Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2014

Agenda: hoje à noite tem Órbita Literária

30 de junho de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Hoje é segunda-feira, portante, noite do bate-papo Órbita Literária, que chega a sua 95ª edição. O tema do encontro, aberto ao público e gratuito, é Amigos para Sempre — O Pulsar da Vida nos Personagens Literários.

A partir das 20h, na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Dr. Montaury, 1.570, Centro), em Caxias do Sul, tendo como convidados o escritor Marcos Fernando Kirst e o grupo que participou da oficina de personagens que ele ministrou durante o mês de junho.

Eles apresentam a produção da oficina, que visava analisar alguns dos personagens mais marcantes da literatura universal e investigar os motivos que os tornam eternos e tão reais para os leitores.

Vale lembrar que o Órbita ocorre toda segunda-feira, sempre com entrada franca.

Primeiras impressões sobre 'The Leftovers'

30 de junho de 2014 0

Bom, acabei de assistir ao primeiro episódio da série The Leftovers, da HBO, que, como falei no post anterior, é baseada no livro Os Deixados para Trás (Intrínseca, 320 páginas, R$ 39,90), de Tom Perrotta.

Por enquanto, gostei do que vi. Deu para ter uma ideia dos principais personagens e conflitos da trama  (embora confesse que ainda não entendi o motivo para Kevin Garvey ter mudado de cargo, de prefeito no livro para chefe de polícia na versão da TV).

O que me deixou mais curiosa foi a questão dos cachorros, que não aparece no original — será que, na série, eles terão algo a ver com os desaparecimentos?

Um detalhe interessante, que eu tinha esquecido de comentar no post passado e que apareceu rapidamente na telinha foi que entre os “arrebatados” do 14 de Outubro estariam também pessoas famosas. Um deles seria o papa (“ele eu até entendo”, diz um dos personagens), e haveria ainda artistas e líderes políticos: no livro, são citados por exemplo Jennifer Lopez, Adam Sandler e Vladimir Putin, além de “o tirano da América Latina” e “a gatinha que levou um fora no reality show”…

'The Leftovers' estreia hoje no HBO

29 de junho de 2014 0
No Brasil, livro ganhou duas opções de capas (Reproduções)

No Brasil, livro ganhou duas opções de capas (Reproduções)

Imagine que você está jantando com sua família e, de um segundo para outro, eles não estão mais ali. Só sobrou você — seu marido, seus filhos, todos eles desapareceram, como que evaporados no ar. E não foram só eles que sumiram: em toda a cidade, em todo o planeta, pessoas desapareceram sem mais nem menos, enquanto executavam tarefas básicas do dia a dia.

Essa é a premissa da qual parte The Leftovers, série que estreia hoje, às 23h, no canal pago HBO. A trama é baseada no livro homônimo de Tom Perrotta, que, no Brasil, ganhou edição da Intríseca, com o nome de Os Deixados para Trás. Tanto no original quanto na versão televisiva, o desenrolar da história centra-se na fictícia cidadezinha de Mapleton, três anos após o  14 de Outubro, data dos desaparecimentos.

Ninguém nunca soube explicar o que ocorreu nesse dia, que ficou conhecido como A Partida, mas muitos aventam a hipótese de que teria sido o arrebatamento bíblico, aquele da frase “dois homens estarão num campo; um será levado, outro será deixado”, que prenunciaria o fim dos tempos.

A série com certeza fará adaptações em relação ao texto do livro, mas pelo que li até agoar a essência continua. Uma mudança é que Kevin Garvey (papel de Justin Theroux), que no original era o prefeito da cidadezinha, na TV será o chefe de polícia. Quanto ao restante, ainda não sei, portanto perdoem-me se algo que eu disser aqui, pensando no livro, for diferente na versão televisiva.

The Leftovers / Os Deixados para Trás, na verdade, não é a história dos que partiram, mas sim, como o próprio nome sugere, dos que ficaram. Tanto que a família Garvey, ao redor da qual se conduz a história, não teve nenhum desaparecido — o que não significa que não tenha sido afetada.

Enquanto Kev tenta levar a vida adiante da forma mais normal possível e ajudar os outros moradores a sarar suas feridas, sua família vai se desfazendo. A mulher, Laurie, até então uma total descrente, abandona a casa para se juntar à seita Remanescentes Culpados, um grupo que se veste de branco, fuma o tempo todo e faz voto de silêncio. Os RCs também se tornam conhecidos (e odiados por muitos) por perseguirem pessoas na rua, acompanhando-as silenciosamente onde quer que ela vão.

Tom, o filho, deixou a faculdade e se juntou a outro grupo, o do Abraço que Cura, fundado por um homem que inicialmente só quer ajudar as pessoas a amenizarem sua dor, mas que, com o tempo, acabou sendo elevado à condição de “santo” (embora, logo se descobre, nem tão santo assim). Há ainda outros grupos que surgem após a Partida Repentina, como o Povo Descalço, espécie de novos hippies que cultuam a vida ao ar livre, o sexo e as drogas.

Jill, a filha de Kev e Laurie, estava com uma antiga amiga quando esta desapareceu. Embora não tão traumatizada quanto os pais pensam, ela também acaba mudando radicalmente. Suas notas na escola despencam, ela rapa o cabelo, só quer saber de festas. Mas é a única que continua na casa com Kev.

Temos ainda outros personagens, como Nora Durst, uma mãe de família cujos dois filhos e o marido foram levados — é dela a cena da família sumindo em pleno jantar. No livro, ela e Kev acabam se envolvendo, mas a relação não será nem um pouco fácil.

E se não bastasse o sofrimento de não saber o que realmente aconteceu com os que desapareceram, ainda há aqueles que, crendo no arrebatamento, não se conformam por terem sido deixados para trás. É o caso do reverendo Matt Jamison, um ex-pastor que, após a Partida Repentina, passa a dedicar seus dias a desencavar os mais escondidos e pérfidos segredos dos desaparecidos, apenas para provar que eles não eram, como muitos pensam, pessoas boas levadas aos céus.

O livro é leitura de primeira, e ao que tudo indica, a série também será. Segundo o site da HBO, o prmeiro episódio poderá ser conferido hoje, às 23h, com reapresentações nesta segunda, às 1h17min, no HBO, e às 21h, no HBO2; terça, às 23h46min, no HBO; quarta, às 14h40min no HBO e às 20h, no HBO2; e sábado, à 1h15min eàs 10h55min, no HBO2, e às 23h55min, no HBO Plus Panregional.

Uma curiosidade é que The Leftovers está estreando aqui no Brasil simultanemaente à estreia nos Estados Unidos. No elenco, além de Theroux (de Miami Vice), estão Amy Brenneman (de Private Pratice), Liv Tyler (de Beleza Roubada), Emily Meade (de Boardwalk Empire) e Michael Gaston (de The Mentalist).

Com 10 episódios, a série é uma criação de Damon Lindelof, vencedor do Emmy por Lost, e do próprio Tom Perrotta, indicado ao Oscar por Little Children.

'Under the Dome' na Globo, a partir de segunda

27 de junho de 2014 0
CBS, divulgação

CBS, divulgação

Enquanto o público norte-americano conta as horas para a estreia da segunda temporada de Under the Dome, que ocorre segunda-feira no canal CBS, aqui no Brasil a primeira temporada da série baseada na obra de Stephen King volta a ser apresentada, também nesta segunda, desta vez na TV aberta.

A Globo anunciou que exibirá os episódios de segunda a sexta, após o Jornal da Globo. Na emissora, a série ganhou o subtítulo Prisão Invisível — para quem não sabe, a trama se passa em uma cidadezinha que, repentinamente, é cercada por um domo, uma espécie de campo de força invisível. No canal pago TNT, que exibiu ano passado essa mesma temporada, o subtítulo era Ninguém Entra, Ninguém Sai.

E quando a segunda temporada chega por aqui? Bom, por enquanto, não encontrei nenhuma notícia sobre isso no site do TNT. Assim que eu souber de algo, compartilho — até porque, com a exibição em canal aberto do início dessa ótima história de Stephen King, certamente o número de fãs da série irá crescer.

***

Para quem quiser saber mais sobre Under The Dome, alguns links de postagens anteriores:

- Primeiro post sobre a série, quando ela foi exibida no TNT

- Alguns personagens

- Resenha do livro

Escritores recebem premiação

26 de junho de 2014 0
Ícaro de Campos, divulgação

Ícaro de Campos, divulgação

Eis aí acima, com seus troféus e medalhas, os vencedores do 48º Concurso Anual Literário de Caxias e do Prêmio Vivita Cartier. A cerimônia de entrega da premiação foi realizada ontem à tarde, na prefeitura de Caxias do Sul.

Agora, os textos premiados das categorias conto, crônicas e poesias serão editados num livro, em formato pocket, que será lançado durante a 30ª Feira do Livro da cidade, em outubro.

Para lembrar, são esses os vencedores:

Confira os premiados nesta edição do Concurso:

 

Categoria Contos

1º lugar: Luiz Carlos Ponzi, com os textos “O Anjo da Guarda”, “Éramos três” e “Coisas de Meus Tempos de Comunista”

2º lugar: Filipo Elia Pezzini, com os textos “A Sombra Viva”, “O Anjo” e “Conversando Com as Paredes”

3º lugar: Tatiane de Lima Ribeiro, com os textos “Alba”, “Currículo” e “O Uniforme Azul ou A Vida Passa em Branco”

 

Categoria Crônicas

1º lugar: Tiago Pellizzaro, com os textos “Lições Paulistanas”, “A Força da Música?” e “A Volta do Outro Extremo”

2º lugar: Cesar Marcos Casaroto Filho, com os textos “Um Cão”, “Estado de Concha” e “Dia e Noite”

3º lugar: André Willian Segalla, com os textos “Amores Instantâneos”, “O Ídolo Partido” e “O Beijo de Judas”

 

Categoria Poesias

1º lugar: Bruno Francisco Favaro, com os textos “Reza-Louva-A-Deus”, “Rima Rimador” e “ Eu, Inseto”

2º lugar: Natalia Borges Polesso, com os textos “Poema Sem Não”, “Para G” e “Inofensivas”

3º lugar: Rodolfo Deon Dall’Agno, com os textos “Ode à Alma”, “Ideal” e “A Ilusão da Desunião”

 

Categoria Obra Literária – Prêmio Vivita Cartier

Marcos Mantovani, com a obra “Borboleta Nua”

 

 

Outro livro de John Green vai virar filme

26 de junho de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Primeiro livro publicado por John Green, ainda em 2005, e segundo mais vendido do autor aqui no Brasil (na última contagem do Publishnews, foram 5.804 exemplares em uma semana), Quem é Você, Alasca? vai virar filme.

Com roteiro de Sarah Polley, o filme — cuja data de lançamento ainda não foi anunciada — muito provavelmente repetirá o sucesso de A Culpa é das Estrelas, em cartaz desde o dia 5 e maior best-seller do escritor. Ontem à noite, na sua página no Facebook, Green declarou seu contentamento com a notícia.

Para dar uma ideia do sucesso do autor, o primeiro dos dois posts que ele fez sobre o assunto teve 11.751 compartilhamentos. Os “likes”, até agora, somam mais de 94 mil.

Ah: e, no ano, a venda de Quem é Você, Alasca?, só no Brasil, já soma Quem é Você, Alasca? mais de 73,8 mil exemplares.

Só lembrando que já havia sido anunciado que outro livro de Green, Cidades de Papel, também irá para a telona.

Adeus à escritora Maria Helena Balen

25 de junho de 2014 0
Escritora foi patrona da 25ª Feira do Livro de Caxias do Sul, em 2009 (foto Luiz Chaves, divulgação)

Escritora foi patrona da 25ª Feira do Livro de Caxias do Sul, em 2009 (foto Luiz Chaves, divulgação)

A escritora Maria Helena Balen, radicada há muitos anos em Caxias do Sul e por 15 anos cronista do jornal Pioneiro, morreu na madrugada de hoje.

Como uma homenagem, o Palavra Escrita republica a entrevista que ela concedeu ao blog em 30 de setembro de 2009, quando era patrona da 25ª Feira do Livro da cidade.

Confira:

Palavra Escrita: Como foi o seu primeiro contato com os livros?

Maria Helena Balen: Foi com o meu pai, que sempre gostou de ler. Ele era titular do Cartório de Registro de Imóveis, em Farroupilha, e na sua biblioteca eu fui apresentada à Divina Comédia, de Dante Leghieri, ao Tesouro da Juventude, e a um dicionário. Conservo esses livros amarelecidos pelo tempo até hoje. São minhas relíquias.

 

Palavra Escrita: Sua vontade de escrever, quando e com foi despertada?

Maria Helena: Como sempre gostei muito de ler, também sempre gostei de escrever. Lembro que nos aniversários eu era convocada a escrever em nome das amigas a dedicatória no cartão. As pessoas gostavam tanto do que eu escrevia, que guardavam o cartão. Quando me aposentei, como professora, passei a me dedicar mais à escrita.

 

Palavra Escrita: Qual a emoção de publicar um livro?

Maria Helena: Quem lança um livro entrega ele ao mundo. Por mais simples e despretencioso que seja, a gente tem a sensação de que fez uma obra imortal, que existirá para sempre,desafiando a nossa própria morte e das futuras gerações. Ele será uma prova de que a gente existiu.

 

Palavra Escrita: Quantos livros a senhora tem publicados, e em que gêneros?

Maria Helena: Meu primeiro livro foi uma coletânea de crônicas, Vivendo simplesmente, em 2000. Os mandamentos do não e outras histórias é um livro de contos resultado de uma oficina literária ministrada pelo escritor José Clemente Pozenato, feito em parceria com cinco mulheres. Em 2005, publiquei Divisor de águas, com crônicas e contos. Nesta Feira do Livro estarei lançando um livro de contos editado pela EDUCS, Vidas cruzadas.Além da minha crônica das segundas-feiras, no jornal Pioneiro, onde estou há 11 anos. Toda minha obra é ficcional.

 

Palavra Escrita: Fale um pouco de seu trabalho com oficinas literárias para presidiários.

Maria Helena: Quando fui Presidente da Academia Caxiense de Letras, adentrei na PICS Penitenciária Industrial de Caxias do Sul, a procura de talentos. E lá estou há 11 anos, nas sextas feiras, ministrando aulas de literatura. Esse serviço voluntário é muito gratificante. Eles fazem poemas, textos emocionantes que já ganharam prêmios em concursos literários.

 

Palavra Escrita: Na sua opinião, qual a importância da leitura nos dias de hoje?

Maria Helena: A leitura é fundamental na vida de uma pessoa. Não existe graduação que confira a uma pessoa a possibilidade de ela ser interessante e ser ouvida. Só o livro. “Livros são navios que percorrem os vastos mares do tempo”.

 

Palavra Escrita: Qual é a sensação de ser patrona da Feira do Livro que começa na sexta-feira?

Maria Helena: Minha formação é de professora primária de currículo por atividades, o que sou desde 1957. Nunca ocupei cargos importantes, não gosto de falar em público. Só ler e escrever, que é o que faço com prazer. Quisera viver muitos anos para ler todos os livros que ainda não li.

Não conheço outra frase que descreva a sensação que estou sentindo a não ser essa: Estou muito feliiiiiz! Venham me abraçar na Feira do Livro, estou esperando vocês.

Hoje é dia de jogo (e de Órbita)

23 de junho de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Em dia de jogo do Brasil na Copa do Mundo, o tema do bate-papo Órbita Literária de hoje não poderia ser outro: Copa e literatura.

O encontro, que ocorre a partir das 20h na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Dr. Montaury, 1.570), em Caxias do Sul, tem entrada franca. O painelista convidado será o escritor Lúcio Humberto Saretta, autor de livros de crônicas que abordam principalmente o universo futebolístico.

Ele abordará histórias que interligam jogadores e personagens do universo desportivo ao literário. Aspectos culturais, sociais e políticos também serão abordados na conversa, que começa falando sobre a Copa de 1930 no Uruguai e se estende até os dias de hoje, com a realização da Copa no Brasil.

A torcida é que a ocasião sirva, também, para comemorar mais uma vitória do Brasil em campo!

A estrela sobe

20 de junho de 2014 0
Reproduções

Reproduções

A tendência da qual eu havia falado aqui semana passada, sobre as vendas do livro A Culpa é das Estrelas terem crescido exponencialmente com a estreia do filme, não apenas confirmou-se como se ampliou nos últimos dias. Na listagem divulgada hoje pelo site Publishnews, o best-seller escrito por John Green aumentou ainda mais a vendagem semanal: foram 38.315 exemplares comercializados de 9 a 15 de junho (haviam sido 32.625 na contagem anterior).

Além de ser o campeão absoluto entre todos os tipos de livro, Green ainda pode comemorar os três primeiros lugares em ficção (além de A Culpa é das Estrelas, no topo, seus Cidades de Papel e O Teorema Katherine ocupam, respectivamente, o 2º e o 3º lugares, com 5.517 e 4.051 exemplares vendidos.

Não bastasse isso, é também dele o campeão de vendas na literatura infantojuvenil, Quem é Você, Alasca?, que vendeu 5.804 livros no período. Quer mais? Bem, dois livros em que ele é coautor, Will & Will (escrito em parceria com David Levithan) e Deixe a Neve Cair (com Lauren Myracle e Maureen Johnson) ocupam a 8ª e a 9ª posição entre os preferidos de ficção.

Alguém duvida que o cenário vai se repetir ainda por várias semanas?

2john

Do universo de 'Resurrection'

18 de junho de 2014 0
Reproduções

Reproduções

A série televisiva Resurrection angariou milhões de fãs mundo afora, incluindo aqui no Brasil, onde o livro que lhe deu origem, Ressurreição (The Returned, no original em inglês), de Jason Mott, foi lançado há pouco mais de um mês.

Pois se você gostou do livro e/ou da versão para a TV, saiba que esse não é o único trabalho de Mott envolvendo pessoas que retornam do mundo dos mortos como se nada tivesse acontecido. Além do romance, Mott também escreveu três contos que são “prequels” (histórias passadas antes da história principal, ou paralelamente a ela) de Ressurreição.

São eles The First, em que o autor explora a história de Edmund Blithe, o primeiro “ressurgido”, e de sua noiva, Emily; The Sparrow, em que um casal procura reunir uma garotinha com seu pai, para quem ela está morta há duas décadas; e The Choise, em que um homem é forçado a escolher entre a vida que ele tem agora, com sua esposa, e a que ele pensava ter perdido quando a antiga namorada desapareceu, muitos anos antes.

Os três contos podem ser encontrado em e-book, em inglês. No site da Barnes & Nobles, The First aparece ao preço de US$ 0,99, enquanto The Sparrow e The Choice sairiam gratuitamente. Como não entendo muito de e-books (sério, nunca comprei nenhum…), não sei como fica para leitores brasileiros, mas creio que como não há a questão física da entrega, os preços seriam os mesmos.

Ainda sobre Resurrection: a segunda temporada já está confirmada, só ainda não sei para quando.

***

mott_wonderE o novo romance de Jason Mott, The Wonder of All Things, está em pré-venda em sites internacionais. Nesse livro, durante um show aéreo, um avisão cai sobre uma multidão, matando e ferindo dezenas. Quando as coisas começam a se aclamar, uma garota de 13 anos, Ava, sai de sob os destroços e, quando ela toca em seu amigo Wash, todos os ferimentos dele desaparecem miraculosamente.

Quando a notícia sobre seu dom de cura se espalha, a vida da menina vira do avesso, com pessoas de todo o mundo rumando até sua pequena cidade para serem curadas por ela. O preço de seu poder, entretanto, é alto, e ela própria vai enfraquecendo a cada “milagre”, até que terá de decidir entre ela mesma e aqueles a quem ama.