Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Oscar para clássicos e modernos

25 de fevereiro de 2013 0

Reproduções

A 85ª cerimônia do Oscar, realizada na noite de ontem, premiou, como já é de praxe, vários filmes inspirados em livros — a começar pelo troféu mais cobiçado, o de Melhor Filme, que foi para Argo, de Ben Affleck, longa baseado em Argo — Como a Cia e Hollywood Realizaram o Mais Estranho Resgate da História (Intrínseca, 256 páginas, R$ 19,90), de Antonio Mendez e Matt Baglio.

Argo, que narra a história real de um plano da CIA para resgatar seis americanos refugiados na casa do embaixador do Canadá em Teerã, durante a crise dos reféns no Irã em 1979, levou ainda os troféus de Roteiro Adaptado e Montagem.

Outro dos prêmios principais, o de Direção, foi para Ang Lee, por As Aventuras de Pi. O livro que deu origem ao longa, do escritor Yann Martel, inicialmente se chamava A Vida de Pi, e ainda pode ser encontrado com esse nome, mas já existe uma versão com o nome igual ao do filme (Nova Fronteira, 424 páginas, R$ 34,90). A Vida de Pi conta a história de Pi Patel, um menino indiano, meio cristão, meio muçulmano e meio hindu, que acaba se vendo à deriva no mar, em um bote, na companhia de um tigre, um orangotango, uma zebra e uma hiena. O longa também levou os prêmios de Fotografia, Trilha Sonora e Efeitos Visuais.

Já o troféu de Melhor Atriz foi para Jennifer Lawrence, por seu papel em O Lado Bom da Vida, filme baseado no romance homônimo de Matthew Quick (Intrínseca, 256 páginas, R$ 24,90). Na história, o ex-professor de história Pat Peoples acaba de sair de uma instituição psiquiátrica e conhece Tiffany (personagem de Jennifer no filme).

Indo do moderno ao clássico, Anne Hathaway foi eleita Melhor Atriz Coadjuvante pelo papel em Os Miseráveis, adaptação da obra do francês Victor Hugo. O livro tem várias versões em português, a maioria delas condensada; a dica, para quem gosta de versões integrais, é conferir a história de Jean Valjean na edição em dois volumes da Cosac Naify (R$ 119). No Oscar, o musical levou ainda os troféus de Maquiagem e Efeitos Sonoros.

Mesmo sem ser um dos troféus mais badalados, vale destacar o prêmio de Melhor Figurino para Anna Karenina, baseado no romance homônimo do russo Leon Tolstoi. Na história, uma mulher escapa das restrições e do tédio do seu casamento por meio de um romance com um charmoso soldado. Entre as edições em português, com o nome de Ana Karenina (com um “n” só), está a da coleção Clássicos de Bolso da Ediouro, por R$ 22,90.



Envie seu Comentário