Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "fantasia"

1, 2, 3... oito 'As Crônicas de Gelo e Fogo'

06 de junho de 2014 0
HBO, divulgação

HBO, divulgação

Primeiro, era para ser uma trilogia. Depois, a saga iniciada com A Guerra dos Tronos cresceu, ganhou milhões de fãs mundo afora, virou série de TV (foto), e foi anunciado que seriam sete os livros da série escrita por George R. R. Martin. Agora, segundo notícia publicada no site do jornal O Estado de S. Paulo, que citou como fonte o The Guardian, há a possibilidade de o número de volumes de As Crônicas de Gelo e Fogo crescer mais ainda, chegando a oito.

Conforme a matéria do Estadão, a hipótese foi levantada pela editora de Martin, Anne Groell, que usou a existência de oito reinos na trama para dizer que seria bom serem oito livros. Por enquanto, cinco já foram publicados — A Guerra dos Tronos, A Fúria dos Reis, A Tormenta de Espadas, O Festim dos Corvos e A Dança dos Dragões, este último publicado no Brasil em 2012. Todos foram alçados imediatamente à condição de best-sellers, tanto por aqui quanto noutros países.

Enquanto não vem a confirmação da ampliação da série não vem os fãs do mundo imaginário criado por Georde R.R. Martin, que deu origem ao seriado de TV Game of Thrones, seguem no aguardo dos próximos dois volumes já confirmados, mas ainda sem data de publicação. O sexto deve ter como título Os Ventos do Inverno.

A volta de George R.R. Martin

21 de fevereiro de 2014 0
Reprodução

Reprodução

Depois de um tempo sumido das listas de mais vendido, George R. R. Martin está de volta — e vem com tudo. Seu novo livro, O Cavaleiro dos Sete Reinos (LeYa, 416 páginas, R$ 49,90), abocanhou o 5º lugar no ranking de ficção divulgado hoje pelo site especializado Publishnews, além do nono lugar na lista geral.

Ao todo, foram 2.585 exemplares vendidos na semana, ainda abaixo de três títulos de John Green e de A Menina que Roubava Livros, de Markus Zusak, mas com a promessa de subida — ao menos se se levar em conta o sucesso dos livros anteriores de Martin, da saga As Crônicas de Gelo e Fogo.

O Cavaleiro dos Sete Reinos, aliás, passa-se no mesmo universo ficcional da saga, mostrando “o que aconteceu 90 anos antes de A Guerra dos Tronos“, primeiro livro da série.

Alguém aí duvida que esse 5º lugar é só o começo?

A literatura fantástica de Suzy Hekamiah ganha novas cores

11 de fevereiro de 2014 0
Ilustrações Vanessa de Andrade, divulgação

Ilustrações Vanessa de Andrade, divulgação

Eis três das ilustrações feitas especialmente para a segunda edição do romance de fantasia Código dos Mares — Os Contos do Tempo, da  jovem escritora caxiense Suzy M. Hekamiah. Essa nova edição, que sai em abril, durante a Odisseia de Literatura Fantástica, vem com o acréscimo de uma galeria de personagens e de um conto inicial.

Acima você confere o pirata Allan Thaos, o capitão Oscar de Levetue e a taberneira Johanna, no traço da ilustradora Vanessa de Andrade. Além deles, ganharão imagens o rei de Nevue (Ville Aires), o arqueiro Dante e o Rei de Hör (Barmor).

— Essas ilustrações são também a apresentação de como os personagens serão na HQ Código dos Mares, que tem lançamento previsto para agosto, na Bienal de São Paulo — explica Suzy.

Tanto a segunda edição quanto a HQ (que terá uma trama diferente do livro, embora com os mesmos personagens e ambientada no mesmo universo fantástico) saem pela editora Literata. A versão em quadrinhos será em preto e branco e terá cerca de 150 páginas.

— Estou muito feliz de poder publicar uma HQ, pois era um sonho de menina. Sou uma grande fã de quadrinhos, tenho um acervo de umas mil revistinhas variadas que coleciono desde criança. Aprendi a ler com as obras do Maurício de Souza, Stan Lee e os clássicos da Disney — finaliza a escritora.

Planos para 2014: Suzy M. Hekamiah

17 de janeiro de 2014 0
Roni Rigon, banco de dados

Roni Rigon, banco de dados

A escritora caxiense Suzy M. Hekamiah, que, depois de ter participado de duas dezenas de antologias lançou seu primeiro livro solo no ano passado, retorna com tudo em 2014.

Ela revela ao Palavra Escrita que, neste ano, vai lançar uma HQ baseada em seu primeiro livro, Código dos Mares. Mas, adianta, a história não será a mesma do romance:

— O roteiro que estou escrevendo para a HQ é diferente do livro e trata de um episódio anterior ao que ocorre no romance. Essa HQ deve inaugurar o selo de quadrinhos que a minha editora está lançado. As ilustrações estão sendo feitas pela ilustradora caxiense Vanessa de Andrade. O lançamento está previsto para agosto, na Bienal de SP.

Em abril, na Odisseia de Literatura Fantástica em POA, ela começarei a divulgar seu trabalho com tecnologias digitais, realizando sua primeira exposição.

— Nela, o público poderá conferir uma arte que une o mundo dos livros com realidade aumentada. Minha proposta é fazer mais artes interativas com o mundo dos livros unindo a tecnologia e apresentar nas demais feiras que eu participar. O nome do projeto, em geral, é ARTec ( junção dos nomes “Arte e Tecnologia”).

Para 2014, Suzy também programa o lançamento de seu segundo romance, um thriller chamado Démodée, além de um RPG paralelo a um projeto musical.

Efeméride hobbiteana

21 de julho de 2013 0

O ator Elijah Wood dá vida ao hobbit Frodo na adaptação cinematográfica de 'O Senhor dos Anéis' (reprodução)

Perdão pelo neologismo do título, ele foi usado para lembrar outro sucesso literário nascido num 21 de julho: a trilogia de fantasia O Senhor dos Anéis (The Lord of The Rings), escrita pelo britânico J.R.R. Tolkien.

O primeiro livro da série, O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel, foi lançado nessa data, em 1954.

A história, escrita entre 1937 e 1949, teria sido iniciada como uma sequência de um livro anterior de Tolkien, O Hobbit, mas logo assumiu uma dimensão bem maior. Os três volumes da trilogia — A Sociedade do Anel, As Duas Torres e O Retorno do Rei — venderam mais de 160 milhões de cópias. Já nos anos 2000, os livros deram origem a três filmes de grande sucesso, que acumularem, em conjunto, 17 Oscar.

A trama transcorre na fictícia Terra Média, habitada por hobbits, humanos, anões, elfos, magos e orcs, e narra a luta para evitar que o anel do poder volte às mãos de Sauron, o Senhor do Escuro. O protagonista é um hobbit, Frodo Bolseiro.


Resenha: 'O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares'

10 de fevereiro de 2013 0

Reprodução

Um livro muito, muito peculiar. Essa é, com perdão do trocadilho, a melhor forma de definir O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares (LeYa, 336 páginas, R$ 39,90), romance de estreia do escritor Ransom Riggs.

Tenho lido bons livro ultimamente, mas fazia tempo que lera algo tão sedutor a ponto de me fazer devorar mais de 300 páginas em um único dia. Sim, passei o sábado mergulhada nas aventuras de Jacob, um adolescente de 16 anos que embarca numa aventura numa remota ilha na costa do País de Gales para descobrir a verdade sobre o avô, Abe, que acaba de morrer.

Quando criança, Jacob deliciava-se com as histórias contadas por Abe (e qual criança não adora as histórias do avô?), que afirmava ter vivido anos idílicos nessa ilha, num orfanato, após ter de deixar os pais na Polônia porque eram perseguidos por monstros. Seus amigos lá, contava e mostrava fotos, eram um menino invisível, uma garota que flutuava, e outros mais com habilidades especiais.

O pequeno Jacob ficava maravilhado e sonhava em ser corajoso como o avô, que dizia lutar contra monstros. Ao crescer, no entanto, parou de acreditar nas histórias do velho, que ganharam uma explicação mais lógica: sim, ele vivera num orfanato nessa ilha, mas os “monstros” que o perseguiam eram os nazistas, que mataram seus pais e irmãos. As fotos, nunca mais mostradas, eram truques grosseiros de manipulação, para dar mais sabor aos relatos.

Mesmo assim, o avô continua a ser alvo da admiração de Jacob. Um dia, o rapaz está no trabalho quando recebe um telefonema angustiado do avô, que quer saber onde foi escondida a chave de seu armário de armas. Os monstros estão atrás dele, diz, e precisa se defender. Acostumado com os delírios do avô, que já tem mais de 80 anos, Jacob vai até sua casa com um amigo, para tentar acalmá-lo. Acaba encontrando-o numa mata atrás da casa, com o ventre destroçado, atacado por cães selvagens, conforme conclui a polícia. Suas últimas palavras para o neto são que vá para a ilha. Desconexo, cita uma carta, uma ave, e uma data: 3 de setembro de 1940.

Após a morte do velho, Jacob, em choque, passa a ter pesadelos com um monstro que acredita ter visto naquela noite. Os meses se passam, e, numa última tentativa de acabar com o que acredita ser estresse pós-traumático, o pai do rapaz o leva numa viagem para cumprir a última vontade do avô: conhecer o tal orfanato e sua diretora, que já deveria estar beirando os 100 anos. Na ilha, entre as ruínas do prédio – destruído por bombas justamente em 3 de setembro de 1940 -, Jacob vai encontrar mais fotos peculiares, e mergulhar numa aventura mágica e arrepiante

Box de 'As Crônicas de Gelo e Fogo' em versão pocket

18 de dezembro de 2012 2

Leya, divulgação

Uma boa sugestão de presente neste Natal para os fãs de As Crônicas de Gelo e Fogo — saga de fantasia mais vendida dos últimos anos, que também virou uma produção da HBO —, do escritor George R.R. Martin: a editora LeYa, que publica os livros no Brasil, lançou recentemente um box que reúne os cinco primeiros livros da série, em formato pocket e com capa especiamente desenvolvida para a edição.

A caixa com A Guerra dos Tronos, A Fúria dos Reis, A Tormenta de Espadas, O Festim dos Corvos e A Dança dos Dragões sai por R$ 139,90 — preço até convidativo, se considerarmos que na edição normal cada livro custa cerca de R$ 50.

Para quem ainda não conhece a saga, que já vendeu mais de um milhão de exemplares só no Brasil, um resumo da trama, mescla de romance épico e de literatura fantástica: no fictício continente Westeros, uma terra onde o verão pode durar décadas e o inverno toda uma vida, traições e revelações vão sendo apresentadas às criaturas dos Sete Reinos que, junto com o leitor, vão encarar o destino incerto de suas vidas.

Nos livros, lordes, damas, soldados, mercenários, assassinos e bastardos se juntam em um tempo de presságios malignos. Cada capítulo é contado do ponto de vista de um personagem, embora todos sejam narrados em terceira pessoa, e cabe ao leitor a tarefa de definir o caráter dos envolvidos na trama.



Balanço de leituras

01 de setembro de 2012 1

 

Reproduções

Queria ter feito este post quando o ano chegou à metade, mas, como deixei passar a data, esperei por agora, quando se passaram já dois terços de 2012. É um pequeno balanço das leituras dos últimos meses, embora eu já não seja tão metódica em anotar os títulos lidos como fazia anos atrás.

Alguns são lançamentos, muitos são livros que eu já tinha na estante e, por isso, são de anos atrás. Também há livros infanto-juvenis, porque, mesmo crescidinha, continuo gostando desse gênero. De alguns já falei por aqui antes, mas mesmo assim vou dar um pequeno resumo de cada que pode servir como dica de leitura. Vamos, então, à lista:

1. A Menina que não Sabia Ler, de John Harding: embora a história se inicie num tom leve, em que a menina Florence conta que aprendeu a ler escondida e sozinha porque seu tio e tutor achava que mulheres não deviam saber decifrar os livros. Logo, no entanto, a história toma um tom sombrio, lembrando muito A Volta do Parafuso, de Henry James.

2. Você Pode Guardar um Segredo?, de Pedro Guerra: esse romance policial marca a estreia de um jovem escritor caxiense, numa trama bem elaborada passada numa fictícia cidade americana.

3. A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Záfon: posso dizer, sem dúvida, que este é um dos melhores livros que já li. O autor espanhol constrói uma trama repleta de suspense, numa história que começa quando o jovem Daniel, então com 10 anos, é levado pelo pai até o Cemitério dos Livros Esquecidos. Lá, encontra um romance de um maravilhoso autor desconhecido. Quando o garoto tenta encontrar outras obras desse escritor, descobre que alguém percorre o mundo queimando seus livros.

4. O Jogo do Anjo, de Carlos Ruiz Záfon: do mesmo autor do anterior, traz uma nova história, desta vez com toques de sobrenatural, em que o escritor David Martín, praticamente na miséria, recebe uma proposta de um homem misterioso para escrever um livro que mudaria o mundo. Alguns cenários de A Sombra do Vento se repetem, bem de passagem: o Cemitério dos Livros Esquecidos e a livraria da família Sempere.

5. O Prisioneiro do Céu, de Carlos Ruiz Záfon: neste livro, as tramas das duas histórias anteriores de Zafón começam a se entrelaçar. Muitas coisas deixadas inexplicadas nos outros dois livros agora ganham sentido. Embora também muito bem imaginado e escrito, no entanto, achei que faltou algo, que a história não me empolgou tanto quanto A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Vamos ver como será o quarto livro, que deve dar um fecho nas tramas.  

6. Serraria Baixo-Astral, de Lemony Snickert: quarto livro da saga infanto-juvenil Desventuras em Série, traz os irmãos órfãos Violet, Klaus e Sunny Baudelaire em mais uma angustiante aventura (ou desventura), desta vez obrigados a trabalhar numa perigosa serraria, enquanto o malvado Conde Olaf continua à espreita.

 

7. Criança 44, de Tom Rob Smith: uma trama que une suspense, medo e traição, passada na União Soviética, num tempo em que qualquer discordância com o governo e a polícia gerava prisão e morte. Depois de mostrar duas crianças caçando um gato para matar a fome numa aldeia ucraniana, a história dá um pulo de 20 anos e vai para Moscou, em que um oficial decide investigar a morte de crianças, embora oficialmente não existam assassinatos no país.

8. Na Ilha do Dragão, de Maristel Alves dos Santos:  um dos livros que eu ainda não havia lido da coleção Vaga-Lume, traz a aventura de uma turma que vai passar um feriado numa ilha. Envolve perigos, sequestro, mostros marinhos e até um tesouro.

9. A Garota de Papel, de Guillaume Musso: um escritor em crise porque foi abandonado pela namorada vê, repentinamente, uma das personagens de seus livros aparecer em carne e osso em sua vida, depois de uma falha na impressão de seu último livro.

10. A Mala de Hana, de Karen Levine: uma comovente história real sobre uma menina judia levada para um campo de concentração. Sua vida é retraçada após pesquisas de uma professora japonesa, cuja escola havia recebido uma mala que pertencera a Hana.

11. Clube Mefisto, de Tess Gerritsen: uma série de assassinatos com toques ritualísticos são o novo desafio da detetive Jane Rizzolli e da médica legista Maura Isler. 

12. Gravidade, de Tess Gerritsen: durante uma missão espacial, os astronautas começam a adoecer e morrer. Os sobreviventes não devem voltar à Terra, para não contaminar outras pessoas. Mas um ex-astronauta faz de tudo para reverter a situação, pois sua ex-mulher, por quem ainda é apaixonado, é uma das pessoas presas na Estação Espacial.

13. Pegasus e o Fogo do Olimpo, de Kate O’Hearn: durante uma tempestade, o mitológico cavalo alado Pegasus cai de repente no prédio onde mora a menina Emily, arrastando-a para uma aventura envolvendo os deuses da mitologia romana.

14. Pegasus e a Batalha pelo Olimpo, de Kate O’Hearn: sequência da história anterior, traz Emily, Pegasus e seus amigos em novas aventuras para proteger o Olimpo.

15. Os Barcos de Papel, de José Maviael Monteiro: outro excelente livro da série Vaga-Lume, traz os amigos Quito, André, Miguel e Josué, que se perdem no interior de uma caverna enquanto a exploram, e acabam em poder de bandidos.

16. A Foto Fatídica, de Ngaio Marsh: embora não tão conhecida como Agatha Christie, Ngaio é outra escritora policial britânica tradicional. Nesse livro, uma cantora de ópera que vinha sendo perseguida por um paparazzi é assassinada, com uma foto atravessada por uma faca em seu peito.

17. Enigma para demônios, de Patrick Quentin: primeiro livro da saudosa série Horas em Suspense (da qual faz parte também o livro anterior). Nele, um homem volta a si após um período em coma e se encontra engessado, deitado em uma cama em uma mansão. Mas ele não reconhece nem sua suposta mãe, nem sua suposta e belíssima esposa. E não acredita que seja quem dizem que ele é, embora não se lembre quem mais possa ser. 

18. O Fantasma da Infância, de Cristovão Tezza: duas histórias paralelas envolvendo protagonistas com o mesmo nome, André Devinne. Um, um escritor frustrado que sobrevive digitando classificados; o outro, um rico assessor político com um passado obscuro.  

19. Uma Aula de Matar, de Ana Arruda Callado: três professores universitários disputam o posto de titular, mas, na véspera da prova, um deles aparece morto na piscina. Todos são suspeitos: os outros dois concorrentes, o rabujento Esteves e a ex-guerrilheira Helena; a mulher traída, a jornalista Marina; a diretora, Ana Lúcia; a amante, Regina; e o ghost writer João Maurício, que circula pelos corredores da faculdade vendendo trabalhos para os estudantes.

20. O Diabo & Sherlock Holmes, de David Grann: no melhor estilo do jornalismo literário, traz histórias de mistérios e crimes reais, reconstruídos com habilidade, desde a morte de um especialista em Sherlock Holmes até um assassino que escondeu pistas dos crimes em um livro.

21. Os Olhos Amarelos dos Crocodilos, de Katherine Pancol: separada e sem dinheiro para criar os filhos, uma mulher aceita a proposta de sua irmã – escrever um livro e deixar a outra publicar em seu nome, fazendo sucesso em seu lugar.

22. Too Late to Say Goodbye, de Ann Rule: a história de um crime real, em que uma mulher é assassinada e o suspeito é seu marido, um dentista visto por todos como amoroso e dedicado, mas com um passado altamente suspeito – uma ex-namorada morreu exatamente da mesma forma.

23. O Romancista Ingênuo e o Sentimental, de Orhan Pamuk: uma reunião de ensaios sobre escrita e literatura do autor de Neve e de Istambul, ganhador do Nobel em 2006.

24. O Cavaleiro Feérico, de Luiz Hasse: outro livro de autor caxiense, que recentemente ganhou sua terceira edição, mescla fantasia medieval, cavalaria e vários outros gêneros numa história sobre um jovem cavaleiro meio humano, meio fada.

25. Ladrão de Olhos, de Jonathan Auxier: um garoto cego mora nas ruas, sobrevivendo de pequenos furtos, até o dia em que rouba uma caixa com três pares de olhos mágicos e vai parar num mundo desconhecido.

'O Cavaleiro Feérico' tem sessão de autógrafos nesta quinta

16 de agosto de 2012 0

 

Reprodução

Menos de um ano e meio depois de ser lançado, o romance O Cavaleiro Feérico (editora Multifoco, 391 páginas), do escritor e professor de história Luiz A.A. Hasse, terá sua terceira edição lançada hoje, às 19h, com sessão de autógrafos no Zarabatana Café, no Centro de Cultura Ordovás, em Caxias do Sul.



O livro, que reúne fantasia, drama e aventura medievais, começou a ser escrito entre 2003 e 2004 e foi concluído em 2005, apesar de só ter sido lançado em abril de 2011. A história combina elementos de narrativa heroica, romance de cavalaria, drama romântico, conto de fadas e contos de horror. O protagonista é Garth, meio humano, meio fada, um jovem herói ingênuo e bem intencionado, que, ao combater desafios e vencer obstáculos, adquire sabedoria e aprende sobre responsabilidade, dever e amor.

— Entre os perigos que o personagem enfrenta estão não apenas espectros, dragões, feiticeiros e monstros, mas também mazelas que até hoje podemos sentir em nosso mundo, como a discriminação, a desconfiança, a inveja e o mistério que paira sobre nossa origem e por que motivo estamos aqui. O mundo de Garth é e não é o nosso. Embora não se use mais resolver os problemas com espadas e ser assaltado no caminho do trabalho seja um risco consideravelmente maior do que ser engolido por um dragão, ainda são as pessoas, suas paixões e seus deveres, que fazem as histórias, em qualquer lugar —diz o autor.

Fã de fantasia, Hasse conta que considerou divertido escrever esse romance, compartilhando também com seus leitores a paixão pelo gênero.

O preço normal do livro é R$ 48, mas, no relançamento, será vendido excepcionalmente a R$ 40.

Novo livro de George R.R. Martin em junho

28 de maio de 2012 0

 

Reprodução

Os fãs da saga As Crônicas de Gelo e Fogo, de George R.R. Martin, podem se preparar para voltar às livrarias: em junho, a Leya publica o quinto livro da série, A Dança dos Dragões (864 páginas, R$ 54,90).

 

Na história, o futuro dos Sete Reinos ainda é incerto, com novas ameaças e novos inimigos. O Norte está devastado e a Patrulha da Noite, abalada pelas perdas sofridas para lá da Muralha, está nas mãos de Jon Snow. Para lá da Muralha, a viagem de Bran prossegue, e outras viagens convergem para a Baía dos Escravos.

Enquanto isso, Daenerys Targaryen descobre que é mais fácil conquistar uma cidade do que substituir um sistema político e econômico. Conseguirá ela enfrentar as intrigas e ódios que se avolumam enquanto os seus dragões crescem para se tornarem as criaturas que um dia conquistarão os Sete Reinos?

Vale lembrar que As Crônicas de Gelo e Fogo é a saga de fantasia mais vendida dos últimos anos, além de ter virado produção da HBO.