciúma e Joinville correm totalmente por fora. No returno, vai ser difícil bater a Chape.

Vem mais alguém?

Já temos goleiro, bem ou mal nossa defesa está formada, o meio acredito que deve receber alguém depois da desistência do Djavan, mas nosso ataque não consigo acreditar que já está formado. Que não seja promessa ou aposta, temos o Rômulo, que já jogou uma Série A e 3 Catarinenses. Precisamos de um atacante de qualidade, que venha para ser titular, como foi o André Lima em 2015, só que falando menos besteira. Nessa posição vai ser necessário furar o teto salarial estipulado. Por um jogador de qualidade vale a pena. Melhor que contratar 3 duvidosos durante o ano.

Coronel na base

10 de janeiro de 2017 6

Coronel Neto é o novo coordenador da base azurra. Particularmente não sei muito sobre ele, e o Avaí disponibilizou pouca informação. Esse cargo é de extrema importância e é preciso que se faça um trabalho sério e competente. A base do Avaí vem rendendo bons frutos, gerando bons jogadores e boa receita ao clube. Estaremos de olho!

Quanto gastamos?
André, Vítor Costa, Romarinho, Renato Silveira, Krobel, Gustavo e João Paulo eram contratações fadadas ao fracasso. Chegaram em baixa e, ou o torcedor nem conhecia, ou conhecia e não queria. Nenhum rendeu e só os dois últimos permanecem, ambos sem ninguém entender. Isso sem contar as eternas promessas Tauã, Vítor Prada, Paulinho e Renato Júnior. Quanto isso custou ao Avaí em 2016? Não é pessimismo, não é terra arrasada, mas não é contratando um novo André Santos que dança cúmbia e tem 2 metros ou alguém que jogou na década passada que iremos nos manter constantes na elite. Vocês acham que se o Ferdinando tivesse procurado o Avaí em janeiro de 2015 ele não ocuparia a vaga do Renanzinho no profissional? Provavelmente nem conheceríamos um dos nossos melhores daquele ano.

Mistérios
Não esquecemos do Instituto Avaí. Semanas vão passando e não tivemos nenhuma nota explicativa do clube. O torcedor fica preocupado e quer saber o que aconteceu.