Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2013

Efeméride best-seller

31 de julho de 2013 0

Debra Hurford Brown, divulgação

Hoje é aniversário de uma da escritora britânica J.K. Rowling, autora da série Harry Potter, do romance Morte Súbita e do romance policial The Cuckoo’s Calling, lançado sob o pseudônimo de Robert Galbraith.


Nascida a 31 de julho de 1965 na cidade de Yatte, Joanne Rowling gostava de histórias desde criança, e sonhou por muitos anos em ser escritora. Passou por muitas dificuldades e recebeu várias recusas até seu primeiro livro, Harry Potter e a Pedra Filosofal — estrelado por um  menino-bruxo com o qual sonhara durante uma viagem de trem — ser finalmente publicado, em 30 de junho de 1997.

O sucesso, inesperado, foi imediato, com a história de Harry e seus amigos escalando os primeiros lugares das listas de mais vendidos. Com a boa aceitação do público no mundo todo, seguiram-se mais seis livros da saga, sendo o último publicado em 2007.

Em 2012, a escritora resolveu investir numa seara diferente, lançado Morte Súbita, romance adulto classificado como de “humor negro”. A história gira em torno das intrigas políticas em uma pequena cidade após a morte do principal conselheiro municipal.

Cerca de um mês atrás, surgiu uma notícia bombástica: o romance policial The Cuckoo’s Calling, do qual até então pouquíssima gente ouvira falar (apenas 1,5 mil exemplares haviam sido vendidos, apesar das críticas favoráveis), era na verdade de autoria de J.K. Rowling, que o lançara, em abril, sob o nome de Robert Galbraith. A repercussão levou ao aumento rápido das vendas, e a história já é cogitada para virar filme. A última notícia sobre o assunto, divulgada hoje, é que a escritora vai receber uma indenização do escritório de advocacia que deixou seu nome vazar (os valores, não informados, serão doados a uma instituição de caridade).

Efeméride poética

30 de julho de 2013 0

O poeta em foto da mostra 'A Porto Alegre de Mario Quintana' (Liane Neves, divulgação)

Há 107 anos, no dia 30 de julho de 1906, nascia na cidade de Alegrete um dos maiores poetas gaúchos: Mario Quintana, considerado por muitos “o poeta das coisas simples”.


Radicado em Porto Alegre desde a adolescência até sua morte, em 1994, Quintana lançou A Rua dos Cataventos, seu primeiro livro, em 1940. A ele se seguiram quatro dezenas de outros livros, a maioria de poesia, mas também infantis, como Pé de Pilão (1968) e O Sapato Amarelo (1984).

Em 1966, ganhou o Prêmio Fernando Chinaglia, da União Brasileira de Escritores. Em 1980, outro reconhecimento: recebeu o Prêmio Machado de Assis, concedido pela Academia Brasileira de Letras (ABL) pelo conjunto de sua obra. Mesmo assim, o poeta gaúcho não conseguiu ser eleito para a Academia. Após três tentativas, recusou-se a uma nova candidatura, e chegou a declarar ser uma pena que a casa fundada por Machado de Assis estivesse tão politizada. “Só dá ministro”, disse.

Além de se dedicar à poesia, Mario Quintana foi também jornalista e tradutor — traduziu mais de 130 livros, incluindo obras clássicas de autores como Proust, Balzac, Voltaire, Virginia Woolf, Graham Greene.

Ah: esta efeméride foi sugerida pela leitora Marisa Oliveira, que enviou também um trecho do poema Canção de Inverno, de autoria de Quintana:

“O vento assovia de frio
nas ruas da minha cidade
enquanto a rosa dos ventos
eternamente despetala-se…”

***

PS.: a foto do poeta, que ilustra este post, integra a exposição A Porto Alegre de Mario Quintana, aberta ontem no Pátio Ivo Rizzo (Félix da Cunha, esquina com a Padre Chagas), na Capital, e que reúne 23 imagens da fotógrafa Liane Neves. As fotos foram feitas na década de 1980 e integram um livro de mesmo nome da mostra, lançado em 2004. A exposição tem entrada franca e segue até 15/09.

Feira do Livro começa a tomar forma

29 de julho de 2013 0

Reprodução

A 29ª Feira do Livro de Caxias do Sul, que ocorre de 27 de setembro a 13 de outubro na Praça Dante Alighieri, começa a tomar forma. Algumas alterações em relação às edições anteriores foram definidas agora à tarde em uma reunião que reuniu diversas secretarias municipais.


Entre as novidades está a cobertura da Rua Dr. Montaury, no trecho entre a Avenida Júlio de Castilhos e a Sinimbu — fazendo, assim, uma ligação da praça com a Biblioteca Municipal Dr. Demetrio Niederauer, que deverá se integrar à programação, sediando algumas atividades. No período da Feira, aos finais de semana, à tarde, o mesmo trecho terá o trânsito bloqueado para receber ações culturais e de lazer.

O Leiturário, instalado em uma plataforma sobre o chafariz, ganhará a companhia do Café, que ocupará o espaço atrás da fonte. A ideia, segundo a coordenadora do Departamento do Livro e da Leitura, Daniela Ribeiro, é que quem se dirigir ao Café entre em contato com os livros e outros materiais expostos no Leiturário, ampliando a utilização do espaço.

A Sala de Autógrafos, que ficava um pouco “escondida”, irá para o lugar onde antes ficava o Café. Quem também vai mudar é o Palco Infantil, que ficará nas proximidades da Avenida Júlio de Castilhos (as bancas do setor infantil seguem na calçada da Dr. Montaury).

Durante os 17 dias de Feira, a Vitrine Cultural da Casa da Cultura, atualmente em reformas, será uma espécie de miniauditório, podendo sediar oficinas e outros eventos paralelos aos que ocorrem no auditório “oficial” instalado na praça.

As 45 bancas de livreiros e editoras já têm  horário de funcionamento. Para o setor adulto, será das 10h às 20h30min  nas quartas, sextas e sábados e das 12h às 20h30min nas segundas, terças, quintas e domingos. O setor infantil funcionará diariamente das 10h às 20h. A abertura oficial está marcada para o dia 27 de setembro, às 18h, mas, neste dia, as bancas estarão abertas a partir do meio-dia.

A nominata completa de atrações deve ser divulgada na primeira quinzena de setembro, mas vários convidados já foram divulgados, entre eles o escritor português Gonçalo Tavares e o escritor norte-americano William C. Gordon.

O patrono desta edição será o cartunista Carlos Henrique Iotti.

Jornada dentro da noite no Órbita Literária

29 de julho de 2013 0

Roni Rigon, banco de dados

O escritor Marco de Menezes (foto) e o grupo que participou, durante o mês de julho, de oficina por ele ministrada serão os convidados desta noite do bate-papo Órbita Literária, que começa às 20h na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul.

Marco e seus oficinandos vão abordar o tema Última Jornada dentro da Noite, falando de cinco personas literárias e de suas contribuições para a edificação da literatura. Na pauta, as várias faces do poema e do estatuto da poesia no espírito humano na obra de Octávio Paz; a profunda crueldade e aparente arrependimento na forma e conteúdo de Lautréamont; T. S. Eliot e a poética do fragmento, com as múltiplas camadas e a intertextualidade em Terra Desolada; a brasilidade poético-musical universal de Aldir Blanc e a elevação à berlinda das matrizes suburbanas e do lirismo sujo do grande letrista da música popular; e, por fim, Roberto Bolaño e a narrativa singular e abissal daquele que é considerado um dos renovadores da prosa em língua espanhola.

O Órbita Literária, que ocorre toda segunda-feira, tem entrada franca e é uma promoção do Grupo Literário Independente NósSemHora.

Tarde de literatura

27 de julho de 2013 0

Neste sábado, a partir das 14h, no palco do Zarabatana Café, no Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul, ocorre a programação local da 1ª Semana do Livro Nacional, celebrada de 20 a 27 de julho. 

Em clima de bate-papo, o evento será dividido em quatro blocos de duração de uma hora cada e separados por gêneros literários. Durante a tarde o público também poderá prestigiar os livros dos autores presentes.

O projeto, que começou pelas redes sociais, ocorre em mais de cinquenta cidades do Brasil e em Caxias do Sul a organização está sendo feita pela escritora caxiense Suzy M. Hekamiah.
 
Cronograma:
14h – (1º bloco) – Literatura Fantástica – (Márson Alquati, Daniel Dutra, Suzy M. Hekamiah e Fabin Balbinot
)
15h – intervalo
15h10min – (2º bloco) – Policial (
Pedro Guerra e Fernando Bins)
16h10min – intervalo
16h20min – (3º bloco) – Romance (Francine Iris Tadiello e Cesar Filho)
17h20min – intervalo 
17h30min – (4º bloco) – Literatura Nacional – Grupo Literário Independente NósSemHora com participação especial de Alessandra Rech, Camila Gobbi, Francine Iris Tadiello, Maria Helena Balen e Rejane Romani Rech

Tem lançamento de livro neste sábado

27 de julho de 2013 0

reproduçao

Logo mais, das 10h ao meio-dia, a Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Os 18 do Forte, 1.690), em Caxias do Sul, sedia o lançamento do livro Verde Queremos Ver-te, coletânea de poesias da escritora e professora caxiense Jussára C. Godinho.

Publicada pela editora Penalux, a obra tem 72 páginas e preço de R$ 28. Como o próprio título indica, o livro tem temática ambiental.

Quem quiser se antecipar e conferir um pouquinho do livro, pode fazer isso clicando aqui.

Efeméride admirável

26 de julho de 2013 0

Reprodução

Além de ser Dia dos Avós (que costumam ser ótimos contadores de histórias…), hoje também é dia de lembrar o escritor Aldous Huxley, nascido em 26 de julho de 1894.


Inglês, ele foi o autor do conhecido Admirável Mundo Novo, romance publicado originalmente em 1932 e que mostra um mundo futurístico e controlado cientificamente, em que, por exemplo, ter um filho é algo obsceno — as crianças são como que “produzidas em série”. A sociedade, dividida em castas, vive em harmonia, mas os valores morais, a religião e a família são inexistentes para os civilizados da trama, para quem essas coisas são tidas como “selvagens”. O sexo promíscuo é algo praticamente obrigatório, ao contrário do envolvimento emocional, considerado anormal (e proibido).

Nesse mundo, em que qualquer dúvida é eliminada pelo consumo regular da soma, uma espécie de droga, há pelo menos um insatisfeito: Bernard Marx, que não se empolga mais com os prazeres da promiscuidade. Durante uma visita a uma Reserva Selvagem, onde a vida antiga ainda existe, ele vai conhecer Linda e seu filho John, nascido do relacionamento dela com um “civilizado”. Marx resolve levar John para a civilização, e o choque entre os dois modos de viver e pensar será inevitável.

Também em A Ilha, de 1962 (pouco antes da morte do escritor), Huxley criou um mundo à parte para tratar, novamente, de assuntos como educação, drogas, sexo, saúde, natureza e religião. Entre seus outros livros estão Sem Olhos em Gaza (1936) e Também o Cisne Morre (1939).

'Ninho' vem a Caxias, também

26 de julho de 2013 0

João Miguel Júnior, TV Globo

Na quarta-feira, comentei aqui no blog que o ator e escritor Juliano Cazarré estaria neste sábado em Porto Alegre, autografando o livro de poemas Pelas Janelas (Dublinense, 80 páginas, R$ 29,50). Pois agora fiquei sabendo que ele virá à Serra também.


Ele estará em Caxias do Sul no domingo, realizando sessão de autógrafos será na Livraria Saraiva do Shopping Iguatemi Caxias, das 16h às 18h.

Ah: para quem não está ligando o nome à pessoa, Cazarré (filho do escritor gaúcho Lourenço Cazarré) interpreta o hippie bonitão Ninho na novela das nove da Globo, Amor à Vida.

Qual o seu escritor preferido?

25 de julho de 2013 5

Reprodução

Hoje, 25 de julho, é Dia do Escritor. Por isso, o blog Palavra Escrita quer saber: quem é o seu escritor preferido?

De minha parte, acho difícil indicar um só — são tantos bons escritores de ontem e de hoje, e em cada momento surgem novas preferências. No entanto, se tivesse de indicar um só, seria a sempre Rainha do Crime, Agatha Christie, a senhora inglesa da fotinho ao lado, criadora de personagens inesquecíveis como o detetive Hercule Poirot e a velhinha esperta Miss Marple.

Alargando o time, também gosto muito de Stephen King, Umberto Eco, Carlos Ruiz Zafón, Dean Koontz, P.D. James, Tess Gerritsen… E de vários outros, claro. Do Brasil, destaco, entre outros, Marcos Rey, que eu curtia muito na adolescência (alguém mais aí era fã de O Mistério do Cinco Estrelas e d’O Rapto do Garoto de Ouro?).

Mas e você? Deixe um comentário falando do(s) seu(s) autor(es) preferido(s)!

Efeméride desta quarta-feira

24 de julho de 2013 0

Cena do filme 'Os Três Mosqueteiros', baseado na obra de Alexandre Dumas (Playarte, divulgação)

Não daria para deixar passar em brancas nuvens o aniversário de nascimento do escritor francês Alexandre Dumas (pai), ocorrido num 24 de julho, em 1802. Para quem não lembra quem é ele — ou o confunde com seu filho, também chamado Alexandre Dumas e também escritor —, o Dumas père é o autor, entre outras obras clássicas da literatura, de Os Três Mosqueteiros, publicado originalmente em 1844.


Antes de virar romancista, Dumas escrevia peças de teatro e artigos para revistas. Além da conhecida história de D’Artagnan e dos mosqueteiros Athos, Porthus e Aramis, é autor, entre outros títulos, de Os Irmãos Corsos e de O Conde de Monte Cristo, ambos publicados também em 1844.

Alguns anos após o sucesso d’Os Três Mosqueteiros, Dumas pai resgatou os personagens em dois outros livros: Vinte Anos Depois, de 1845, e O Visconde de Bragelonne, de 1847. Uma curiosidade é que parte desse terceiro livro — que na integra tem cerca de 2,5 mil páginas, normalmente divididas em vários volumes — ganhou vida quase autônoma, originando numerosas adaptações e ficando conhecida como O Homem da Máscara de Ferro.