Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 29 dezembro 2009

Newton, os astros e o crime

29 de dezembro de 2009 2

Reprodução

Mesclar ficção com personagens históricos tem sido uma fórmula muito utilizada pelos escritores, pois ajuda a dar à trama um aspecto de realidade. Foi assim no sucesso editorial O Código Da Vinci, de Dan Brown, e é assim também em Equinox, de Michael White (Ediouro, 336 páginas). Neste último, a figura real escolhida para fazer parte da história é Isaac Newton, o cientista que criou as bases da ciência moderna.

Não espere, no entanto, um livro sobre a fruta que caiu da árvore e deu origem à teoria da relatividade: como em O Código Da Vinci, também em Equinox é o suspense quem dá o tom da narrativa. Ambientada em Oxford, na Inglaterra – um das mais conhecidas comunidades acadêmicas do mundo –, a história começa quando a jornalista e escritora americana Laura Niven retorna à cidade, onde estudou, em busca de inspiração para seu novo romance. O que encontra é uma série horrenda de crimes que começam a assolar a pacata cidadezinha.

Os crimes inicialmente parecem uma reedição de Jack, o Estripador: todas as vítimas são mulheres jovens e têm órgãos retirados pelo assassino. Com a curiosidade despertada, Laura começa a investigar por conta própria, contando com a ajuda de Philip, o pai de sua filha, que também é fotógrafo policial. Aos poucos, eles descobrem que o serial killer utiliza elementos rituais, como moedas deixadas no corpo da vítima, e segue um calendário astrológico, agindo de acordo com o alinhamento dos planetas. E novos crimes devem acontecer até o equinócio.

Além disso, o matador parece pertencer a uma antiga ordem de alquimistas, da qual também teria feito parte Isaac Newton – que seria, além de um grande cientista, um alquimista obcecado pelo conhecimento e pelo poder, com a ideia fixa de conseguir a pedra filosofal e o elixir da vida.

Com uma escalada de suspense, as páginas e os crimes vão se sucedendo, até o desfecho inesperado.

Postado por Maristela Scheuer Deves, Caxias do Sul