Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "autores brasileiros"

Hilda Hilst pauta o Órbita Literária de hoje

14 de abril de 2014 0
Reprodução

Reprodução

A  poeta, ficcionista, cronista, tradutora e dramaturga brasileira Hilda Hilst, considerada uma das maiores escritoras da língua portuguesa do Século 20, será o tema do bate-papo de hoje do Órbita Literária, que ocorre a partir das 20h na Do Arco da Velha Livraria e Café (Rua Dr. Montaury, 1.570), em Caxias do Sul.

Com o título Hilda Hilst: Aquarelas Literárias, o encontro terá como painelista a artista plástica — e leitora contumaz — Valéria Rheis. Ela abordará o trabalho de Hilda não apenas na literatura, mas também na pintura, fazendo uma ponte entre estética e literatura.

O Órbita Literária, projeto que ocorre toda segunda-feira, tem entrada franca.

Resenha do leitor: 'Necrose Moral'

13 de abril de 2014 0

O blog também quer abrir espaço para o leitor. Por isso, inauguramos hoje a seção Resenha do Leitor. E a primeira resenha foi enviada pela leitora Norma Stagi, que se define como “apaixonada por literatura e devoradora de livros digitais compulsivamente”.

Ela fala do romance Necrose Moral, de Ráyel G. C. Barroso. Confira:

 

Reprodução

Reprodução

Necrose Moral é um romance de aventura ambientado no Brasil que conta a saga de Ramos, um militar, que ao investigar as circunstâncias de um acidente aéreo se depara com segredos que podem comprometer pessoas muito poderosas e até mudar o rumo das eleições presidenciais.

A partir daí, ele passa a ser considerado uma ameaça, vai ser acusado do assassinato da presidenta da República e será caçado impiedosamente.

Enquanto tenta descobrir a verdade por trás dessas acusações, ele terá de utilizar todos os conhecimentos em operações especiais para sobreviver aos seus inimigos. Ramos vai expor a necrose moral em um cenário político no qual tudo é justificado quando o assunto é poder e dinheiro.

É um livro impressionante, dinâmico e atual com um desfecho surpreendente.”

Os vencedores do Prêmio Brasília de Literatura

09 de abril de 2014 0

A organização da II Bienal do Livro e da Leitura, que começa na sexta-feira em Brasília, anunciou hoje os vencedores do Prêmio Brasília de Literatura, que vai distribuir R$ 320 mil em prêmios para oito categorias literárias — Biografia, Conto, Crônica, Infantil, Juvenil, Poesia, Romance e Reportagem.

O prêmio será entregue no dia 17, dentro da programação da Bienal. O primeiro colocado de cada categoria receberá R$ 30 mil e o troféu, e o segundo, R$ 10 mil, além do troféu.

Confira a listagem de vencedores:

Poesia

Mirantes – Roberval Pereyer – Ed. 7 Letras

O aquário desenterrado – Samarone Lima – Ed. Confraria do Vento

Romance

O sonâmbulo amador – José Luiz Passos – Ed. Alfaguara

O peso da luz – Einstein do Ceará – Ana Miranda – Ed. Armazém da Cultura

Reportagem

Jango: A vida e morte no exílio – Juremir Machado da Silva – Ed. L&PM

As duas guerras de Vlado Herzog – Da perseguição Nazista na Europa à morte sob tortura no Brasil – Audálio Dantas – Ed. Civilização Brasileira

Infantil

Lá no fundo do peito – Mauro Martins – Ed. Aletria

A fome do lobo – Cláudia Maria de Vasconcellos – Ed. Iluminuras

Biografia

Marighella: O guerrilheiro que incendiou o mundo – Mário Magalhães – Ed. Companhia das Letras

Getúlio 1930-1945: Do governo provisório à ditadura do Estado Novo – Lira Neto – Ed. Companhia das Letras

Crônica

Nú, de Botas – Antonio Prata – Ed. Companhia das Letras

Labirinto da Palavra – Cláudia Lage – Ed. Record

Conto

A verdadeira história do alfabeto – Noemi Jaffe – Ed. Companhia das Letras

Garimpo – Beatriz Bracher – Ed. 34

Juvenil

Marcéu – Marcos Bagno – Ed. Positivo

As gêmeas da família – Stella Maris Rezende – Ed. Globo Livros

Ilustrador brasileiro ganha o Hans Christian Andersen

25 de março de 2014 1
Em 2011, Roger Mello foi homenageado em Caxias (foto Roni Rigon, divulgação)

Em 2011, Roger Mello foi homenageado em Caxias (foto Roni Rigon, divulgação)

Roger Mello, que em 2011 foi o ilustrador homenageado na 27ª Feira do Livro de Caxias do Sul, foi anunciado ontem como o vencedor do prestigiado Prêmio Hans Christian Andersen, na categoria ilustrador.

O anúncio, feito durante a Feira do Livro Infantil de Bolonha (que segue até sexta-feira), consagrou o brasileiro como o primeiro latino-americano vencedor do Hans Christian Andersen, considerado o “Nobel” da literatura infantil e juvenil e concedido pela International Board on Books for Young People (IBBY). Já entre os autores, a escritora vencedora foi a japonesa Nahoko Uehashi.

Finalista do prêmio pela terceira vez, Mello foi indicado pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, seção brasileira do IBBY. Com ele, concorreram outros cinco ilustradores: Rotraut Susanne Berner, da Alemanha; John Burningham, do Reino Unido; Eva Lindström, da Suécia; François Place, da França; e Øyvind Torseter, da Noruega.

Dentro da programação da Feira do Livro Infantil de Bolonha, que esse ano homenageia o Brasil, Roger Mello compõe ainda a lista dos 55 ilustradores brasileiros que integram a exposição Brasil: Incontáveis Linhas, incontáveis histórias.

Pozenato, Brás Cubas e tradução no Órbita Literária

24 de março de 2014 0
José Clemente Pozenato abordará tradução francesa de obra de Machado de Assis (foto Roni Rigon, banco de dados)

José Clemente Pozenato abordará tradução francesa de obra de Machado de Assis (foto Roni Rigon, banco de dados)

Um dos clássicos da literatura brasileira, Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, será o tema de hoje do bate-papo Órbita Literária, que começa às 20h na Do Arco da Velha Livraria e Café (Dr. Montaury, 1.570), em Caxias do Sul.

O foco do debate, entretanto, não será apenas a obra em si, mas o significado cultural e a importância literária da tradução do romance para o francês, feita por Chadebec de Lavalade.

Para abordar o tema, o painelista convidado é o escritor José Clemente Pozenato — autor de livros como O Quatrilho, A Cocanha e O Caso do Martelo.

A participação no encontro, como sempre, é aberta a todos os interessados e gratuita.

Navegando pelo mundo

21 de março de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Eis aí a versão em inglês do livro O Colecionador de Águas, da escritora caxiense Elaine Pasquali Cavion. A novidade, que pegou de surpresa a própria autora, será apresentada  pela Cortez Editora — a mesma que lançou o livro original, em 2012 — na Feira de Bolonha, maior feira internacional dedicada ao livro infantil, que começa segunda-feira na cidade italiana.

— Estou muito feliz — diz Elaine sobre The Boy Who Collected Water.

Ela conta que sabia da possibilidade de tradução do livro para o idioma, mas não que ela já estava pronta. Ficou sabendo ontem, e ainda está em busca de mais detalhes.

— Pelo que sei, teria postos de venda nos Estados Unidos, Inglaterra e talvez alguma coisa na China. Mas inglês é mundo, quando se publica em inglês, se abrem mercados — sintetiza.

A autora lembra que a obra, seu segundo livro, já tinha versão em espanhol, ganha ano passado, após a primeira apresentação em Bolonha. Sinal de que a qualidade e a leveza do texto da caxiense estão conquistando leitores mundo afora.

E que venham novas traduções…

Mais um concurso para quem escreve

19 de março de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Esse é tanto para quem já é escritor quanto para quem sonha em ser: já estão abertas as inscrições para 48º Concurso Anual Literário de Caxias do Sul, promovido pelo Departamento do Livro e da Leitura —  Sistema de Bibliotecas da Secretaria Municipal da Cultura.

Como no ano passado, o tradicional concurso agora premia tanto obras inéditas (nos gêneros contos, crônicas e poesias) quanto obras publicadas (2º Prêmio Vivita Cartier). As inscrições seguem até 15 de abril. Vamos aos detalhes.

Para obras inéditas, os concorrentes (que precisam ter mais de 16 anos e morar em Caxias do Sul há no mínimo dois anos) devem enviar conjuntos de três textos no gênero escolhido. Vale lembrar que esses textos deve ser rigorosamente inéditos, ou seja, não publicados em nenhum meio impresso ou eletrônico — portanto, não valem aqueles textos que você escreveu para um blog, por exemplo.

Já o Vivita Cartier premia obras publicadas no ano anterior ao edital, ou seja, podem concorrer autores (maiores de 16 anos e residentes em Caxias do Sul ou região ou que tiveram obras editadas por editoras da região) com livros publicados no ano passado. As obras devem ser de ficção — poesia, conto, teatro, crônica, novela ou romance.

Nas obras inéditas, o prêmio inclui troféu, certificado e publicação em coletânea. Nas obras publicadas, troféu e prêmio em dinheiro.

As inscrições podem ser feitas no 4º andar da Biblioteca Pública Municipal Dr. Demetrio Niederauer (Rua Dr. Montaury, 1.333). Quer mais detalhes sobre formatação, etc? Clique aqui e confira.

1, 2, 3 lançamentos nesta sexta, em Caxias

13 de março de 2014 0
Reproduções

Reproduções

Está aberta a temporada de lançamentos literários em Caxias do Sul.

Amanhã, Dia Nacional da Poesia, haverá três sessões de autógrafos simultâneas. Serão, é claro, três livros de poesia: Tempestades Inglórias e Noites Sombrias, de Wagner Hertzog, O Suor dos Fortes, de Uili Bergamin, e O Homem Só, de Leandro Angoneze.

As obras integram a coleção Revolução Literária da editora Épsilon — uma editora nova que está surgindo na cidade. O lançamento será às 20h, no Aristos (Av. Júlio de Castilhos, 1.677, junto ao Clube Juvenil), no centro de Caxias. Os livros serão comercializados a R$ 14,50 cada (ou os três juntos por R$ 40).

E em breve tem mais novidades vindo por aí. Fique de olho, que falaremos delas aqui no blog.

'Adultério', de Paulo Coelho, chega em abril

12 de março de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Dias atrás, falei por aqui que o lançamento do novo livro de Paulo Coelho nos Estados Unidos seria em agosto. Pois no Brasil o lançamento será meses antes: Adultério estará nas livrarias no dia 15 de abril, pela editora Sextante. Ainda não sei o número de páginas e o preço.

A capa é essa aí ao lado, e o tema do romance, é claro, pode-se depreender do título. Confira um trecho, retirado da página do livro no site Skoob: “Só fiz amor com vontade mesmo uma vez em muitos meses – e você sabe bem de que dia estou falando. Já considerei que tudo isso seja um rito de passagem, consequência de eu ter passado dos 30 anos, mas essa explicação não basta”.

Hoje, o escritor divulgou no seu twitter o link para um teaser do livro no YouTube (confira abaixo). Pelo que dá para ver nos 49 segundos do vídeo, tem muita ação e emoção (e sexo) na história.

)

A poesia e o Facebook

11 de março de 2014 1

Depois da onda de indicar os livros preferidos, que rolou mês passado, outra moda começou nos últimos dias no Facebook: uma espécie de desafio para encher a rede de poesia.

A ideia é que quem recebe a mensagem deve publicar uma poesia no seu perfil e indicar cinco amigos para que façam o mesmo.

De minha parte, após ser desafiada por meu sobrinho André, escolhi um poema de Casimiro de Abreu:

Meus Oito Anos

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais!
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais!

Como são belos os dias
Do despontar da existência! —
Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é — lago sereno,
O céu — um manto azulado,
O mundo — um sonho dourado,
A vida — um hino d’amor!

Que aurora, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar!
O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar!

Oh! dias da minha infância!
Oh! meu céu de primavera!
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã!
Em vez das mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã!

Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
Da camisa aberta o peito, —
Pés descalços, braços nus —
Correndo pelas campinas
A roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis!

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo.
Adormecia sorrindo
E despertava a cantar!

Oh! que saudades que tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais! —
Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras
Debaixo dos laranjais!

E você? Que poesia escolheria?