Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts do dia 2 maio 2013

Efemérides atrasadas...

02 de maio de 2013 0

Livro é um dos mais conhecidos de José de Alencar (reprodução)

O 1º de maio era ontem, mas, com o feriado, só hoje é que me lembrei de falar por aqui das três datas importantes comemoradas nesse dia. Vamos, pois, a elas.

Foi em um 1º de maio, em 1829, que nasceu um dos mais conhecidos escritores brasileiros: José de Alencar (não confundir com o ex-vice-presidente). Ao menos no meu tempo de escola, seus livros eram leitura obrigatória — e saborosa. A estreia de Alencar foi com o romance Cinco Minutos (1856), logo seguido de A Viuvinha (1857) — os dois, inclusive, costumam ser publicados juntos, em um único volume. Essas obras foram publicadas primeiro em jornais, e posteriormente no formato livro.

Sua obra se divide em dois grupos principais: os romances indianistas, com O Guarani (1857), Iracema (1865 ) e Ubirajara (1874), e os romances urbanos, como Senhora (1875). Escreveu ainda obras ditas regionalistas, como O Gaúcho (1870) e O Sertanejo (1875), históricas e peças teatrais. Dos seus personagens, a mais marcante certamente é Iracema, do livro homônimo, cuja descrição poética quase todo leitor acaba por decorar: “a virgem dos lábios de mel, com os cabelos tão negros quanto a asa da graúna e tão longos quanto seu talhe de palmeira”.

Num outro 1º de maio, este 1883, morreu o dramaturgo gaúcho Qorpo Santo. Seu nome, na verdade, era José Joaquim de Campos Leão, e ele foi também professor, poeta, jornalista, tipógrafo e gramático (com uma visão bem peculiar e revolucionária sobre as regras gramaticais). Nascido em 1829, em 1862 ele começou a escrever a Ensiqlopédia ou Seis Mezes de Huma Enfermidade. Nessa mesma época, teria sido diagnosticado com transtornos psíquicos, e foi interditado judicialmente a pedido da própria família.

Apesar disso, Qorpo Santo escrevia compulsivamente: somente em maio de 1866,escreveu oito peças teatrais. Mesmo após ter seu diagnóstico revogado, sofreu estigmatização da sociedade e foi se isolando cada vez mais. Além da Ensiqlopédia, publicada somente em 1877 em gráfica própria, deixou obras como Um Credor da Fazenda Nacional, As Relações Naturais e Hóspede Atrevido ou O Brilhante Escondido.

Ainda ontem, comemorou-se o Dia da Dia da Literatura Brasileira.