Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2011

De Marcos para Marco: poeta é o novo patrono da Feira do Livro de Caxias

29 de julho de 2011 2

 

 

Andréia Copini, divulgação

Como twittei mais cedo em primeira mão, no @palavraescrita, o médico e poeta Marco de Menezes foi escolhido agora à noite o patrono da 27ª Feira do Livro de Caxias do Sul. A sua eleição foi unânime e por aclamação, segundo a coordenadora do Programa Permanente de Estímulo à Leitura (PPEL), Luiza Motta.

Um dos primeiros a cumprimentar o eleito foi o patrono da edição passada, Marcos Kirst.

— Estou passando a coroa, ou talvez devesse dizer o marcador de livros — brincou Kirst.

Em meio aos parabéns, Marco de Menezes também entrou no tom de brincadeira, dizendo estar com um pouco de medo pelo tamanho da responsabilidade. Logo reassumiu o tom sério, mas alegre:

— Vamos trabalhar todos juntos em nome da literatura — garantiu.

O poeta, natural de Uruguaiana mas radicado há mais de 25 anos em Caxias, contou que estava na livraria Do Arco da Velha (“como sempre, aliás”, brincou) quando o livreiro Germano Weinrich lhe disse que fosse até o PPEL.

— Eu nem estava pensando nisso (em ser escolhido), mas aí desconfiei — contou.

Marco, leitor desde criança e dono de uma biblioteca de 4 mil volumes, destacou o papel do livro na sociedade:

— Há muito se demonstrou que os livros são determinantes no florescimento cultural das sociedades e dos povos. Manter essa referência numa época de mudanças é essencial. O objeto livro tem um papel meio totêmico, é um ícone, uma ferramenta para tornar as pessoas mais civilizadas. No livro, encontramos uma possibilidade de diálogo com a realidade — defende.

Kirst, que foi patrono da 26ª Feira do Livro, elogiou a escolha de Marco de Menezes como seu sucessor:

— Aprovadíssimas, as duas escolhas (referindo-se também à homenageada desta edição, a livreira Maria Helena Lacava, da livraria Mercado de Ideias). Caxias tem o privilégio de ter um leque enorme de bons autores, que podem assumir o posto de patrono. E tem também muitas pessoas que trabalham pela divulgação do livro. Não são nomes que caem de paraquedas, são pessoas que têm uma história de trabalho pelo livro.

O secretário municipal da Cultura, Antônio Feldmann, declarou que a escolha reflete um amadurecimento do meio literário caxiense.

— Não é bairrismo, mas nos últimos anos temos tido muitos bons nomes daqui para serem patronos. E arrisco dizer que temos boas opções para os próximo oito, dez anos. Mas este é o ano do Marco, e não só pelo Açorianos (o novo patrono recebeu o troféu de poesia e de Livro do Ano no Açorianos de Literatura 2010), mas pelo amor que ele tem pelos livros — elogiou.

Além de médico e poeta, Marco de Menezes também é editor — lançou há dois anos a editora Modelo de Nuvem. E, ainda,  é um dos promotores dos encontros Luz do Verbo, que discute literatura, e Som do Verbo, que fala sobre música e literatura.

Patrono será conhecido hoje à noite

29 de julho de 2011 0

Os preparativos para a 27ª Feira do Livro de Caxias do Sul começam a se intensificar: em reunião entre livreiros e coordenação do Programa Permanente de Incentivo à Leitura (PPEL), serão eleitos na noite de hoje o patrono e o homenageado da Feira.

Como Caxias tem vários representantes no mundo das letras, a expectativa sobre quem será o patrono é grande.

Façam suas apostas!

Último dia para trocar livros no Ordovás

29 de julho de 2011 0

Termina nesta sexta-feira mais uma edição do projeto Livro Livre no Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul.

Programa de troca gratuita de livros promovido pela Biblioteca Municipal Dr. Demetrio Niederauer, o Livro Livre é aberto a todos os interessados. Basta levar o livro (ou os livros) que se quer trocar e escolher outro(s) nas estantes do projeto.

Tem livros para todos os gostos literários e para todas as idades, e, com as constantes trocas, o acervo vai sendo diariamente renovado.

Já fiz trocas no projeto e recomendo: tem sempre muita coisa interessante, vale a pena.

***

Ah: as trocas podem ser feitas das 16h às 21h, e os livros a serem trocados devem estar em bom estado.

As voltas de Henry James

28 de julho de 2011 0

Reprodução

Sou daquelas pessoas que gosta de ler ora clássicos, ora lançamentos, até para aproveitar melhor as diferenças de estilo entre autores e épocas de escrita. Assim, uma de minhas leituras mais recentes foi a novela A Volta do Parafuso, do escritor norte-americano Henry James (1843-1916).


Lançada há mais de um século, em 1898 (a capa que ilustra este post é de 2007, de uma edição da L&PM Pocket), até hoje essa narrativa de terror psicológico instiga e intriga quem a lê. Do tipo “história dentro da história”, ela começa com um grupo ao redor da lareira ouvindo e contando histórias assustadoras. Um dos participantes diz ter um relato aterrorizante, que lhe foi deixado por escrito por uma antiga governanta. Ele reluta em compartilhá-lo, mas por fim cede, e aí começa a verdadeira trama de A Volta do Parafuso.

A partir de então narrado em primeira pessoa pela governanta (cujo nome não é mencionado), o texto conta a experiência que viveu aos 20 anos, quando foi trabalhar no interior para cuidar de duas crianças órfãs. Ao avistar um desconhecido nas proximidades, passa a acreditar que ele é o fantasma de um antigo funcionário da casa, começando então um crescendo de tensão — que se intensifica ainda mais quando ela passa a ver também uma mulher, que seria o espectro da ex-governanta.

O casal fantasmagórico está atrás das crianças, acredita a narradora-personagem. Estas, apesar de parecerem perfeitos anjinhos, também o sabem, mas se esforçam em esconder que veem os antigos tutores. Ao menos é o que diz a governanta — e aqui é que começam as dúvidas. Estará ela contando a verdade? Havia mesmo fantasmas naquela mansão? Ou estaria ela delirando? Ou escondendo algo, com a verdadeira natureza de seu relacionamento com as crianças?

Em certos trechos, pequenos indícios parecem apontar ora para um, ora para outro lado. Ao mesmo tempo, outros mistérios pontuam a narrativa, como o estranho tio das crianças, que contratou a governanta mas não quer ser informado de nada, e o porquê de o garoto ter sido expulso da escola (será que foi mesmo?, também é possível se indagar).

Enfim, apesar da narrativa que cheia de voltas (como um parafuso), traduzindo o estado mental da personagem — que tira conclusões nem sempre óbvias, muitas das quais fazem o leitor questionar se o que ela está dizendo é real ou fantasioso —, é uma leitura  que prende, até o final inesperado.

Ah: a versão pocket da L&PM inclui ainda outra novela de James, Daisy Miller, e o livro, com um total de 226 páginas, custa em média R$ 12.

Novo papel para Mayana

25 de julho de 2011 0

Zé Paulo Cardeal, TV Globo


A atriz Mayana Neiva, que interpretou a modelo Desiré na novela Ti-Ti-Ti, da Globo, está assumindo um novo papel, desta vez na vida real: o de escritora.

Em agosto, será lançado seu primeiro livro infantil, Sofia.

Segundo ela tem declarado em entrevistas, a obra é uma realização pessoal — mas, apesar da nova carreira, ela seguirá atuando, e promete voltar em breve à TV.



Literatura infantil e juvenil pauta debate

23 de julho de 2011 0

 

Maristela S. Deves

Integrantes da Confraria Reinações Caxias e alunas do curso de Letras da UCS participaram, na manhã deste sábado, do 1º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil da Confraria Reinações Caxias, ainda em comemoração ao segundo aniversário do grupo.


Das 10h ao meio-dia, foram apresentados estudos sobre os livros A Fantástica Fábrica de Chocolate, de Roald Dahl, e Cinderela — Uma Biografia Autorizada, de Paula Mastroberti.

Também foram definidos os livros que serão abordados nos próximos três encontros da Confraria, em agosto, setembro e outubro: A Fantástica Fábrica de Chocolate (que ainda não havia sido lido por todo o grupo), Heidi, de Johanna Spyri, e Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll.

Para lembrar: os encontros da Confraria são realizados sempre na terceira terça-feira do mês, das 19h30min às 21h, na livraria Do Arco da Velha, em Caxias do Sul.

Seminário discute literatura infanto-juvenil

22 de julho de 2011 0

Quem gosta de literatura infanto-juvenil tem um compromisso na manhã deste sábado: o 1º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil da Confraria Reinações Caxias. Será das 10h às 12h, na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690, em Caxias do Sul).

O encontro terá a participação especial de um grupo de alunos do curso de Letras da UCS, mas ele é aberto a todos que gostam de uma boa leitura.

Ah, e a participação é gratuita.

Biblioteca fechada nesta sexta

21 de julho de 2011 0

Roni Rigon

Atenção, leitores que frequentam a Biblioteca Municipal Dr. Demetrio Niederauer, em Caxias do Sul: amanhã começam as obras de reforma do espaço, situado junto à Casa da Cultura, no Centro. Por isso, a biblioteca estará fechada ao público, mas reabre na segunda.

A intenção é que, durante os trabalhos — que devem durar de três a quatro meses, pelo cronograma inicial —, os leitores possam continuar usufruindo do espaço, de segunda a sexta, das 8h às 21h. No entanto, para preservar o acervo e os frequentadores, é possível que aconteçam novas interrupções, dependendo do andamento das obras.

Em princípio, tanto o empréstimo de livros quanto a pesquisa continuam nos mesmos espaços durante a reforma. Já o setor de periódicos, que abriga jornais e revistas (foto acima), vai funcionar temporariamente no andar térreo da Casa da Cultura.

***

Uma dica: pelo Sistema Biblio (biblio.caxias.rs.gov.br), é possível conhecer o acervo da biblioteca e fazer reservas de livros, sem sair de casa.

Literatura para os pequenos

20 de julho de 2011 0

 

Fotos Adriana Paula Sirena, divulgação

Muito interessante — e proveitoso — o encontro de segundo aniversário da Confraria Reinações Caxias, ocorrido ontem à noite na livraria Do Arco da Velha, com apoio, entre outros, deste blog. Além da leitura sempre instigante de Cecília Meireles e seu Ou Isto ou Aquilo, chamou a atenção a diversidade de autores que fizeram a história da literatura infanto-juvenil caxiense.


O evento, aliás, reuniu vários desses escritores, que contaram como foi o processo de produção de suas obras para crianças. José Clemente Pozenato, por exemplo, revelou que seu livro O Jacaré da Lagoa nasceu a partir de uma conversa que teve com coleguinhas de escola de sua filha Ana Maria, em 1991, quando ela cursava a primeira série.

— Um menino perguntou que livros eu tinha para crianças, e quando disse que não tinha nenhum, ele perguntou como é que eu era escritor — relata.

A conversa acabou relatando numa parceria: Pozenato escreveu a história, que costumava contar para as filhas, e enviou para que os alunos ilustrassem. O livro saiu no ano seguinte, com direito a sessões de autógrafos com a presença de toda a turma de “coautores”.

Também participaram do encontro festivo os autores Eva e Marcondes Tavares, que falaram de seus 18 livros para crianças, e Claudioli Silva, que abordou suas quatro obras e revelou ter vários outros livros inéditos, à espera de uma editora. Foram ainda abordadas as obras de Maria Adami Tcacenco e Nelly Verronese Mascia.

***

Aliás: as comemorações de aniversário da Confraria seguem no sábado, com a realização do 1º Seminário de Literatura Infantil e Juvenil da Confraria Reinações Caxias, também na Do Arco da Velha, das 10h às 12h.

 

O sucesso do bruxinho

18 de julho de 2011 0

Warner, divulgação

Que os livros e filmes da série Harry Potter são um sucesso, não há mais dúvidas. E, com a estreia da segunda parte da versão cinematográfica de Harry Potter e as Relíquias da Morte, último capítulo da saga, os fãs começam a se sentir órfãos — e os números crescem ainda mais.

Em Caxias do Sul, mais de 6,5 mil pessoas assistiram o filme entre a 0h01min de sexta e o domingo. Pelo mundo, o sucesso se registra em recordes: o total arrecadado no primeiro final de semana chegou a US$ 168,6 milhões, batendo em mais de US$ 10 milhões o recordista anterior, Batman, O Cavaleiro das Trevas.

Agora, os fãs do bruxinho que cresceu com uma geração de leitores e espectadores especulam o que J.K. Rowling, a escritora que criou o mundo mágico de Hogwarts, está planejando. Recentemente ela anunciou o chamado projeto Pottermore. Já há até um domínio no internet, www.pottermore.com, mas quem entra no site é orientado a deixar um e-mail e “retornar em 31 de julho”.

Resta aguardar para ver o que vem por aí.