Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de agosto 2012

O mais lido de agosto

31 de agosto de 2012 1

Reprodução

O romance erótico Cinquenta Tons de Cinza, da inglesa E.L. James, que chegou ao Brasil no último dia 1º, encerra seu primeiro mês no país como líder absoluto de vendas: segundo o site especializado Publishnews, foram 85.117 exemplares vendidos em agosto, e isso somente nas livrarias pesquisadas para o ranking do “20 mais”.

Esse volume é quatro vezes e meia maior do que o segundo mais vendido do mês, A Dança dos Dragões, de George R.R. Marin, que somou 18.800 exemplares. As vendas de Cinquenta Tons de Cinza só não são maiores do que o número alcançado em dezembro de 2010 pelo livro Ágape, do padre Marcelo Rossi, conforme o Publishnews.

Voltando ao sucesso erótico do momento, ele também continua bombando mundo afora, encabeçando o ranking na Argentina, no Chile, na Colômbia, no México, na Venezuela e na Espanha. Nos Estados Unidos, embora já não apareça mais, há algum tempo, entre os mais vendidos em inglês, os três títulos da trilogia em espanhol ainda são os preferidos (com o segundo volume da série, Cinquenta Tons Mais Escuros, em primeiro).

Mais um autor visita alunos em Nova Petrópolis

29 de agosto de 2012 0

Braz conversou com estudantes e autografou livros (foto Marco Dieder, divulgação)

O projeto que visa estreitar os laços entre os estudantes e a literatura segue a mil em Nova Petrópolis. Ontem, mais um escritor visitou escolas da cidade, interagindo com alunos: Júlio Emilio Braz, que escreve há 32 anos e já tem 170 livros publicados.


O bate-papo foi nas escolas Otto Hoffmann, Augusto Guilherme Gaedckie e Pedro Beck Filho, em que falou de sua experiência como escritor. Contou ainda de sua adoração pelo escritor gaúcho Luis Fernando Verissimo, e lembrou que na adolescência gostava muito de ler e escrever, chegando a fazer as redações dos colegas de escola.

Contou que não teve o incentivo da família para ser escritor, tanto que sua formação técnica é em contabilidade.

— Minha mãe dizia, “brasileiro não gosta de ler”, o que é uma inverdade. Não existem povos leitores, o que há são pessoas leitoras e no Brasil elas são milhões — argumentou.

Sua primeira obra foi de história em quadrinhos de terror. Braz disse que suas vivências de vida e a observação do mundo são a inspiração para suas histórias. Para incentivar a leitura disse aos estudantes que “pessoas que leem ficam mais inteligentes.”

Na Escola Otto Hoffmann a aluna Carmem Castro, 14 anos, que leu o livro Cenas Urbanas, salientou que as histórias contadas nele refletem muito daquilo que ela já viveu.

— Muito o que o escritor relata são fatos pelos quais já passei mas que não são comentados na família ou na escola. O livro acaba ajudando a superar isso dentro de nós — diz.

Braz elogiou o projeto Autor nas Escolas, incerido no macroprojeto Nova Petrópolis Cidade Leitora:

— Ele ajuda a desmistificar a imagem poética e lírica que se tem dos escritores e para nós é um instrumento para termos o retorno da aceitação das nossas obras e como também para inspiração para novas

Livros no carrinho

28 de agosto de 2012 0

Hoje, no final da tarde, fui ao supermercado e saí de lá com um produto que não estava na lista de compras: um livro.

Foi por acaso que resolvi dar uma passada em frente ao balcão “literário” do estabelecimento, onde pensei que encontraria apenas obras de autoajuda e religiosas. Enganei-me. Lá havia um bom sortimento de títulos em ficção.

Claro que nem se compara a uma livraria, mas tinha coisas bem boas lá. E, principalmente, baratas. Eu paguei apenas R$ 9,90 pela minha “aquisição”, A Chave de Sarah (Ponto de Leitura, 400 páginas), da francesa Tatiana de Rosnay.

Ok, é uma edição de bolso, mas mesmo edições de bolso costumam custar mais do que isso.E havia vários outros livros identificados com o mesmo selo azul, onde estava escrito “R$ 9,90 – oportunidade”. Entre eles, dois títulos do mestre do terror Stephen King, os magníficos Love e À Espera de Um Milagre (aquele do filme com Tom Hanks).´

Não sei até quando vai a promoção, mas achei legal e resolvi dar a dica por aqui, torcendo para que, entre cenouras e xampus, mais pessoas coloquem livros no carrinho do supermercado. Ah: o supermercado em questão foi o Carrefour, no Shopping Iguatemi, em Caxias do Sul.

O fantasma de Tezza

26 de agosto de 2012 0

Reprodução

Num capítulo, André Devinne é um escritor frustrado, abandonado pela mulher, Laura, que há quatro anos não escreve nada e sobrevive digitando classificados em um jornal, em Curitiba. Uma noite, resolve responder a um dos anúncios sem publicá-lo — e acaba preso num porão por um magnata do crime que quer que ele escreva um livro.

No capítulo seguinte, André Devinne é o rico assessor de um secretário estadual, em Florianópolis. Casado com Laura, pai de uma menina, vê horrorizado chegar até sua linda casa um mendigo imundo, que não é outro senão um velho conhecido de outrora, quando ele ainda atendia pelo nome de Juliano e praticava crimes. Como o outro André, ele acaba prisioneiro, mas desta vez do “amigo”, que ameaça revelar seu passado negro.

Seriam esses dois Andrés Devinne a mesma pessoa? Essa é a pergunta central de O Fantasma da Infância (editora Record, 240 páginas), de Cristovão Tezza. Publicado em 1994, o livro é bem menos badalado que O Filho Eterno, que rendeu ao escritor diversas premiações nos últimos anos (e a possibilidade de viver de literatura, diferentemente do que ocorre com seu personagem Devinne). Menos badalado, mas nem por isso menos cativante.

À medida que as histórias paralelas se desenvolvem, a sensação de estranhamento pelo duplo dá lugar à curiosidade: o que vai acontecer com os André? O primeiro escapará do cativeiro? Recuperará a sua Laura? O segundo conseguirá se desembaraçar do seu fantasma do passado? Sua Laura o perdoará, se descobrir a verdade? E, principalmente, o que liga os dois protagonistas em seus universos tão distintos?

Essa é uma leitura típica do virar página após página. Só mais um capítulo. E mais um. E mais um. Os capítulos relativamente curtos, aliás, são outro atrativo: fica fácil acreditar que iremos ler “só mais um pouquinho” antes de fazer uma pausa… O final? Bem, não dá para contar por aqui, não é? Mas recomendo, e muito, a leitura.

Capital mundial do livro

25 de agosto de 2012 2

 

Arquivo pessoal

Em visita a Buenos Aires, nesta semana, encantei-me com o grande número de livrarias da cidade. Não sei quantas são ao todo, mas era difícil andar cem metros na região central sem deparar com uma – ou mesmo com várias na mesma quadra. Da famosa Ateneo à quase onipresente Cuspide Libros (vi várias dessa rede), além de diversas outras, menores ou maiores, a cidade está muito bem servida de oferta de livros.

Não é à toa que ostenta, com orgulho, o título de Capital Mundial do Livro 2011, concedido no último ano pela Unesco (eu não resisti e posei para uma foto em frente a uma das placas de livraria que anunciam esse feito). O título foi concedido, segundo encontrei em alguns sites, devido ao trabalho de fomento à leitura, de promoção do livro e de divulgação do patrimônio literário do país. Podia-se acrescentar, nessa lista, a fartura de livrarias. 

Nesses templos dos livros, a variedade é igualmente imensa, desde best-sellers do momento até clássicos, muitos clássicos, autores portenhos, autores latino-americanos, autores de diversos países, autores conhecidos, autores dos quais nunca ouvira falar antes…

Os preços são igualmente muito atraentes. Claro que um lançamento que está no topo dos mais vendidos, como os três volumes da série erótica Cinquenta Tons de Cinza, saem por 120 pesos cada (pouco menos de R$ 60), mas saindo desse nicho há excelentes pechinchas. Comprei um livro, um thriller de um autor que não conhecia, por apenas 15 pesos, o que dá cerca de R$ 7 – algo impensável por aqui por um livro de 430 páginas. E havia várias opções assim, além de clássicos por sete pesos. Só não fiz mais compras porque meu espanhol não é lá muito bom…

 Enfim, o que eu queria dizer é que fiquei encantada com esse lado da capital argentina. Quem dera Caxias do Sul um dia chegue a ostentar o mesmo título!

A escrita para crianças e adolescentes em debate

24 de agosto de 2012 0

Adriana Franciosi, banco de dados

A 5ª Semana do Escritor, promovida pela Academia Caxiense de Letras (ACL), encerra-se hoje à noite com um debate sobre o universo da escrita literária para crianças e adolescentes. O encontro começa às 20h e ocorre no 1º andar do Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul.

Os convidados da noite são os escritores Caio Riter e Christian David. A mesa-redonda terá mediação da também escritora Helô Bacichette.

Ah: a participação é gratuita e aberta a todos os interessados.

Paulo Coelho entre os mais vendidos

24 de agosto de 2012 0

 

Reprodução

Quem acompanha as listas de mais vendidos já deve ter reparado: há algumas semanas, o mais novo livro do brasileiro Paulo Coelho, o recém-lançado Manuscrito Encontrado em Accra (Sextante, 176 páginas, R$ 19,90), vem aparecendo entre os primeiros.


No ranking do site Publishnews, aparece pela quarta semana consecutiva, e na lista divulgada hoje é o quinto em ficção, atrás apenas dos best-sellers mundiais Cinquenta Tons de Cinza, de E.L. James, A Dança dos Dragões, de George R.R. Martin, A Escolha, de Nicholas Sparks, e O Casamento, também de Nicholas Sparks.

Independentemente das críticas que muitos têm ao texto de Paulo Coelho, é sempre bom ver um autor nacional entre os mais vendidos no país — o que costuma ser fato bem raro em ficção. E a trama de Manuscrito Encontrado em Accra, do qual já falei por aqui quando foi anunciado, parece ser bem interessante. Ainda não o li, mas fiquei curiosa. Se algum leitor já leu, pode deixar seu comentário aqui no blog.

Nesta quarta, na Semana do Escritor Caxiense

22 de agosto de 2012 0

E continua a programação da 5ª Semana do Escritor Caxiense, promovida pela Academia Caxiense de Letras (ACL).

Nesta quarta, às 20h, no cinema do Centro de Cultura Ordovás, em Caxias, os convidados são a escritora Gabriela Farias da Silva, o filósofo Décio Bombassaro e o psicanalista José Luiz Caon, que vão falar sobre o mal e a morte na literatura.

Quer participar? A Semana do Escritor Caxiense tem entrada franca, e não é necessário se inscrever com antecedência. A programação segue até sexta.

Noite de jovens promessas

21 de agosto de 2012 0

Luisa Geisler é um dos destaques da semana (foto Tadeu Vilani, bd)

Se ontem foi a noite dos escritores veteranos na Semana do Escritor Caxiense, promovida pela Academia Caxiense de Letras (ACL), hoje será a noite das jovens promessas do mundo das letras.


A partir das 20h, no cinema do Ordovás, em Caxias do Sul, a mesa-redonda sobre o contemporâneo na literatura terá a presença dos escritores Luisa Geisler e Luís Roberto Amábile.  Eles falarão também da web como ferramenta criativa.

Para os desinformados: Luisa, de apenas 21 anos, é a única pessoa a vencer duas vezes o Prêmio Sesc de Literatura, além de integrar o time de 20 jovens escritores brasileiros promissores em seleção da revista britânica Granta, uma das mais prestigiadas do mundo.

E lembrando: a participação na programação da Semana do Escritor Caxiense é gratuita, e não necessita de inscrição prévia.

Semana do Escritor Caxiense começa nesta segunda

20 de agosto de 2012 0

José Clemente Pozenato é um dos palestrantes da noite (foto Daniela Xu, bd)

Quem se interessa pelo universo da escrita, seja como escritor, seja como leitor, não pode perder a 5ª Semana do Escritor Caxiense, que começa nesta segunda-feira na sala de cinema do Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul.

Até sexta-feira, uma variada seleção de escritores, entre veteranos e jovens promessas da escrita, participarão da programação, em mesas-redondas abertas ao público.

Nesta segunda-feira, é a vez de três representantes da “velha guarda” – Franklin Cunha, José Clemente Pozenato e Alcy Cheuiche – falarem sobre passado, presente e futuro na literatura.

O encontro começa às 20h, e, como em todos os outros dias, a participação é gratuita e sem necessidade de inscrição prévia. A organização é da Academia Caxiense de Letras (ACL), que está comemorando seu jubileu de ouro.

Ficou curioso sobre a programação dos demais dias? Siga acompanhando aqui no blog os participantes de cada dia, e participe você também.